Reavivados por Sua Palavra


ISAÍAS 53 – Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
12 de julho de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Mas Ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados” (v. 5).


A maravilhosa obra de Jesus na Terra foi a assinatura do amor de Deus pela humanidade. De uma forma totalmente altruísta, Cristo despiu-Se de Sua glória para caminhar no solo enegrecido deste mundo, experimentando o sofrimento humano e sendo desprezado e rejeitado (v. 3). Porém, mesmo diante da atitude irracional daqueles pelos quais veio salvar, Ele nos amou a tal ponto de entregar-Se no maior ato de compaixão de todos os tempos! E eu lhe convido a, neste momento, contemplar o que o Amor (I João 4:8) aceitou sofrer por você e por mim:

Jesus escolheu deixar a glória do Céu para vir a este mundo como um bebê indefeso. Cresceu em uma família pobre. Encaliçou as mãos no serviço de carpintaria com José. Passou quarenta dias e quarenta noites jejuando e orando, e foi tentado por Satanás. Esteve entre nós suportando a fadiga, o escárnio, o desprezo daqueles que tanto amava e o sofrimento daqueles que criou para a perfeição. Era constantemente acusado como um falsário. Foi maltratado, cuspido e esbofeteado. Apanhou com um caniço. Teve a Sua fronte perfurada por uma coroa de espinhos. Foi dilacerado por uma massacrante sessão de açoites. A madeira que por anos havia sido o Seu instrumento de trabalho, foi transformada em instrumento de morte em forma de cruz. Por uma longa e dolorosa via teve que carregá-la sob sofrimento descomunal. Em meio a desmaios e quedas, enfrentou uma turba enfurecida que blasfemava do Seu nome. Foi despido e deitado no madeiro, e as mãos que haviam curado e abençoado receberam os cravos que O prendiam ao “castigo que nos traz a paz” (v. 5). Os mesmos pés que, mui formosos, haviam percorrido toda aquela região espalhando as boas-novas da salvação, foram unidos ao madeiro com golpes cruéis de um enorme cravo que os traspassava. A cruz foi erguida, e o peso do Seu corpo rasgava Suas feridas. Quando teve sede, ofereceram-Lhe fel a beber. Seus discípulos e companheiros de jornada O abandonaram, ficando apenas o discípulo amado. Foi insultado pelos líderes religiosos como incapaz de salvar-Se a Si mesmo, e morreu com o coração dilacerado pela dor de sentir-Se separado do Pai por pecados que jamais cometeu!

Que cena! Quanta dor! Quanto amor por um mundo que nem merece! Mas, foi ali no Calvário que Jesus orou por você e por mim: “Pai, perdoe-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:34). O que achamos que estamos fazendo quando damos as costas ao Salvador de nossa vida?
Apesar de todo o sofrimento, a clara expressão do amor de Deus em nenhum momento desvaneceu, e Seu olhar permaneceu perscrutando cada coração ali presente. Mesmo em meio às trevas que ocultaram a Sua vergonha, as trevas morais dos que O rejeitaram eram atingidas por Seus olhos de amor.

Qualquer que seja a nossa condição hoje, todos nos encontramos separados do SENHOR pelo abismo que é o pecado. O Salvador Se doou por amor de todos e TODOS estamos sujeitos tanto ao Seu amor, quanto às trevas deste mundo. Professos cristãos hoje podem não O ser amanhã. Enquanto homens e mulheres considerados casos impossíveis poderão levantar-se nas últimas horas (Mateus 20:7) como fiéis sentinelas do SENHOR. Não cabe a nós julgar, mas agir conforme nos deixou exemplo o nosso Mestre: amar a todos assim como Ele nos amou!

Em uma geração onde “por se multiplicar a iniquidade, o amor esfriará de quase todos” (Mateus 24:12), o amor de Deus a se manifestar em nós será o que nos tornará diferentes do mundo. Eis o nosso maior desafio! Eis a ordem de Cristo:

“Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros. Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que vós outros, Me odiou a Mim” (João 15:17 e 18).

Que a Bíblia, com a sabedoria que ela traz do Alto, seja o nosso mapa para o Céu. E que aceitemos, todos os dias, o chamado de Cristo de buscá-Lo. E quem O busca O encontra, cumpre com os Seus propósitos e vive o amor!

Bom dia, justificados pelo “penoso trabalho” (v. 11) de Jesus!

Desafio do dia: Em seu caderno de oração, escreva uma carta especial para Jesus agradecendo pela oferta que Ele fez em seu lugar.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Isaías53
#RPSP

 

 


2 Comentários so far
Deixe um comentário

Que leitura inspiradora, Isaias 53 nos da a confirmaçao da justificaçao, santificação e glorificação. Louvado Seja Deus! Parabéns por nos proporcionar esses encontros maravilhoso com Deus através do trabalho de vcs com o Reavivados. Abraço

Comentário por gdps2909

LINDO AMEI

Comentário por CELI OLIVEIRA




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: