Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 16 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
17 de julho de 2020, 4:00
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO PROVÉRBIOS 16 – Primeiro leia a Bíblia

PROVÉRBIOS 16 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

PROVÉRBIOS 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES(link externo)



PROVÉRBIOS 16 by Jeferson Quimelli
17 de julho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/pv/16

“Confia ao SENHOR as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos.” (v.3, ARA).
“Peça a Deus que abençoe os seus planos, e eles darão certo” (v.3, NTLH).
“Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.” (v.3 NVI).

O que é sucesso? – ter aquilo que queremos? João Batista não teve … não no curto prazo. Mas “Deus nunca dirige Seus filhos de maneira diversa daquela por que eles próprios haveriam de preferir ser guiados, se pudessem ver o fim desde o princípio, e perscrutar a glória do desígnio que estão realizando como colaboradores Seus.” – Desejado de Todas as Nações, p. 153.

Por isso, oramos:
“Toma-me, Senhor, para ser Teu inteiramente”. Não guardo nada a serviço de mim mesmo.
“Aos Teus pés deponho todos os meus projetos”, “para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência”.
“Usa-me hoje em Teu serviço” – e lembre-me de que faço parte de Tua história, e não apenas aguarde o Teu selo.
“Permanece comigo” e que a consciência de Tua presença seja uma força para mim,”
“Que toda a minha obra se faça em Ti” – “e o Senhor em mim”, através da habitação do Teu Espírito! Caminho a Cristo, p. 70

Virginia Davidson
Artista – projetista e construtora de vitrais
Spokane Valley, Estado de Washington, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=890
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli

 

Comentário rodada anterior:

Uma das lições mais difíceis de aprender é que a vida simplesmente não é justa. Mas a boa notícia que Provérbios 16 nos assegura, repetidas vezes, é que Deus tem a palavra final.

Uma analogia útil é um campo de jogo bem nivelado. Pense em um campo de futebol ou de futebol americano acentuadamente inclinado e imagine que você está na equipe que deve levar a bola morro acima em direção à meta. Além de lutar contra a energia e habilidade do outro time você tem que lutar contra a gravidade da colina. O morro está ajudando seus adversários que o estão descendo e jogando contra você. Nós raramente temos um campo de atuação nivelado na vida, as condições nem sempre são iguais, mas o julgamento final de Deus irá nivelar o campo do jogo (v. 4).

E o que dizer das vezes em que o campo é acentuadamente inclinado e eu estou jogando morro abaixo, a meu favor? A injustiça agora trabalha a meu favor. Então, o que eu faço? Aproveito ao máximo esta oportunidade? Uma vez que Deus é o juiz final, o conselho de Salomão (v. 8) é: ” É melhor ter pouco com retidão do que muito com injustiça” (NVI). Quando as escalas tendem a meu favor é bom lembrar o valor eterno de pesos e escalas honestas (v. 11; Lv 19:35, 36; Pv 11:1; 20:10, 23). Deus odeia balanças desonestas.

Então, é apenas a sorte que determina em qual parte do campo acentuadamente inclinado eu jogarei? O verso 33 sugere que o Senhor tem o controle disso também. Será que Deus usa as circunstâncias para testar a minha integridade e honestidade em tempos bons e difíceis?

Senhor, busque por mim. Conheça o meu coração. Prova-me e conheça os meus pensamentos e ansiedades. Veja se há algum comportamento pecaminoso em mim e guia-me pelo caminho eterno. Amém.

David A. Steen
Professor Emérito
Universidade Andrews

Texto original: https://reavivadosporsuapalavra.org/2017/04/15/



PROVÉRBIOS 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
17 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1544 palavras

1 Do homem. Este versículo mostra um contraste evidente no hebraico: “Os conselhos do coração são do homem, mas a resposta vem dos lábios do Senhor.” A verdade do provérbio é demonstrada na experiência de Balaão. O profeta ganancioso planejou amaldiçoar Israel e ganhar as recompensas oferecidas por Balaque, mas o Senhor, em cujo nome Ele afirmava falar, controlou as palavras que saíram de sua boca (Nm 22-24). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1129.

2 São puros. Embora a maioria das pessoas tenha consciência de seus defeitos, é raro pecarem de maneira deliberada sem tentar se justificar. Talvez se comparem a outros e decidam que, considerando a própria experiência e suas dificuldades pessoais, são pelo menos tão boas quanto eles. Ou podem raciocinar que têm certas fraquezas, as quais levarão o Senhor a perdoar desvios ocasionais do que é certo. Aceitam os padrões estabelecidos por Deus, mas não estão prontas a obedecer-lhes por completo. O ser humano que se considera a própria lei se convence de que seus caminhos são puros. Como suas conclusões poderiam ser diferentes se o único padrão de julgamento que ele possui é o próprio? É obra do Espírito Santo romper com essa condescendência e trazer a convicção de que existe um padrão absoluto, declarado com toda a clareza na Palavra de Deus, além de ilustrado e exemplificado com toda clareza na vida de cristo. Somente o Criador conhece os motivos subjacentes ao coração enganoso das pessoas. Ele usa todas as agências do Céu para convencer a necessidade de um Salvador e da suficiência do poder divino para a regeneração (ver Pv 21:2; 24:12; Jr 17:9, 10; Jo 16:8; Tg 2:12; PJ, 159). CBASD, vol. 3, p. 1129.

3 Estabelecidos. Quando o ser humano reconhece sua necessidade e procura orientação e auxílio no Senhor para cada ato e decisão, os poderes do Céu descem para ajudá-lo e o capacitam a tomar decisões sob a influência do Espírito Santo. Quando a pessoa está envolta por esse poder, até os demônios se maravilham diante da mudança operada no coração, antes fraco, vacilante, mas, ao mesmo tempo, orgulhoso e obstinado (ver TM, 18). CBASD, vol. 3, p. 1129.

4 Para determinados fins. Esta passagem quer dizer que Deus teria o plano de criar pessoas perversas na Terra com o propósito de um dia puni-las e destruí-las? O versículo tem sido usado para apoiar a espantosa doutrina do decreto da Providência, a qual ensina que o Senhor deliberadamente criou algumas pessoas para sofrer a condenação eterna. A tradução literal da primeira frase (“O SENHOR fez todas as coisas as coisas para determinados fins”) é a seguinte: “Deus criou todas as coisas para seu fim [ou resposta].” A palavra traduzida por “determinados fins” é vertida por “resposta” nos cap. 15:1 e 16:1. Isto sugere que o autor não estava falando da doutrina do decreto da providência, mas, sim, da ordem eterna e imutável das coisas que fazem o pecado ocasionar sofrimento e morte. Deus fez o ser humano justo, mas quando as pessoas foram atrás de fábulas e pecaram (Ec 7:29), colocaram-se no caminho da destruição, no dia da consumação de todas as coisas. Aqueles que usam o livre-arbítrio e decidem nascer de novo (Jo 3:3, 7) se tornam aptos para a vida eterna e um dia herdarão o mundo purificado (2Pe 3:13). Deus criou tudo para ter o destino apropriado – no caso da humanidade, por escolha própria, e o resto da criação terrena pelo envolvimento inocente na ruína causada pelas pessoas. Portanto, o Senhor nos garante que previu cada eventualidade e Se preparou para elas. Nunca haverá pecadores imortais, entristecendo o Céu com seu sofrimento por toda a eternidade (ver com. de Êx 4:21). CBASD, vol. 3, p. 1129, 1130.

5 Arrogante de coração. Deus não pode fazer nada pelo arrogante, que pensa não precisar da ajuda divina. A presunção espiritual é a forma mais perigosa de orgulho, pois enche a alma com o sentimento de autossuficiência, o qual impede ao Espírito Santo convencer da necessidade de auxílio. CBASD, vol. 3, p. 1130.

6 Pela midericórdia e pela verdade. Amar a Deus e as pessoas de todo o coração, ser fiel no cumprimento de promessas e obrigações e apegar-se à verdade divina é deixar de ser pecados e se tornar um verdadeiro servo do Senhor. É o afastamento do mal, não o oferecimento de presentes ou de muitos sacrifícios, que coloca o ser humano no favor do Céu. Este ensino era muito diferente da atitude de muitos daquela época, que multiplicavam os sacrifícios, na esperança de comprar o favor de Deus sem a necessária purificação da vida e das obras (ver Pv 3:3; 14:22; 20:28; Mt 22:37). CBASD, vol. 3, p. 1130.

7 Reconcilia. Quando o ser humano vive como o Senhor gostaria, a inimizade de seus adversários geralmente é amenizada por sua bondade, mesmo sem uma intervenção divina especial. CBASD, vol. 3, p. 1130.

8 Justiça. As riquezas sem justiça não trazem paz de espírito, nem garantem a saúde do corpo. Também não há contentamento na posse de recursos obtidos de forma ilícita. Mas o pouco que o justo ganha com correção traz um retorno pleno de felicidade, sem despertar inveja ou avareza (ver Pv 13:7, 25; 15:16). CBASD, vol. 3, p. 1130.

9 O SENHOR tudo dirige. Tudo que fazemos é realizado na vida que Deus nos empresta e,portanto, com Sua permissão. O ser humano planeja, mas não sabe se viverá para executar seus planos. Em claro reconhecimento desta verdade, alguns cristãos adotaram o costume de dizer: “Se Deus quiser…”, quando anunciam seus planos para o futuro (ver Tg 4:13-15). É necessário que as pessoas planejem o futuro com sabedoria, mas todos os planos devem ser avaliados de acordo com a lei e a vontade de Deus reveladas, a fim de garantir que estão em harmonia com os padrões divinos. As deliberações devem ser conduzidas em oração, pedindo direcionamento e com a disposição de sofrer mudança ou obstrução dos planos por parte do Senhor (ver Lc 12:17-20; MDC, 101). CBASD, vol. 3, p. 1130.

10 Nos lábios do rei se acham decisões autorizadas; no julgar não transgrida, pois, a sua boca. Talvez o versículo signifique: “Como se considera que os reis falam com sabedoria superior à humana, eles devem tomar cuidado especial para não pecar em suas decisões.” CBASD, vol. 3, p. 1131.

12 Abominável. A maldade em um rei é muito pior do que em pessoas comuns. Por esse motivo, o trono dos reis perversos lhes é tirado, ao passo que os governos justos recebem o privilégio de perdurar (ver Dn 4:17; Rm 13:1-6; PR, 535). CBASD, vol. 3, p. 1131.

16 Quanto melhor. A sabedoria … o entendimento … são mais valiosas do que os metais para os quais os seres humanos lutam com tanta avidez para conseguir (ver Pv 3:14; 8:10, 11). CBASD, vol. 3, p. 1131.

17 O caminho. Aquele que se preocupa em estar em harmonia com o plano de Deus pensará com cuidado sobre a direção em que transita, a fim de er a certeza de que seus pés não se desviaram (ver Pv 4:26; 15:19; 2Tm 2:19). CBASD, vol. 3, p. 1131.

18 A soberba [arrogância]. A despeito das repetidas advertências contra a soberba, cada geração observa as pessoas se tornarem orgulhosas e arrogantes, apenas para cair em problemas e em desgraça (ver v. 19; Pv 11:2; 17:19; 18:12). Aqueles que mantêm seu orgulho e sua posição nesta vida serão forçados a reconhecer humildemente a soberania de Deus no juízo (ver GC, 670, 671). CBASD, vol. 3, p. 1131.

20 O que atenta para o ensino acha o bem. Também pode ser traduzida como: “O que atenta para a palavra acha o bem.”Traduzido dessa forma, o versículo declara uma verdade vital e bem conhecida. Quando o ser humano dá a devida atenção à Palavra de Deus, ele não deixará de prosperar nas áreas física, mental e espiritual, além de encontrar felicidade em tudo que fizer (ver Jo 13:17; Tg 1:25; DTN, 314). CBASD, vol. 3, p. 1131, 1132.

24 Medicina. Sempre se soube que as palavras agradáveis são doces, mas a relação precisa entre palavras, humor e saúde teve de esperar até esta era de experimentação para ser demonstrada. O discurso briguento e antagonista traz enfermidade tanto a quem fala quanto a quem ouve; já as palavras gentis e confortantes comunicam cura ao corpo inteiro (ver PP, 556). CBASD, vol. 3, p. 1132.

26 A fome … o faz trabalhar. É a necessidade de alimento, roupa e abrigo que costuma impulsionar o ser humano ao trabalho. Dos três, o apetite é a necessidade principal. Pelo suor do rosto, a raça humana supre suas necessidades (ver Gn 3:19; Ec 6:7; 2Ts 3:10). CBASD, vol. 3, p. 1132.

27 O homem depravado. Literalmente, “o homem de Belial”, que significa “o homem sem valor”. CBASD, vol. 3, p. 1132.

30 Morde os lábios. A pessoa maligna e ardilosa é tão determinada que estreita os olhos para planejar uma perversidade e aperta os lábios para esconder o sorriso cruel. O mal, então, já está tão desenvolvido quanto se houvesse sido colocado em prática (ver Pv 6:14; 10:10). CBASD, vol. 3, p. 1132.

31 As cãs. Quando os idosos seguem o caminho da justiça, coroam as realizações de sua vida mediante conselho sábio e influência positiva. existe, porém, uma triste incongruência nos homens e mulheres de cabelos brancos que persistem em trilhar o caminho do mal (ver Pv 20:29; CBV, 204, 205). CBASD, vol. 3, p. 1132.

33 A sorte. Não é desejo do Senhor que as pessoas decidam todos os assuntos, usando o procedimento de lançar sortes. Quando há boas evidências ou um princípio pertinente para guiar a mente na tomada de uma decisão, o uso da sorte enfraquece tanto a mente quanto o caráter. Esse método só deve ser escolhido se Deus assim o direcionar de maneira específica; do contrário, não pode haver garantia de uma resposta inspirada. CBASD, vol. 3, p. 1132.



PROVÉRBIOS 16 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
17 de julho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“O que atenta para o ensino acha o bem, e o que confia no Senhor, esse é feliz” (v.20).

A vida do homem é fazer planos. Acordamos e já temos que tomar decisões. Alguns chegam a perder o sono por causa da ansiedade provocada pela expectativa de que seus objetivos do dia seguinte sejam alcançados. Outros possuem todo um projeto de vida esquematizado de tal forma que cada detalhe precisa ser seguido à risca. Não é errado fazer planos. O erro está em fazê-los em desconexão com o planejamento divino.

Quando paro e penso nos planos que tinha traçado para a minha vida a alguns anos, percebo que não sabia o que estava fazendo. Eram projetos de cunho pessoal, egoístas e que não incluíam a aprovação de Deus. Eu simplesmente pensava que por não serem ofensivos a ninguém e para maior conforto e bem-estar meu e de minha família, então estava no caminho certo. O meu coração fez muitos planos, mas o Senhor chegou na hora certa, com a resposta certa (v.1). Hoje posso afirmar, por experiência própria, que por mais que o mundo diga que eu perdi muita coisa, eu nunca fui tão feliz! Eu não perdi nada. Eu ganhei tudo! Pois descobri que não há melhor projeto de vida do que confiar o meu caminho ao Senhor (Sl.37:5).

Entregar-se não é fácil e eu demorei muito tempo até entender que esta é a única forma que temos de conhecer a Deus de fato. O Espírito Santo foi retirando do meu coração todos os meus sonhos egoístas e colocando no lugar sonhos que envolvem a minha salvação e da minha família, bem como a salvação do meu próximo, mesmo aqueles que nem sequer conheço e até de meus inimigos. E podem acreditar, amados, quando aceitamos seguir os propósitos de Deus, inimigos se levantam, mas Ele providencia para que até estes se tornem em amigos (v.7).

Por mais que os caminhos que traçamos pareçam puros (v.2), muitas vezes não foram os que Deus planejou para nós. E atentem bem para isto: pela segunda vez, Salomão pronunciou as mesmas palavras também contidas em Provérbios 14:12, no verso 25: “Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte”. O mundo tem estabelecido padrões e estilos de vida como regras que, se não observarmos, somos considerados “estorvos sociais”. O mundo diz: “Faça o que você quiser, a vida é sua”. Deus diz: “O caminho dos retos é desviar-se do mal” (v.17). O mundo diz: “Corra atrás dos seus objetivos ainda que tenha que passar por cima de alguém”. Deus diz: “com justiça se estabelece o trono” (v.12). O mundo diz: “Não importa o que você faz, o importante é ser feliz”. Deus diz: Aquele que confia em Mim, “esse é feliz” (v.20). A que voz estamos obedecendo?

Portanto, continuemos fazendo planos e sonhando, mas que o Senhor dirija os nossos passos (v.9). Que os nossos desígnios sejam estabelecidos conforme a confiança que temos em Deus (v.3). Que o nosso caminho seja agradável a Deus e até os inimigos se tornarão nossos amigos (v.7). Entregue ao Senhor o controle da tua vida, pois disto depende a tua felicidade e “do Senhor procede toda decisão” (v.33). Vigiemos e oremos!

Bom dia, felizes em Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Provérbios16 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



PROVÉRBIOS 16 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
17 de julho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 16 – Há quem confunde loucura com sabedoria; também, há aqueles que adulteram a sabedoria, oferecendo uma falsa sabedoria, que, muitos, iludidos, tomam como verdadeira (ver I Coríntios 3:18-20).

É loucura acreditar em qualquer sabedoria cuja fonte não seja Deus. É estultícia vangloriar-se do próprio conhecimento. Os pensamentos são vãos quando são independentes da revelação divina. Portanto, precisamos da fonte certa para ser sábio e feliz de verdade!

A Palavra de Deus supera quaisquer palavras humanas. Superior a qualquer filosofia, observe a sabedoria do capítulo em questão:
• Nos planos humanos, Deus tem a última palavra (v. 1);
• Deus sabe melhor que o ser humano o que realmente é bom (v. 2);
• O plano de trabalho precisa incluir Deus para que realmente haja sucesso (v. 3);
• Toda ação divina é intencional, ninguém terá desculpas no julgamento (v. 4);
• Sendo intolerante aos arrogantes, Deus permitirá que colham o que plantam (v. 5);
• No temor do Senhor ligado pela verdade se obtêm perdão e direção (v. 6);
• Quando Deus é por nós, até inimigos se tornam amigos (v. 7).

Estes sete versículos vinculam Deus à vida prática de sabedoria e sucesso. Está claro que Provérbios é altamente espiritual.

Na sequência, há elevados princípios que merecem ser gravados no coração:

1. O bom líder sempre aspira ao bem em todas as suas intenções e trabalha calma e pacientemente visando à vontade de Deus, segundo os Seus princípios (vs. 8-15).

2. Adquirir sabedoria é infinitamente mais importante que adquirir riquezas; sabedoria vale mais que muitos tesouros. A sabedoria…
• …Leva pelo caminho da vida, livre de obstáculos e da imoralidade (vs. 16-17);
• …Abre os olhos quanto ao orgulho/soberba e mostra importância de confiar plena e humildemente em Deus (vs. 18-20);
• …Torna nossas palavras valiosas, amáveis e respeitáveis e, livra-nos das consequências das palavras precipitadas/impensadas (vs. 21-24).

3. Cuidado (v. 26): Quatro características de que não têm sabedoria:
a) Sem caráter/maldoso: suas palavras são perigosas (v. 27);
b) Perverso/fofoqueiro: promotor de discórdias, destruidor de amizades (v. 28);
c) Violento: acha que a solução de tudo está na agressividade (v. 29);
d) Causador de confusão até com expressões faciais (v. 30).

4. Confiança em Deus e em Sua Palavra é tudo o que realmente importa (vs. 31-33).

Invista na sabedoria! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: