Reavivados por Sua Palavra


SALMO 149 by jquimelli
29 de março de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Alguém poderia se perguntar, depois de ler este Salmo, o que a primeira parte (louvor a Deus, cantar uma música nova para Ele, regozijar-se nEle com música e dança) tem a ver com a segunda parte (vingança, espadas de dois gumes, cativeiro e castigo). As duas partes não parecem se encaixar no mesmo Salmo.

No entanto, tivemos uma situação como esta nos dias de Neemias (Neemias 4:17-18), quando Sambalate e seus aliados quiseram impedir a reconstrução do muro de Jerusalém. Os homens reconstruíram o muro com ferramenta de trabalho em uma das mãos e uma arma na outra; louvando a Deus pela reconstrução do muro e lutando contra o inimigo ao mesmo tempo.

Pode haver momentos em sua vida em que você louve a Deus, mesmo sob ataque do inimigo. Isso pode parecer contraditório, mas faz sentido: quanto mais obedecermos a Deus e ganharmos almas para o Seu reino, quanto mais fizermos a Sua vontade e não a nossa, quanto mais refletirmos o Seu caráter e O louvarmos com nossas vidas, mais o inimigo das almas desejará nos atacar.

Louvemos a Deus pela vitória que já está ganha e, ao mesmo tempo, vistamos a armadura completa de Deus (Efésios 6:10-17) para combater o inimigo.

Thandi Klingbeil
Tennessee, Estados Unidos

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/149 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/149/
Texto anterior expandido: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/01/03/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Salmo 149 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 149 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO – PRIMEIRO DEUS by Maria Eduarda
29 de março de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria



COMENTÁRIO SALMO 149 – Pr. Heber Toth Armí by Maria Eduarda
29 de março de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 149 – A vivência de fervor a Deus será evidenciada numa constante prática do louvor a Ele. Isso, porque uma vida inteira dedicada à adoração é insuficiente para demonstrar quanto Deus é importante.

• Uma vida de serviço a Deus pela metade apenas revela que diante dEle agimos com falsidade.

Vamos debruçar no estudo deste Salmo; onde aprenderemos grandes verdades – uma delas é sobre adoração. Warren W. Wiesbe destacou: “A atividade mais importante da igreja é a adoração a Deus; é isso que continuaremos a fazer no céu por toda a eternidade”. E, depois, elencou quatro imperativos baseados no Salmo, o qual chama de “manual sobre adoração”:

1. Adorai ao Senhor com inteligência (vs. 1-2);
2. Adorai ao Senhor com fervor (vs. 3-4);
3. Adorai ao Senhor com gratidão (v. 5);
4. Adorai ao Senhor com grande júbilo (vs. 6-9).

Ao colocar a Deus em primeiro lugar, a pessoa se encontrará com Ele de madrugada, depois passará o dia inteiro louvando-O pela experiência de Sua presença.

Usemos as madrugadas para buscar a Deus no silêncio daqueles momentos tranquilos; entretanto, jamais permitamos que nosso tempo com Ele limite-se às madrugadas ou restrinja-se a alguns dias. Pois quando deixamos Deus de lado, colocamos pessoas ou coisas no lugar dEle. Assim, fica claro que Ele não é sempre o primeiro em tudo em nossa existência.

Os salmos favorecem a nossa comunhão com Deus e promovem a adoração a Ele. Porquanto, “Deus é revelado de maneira especial nos salmos”, declara Rosalie Haffener Lee. Então, complementa:

“Em nenhuma outra parte da Bíblia é [Deus] apresentado de modo mais sublime e grandioso como o Senhor da Criação e da História […]. Os Salmos não somente servem de intérprete do culto de Israel – de seu sistema sacrifical, de seu santuário, de sua liturgia – mas também abordam, por assim dizer, todas as principais doutrinas cristãs”.

No Salmo em análise, encontramos os seguintes temas:

1. Deus como Criador, digno de adoração.
2. Juízo, Deus se vingará dos que se Lhe opõem.
3. Promessa, o Salvador honrará aos que O amam.
4. Justificação, o Redentor salvará e premiará aos fracassados pecadores.

Mais interessante de tudo é que Deus tem prazer naqueles cujo prazer está nEle, mesmo sendo pecadores! Deus é digno de celebração!

Reavivemo-nos! Rendemos-Lhe louvores! – Heber Toth Armí.



SALMO 149  #RPSP COMENTÁRIO ROSANA BARROS  by Ivan Barros
29 de março de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

 

“Nos seus lábios estejam os altos louvores de Deus, nas suas mãos, espada de dois gumes” (v. 6).

Certa noite, sonhei que estava no meio de uma zona de guerra. Dentro de um galpão, observava pessoas vestidas para batalha e um arsenal sendo organizado. Ao sair do galpão, me deparava com uma grande concentração de barracas e de pessoas que andavam inquietas de um lado para o outro como se preparando para o ataque do inimigo. Ao olhar ao redor, vi que estávamos em um vale rodeados por altos rochedos, e que havia soldados tanto em cima quanto embaixo. De repente, chegaram vários ônibus e por um momento pensei: “São os inimigos!” Mas, ao olhar melhor, percebi que desciam dos ônibus reforços para a guerra, todos devidamente preparados. Interessante é que em nenhum momento senti medo, mas uma inexplicável confiança de que estava segura, ainda que viesse o ataque. E, no meio daquele lugar, pensei: “Toda guerra precisa de oração. Onde será a barraca de oração? Ou melhor, os intercessores precisam estar espalhados por todo o lugar!”

O exercício da vida cristã não é tarefa fácil. A cada dia passamos por lutas e perplexidades que nos esgotam e maltratam o coração. A cada manhã somos convidados a nos revestir de especial armadura, o que deixa bem claro que estamos em meio a uma batalha.

Não somos convocados a louvar com tanta veemência sem razão. Todo aquele que compreende que está envolvido em um grande conflito, necessita ter uma vida de louvor e adoração Àquele que nos criou, que nos mantém e que nos adorna de salvação (v. 4). Isto nos fortalece, nos sustenta e enche o nosso coração do único amor que lança fora todo o medo (I João 4:18).

A nossa salvaguarda está em nos revestir não de nossas próprias armas, pois estas não tem poder algum sobre o maligno. Mas, “de TODA a armadura de Deus” (Efésios 6:11). Toda ela nos serve como defesa, mas o SENHOR coloca em nossas mãos uma única arma: a “espada de dois gumes” (v. 6), “a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus” (Efésios 6:17), “Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes” (Hebreus 4:12).

Portanto, que em nossos lábios haja louvor que provém de um humilde coração e, em nossas mãos, a prática da Palavra de Deus. Percebem? É a união entre o falar e o praticar. Nossas palavras e louvores só terão o poder de nos conferir honra (v. 9), se com nossas ações estiverem de acordo com as Santas Escrituras e em plena comunhão através de uma vida de oração. Ou seja, precisamos estar revestidos da armadura completa, “com toda oração e súplica, orando em TODO TEMPO NO ESPÍRITO e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos” (Efésios 6:18). Então, “Aquele que tem a espada afiada de dois gumes” (Apocalipse 2:12), voltará para nos congregar não mais para a guerra, mas para Lhe entoarmos “um novo cântico” (v. 1) que só nós conheceremos (Apocalipse 14:3). Ergamos a espada do Espírito, exército do Deus vivo! E Deus nos erguerá como troféus da eternidade! “Aleluia!” (v. 1 e 9).

Bom dia, “assembleia dos santos” (v. 1)!

Desafio do dia: Clamemos para que o SENHOR mande reforços para a Sua obra (Leia Mateus 9:38) e para que sejamos Seus instrumentos nesta convocação final.

Rosana Garcia Barros
#primeiroDeus   #Salmo149




%d blogueiros gostam disto: