Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 28 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
29 de julho de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO PROVÉRBIOS 28 – Primeiro leia a Bíblia

PROVÉRBIOS 28 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR(link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)



PROVÉRBIOS 28 by Jobson Santos
29 de julho de 2020, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/pv/28

“Quem confia no próprio entendimento é tolo” (v. 26, NVT – Nova Versão Transformadora).

“Nunca confie no que acha que sabe” (3:5, TEV – Today’s English Version).

Não devemos pensar nossos próprios pensamentos? – ou devemos ser tão desconfiados que sentimos que estamos errados o tempo todo?

A Mensagem é útil:
“Se você acha que sabe tudo, é um tolo com certeza;
sobreviventes reais aprendem a sabedoria com os outros.”

Quanto mais sabemos, mais percebemos que não sabemos. O reconhecimento da vasta extensão de sabedoria, conhecimento e entendimento à espera de serem explorados ajudará a nos manter ensináveis. Certamente a humildade nos ajudará a estar ainda mais dispostos a abrir nossos corações para ouvir as pessoas e nos permitir mudar a partir do que eles aprenderam e experimentaram.

Obviamente, precisamos ser capazes de avaliar se alguém é um “tolo” – e não perder nosso tempo ouvindo aqueles que não têm nada a dizer, apesar de todas as suas palavras. Afinal, “os tolos não têm interesse em entender; eles só querem expor suas próprias opiniões ”(18: 2, NLT).

Palavras muito duras? Jesus falou que podemos reconhecer como é uma árvore, pelo tipo de fruto que ela produz – e alertou sobre seguir falsos profetas. (Ver Mateus 7:15-20.)

Outra tradução diz: “É tolice ser confiante demais. Quem pede conselhos é sábio e escapará do desastre” (28:26, ERV – English Revised Version).

Virginia Davidson
Artista – projetista e construtora de vitrais
Spokane Valley, Estado de Washington, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=902
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



PROVÉRBIOS 28 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
29 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria
464 palavras
1. Quando a morte se aproxima, a diferença entre a coragem do indivíduo que  busca a justiça e a covardia de quem ama o pecado fica ainda mais aparente. Enquanto a pessoa de bem tem confiança tranquila no Salvador, o ímpio enfrenta  a morte com ousadia desafiadora ou com medo servil.
 
2. A decadência social e moral resulta, muitas vezes, na rápida sucessão de governantes. Quando um sábio assume o poder, a desordem no reino é resolvida, a lei e a ordem voltam a vigorar, e o patrimônio do país é preservado (ver Ec 9: 14,15).
 
3. Quando o homem pobre se torna opressor dos destituídos, causa dano como  a enxurrada da tempestade, que carrega a parte de cima da terra, em vez de promover germinação e crescimento.
 
9. Existem muitos dispostos a servir ao Senhor, mas desejam fazê-lo à própria maneira… São poucos os que tomam toda a lei moral do Senhor como expressão autoritativa de Sua vontade para Seu povo (ver Jo 14:15; 15:10; cf Rm 8:3, 4).
 
12. Quando as pessoas de bem vencem os perversos e governam com eficácia, há “grande festividade” (ver Pv 11:10; 29: 2).
 
13. A prosperidade espiritual é impossível à pessoa  que acaricia o pecado. Desculpar-se pelos próprios pecados equivale a resistir à obra do Espírito Santo (Jo 16: 8-11) e correr o risco de endurecer tanto o coração ao ponto de não sentir mais o desejo de ser justo, nem o impulso de se arrepender.
 
14. Feliz é quem se vigia  a todo o instante e compara, de forma consistente, sua conduta com o padrão estabelecido pela vontade revelada de Deus, a fim de revelar instantaneamente qualquer desvio do direito e se corrigir (ver Sl 119:11; Fp 2:12; Tg 1: 22-25).
 
16. A avareza é o desejo excessivo  por ganhos. As pessoas que dão as costas ao verdadeiro ganho da vida eterna e passam a vida em busca dos ganhos mesquinhos e temporários deste mundo revelam  falta de entendimento.
 
19. … Aqueles que buscam as coisas vãs da vida, em vez de trabalhar para obter seu sustento, certamente cairão em pobreza, tanto material quanto espiritual.
 
23. A repreensão sábia traz recompensas tanto para quem a dá quanto para quem a recebe, mesmo que possa magoar na hora (ver Pv 27:6; 29:5; Tg 5:19, 20).
 
24. Nada serve de desculpa para o roubo. Mesmo que o filho alegue que tudo quanto os pais possuem será dele depois que morrerem, os bens materiais ainda não lhe pertencem, para que possa se apropriar deles sem o devido consentimento. Caso o faça, não será melhor do que um saqueador comum (ver Pv 19:26).
 
25. A pessoa inflada com o senso de importância própria e que despreza os outros incomoda todos com quem se encontra e causa dissensão (ver Pv 15:18).
 
27. … a doação sábia a quem precisa não empobrecerá o doador (ver Pv 11:24-26; 19:17).
 
28. Com a queda dos perversos, os justos aumentam em número e em prosperidade.
Fonte: Comentário Biblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3.


PROVÉRBIOS 28 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de julho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia” (v.13).

Os provérbios antitéticos são aqueles que trabalham com a ideia do contraditório. Através da comparação, o sábio deixa claro que há uma linha de separação entre justos e perversos, não havendo a mínima possibilidade de misturar a luz com as trevas. “O que guarda a lei” é considerado “filho prudente” (v.7), mas “os que desamparam a lei” (v.4) e “o que desvia os ouvidos de ouvir a lei” (v.9) são tidos por perversos e “até a sua oração será abominável” (v.9). Assim como o criminoso é fruto do descaso para com as regras estabelecidas pelo homem, o perverso é resultado do descaso para com a Lei de Deus.

Feliz o homem constante no temor de Deus; mas o que endurece o coração cairá no mal” (v.14). Há uma forte resistência por parte de muitos que alegam ter sido a Lei de Deus revogada. Com discursos convincentes, semeiam a dúvida e promovem uma religião eclética e parcial à vontade do homem. Os mandamentos que exaltam a imutabilidade do caráter divino são ignorados sob o arenoso fundamento da sabedoria humana. E cada vez mais afastados de Deus, não conseguem se dar conta de que aquele “que confia no seu próprio coração é insensato” (v.26). Pois “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto” (Jr.17:9).

Ninguém que busque a Deus com sinceridade e procure compreender a Sua justiça é deixado em trevas. Ao diligente e humilde estudante das Escrituras são abertos os tesouros da sabedoria e do conhecimento em proporções incalculáveis. Gozo, paz e contentamento adornam a sua vida. À medida em que cresce na graça e no conhecimento de Deus, os fardos do pecado são removidos e a certeza do perdão o fortalece. Ao reconhecer que até mesmo a confissão e o arrependimento provém do amor e da bondade de Deus, suas orações se tornam nos momentos mais especiais do dia e ascendem ao Santíssimo como aroma agradável ao Senhor (Ap.5:8).

Jesus não veio para revogar a Lei de Seu Pai, mas veio para cumpri-la (Mt.5:17), nos deixando o perfeito exemplo de como devemos observá-la. “Foi do agrado do Senhor, por amor da Sua própria justiça, engrandecer a lei e fazê-la gloriosa” (Is.42:21). Não existe embasamento bíblico para a revogação da Lei de Deus assim como não há um único versículo que aprove a mudança do sábado para o domingo. Aquele que declarou ser pecado roubar, matar e adulterar (Êx.20:3-17), é O mesmo que, na criação, instituiu o sábado como um dia santo (Gn.2:1-3) e, esculpindo-o em pedra, como um mandamento e memorial eterno (Is.66:22-23). Leiam Tiago 2:10-12 e vocês entenderão que os dez mandamentos também serão o fundamento da justiça de Deus no dia do Seu juízo. Lembrem-se: “Os homens maus não entendem o que é justo, mas os que buscam o Senhor entendem tudo” (v.5). Vigiemos e oremos!

Bom dia, aqueles que buscam a Deus!

* Oremos pelo derramamento do Espírito Santo em nossa vida.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Provérbios28 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



PROVÉRBIOS 28 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
29 de julho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 28 – Nossa fé deve reger nossa conduta em casa, no trabalho, esporte, mercado, em todo lugar, até mesmo nossos relacionamentos na igreja.

O capítulo oferece-nos estes pontos, conforme Bruce K. Waltke:

1. Relação com a Torá/Lei para gerenciar e ganhar riquezas:
• Provérbio introdutório (v. 1);
• Primeira subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 2-6);
• Segunda subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 7-11).

2. Relação com Deus para governar e conseguir riqueza:
• Provérbio introdutório (v. 12);
• Deus e o dirigente (vs. 13-18);
• Riqueza mediante trabalho duro frente à precipitação (vs. 19-24);
• Riqueza através da confiança no Senhor e generosidade frente à mesquinharia (vs. 25-27).

3. Provérbio de conclusão (v. 28).

Diz o teólogo Paul R. House que “o conhecimento e a observância da lei de Deus são fatores supremos na luta contra a maldade. Os que abandonam a lei de fato escolhem louvar o pecador e suas convicções (28.4). Os mantenedores da lei alcançam sabedoria (28.7); suas orações são ouvidas (28.9). Sem profecia, a aplicação da lei na vida diária, as pessoas não têm nenhum freio; mas quando obedecem à lei elas são abençoadas (29.18). Tanto a profecia quanto a lei são revelações inspiradas por Deus que ensinam as pessoas a viver, e ambas requerem uma relação com Yahweh. Assim as matérias de sabedoria, a lei e a profecia formam um corpo de ensinamento que torna possível uma vida sadia”.

Tratar com indiferença aos princípios divinos faz que o avanço dos princípios do inferno seja rápido. Quando permitimos que a filosofia do inferno domine nossas atitudes tornamo-nos missionários do maligno, precursores dos demônios, agentes do diabo.

Pior é atacar princípios bíblicos que dão vida, para defender conceitos diabólicos que promovem morte. A tirania religiosa caracteriza-se pela arrogância daqueles que são agentes do mal, vestidos com vestes religiosas, alegando crença no evangelho, mas distorcendo a Palavra de Deus.

“Como sempre, Deus é a figura central na aquisição da sabedoria. O temor do Senhor permanece o pré-requisito para a graça divina (28.14). Crer no Senhor continua sendo a chave para as relações divino-humanas que resultam em enriquecimento (28.25) e segurança (29.25)” – declara House.

Sejamos fieis à Torá/Lei de Deus, revistamo-nos com a justiça divina/Cristo, para que nossa religião não seja hipócrita! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: