Reavivados por Sua Palavra


DEUTERONÔMIO 32 by Jobson Santos
15 de abril de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/deuteronomio/dt-capitulo-32/

O cântico de Moisés; que mensagem poderosa! Os filhos de Israel estão finalmente prontos para entrar na Terra Prometida. Estes são os filhos de Moisés – ele os viu crescer, suportou suas lamentações, implorou a Deus em favor deles, e obedientemente os guiou conforme as instruções de Deus. Como um pai amoroso, sabendo que não irá mais estar com eles para os guiar e encorajar, ele oferece suas últimas palavras de conselho, na forma de uma canção, para que possam facilmente guardar as palavras na memória.

Moisés deseja desesperadamente que o povo escolhido seja bem sucedido, e não abandone o seu Deus que os havia conduzido até ali, mas ele também conhece bem aquelas pessoas! Quantas vezes ele testemunhou suas falhas! Quantas vezes ele se alegrou em sua fiel obediência a Deus! Ele os lembra de sua história e os instrui a contar as histórias do deserto a seus filhos, de geração em geração, para que eles tenham absoluta certeza de que, se permanecerem fiéis, serão abençoados.

Pode ser fácil deixarmos de reconhecer o poder de Deus trabalhando em nossas vidas hoje se não recordarmos as evidências passadas de Sua atuação. Que todos possamos decidir compartilhar nossas histórias pessoais sobre como Deus nos tem conduzido a fim de reforçar a fé das gerações futuras!

Karina Sherwin-Bloom
Igreja Adventista do Sétimo Dia de Cedar Lake
Michigan EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=431
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



DEUTERONÔMIO 32 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
15 de abril de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



DEUTERONÔMIO 32 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
15 de abril de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

A música cantada por Moisés foi ordenada por Deus, destinada ao povo de Deus, para que o povo cantasse e servisse de testemunha contra os negligentes aos ensinamentos contidos na música (Deuteronômio 31:19, 30).

Destacam-se neste cântico os seguintes pontos:

1. Um cântico com objetivo definido: Reafirmar o compromisso humano com Deus tendo céus e terra por testemunhas (vs. 1-3);

2. Proclamação da fidelidade impecável de Deus e corrupção irregenerável do povo (vs. 4-9);

3. Anúncio da bondade de Deus na formação de um povo neste mundo de pecado, confusão e morte (vs. 10-14);

4. Reconhecimento de que a abundância material induz ao abandono espiritual de Deus a tal ponto de cultuar aos demônios (vs. 15-18).

5. Assimilação do juízo divino sobre a corrupção física, moral, social e espiritual e, a ação da graça e bondade de Deus impondo limite ao Seu julgamento (vs. 19-27);

6. Aceitação da insensatez que caracterizou o comportamento humano diante de tanta sabedoria oferecida por Deus ao Seu povo (vs. 28-33);

7. Compreensão da misericórdia imensurável de Deus ao vindicar Seu povo no futuro para revelar Seu caráter perante todo o Universo (vs. 34-43).

Esta canção assimilada no coração era a teologia que Deus queria que o povo construísse sua história, moldasse seu caráter e regesse sua vida pessoal, familiar e coletiva. O futuro de todos dependia de uma vida desprendida da cultura pagã (vs. 44-47). E o nosso futuro?

Moisés está para dar o último suspiro. A lição aqui: Deus mostra que o fim de nossa história altera conforme vivemos a submissão a Ele (vs. 48-52).

Moisés cantou ao transpor o Mar Vermelho e compôs outra canção no final da vida. Este último cântico “tem sido considerado ‘como a chave de toda a profecia’, por se referir à origem de Israel como nação, à ingratidão e à apostasia do povo e, finalmente, ao castigo que sofreu e à restauração que, graças ao Senhor, o elevou à dignidade primitiva. O tema é o nome do Senhor, o carinho com que tratou o Seu povo, a justiça e a misericórdia com que o distinguiu. Abrange a história do povo eleito desde a criação do Universo até ao Dia do Juízo final” (G. T. Manley).

Reflita no que aprendeu! – Heber Toth Armí.



DEUTERONÔMIO 32 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
15 de abril de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Eis a Rocha! Suas obras são perfeitas, porque todos os Seus caminhos são juízo; Deus é fidelidade, e não há nEle injustiça; é justo e reto” (v.4).


Aproximando-se o dia de sua morte, Moisés recebeu do Senhor a incumbência de ensinar um cântico ao povo. Assim como lhe fora transmitida a canção, “Moisés pronunciou, integralmente, as palavras deste cântico aos ouvidos de toda a congregação de Israel” (v.1). O amor, o zelo e a fidelidade de Deus pelos filhos de Israel são exaltados e contrastados com o desprezo, a apostasia e a rebeldia do povo, que redundariam em afastamento do Senhor.

Enquanto Deus os rodeava, cuidava e guardava como uma águia de seus filhotes; enquanto os cercava com Sua sebe e lhes dava o melhor da Terra; fartos e abastados, abandonaram o Seu Criador e desprezaram “a Rocha da sua salvação” (v.15). A letargia os conduziu à apostasia. Dominados por seus corações obstinados, de “porção do Senhor” (v.9) tornaram-se “raça de perversidade” (v.20). Um povo que ostentava a eleição divina, mas que rejeitava a Sua doutrina e a Sua Palavra (v.2).

Escrevendo aos coríntios, o apóstolo Paulo exalta a importância dos exemplos da história de Israel como uma forma de advertência a “nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado” (1Co.10:11). Paulo afirma que Israel bebera da mesma fonte espiritual que os coríntios, “porque beberam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo” (1Co.10:4). Cristo, a Rocha, o “Eu Sou” (v.39), guardava Israel “como a menina dos olhos” (v.10), mas o povo O desprezou e dEle se esqueceu (v.18).

Aquele cântico tinha por finalidade despertá-los para o perigo das consequências de uma vida afastada de Deus e o quanto isso afeta a todos, principalmente às famílias (v.25). Estar em pé hoje não nos assegura que estaremos da mesma forma amanhã. Cada dia deve ser encarado como uma nova oportunidade de engrandecer “o nosso Deus” (v.3) e nEle andar. Confiar na própria espiritualidade é lutar com as armas erradas. Necessitamos, diariamente, nos revestir da armadura de Deus, e termos a nossa vida alicerçada em Cristo Jesus, a Rocha da nossa salvação.

Diante de uma “geração perversa e deformada” (v.5), o Senhor nos chama para proclamar as Suas palavras, aplicando-as no coração e ordenando-as a nossos filhos (v.46). O Senhor não deseja um coral “louco e ignorante” (v.6), e sim um povo cuja vida manifeste o Espírito de Cristo. Ele não aceita a oferta de lábios de louvor, mas de corações que O adorem “em espírito e em verdade” (Jo.4:23). Eis o que é bom e o que o Senhor pede de Seu povo: “que pratiques a justiça, e ames a misericórdia, e andes humildemente com o teu Deus” (Mq.6:8). Vigiemos e oremos!

Bom dia, porção do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Deuteronômio32 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



DEUTERONÔMIO 32 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
15 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1427 palavras

O Cântico do Testemunho aqui apresentado pode ser esboçado como segue: Uma invocação introdutória (1-3), um contraste entre o caminho de Deus e o de Seu povo (4-6), uma pesquisa histórica das relações de Deus com Israel (7-14), o registro da apostasia de Israel (15-18), a justa indignação do Senhor (19-27), os inimigos de Israel como instrumentos do propósito de Deus (28-33), e o juízo dos ímpios e a vindicação do povo de Deus (34-43). O capítulo termina com um apelo de Moisés baseado no Cântico (44-47) e a advertência do Senhor a Moisés sobre sua morte (48-52). Bíblia Shedd.

1 A invocação aos céus e à terra é uma convocação para que sejam testemunhas da aliança(31.28). Bíblia Shedd.

Moisés inicia seu cântico chamando homens e anjos a ouvirem o que o Espírito Santo colocou em sua boca. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Setimo Dia, vol. 1, p. 1173.

como a chuva. Símbolo de refrigério (ver Jó 29:23; Sl 72:6). CBASD, vol. 1, p. 1173.

como o orvalho. O orvalho é símbolo de palavras suaves. CBASD, vol. 1, p. 1173.

a Rocha. Uma grande rocha ou montanha rochosa, simbolizando Deus como proteção (comparar vs. 15, 37). Andrews Study Bible.

A rocha sólida, a montanha elevada e a cadeia de montes sugerem muitos dos atributos divinos…. Yahweh é a única rocha verdadeira. As montanhas são símbolos de Sua fidelidade inabalável, Seu caráter imutável e Sua lealdade á igreja e a seus membros. a palavra “rocha” nunca se aplica ao ser humano. CBASD, vol. 1, p. 1174.

louco. O pecado é considerado uma loucura. Contrariamente, “O temor do Senhor é o princípio do saber” (Pv 1.7). Bíblia Shedd.

pergunta aos teus anciãos. Homens de idade e experiência que preservaram o conhecimento das providências divinas. Tais homens eram fonte de informação histórica. Numa época em que os livros eram escassos, a informação era transmitida oralmente de geração a geração. CBASD, vol. 1, p. 1175.

Altíssimo. A única ocorrência em Deuteronômio deste nome de Deus … Ressalta a soberania do Senhor sobre toda a criação. Bíblia de Estudo NVI Vida.

porção. Literalmente, “possessão”. CBASD, vol. 1, p. 1175.

10 Achou-o numa terra deserta. Como se Israel tivesse sido um menino a quem ninguém quisesse e que tivesse sido abandonado para morrer, e Deus o tivesse encontrado (ver Jr 2:2; Ez 16:5, 6; Os 9:11). CBASD, vol. 1, p. 1175.

rodeou-o. Literalmente, “o cercou”. Deus cercou Israel de proteção e de misericórdias infinitas (ver Sl 32:10). Ele sempre protege Seu povo assim (ver Sl 34:7). CBASD, vol. 1, p. 1175.

cuidou dele. Ou melhor, “instruiu-o” (ACF) como um pai o faz ao filho (ver Êx 20:1, 2,; 34:1, 10). CBASD, vol. 1, p. 1175.

a menina dos olhos. Literalmente, “a pupila de seu olho”. … O olho talvez seja o órgão mais sensível do corpo, e o que o ser humano inconscientemente protege mais. Deus tem por Seu povo igual cuidado (ver Is 49:15). CBASD, vol. 1, p. 1175.

11 Como a águia. Esse versículo descreve a chamada, a educação e a proteção de Israel. Bíblia Shedd.

… em especial, durante sua conduta inconstante no deserto (ver At 13:18). CBASD, vol. 1, p. 1175.

12 só o SENHOR o guiou. A ajuda de outros deuses era pura imaginação. Em contrapartida, o poder de Yahweh era tudo o que necessitavam (ver Sl 81:10; Os 13:4). CBASD, vol. 1, p. 1175.

13 chupar mel da rocha. …colmeias nas fendas das rochas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Nesta passagem, a figura se refere basicamente às riquezas naturais de Canaã. CBASD, vol. 1, p. 1176.

azeite da dura pederneira (ARA; NVI: ” óleo extraído do penhasco pedregoso”). As oliveiras muitas vezes cresciam nas enconstas rochosas das montanhas. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Não lhes faltaria nada de bom. O azeite é símbolo de prosperidade e luxo (ver Ez 16:13, 19). CBASD, vol. 1, p. 1176.

14 leite de ovelhas. Melhor, “leite de rebanhos”, referindo-se em especial ao leite de cabras. CBASD, vol. 1, p. 1176.15 o meu amado. Aqui e em 33.5, 26, a transliteração é Jesurum. É um nome poético de Israel, que significa “o reto”. Mas aqui é usado em tom de sarcasmo. Bíblia Shedd.

15 engordando-se… deu coices. Israel é descrito aqui com a figura sugestiva de um boi cevado. Bíblia de Genebra.

Quando Israel se tornou próspero, rebelou-se contra Aquele que lhe havia dado a prosperidade (ver Jr 5:28; Os 2:8; 4:16). CBASD, vol. 1, p. 1176.

ficou nédio. [1. que reluz; brilhante, luzidio. 2. de aspecto lustroso, devido à gordura.] Literalmente, “tratou como tolo” ou “escarneceu”. CBASD, vol. 1, p. 1176

16 O provocaram. Como uma esposa infiel, Israel provocou o zelo do Senhor com abominações idólatras (Êx 34:14; Is 54:5). CBASD, vol. 1, p. 1176.

17 demônios. Heb shedhim, uma palavra derivada do assírio, que empregavam no sentido de “espírito protetor”, que significa, para os hebreus, “um demônio dos pagãos”. Tudo aquilo que não é de Deus, mesmo sendo sobrenatural, ou usado como objeto de devoção, pertence ao maligno; cf v 21 com 1 Co 10.14-22. Confiar num “espírito protetor” dos pagãos é abandonar a adoração a Deus, e cair em idolatria, em uma adoração falsa, inspirada por poderes do inferno. Bíblia Shedd.

20 Esconderei deles o rosto. Deus deixaria os israelitas à sua própria sorte (ver Dt 31:17, 18). CBASD, vol. 1, p. 1176.

21 zelos. Cf 4.24, n (O amor de Deus é muitas vezes comparado ao do marido que se dá sem reservas e que espera em troca um amor incondicional). Bíblia Shedd.

Citado parcialmente em Rm 10.9 como ilustração da falha de Israel em entender as boas novas a respeito de Cristo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Me provocaram com aquilo que não é Deus. Ou, “um não deus”. CBASD, vol. 1, p. 1176.

com aquele que não é povo … louca nação. A nação inimiga não é povo porque não depende de Deus para sua existência e desenvolvimento, e é louca porque é ímpia (6n). Bíblia Shedd.

que não é povo. Literalmente, “um não povo”. CBASD, vol. 1, p. 1176.

Tal como Israel provocou a Deus ao adorar aquilo que “não era Deus”, assim também Deus o provocou por meio daquele “que não é povo” (povo fora da aliança mosaica). Bíblia de Genebra.

22 até o mais profundo do inferno (ARA; NVI: “até as profundezas do Sheol”). Literalmente, “às profundezas do Sheol”, isto é, da sepultura. Uma expressão figurada que indica total extinção. CBASD, vol. 1, p. 1177.

27 para que não digam: A nossa mão tem prevalecido. Algumas vezes, o homem realiza o propósito divino sem se dar conta de que Deus age por seu intermédio. Bíblia Shedd.

29 Eu sou, Eu somente. Os hebreus enfatizavam mediante a repetição. Esta estroge inteira é uma impressionante expressão da singularidade de Deus em Seu poder, providência e justiça. Bíblia de Genebra.

32 Porque a sua vinha é da vinha de Sodoma… Gomorra. As nações pagãs são consideradas aqui como restolhos da planta nociva que haviam sido Sodoma e Gomorra. A raiz era má, portanto, o fruto era venenoso (ver Jr 2:21). CBASD, vol. 1, p. 1178.

35, 36 Citado parcialmente em Hb 10.30 como advertência contra rejeitar ao Filho de Deus. Bíblia de Estudo NVI Vida.

35 A Mim Me pertence a vingança e a retribuição. Citado em Rm 12.19 para afirmar que vingar-se é prerrogativa exclusiva de Deus. Bíblia de Estudo NVI Vida.

36 o Senhor… se compadecerá dos seus servos, quando vir que o seu poder se foi. O reconhecimento de nossa incapacidade própria é o requisito necessário para receber o dom divino da salvação (Rm 5.6). Bíblia Shedd.

40 Levanto a mão. Sinal de um voto solene [ver tb Gn 14:22; Êx 6:8; Ne 9:15; Ap 10:5]. CBASD, vol. 1, p. 1178.

42 cabeças cabeludas. Aqui “cabeças”, heb ro’sh, quer dizer “líderes”, “chefes”, “liderança”. … “Cabeludas”, heb par’oth, vem de uma raiz que significa excelente… Fala-se, pois, de “generais”, “supremos líderes”. Bíblia Shedd.

43 O cântico termina com o prospecto da alegria por causa do juízo de Deus contra o inimigo e o perdão a Seu povo. Os gentios também são chamados para partilhar da alegria da salvação de Deus. Bíblia Shedd.

46, 47 Moisés insistiu que o povo meditasse na Palavra de Deus e a ensinasse aos seus filhos. A Bíblia pode permanecer em sua estante e ficar coberta de pó ou você pode fazer dela uma parte vital de sua vida dedicando regularmente um tempo para estudá-la. Quando você descobrir a sabedoria da mensagem de Deus, você desejará aplicá-la a sua vida e comunicá-la a seus familiares. A Bíblia não é meramente uma boa leitura – é auxílio real para a vida real. Life Application Study Bible.

46 Aplicai o coração. Esse foi o apelo final de Moisés ao povo de Israel. Bíblia Shedd.

47 é a vossa vida. Moisés enfatizou, uma vez mais, que a obediência sincera aos mandamentos de Deus é uma questão de vida – vida eterna – ou de morte (30.19-20). Bíblia de Genebra.

48 setas. Figura de grande matança (ver Is 34:5, 6; 66:16). CBASD, vol. 1, p. 1178.

49 Abarim. Entende-se que Abarim se refira a uma cadeia de montanhas, das quais Nebo é uma delas. CBASD, vol. 1, p. 1179.

52 porém não entrarás nela. Moisés desejou ardentemente o privilégio de entrar na terra santa, mas isso não lhe foi dado (ver Dt 1:37; 3:25, 27; cf Hb 11:13). CBASD, vol. 1, p. 1179.



DEUTERONÔMIO 32 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
15 de abril de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: