Reavivados por Sua Palavra


SALMO 143 by jquimelli
23 de março de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Nesta oração o salmista ora por perdão. Ele se aproxima de Deus, conhecendo seus pecados e sabendo que a justiça de Deus pode ocultá-los. Todos nós precisamos da experiência pessoal de nos aproximar do trono da graça e receber o perdão. “Quando você tem confiança no Poderoso, a sua experiência não é emprestada, é a sua própria ” (Exaltai-O, p 185). Nossa experiência com o Todo-Poderoso não pode ser uma relação de segunda mão.

O anseio por uma profunda compreensão pessoal de Deus surge de uma sede interior que só pode ser acalmada por Deus. Este desejo é tão grande que o salmista se compara a uma terra sedenta por chuva. É um milagre contemplar o que a chuva pode fazer pela terra seca e ver como a nova vida brota do pó.

Temos uma maravilhosa promessa em Isaías 55:10-11 que a Palavra de Deus para nós é como a chuva para a terra e trará momentos de refrigério e nova vida.

Deus espera ansiosamente querendo que O desejemos de todo o nosso coração. Que possamos ir a Ele com o coração contrito, lendo Sua palavra e experimentando Sua fidelidade e perdão em um nível profundamente pessoal.

Thandi Klingbeil
Tennessee, Estados Unidos

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/143 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/143/
Texto anterior expandido: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/12/28/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Salmo 143 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 143 – COMENTÁRIO PR EVANDRO FÁVERO – PRIMEIRO DEUS by Maria Eduarda
23 de março de 2017, 0:55
Filed under: Sem categoria

Acompanhe o texto bíblico em: http://biblia.com.br/joaoferreiraalmeidarevistaatualizada/salmos/sl-capitulo-143/



SALMO 143 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
23 de março de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 143 – Ei! Como você está? Desanimado? Teu coração está desfalecido? As coisas não estão indo bem para você? Pare um pouco e medite profundamente neste salmo.

Davi mantinha relacionamento com Deus (vs. 1-2), contudo, as coisas não estavam indo muito bem para ele – pior seria se ele estivesse distante de Deus (vs. 3-4).

Davi confiava em Deus (vs. 5-6), todavia, sua oração revela angústia e urgência (v. 7). Nada desafiava sua confiança em Deus (v. 8), por isso, ele retorna ao assunto apresentando a Deus o perigo que enfrentava (vs. 9-10). Consequentemente, ele encerra suas preces pedindo pelo amor e pela misericórdia divina para que, ao agir, Deus o reavivasse (vs. 11-12).

1. Nossas aflições não devem desmotivar as nossas orações; ao contrário, elas devem nos aproximar ainda mais de Deus por meio desse sistema de comunicação: a oração.
2. Se estamos esmorecendo, se as circunstâncias desfalecem nosso alma, e os problemas nos tiram o ar, podemos nos reavivar na graça, bondade, misericórdia e amor de Deus.
3. Se a vida está complexa, as dificuldades que nos assolam são avassaladoras, e não vemos mais saída, precisamos recorrer a Deus incessantemente suplicando por ajuda.

“A situação aparentemente sem esperança na qual se encontrava o salmista perturbava seu coração. Um sentimento terrível de solidão se apossou de sua alma”; porém “ao relembrar as primeiras manifestações do poder de Deus, seu coração foi encorajado na esperança de que o Senhor responderia sua oração mais uma vez. Ele se encorajou a continuar seu pedido” (Comentário Bíblico Adventista).

Precisamos…

• Relembrar;
• Meditar;
• Confiar;
• Esperar.

Não temos nenhum mérito para recomendarmo-nos a Deus; não temos direito nem de estarmos vivos. Mas, graças ao que Cristo fez no Calvário tornando-Se o caminho para nós de acesso ao Pai, temos o privilégio de buscar refrigério em Sua presença, mediante o Espírito Santo – nosso Consolador!

“A súplica perseverante deve ser um estilo de vida, tão importante e necessário quanto a nossa respiração, o pão que comemos, a água que bebemos, a roupa que vestimos, e assim fazendo parte de nosso caráter; pois somente seremos felizes, e teremos paz, na presença do Senhor” (Olmir A. Tochetto).

Quanto mais precisarmos de livramento, mais carecemos da misericórdia divina em nossa vida! Oremos até reavivar-nos! – Heber Toth Armí.



SALMO 143 #RPSP COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
23 de março de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ensina-me a fazer a Tua vontade, pois Tu és o meu Deus; guie-me o Teu bom Espírito por terreno plano… pois eu sou Teu servo” (v. 10, 12).

Sejamos sinceros. Quais são os momentos em que mais nos aproximamos de Deus? Nos melhores ou nos piores momentos de nossa vida? Eu posso ousar que todos confessaram ser a segunda opção. Infelizmente, é na angústia e na aflição que recorremos a Deus com maior fervor. O próprio Jó, que foi chamado duas vezes pelo SENHOR de “homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal” (Jó 1:8 e 2:3) reconheceu no final de sua aflição: “Eu Te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos Te veem” (Jó 42:5).

Se Deus não permitisse que o inimigo nos perseguisse (v. 3), muito provavelmente não veríamos motivos para erguer as mãos aos Céus e clamar por auxílio. Ele só não permite que sejamos tentados além das nossas forças, mas nos provém livramento de maneira que possamos suportar (I Coríntios 10:13). Jesus mesmo nos advertiu: “No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo; Eu venci o mundo” (João 16:33).

Como vimos ontem, a nossa luta não é contra pessoas, mas contra as forças espirituais do mal. Assim como Cristo nos chama para sermos Suas testemunhas (Atos 1:8), Satanás também possui os seus agentes neste mundo. Somente mediante uma vida de comunhão diária com o SENHOR é que nos é revelado o caminho por onde devemos andar (v. 8). E somente mediante a justiça de Cristo podemos encontrar a real libertação: “e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” (Romanos 6:18).

O Espírito Santo tem realizado a Sua obra, mas nem todo coração tem Lhe sido favorável. Dizemos querer fazer a vontade de Deus. Mas queremos mesmo fazer a Sua vontade? Estamos dispostos a ser provados pelo fogo da aflição? Até onde estamos dispostos a ir para sermos fiéis ao Assim diz o SENHOR? O “terreno plano” (v. 10) do Espírito Santo, aos nossos olhos, pode parecer íngreme e repleto de obstáculos, mas é o único caminho seguro.

Portanto, se o teu “coracao se vê turbado” (v. 4), lembra-te da promessa do teu Salvador: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em Mim. Na casa de Meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, Eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando Eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para Mim mesmo, para que, onde Eu estou, estejais vós também” (João 14:1-3). Permaneça em Cristo e, muito em breve, serás coparticipante de Sua vitória final (Apocalipse 17:14).

Bom dia, servos da justiça de Cristo!

Desafio do dia: Memorize João 14:1-3 e apegue-se a esta promessa fiel em cada momento de aflição.

Rosana Garcia Barros
#primeiroDeus     #Salmo143




%d blogueiros gostam disto: