Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 5 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
6 de julho de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO PROVÉRBIOS 5 – Leia a Bíblia antes

PROVÉRBIOS 5 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

PROVÉRBIOS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR(link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)



PROVÉRBIOS 5 by Jeferson Quimelli
6 de julho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/pv/5

Seria de se esperar que Salomão tivesse algo a dizer sobre os perigos do adultério. Após a leitura deste capítulo ficamos com a impressão de que se Salomão pudesse voltar no tempo e retomar a sua vida desde o começo, ele teria sido mais forte (e possivelmente mais sábio), e não teria tomado para si tantas mulheres, se contentando com apenas uma. Ele mostra que deseja algo melhor para seu filho.

“Beba água da sua própria cisterna”, ele aconselha, sugerindo que um relacionamento monogâmico tem benefícios que superam, em muito, os relacionamentos extraconjugais. O desejo de Salomão para seu filho é que ele não repita seus próprios erros, mas que tenha uma vida mais disciplinada do que ele próprio teve e se alegre com a mulher da sua mocidade (v. 18).

Com vergonha e arrependimento, Salomão termina o capítulo, reconhecendo que tudo o que ele havia feito tinha sido visto e avaliado pelo Senhor, e que sua grande insensatez e falta de disciplina o desencaminharam.

A sua falta de disciplina o está conduzindo a caminhos tortuosos, hoje? Peça a Deus que lhe ajude a obedecê-lo em todas as coisas antes que seja tarde demais.

Jackie Ordelheide Smith
Ex-Diretora Assistente de Escola Sabatina e Ministério Pessoal da Conferência Geral da IASD
Washington, DC, Estados Unidos

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=879
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



PROVÉRBIOS 5 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
6 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

572 palavras

3 Favos de mel. As palavras da tentação são suaves e doces aos ouvidos porque são cuidadosamente calculadas para apelas às fraquezas herdadas e cultivadas da raça humana (ver Pv 7:14-20). CBASD, vol. 3, p. 1082.

4 O fim dela é amargoso. O gosto amargo do remorso logo é sentido por quem cede à tentação. CBASD, vol. 3, p. 1082.

Absinto. Planta do gênero Artemisia, que tem o gosto muito amargo (ver Dt 29:18; Jr 9:15; 23:15). CBASD, vol. 3, p. 1082.

6 Ela não pondera. Alheio aos ditames da razão e da consciência, o pecador cego e obstinado se inclina de forma inconstante, de uma coisa para a outra (Pv 7:12), mas nunca entra no caminho da vida, o único em que se pode encontrar felicidade nesta vida e salvação futura. CBASD, vol. 3, p. 1082.

8 Não te aproximes. Ênfase na necessidade de se manter longe da tentação, em vez de confiar na própria capacidade de resistir aos estímulos a pecar, que já subjugaram tantas pessoas, grandes e pequenas (Pv 4:14; 7:24-27; 1Co 6:18; 2Tm 2:22). CBASD, vol. 3, p. 1082.

9 Nem … a cruéis. Perder o primor da vida para a escravidão grosseira e profanadora do pecado é uma pena maior do que a escravidão física. CBASD, vol. 3, p. 1082.

10 Casa alheia. Sem propriedade e sem dinheiro, o homem daqueles dias procurava emprego como servo doméstico, e o lucro de seu trabalho beneficiava o patrão, não a si próprio. CBASD, vol. 3, p. 1083.

11 E gemas no fim de tua vida. Neste versículo, a ênfase recai sobre a ruína total da vida. As grandes aspirações e as possibilidades ilimitadas são desgastadas em servidão. CBASD, vol. 3, p. 1083.

12 Aborreci o ensino! Durante os longos anos de remorso, o pecador lamenta ter deixado de ouvir a boa instrução dos anciãos que poderia tê-lo poupado de tanto sofrimento e garantido o verdadeiro prazer descrito nos versículos anteriores. CBASD, vol. 3, p. 1083.

15 Tua própria cisterna. Louvor à felicidade de casado. Assim como a pessoa sedenta se refrigera nas águas de uma cisterna, o homem encontra prazer no companheirismo da própria esposa (ver 1Co 7:1-5; 1Tm 5:14; cf. Sl 127:4, 5). CBASD, vol. 3, p. 1083.

18 Alegra-te. Se o casamento continuar a ser uma partilha, se houver sempre o desejo mútuo de agradar, os anos que se passarem aprofundarão e fortalecerão as alegrias do companheirismo. … O esposo, de modo especial, deve se lembrar de expressar seu orgulho pela esposa e seu amor duradouro por ela quando a idade começa a cobrar seu preço. Essas expressões aprofundarão sua afeição pessoal e apoiarão a companheira no período em que é necessário fazer ajustes para os anos que avançam (ver Pv 2:17; Ml 2:15, 16). CBASD, vol. 3, p. 1083.

19 Co as suas carícias. O amor de um homem por sua esposa deve ser uma forte afeição que abarca todas as facetas da vida. … que nada se pense ou se faça sem levar em consideração aquela com quem ele partilha a vida. CBASD, vol. 3, p. 1083.

21 Os olhos do Senhor. O adúltero sofre dupla condenação. Ele perde as verdadeiras alegrias da vida e é excluído da maior e mais alegria da vida por vir (Pv 15:3; Ml 3:5; Hb 13:4). CBASD, vol. 3, p. 1083.

22 As cordas. Por recusar a instrução, o pecador necessariamente se emaranha cada vez mais nas armadilhas do pecado. Há poder para romper até as amarras mais fortes (CBV, 175, 176), mas a longa indulgência às propensões pecaminosas costuma tirar do pecador o desejo de ser salvo e não o inclina a entregar sua vontade ao Salvador. O caso não tem esperança enquanto esse indivíduo não buscar o auxílio do único capaz de salvá-lo por completo (Hb 7:25). CBASD, vol. 3, p. 1083, 1084.



PROVÉRBIOS 5 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de julho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e não te desvies das palavras da minha boca” (v.7).

Não adulterarás” (Êx.20:14) compreende o sétimo mandamento divino do corpo de Sua Lei moral. Estabelecido no Éden como uma instituição santa e imaculada, o casamento entre um homem e uma mulher traz em seu escopo o caráter santo e imaculado do Criador. Trata-se de uma união tão íntima, que após serem criados o homem e a mulher, Deus “os abençoou, e lhes chamou pelo nome de Adão, no dia em que foram criados” (Gn.5:2). Eram um só corpo em cumplicidade, amor e pureza.

A sexualidade foi dada ao homem como um presente de casamento do Criador. Dentre os propósitos da intimidade sexual estão a capacidade de gerar filhos (Gn.1:28) e a unidade do casal (Gn.2:24), mas também como fonte de alegria e prazer em uma relação de intimidade e admiração mútuas (Ct.4:1-16). A verdadeira fonte do contentamento sexual está na obediência à Palavra de Deus, através de um casamento bem planejado, monogâmico, heterossexual e que não necessita dos recursos da imoralidade para satisfazer a desejos impuros e egoístas.

Infelizmente, Salomão foi grandemente influenciado por contrair matrimônio com 1000 mulheres: “setecentas mulheres princesas e trezentas concubinas” (1Rs.11:3). Apesar de sua muita sabedoria, por causa de sua intemperança casando-se com mulheres pagãs e idólatras, “suas mulheres lhe perverteram o coração” e “fez Salomão o que era mau perante o Senhor e não perseverou em seguir ao Senhor, como Davi, seu pai” (1Rs.11:3 e 6). Mas seus provérbios revelam o apelo de um pai que, por experiência própria, conhecia os resultados do engano e da desobediência, e seu desejo em ver no filho uma história diferente.

Como é triste quando só reconhecemos a verdadeira sabedoria pelo resultado de nossas más escolhas: “Como aborreci o ensino! E desprezou o meu coração a disciplina! E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem a meus mestres inclinei os ouvidos!” (v.12-13). O Senhor nos deixou em Sua Palavra tudo o que precisamos conhecer a fim de vivermos felizes e plenamente realizados, ainda que as coisas pareçam não ir muito bem, como está escrito: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação” (Hc.3:17-18).

Porque os caminhos do homem estão perante os olhos do Senhor, e Ele considera todas as suas veredas” (v.21). Deus sonda o nosso coração e conhece cada uma de nossas intenções. Não permita que a lascívia, a mentira ou a insensatez destruam a felicidade eterna que o Senhor quer te dar. “Afasta o teu caminho” (v.8) do adultério, da licenciosidade e das baixas paixões. Aos casados, que a bênção de um casamento nos moldes de Deus reavive o amor e a unidade em seu lar. Aos solteiros, que a pureza e a sabedoria os conduza a um casamento feliz e estável. Aos que caíram no erro, ainda existe esperança e perdão; e um Pai amoroso desejoso por recebê-los de volta e mudar-lhes a sorte. Vigiemos e oremos!

Bom dia, filhos do Pai das misericórdias!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Provérbios5 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



PROVÉRBIOS 5 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
6 de julho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 5 – O casamento é um ato de sabedoria tanto quanto o adultério é um ato de loucura. Deus criou o casamento, entretanto o diabo inventou o divórcio. A vida de muita gente é uma loucura desgraçada, simplesmente por desprezar às sábias instruções divinas!

Salomão fala “de homem pra homem”, discursa francamente a seus filhos (e aos jovens de hoje também). Neste capítulo ele escancara contra a infidelidade sexual.

O texto é iniciado com uma “introdutória típica do destinatário com o pedido por atenção (5.1-2), acompanhado das razões motivadoras (vs. 3-6). O corpo principal mostra a insensatez do adultério (vs. 7-14) e a sabedoria da atividade sexual dentro do casamento (vs. 15-20). A palestra termina com uma predição sombria acerca das consequências fatais de se pecar contra Deus e rejeitar a instrução do pai (vs. 21-23)” – sintetiza Bruce K. Waltke.

Sexo é bênção de Deus no casamento, fora é uma maldição. O pai que deseja o bem do filho ensina o que Salomão ensinou aos seus filhos em Provérbios 5.

• Viver a sabedoria revelada por Deus e ensinada pelos pais piedosos preserva do sofrimento dos males indesejados (vs. 1-2).

• Ainda que palavras dos pais piedosos, sejam duras, difíceis de engolir, e contra nossos desejos, o resultado final é incomparável em relação às palavras dóceis e sedutoras das mulheres que não têm “ideia do que é a vida de verdade, nem de quem ela é, nem para onde está indo” (vs. 3-6).

• Quem rejeita aos princípios revelados pelo Pai Celestial desperdiçará completamente sua curta existência, depois lamentará os conselhos sábios ignorados – quanta insensatez; ser sábio é fugir das tentações do pecado e das seduções do diabo para ser feliz de verdade (vs. 7-14).

• O prazer sexual é essencial à vida conjugal – deve ser profusamente aproveitado. A fidelidade deve ser preservada, e jamais destruir-se com alguns supostos momentos com distração sexual, afogando-se nos engodos da prostituição (vs. 15-20).

• O pecado contra o corpo é um ato contra o Criador. Ele levará a juízo, portanto, viva com sabedoria (vs. 21-23; I Coríntios 6:15-20; 3:16-17).

“Mulher da vida” leva à morte; é melhor curtir a vida com a esposa! Quantas lágrimas evitaríamos se vivêssemos mais os princípios de sabedoria celestiais!

Há vida plena nos planos divinos! Vamos vivê-los? – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: