Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 24 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
25 de julho de 2020, 12:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO PROVÉRBIOS 24 – Primeiro leia a Bíblia

PROVÉRBIOS 24 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

PROVÉRBIOS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



PROVÉRBIOS 24 by Jeferson Quimelli
25 de julho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/pv/24

“Pois ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se” (Provérbios 24:16a NVI).

Foi muito triste o que aconteceu na esquina perto da minha casa, onde morava uma jovem família com três crianças entre as idades de seis meses a seis anos. Mark, o marido, foi diagnosticado com câncer. Em menos de seis meses, ele morreu em sua casa, nos braços de Beth. Logo após, Beth perdeu o emprego. Em seguida, veio um tornado que quase pôs abaixo a sua casa. E, para completar, uma das crianças foi diagnosticada com uma doença que exigia cuidados constantes. Que situação difícil!

Hoje Beth está casada com um homem de Deus, um marido e pai maravilhoso, e eles vivem felizes juntos em um novo lar.

Apesar de gostar de finais felizes, não é a vida nova de Beth que mais me fortaleceu espiritualmente nessa história toda. É a confiança inabalável que minha amiga Beth tem em Deus, tanto nos bons quanto nos maus momentos. Nem uma única vez durante os tempos difíceis eu a ouvi reclamar, desistir, ou questionar o porquê de tantas dificuldades. Em meio a tudo o que atravessou, ela sempre soube que iria se recuperar e que seus maus momentos eram apenas um revés temporário.

Querido Senhor, dê-me a coragem que eu preciso para atravessar momentos difíceis sempre confiando em Tuas promessas. Amém.

Fylvia Fowler Kline
Director of Marketing
Hope Channel, Inc.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=898
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



PROVÉRBIOS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
25 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1315 palavras

1,2 Não … queiras estar com eles … porque seu coração maquina violência … seus lábios falam para o mal. A empolgação das atividades de quem não tem escrúpulos exerce forte tração sobre os jovens que pensam erroneamente que a bondade é entediante. … A amizade com pessoas malignas é perigosa no mínimo por três motivos: (1) corre-se o risco de perder os altos padrões morais diante do escárnio dos malfeitores e das atrações de uma vida sem limites; (2) a reputação sofre no relacionamento com más companhias; e (3) é provável que os malfeitores tramem perversidades contra os espectadores relativamente inocentes CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1160.

3 Com a sabedoria. Não se pode construir nada de sólido invejando as pessoas malignas (v. 1) … O roubo não é o caminho para ganhar riquezas permanentes. O conhecimento usado com sabedoria garante uma vida de prazer real. CBASD, vol. 3, p. 1160.

5 Mais poder tem o sábio. A LXX traduz a primeira parte da seguinte forma: “O sábio é melhor do que o forte”. CBASD, vol. 3, p. 1160.

7 A sabedoria é alta demais. Suas ações não são ditadas pela razão, mas, sim, pelo desejo. Quando os sábios se reúnem à porta de cidade (ver com. de Pv 22:22) para debater questões públicas, ele não tem nenhuma contribuição a fazer. As considerações que guiam os entendidos são superiores à inteligência dele, e ele não deseja ampliar a própria sabedoria para poder entendê-las, pois não tem intenção nenhuma de se tornar bom (ver Sl 10:4, 5). CBASD, vol. 3, p. 1160, 1161.

9 Desígnios. Com certeza, não é o pensamento sobre a estultícia que é chamado de pecado, mas sim, o planejamento do tipo de insensatez mencionado em Provérbios 24:8. CBASD, vol. 3, p. 1161.

12 Se disseres: Não o soubemos (ARA; NVI: Mesmo que você diga: “Não sabíamos o que estava acontecendo!). As desculpas são inúteis no trato com Deus. Os seres humanos não conseguem saber o que se passa em nossos pensamentos e sentimentos íntimos; portanto, não fazem ideia do quanto estamos cientes do nosso dever de ajudar os outros. Porém, o Criador do coração o sabe (ver Pv 16:2; 21:2). Aquele que observa o desenvolvimento interior do caráter conhece muito bem o grau preciso de culpa ligado a cada ato (ver Jr 17:9, 10). … A culpa resulta tanto da negligência sem arrependimento quanto de pecados deliberados (ver GC, 487, 488). CBASD, vol. 3, p. 1161.

13 Saboreia o mel. Salomão não está, neste versículo, apenas dando um conselho alimentar. CBASD, vol. 3, p. 1161.

14 Sabedoria. Assim como o mel tem gosto agradável e é bom para fortalecer o corpo, a sabedoria é saborosa e fortalecedora para a alma ou o caráter. CBASD, vol. 3, p. 1162.

15 Não te ponhas de emboscada. Os perversos costumam sentir inveja da pessoa de bem que desfruta da proteção do Senhor. Com frequência, são tomados pelo desejo sinistro de levar os justos a pecar, para que entrem num estado tão precário quanto o deles. CBASD, vol. 3, p. 1162.

16 Sete vezes cairá. No sentido espiritual, este versículo traz uma grande mensagem de conforto para o cristão, que se sente desanimado por cair na batalha contra o pecado. “Sete vezes cairá”é o mesmo que dizer: “toda vez que ele cair”. Se ele se levantar com esperança renovada depois de cada fracasso, apegar-se mais uma vez à força salvadora oferecida a ele tão livremente (Mt 11:28; Jd 24), será chamado justo, e o Senhor completará a obra que Ele mesmo começou (Fp 1:6; Hb 12:2). O desejo de ser justo e a força de colocar esse desejo em prática vêm dEle (Fp 2:13). Portanto, ninguém precisa se desesperar, por mais fraco que pense ser, contanto que esteja disposto a receber a vontade de fazer o que é certo (MDC, 142, 143). CBASD, vol. 3, p. 1162.

17 Não te alegres. Jesus expressou sentimento parecido ao dizer: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”(Mt 5:44). Faz parte da natureza humana se alegrar quando um inimigo tem problemas. Podemos tentar disfarçar a satisfação pecaminosa por sua aflição, professando sentir o prazer justo pela justiça feita; mas os sentimentos interiores são contrários ao exemplo e aos ensinos de Jesus, que morreu por um mundo de inimigos (Rm 5:8-10). Devemos mostrar amor pela humanidade perdida que Ele busca salvar, não destruir, e, como Ele, nos entristecer com o destino daqueles que escolheram se opor ao que é certo (ver Ez 33:11; Os 11:8; Lc 19:41, 42; DTN, 575, 576). CBASD, vol. 3, p. 1162.

18 A sua ira. A advertência de Salomão … direciona-se ao perverso que se alegra no sofrimento do outro. CBASD, vol. 3, p. 1162.

19 Não te aflijas. Assim como não devemos nos regozijar com a queda de um inimigo (v. 17), somos advertidos a não ter raiva nem inveja de sua prosperidade (ver Sl 37:1, 8; 73:2, 3; Pv 24:1). Tal atitude pode nos trazer desânimo, talvez até ao ponto de seguir o caminho do perverso a fim de desfrutar os prazeres que ele aparentemente tem. A proteção contra esses sentimentos é encontrada no v. 20. CBASD, vol. 3, p. 1163.

24 Tu és justo. Os juízes que absolvem o culpado não são populares com as pessoas prejudicadas pelo criminoso liberto. Contudo, quando esses juízes exaltam o perverso como se fosse bom, fazem mais do que liberar um delinquente para continuar sua guerra contra a sociedade.Eles deturpam todas as ideias de bem e mal, incentivando os jovens a crescer sem respeito pela lei e a ordem. Tais magistrados são alvo do ódio de nações inteiras, pois o respeito pela justiça costuma ser forte em meio à população como um todo. Os cidadãos ficam ressentidos com ações que enfraquecem as bases da paz e prosperidade. CBASD, vol. 3, p. 1163.

26 Beijo nos lábios. Quando o rei, governante ou juiz fala palavras justas, elas são tão agradáveis às pessoas de direito quanto um beijo. CBASD, vol. 3, p. 1163.

27 Edifica a tua casa. Par um jovem ter esperança da aprovação dos pais para que uma moça fosse sua esposa, ele precisava ter condições de dar à família e a ela presentes significativos, bem como demonstrar capacidade de sustentá-la (ver Gn 24:35, 53). A fim de fazer isso, precisaria se estabelecer, cuidando de uma fazenda com a capacidade de suprir as necessidades de uma família. No âmbito espiritual, o ser humano também precisa limpar o coração de pedras e ervas daninhas e plantar sementes de justiça, para que tenha esperança de construir caráter forte e íntegro (ver Is 5:1-7; Os 10:12). CBASD, vol. 3, p. 1163.

28 Sem causa. O contexto sugere que o sentido é de que ninguém deve dizer coisas contra o próximo sem fundamento de verdade (ver Pv 3:30). CBASD, vol. 3, p. 1164.

29 Assim lhe farei. Salomão adverte contra a adoção do inverso da regra áurea. Mesmo que um inimigo dê falso testemunho contra alguém, não se deve fazer o mesmo a ele. Por maior que seja o dano causado, não se deve pagar com a mesma moeda. A vingança pertence a Deus (Hb 10:30). … O oponente se rebaixa ao tratar alguém de forma perversa, e este faz o mesmo quando espera a vez de retornar a ação recebida. Esse processo pode continuar por um longo período, mas ninguém ganhará nada com isso, a não ser o grande adversário da raça humana. CBASD, vol. 3, p. 1164.

30 Pelo campo. O campo e a vinha eram as duas principais fontes de alimento e lucro do agricultor palestino. Este versículo traça um paralelo entre o preguiçoso e o que não tem bom senso. CBASD, vol. 3, p. 1164.

30-34 Alguns enxergam no poema de Salomão sobre o preguiçoso a ilustração de uma verdade espiritual. Embora somente o Espírito Santo possa capacitar a vencer o pecado (DTN, 671), Ele não pode fazer nada sem consentimento e cooperação humanos (MDC, 142). Deve-se avançar na força que o Espírito de Deus transmite, erradicando os maus pensamento (CBV, 176; T3, 491). Também se deve prosseguir, na força do Senhor, em desenvolver uma forte experiência de obediência aos dez mandamentos (ver CPPE, 454). CBASD, vol. 3, p. 1164.

31 Espinhos … muro … em ruínas. Um campo negligenciado logo é tomado de plantas que sufocam a lavoura e das quais é difícil se livrar, pois se permitiu que as ervas daninhas se espalhassem. O muro deve ser mantido em boas condições para a fazenda ficar protegida de animais selvagens (ver Is 5:1-7). CBASD, vol. 3, p. 1164.



PROVÉRBIOS 24 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
25 de julho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Com a sabedoria edifica-se a casa, e com a inteligência ela se firma” (v.3).

A descrição dos últimos dias feita por Paulo a Timóteo, apresenta uma lista da degradação humana provocada pelo pecado. Ao apóstolo foi dada a visão exata dos “tempos difíceis” (2Tm.3:1) que temos vivido. Partindo do egoísmo, Satanás induz o pecador no caminho da decadência até que este atinja o seu objetivo final: a inimizade com Deus. Pela contemplação, a antiga serpente tem usado a mesma estratégia que no Éden obteve êxito, oferecendo a cada um os variados frutos da tentação sob o encantado disfarce do engano: “É certo que não morrereis” (Gn.3:4).

Creio que mesmo em sua mais alta concepção, o apóstolo Paulo foi poupado de vislumbrar o que de fato ocorreria em nossos dias. Com a crescente ascendência das redes sociais e a criatividade para tornar o ser humano cada vez mais dependente da tecnologia, estamos em meio a uma geração “bomba-relógio”; a geração mais conectada com o digital e a mais desconectada com o espiritual; a geração mais informada sobre a vida alheia e a mais alheia à vida de Cristo; uma geração guiada pela inveja, pela injustiça e pelo ócio, “que cuida em fazer o mal” (v.8).

A pergunta é: Aonde nós estamos em meio a essa completa confusão? A resposta depende de para onde estamos olhando. Disse Jesus: “São os olhos a lâmpada do corpo” (Mt.6:22). Se gastamos horas contemplando as distrações da internet enquanto a Palavra de Deus é lida de forma rápida e negligente, como poderemos vencer as tentações que constantemente estão diante dos nossos olhos? Milhares “estão sendo levados para a morte” (v.11) enquanto aqueles que foram chamados para salvar vidas, em sua letargia, alegam: “Não o soubemos” (v.12). Ignorando sua responsabilidade, estão prestes a ouvir a sentença dAquele “que pesa os corações” (v.12): “Servo mau e negligente… lançai-o para fora, nas trevas” (Mt.25:26 e 30).

Um pouco para dormir, um pouco para tosquenejar, um pouco para encruzar os braços em repouso” (v.33). A geração da sonolência precisa ser despertada e avisada! Assim diz o Senhor: “Quando Eu disser ao perverso: Certamente, morrerás, e tu não o avisares e nada disseres para o advertir do seu mau caminho, para lhe salvar a vida, esse perverso morrerá na sua iniquidade, mas o seu sangue da tua mão o requererei” (Ez.3:18). Em Sua oração sacerdotal, Jesus declarou acerca dos que nEle creem: “Eles não são do mundo” (Jo.17:16). Ou seja, eles estão no mundo, mas, definitivamente, eles não vivem como o mundo vive.

Não te aflijas por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos perversos, porque o maligno não terá bom futuro, e a lâmpada dos perversos se apagará” (v.19-20); “no juízo, a sua boca não terá palavra” (v.7). Este mundo está em contagem regressiva e com ele todos “os perversos” (v.16). Façamos parte da “multidão de conselheiros” (v.6) do tempo do fim que “salva os que cambaleiam indo para serem mortos” (v.11). “Teme ao Senhor” (v.21) e persevera, pois “sete vezes cairá o justo e se levantará” (v.16) pelo onipotente braço que o sustém. Clamemos por sabedoria, inteligência e conhecimento, e o Senhor tornará a nossa vida e a nossa casa o mais firme e poderoso canal do evangelho ao mundo. “Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente” (Dn.12:3). Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, atalaias de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Provérbios24 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



PROVÉRBIOS 24 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
25 de julho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 24 – Não compensa rejeitar a sabedoria, nem substituir a verdadeira (pura) sabedoria por uma genérica, ou falsificada.

Numa sociedade onde reina inveja, corrupção, imoralidade, glutonaria, perversidade, ira, revolta, injustiças, hipocrisia, falsidade, ganância, etc., precisamos ser guiados pela sabedoria divina.

Neste capítulo encontramos os últimos dos 30 provérbios dos sábios, os quais terminam no versículo 22. Os quais, segundo Jacques Doukhan, se agrupam da seguinte forma:

1. Primeiro provérbio (capítulo 22:21-23);
2. Segundo provérbio (capítulo 22:24-25);
3. Terceiro provérbio (capítulo 22:26-27);
4. Quarto provérbio (capítulo 22:28);
5. Quinto provérbio (capítulo 22:29);
6. Sexto provérbio (capítulo 23:1-3);
7. Sétimo provérbio (capítulo 23:4-5);
8. Oitavo provérbio (capítulo 23:6-8);
9. Nono provérbio (capítulo 23:9);
10. Décimo provérbio (capítulo 23:10-11);
11. Décimo primeiro provérbio (capítulo 23:12);
12. Décimo segundo provérbio (capítulo 23:13-14);
13. Décimo terceiro provérbio (capítulo 23:15-16);
14. Décimo quarto provérbio (capítulo 23:17-18);
15. Décimo quinto provérbio (capítulo 23:19-21);
16. Décimo sexto provérbio (capítulo 23:22-25);
17. Décimo sétimo provérbio (capítulo 23:26-28);
18. Décimo oitavo provérbio (capítulo 23:29-35);
19. Décimo nono provérbio (capítulo 24:1-2);
20. Vigésimo provérbio (24:3-4);
21. Vigésimo primeiro provérbio (capítulo 24:5-6);
22. Vigésimo segundo provérbio (capítulo 24:7);
23. Vigésimo terceiro provérbio (capítulo 24:8-9);
24. Vigésimo quarto provérbio (capítulo 24:10);
25. Vigésimo quinto provérbio (capítulo 24:11-12);
26. Vigésimo sexto provérbio (capítulo 24:13-14);
27. Vigésimo sétimo provérbio (capítulo 24:15-16);
28. Vigésimo oitavo provérbio (capítulo 24:17-18);
29. Vigésimo novo provérbio (capítulo 24:19-20);
30. Trigésimo provérbio (capítulo 24:21-22).

Após os 30 provérbios dos sábios, contendo diversos assuntos, há mais alguns provérbios interessantes de outros sábios (24:23-34). Sobre eles, Doukhan analisa:

“Este breve apêndice (24:23-24) […], concentra-se num aspecto específico do ensino: a necessidade de aprofundar nosso juízo e trabalho. O sábio adverte, por um lado, sobre a tentação de ser ‘parcial no julgamento’ (24:23-26) e contra as falsas testemunhas (24:28-29). Por outro lado, a tentação da superficialidade em nosso trabalho (24:27, 30-34)”.

• Precisamos combater a superficialidade nos julgamentos e no trabalho!

Deus quer o melhor para nós. Ele nos deixou um livro de sabedoria escrito por diversos sábios. Estudá-lo nos conduzirá à sabedoria dEle, e, praticar os princípios de vida ali contidos nos tornará sábios aqui na Terra e nos preparará para a Pátria Celestial.

Viver a sabedoria nos dará inúmeras vantagens relevantes no caminho ao céu. “Senhor, orienta-nos!” – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: