Reavivados por Sua Palavra


SALMO 150 by jquimelli
30 de março de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Este é o último dos cinco salmos de Aleluia que concluem o Livro dos Salmos. Cada um destes últimos salmos começa e termina com “Louvado seja o Senhor”, em hebraico hallelu yah.

Quando li este salmo, imaginei a orquestra de instrumentos usada para louvar a Deus mencionada nos versos 3 a 5 e me lembrei do Coro de Aleluia de Handel, na segunda parte de seu oratório: “O Messias”.

Esta inspiradora peça musical comemora a vitória final de Deus sobre a morte e o pecado e ressoa louvores ao nosso Redentor.

Este salmo é o clímax do louvor no Livro dos Salmos. O salmista nos convida a louvar a Deus por Seus atos de poder e pela Sua suprema grandeza (v. 2). Ele chama tudo o que tem fôlego para louvar a Deus (v. 6). Você pode imaginar a Terra toda louvando a Deus? Você pode imaginar cada joelho se curvando diante Dele e toda língua confessando que Ele é digno de louvor? (Isaías 45:23)

Esse sonho em breve será uma realidade quando na Nova Terra nos unirmos ao mais culminante Aleluia de todos os tempos: “E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos anciãos; e o número deles foi dez mil vezes dez mil, e milhares de milhares, dizendo com grande voz: Então olhei e ouvi a voz de muitos anjos, milhares de milhares e milhões de milhões. Eles rodeavam o trono, bem como os seres viventes e os anciãos, e cantavam em alta voz: ‘Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor!’” (Apocalipse 5: 11-12).

Aleluia!

Thandi Klingbeil
Tennessee, Estados Unidos

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/150 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/150/
Texto anterior expandido: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/01/04/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Salmo 150 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 150 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO – PRIMEIRO DEUS by jquimelli
30 de março de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



SALMO 150 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
30 de março de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 150 – Uma adoração incorreta, ou incompleta a Deus, ou uma total negligência em relação à adoração ao único Ser digno de adoração, é um desvio do propósito pelo qual os seres humanos foram criados.

Sem uma atitude correta perante Deus, estaremos em desarmonia com a obediência, com propósitos errados e com a vida voltada para o pecado. Desta forma, quebramos os Dez Mandamentos, começando pelo primeiro.

O Deus que atende nossas súplicas merece adoração! Ao estudar sobre o hinário divino, João Calvino concluiu:

“Posso, com toda sinceridade, chamar este livro de anatomia de todas as partes da alma, pois não há movimento do espírito que não se encontre refletido em seu espelho. Salmos registra de modo vívido todas as tristezas, dificuldades, medos, dúvidas, esperanças, dores, perplexidades e tempestades que agitam o coração dos homens”.

Os Salmos nos ajudam a redefinir a vida, nos convocam a adorar ao Autor da existência, e a harmonizar nossos interesses com os planos do Senhor e Salvador. São 150 Salmos. Quem estuda um por dia, passa 150 dias meditando nestas mensagens inspiradoras.

O último dos Salmos é uma convocação universal para adorar e louvar ao Deus verdadeiro:

1. Precisamos render louvores que vão além das paredes de nossa casa ou do templo, eles devem chegar ao Céu, no Santuário Celestial (v. 1);
2. Precisamos entender que há uma convocação para que nós, percebendo os feitos maravilhosos de Deus no mundo, Lhe adoremos por Sua muita grandeza (v. 2, conf. Deuteronômio 3:24);
3. Precisamos utilizar todos os instrumentos para fortalecer nosso louvor e adoração ao Senhor do Universo (vs. 3-5);
a) De metais;
b) De sopro;
c) De cordas;
d) De percussão, etc.
4. Precisamos louvar e convidar a todos os seres viventes a se unirem na celebração ao Soberano Deus todo-poderoso (v. 6).

Não há melhor forma de terminar o livro de Salmos do que com as palavras do Salmo 150. Estas palavras são tão inspiradas quanto Mateus ou Romanos; elas encerram grandes convites sagrados:

TODO ser que respira louve ao Senhor (v. 6) com TODOS os instrumentos (vs. 3-5), por TODAS as Suas maravilhas realizadas (v. 2) e por TODO Seu grande poder (v. 1). Se assim fizermos, não haverá nenhum espaço para adorarmos nada mais, absolutamente!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Agora, conte-nos sobre tua jornada com Salmos nestes 150 dias (ou 40 madrugadas):



SALMO 150 #RPSP COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
30 de março de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

 

“Todo ser que respira louve o nome do SENHOR. Aleluia!” (v. 6).

Quando iniciamos o livro de Salmos, vimos que o primeiro versículo tem uma mensagem de bem-aventurança, mas que também é muito enfática no que diz respeito à diferença entre os justos e os ímpios: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores” (Salmo 1:1). Há um direcionamento diferente na vida dos que por Cristo são justificados. Há uma forma de viver que claramente difere da forma de viver do ímpio. E esta forma de viver é o que conduz à conclusão do livro de Salmos.

A doxologia final é o clímax de uma vida que entende o porquê de se louvar a Deus. Ontem vimos um convite para que tudo neste mundo, quer sejam seres animados, quer sejam inanimados, louvem o nome do SENHOR. Hoje, vemos o porquê devemos louvá-Lo (v. 2) e como devemos louvá-Lo (v. 3-5). E o verso final já não se trata mais de um convite, mas de uma ordem: Você respira? Então louve ao SENHOR!

Devemos a nossa existência ao Deus que sonhou com ela. E, independente de você crer nesta afirmação ou não, Deus é Deus, você não pode mudar isto e seu DEVER (Eclesiastes 12:13) é louvá-Lo. Portanto, quando este livro inicia deixando bem clara a diferença entre quem serve a Deus e quem não O serve e termina com uma ordem universal, é porque o Criador deseja salvar desde a mais inocente criança até o pior criminoso que já pisou neste planeta. Mas há um porém em tudo isso. Deus é um Deus cordial, Ele jamais invadirá a minha e a sua liberdade de escolha.

Foram cento e cinquenta dias meditando em mensagens que, aprendemos juntos, vão muito além da visão simplista do mundo de serem apenas uma linguagem poética. Aprendemos profecias, fomos admoestados, educados na justiça e ensinados tal qual é o papel das Escrituras Sagradas (II Timóteo 3:16). E, eu não sei se vocês perceberam, mas o Salmo 119 é exatamente o centro da Bíblia. O Salmo que abriu bem os nossos olhos para a importância e a excelência da lei divina. E na linguagem do Céu não existem coincidências, amados, existem providências. Providências para que você e eu compreendamos que há sim uma forma de viver que agrada a Deus e outra que Ele não aprova. Que só há dois caminhos a seguir: ou estamos “no caminho dos pecadores” ou estamos no caminho do SENHOR, que nos leva a habitar “no Seu santuário” (v. 1).

Vivemos em um tempo onde dizer Aleluia não é vergonhoso, mas sinônimo de fervor espiritual. Onde salões de igrejas não estão vazios, mas abarrotados de pessoas que dizem estar ali para louvar ao SENHOR. Onde músicas cristãs, ou como chamam, de estilo gospel, podem ser ouvidas junto com músicas seculares. Onde não há restrições para ser um cristão, ou seja, você pode fazer o que quiser, pois Deus só quer o seu coração. Onde não há problema algum em você cantar louvores em meio a um ambiente onde o álcool é a principal bebida. Resumindo, onde as pessoas não fazem mais diferença entre o santo e o profano.

Meus irmãos, o que eu espero e oro com todo o meu coração é que você permita que o Espírito Santo opere, por meio da Palavra do SENHOR, a MUDANÇA REAL que Ele deseja operar em sua vida. Que a sua e a minha vida sejam verdadeiramente um louvor ao nome do nosso Criador. Que saibamos fazer diferença entre o que é de Deus e o que não é. Pois chegará o Dia em que Ele mesmo deixará clara esta distinção: “Então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não O serve” (Malaquias 3:18). Deus não se agrada de um louvor de faz de conta, mas de um louvor que transcende as barreiras do relativismo, de alguém que, com fé, persevera em amá-Lo e obedecê-Lo. Compreende qual é o louvor aceitável diante de Deus? O poder não está no respirar e louvar a Deus, mas em louvar a Deus no respirar. Que cada fôlego seu seja um louvor ao nome do SENHOR!

Bom dia, coral de adoradores do SENHOR!

Desafio do dia: Amanhã daremos início ao estudo do livro de Provérbios. Convide amigos para usufruírem das mesmas bênçãos que, certamente, o Espírito Santo tem derramado sobre a sua vida e de sua família.

Rosana Garcia Barros
#PrimeiroDeus #Salmo150




%d blogueiros gostam disto: