Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 25 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
26 de julho de 2020, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO PROVÉRBIOS 25 – Primeiro leia a Bíblia

PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO PR. HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUAREZ (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO (link externo)

VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA(link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR(link externo)



PROVÉRBIOS 25 by Jeferson Quimelli
26 de julho de 2020, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/pv/25

“A glória de Deus é ocultar certas coisas; tentar descobri-las é a glória dos reis” (v. 2).

À primeira vista, isso não parece significativo. Mas, pensando bem, foi o rei Salomão que tomou tempo de fazer pesquisas científicas e aprender o funcionamento do mundo natural, mais do que qualquer um que tivesse vivido antes dele – e, portanto, ele foi considerado “o homem mais sábio que já existiu”. Também era trabalho do rei descobrir o mal no reino e saber o que estava acontecendo em geral. Por que, então, Deus se deleitaria escondendo coisas?

Talvez Deus se deleite em nosso deleite em descobrir coisas. A realidade é complexa. Não há como entender tudo de uma vez. Além disso, há verdades profundas demais para que nossos medos egocêntricos compreendam. Jesus disse aos discípulos: “Tenho muitas coisas para lhes contar, mas vocês não pode suportá-las agora. Mas o Espírito Santo estará aqui para ensinar você depois que eu me for”.

Algumas outras coisas Deus esconde porque são apenas para uma pessoa … como os pecados de Simão, no banquete que ele ofereceu a Jesus. Jesus contou uma história a ele e Simão entendeu o ponto e apreciou a bondade de Jesus por não contar todos os detalhes [exagerar na cobertura] diante de todos os convidados. E Simão foi convertido, o pecado se foi. Ah! como os fofoqueiros da cidade adorariam espalhar a história de Simão! – mas Deus a escondeu. E Simão venceu também.

Virginia Davidson
Artista – projetista e construtora de vitrais
Spokane Valley, Estado de Washington, EUA.

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=899
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli



PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
26 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

1097 palavras

1 Transcreveram. Estes provérbios foram copiados de outros escritos ou coleções, e alguns, talvez, de fontes orais – de pessoas que aprenderam com Salomão esses dizeres. Dentre os que ajudaram nesta tarefa poderiam estar o profeta Isaías, o escrivão Sebna e o cronista Joá (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1160.

2 A glória de Deus é encobrir as coisas. Faz parte da glória de Deus ser infinito e, por isso, ocultar muitas coisas da mente humana, finita e obscurecida pelo pecado (Dt 29:29). Os mistérios da Bíblia, hoje, além de nossa compreensão plena, são provas de que ela de fato é a Palavra do Senhor. CBASD, vol. 3, p. 1166.

3 Dos céus. Telescópios maiores e mais novos que penetram vastas distâncias não revelam os limites do céu estelar. Portanto, a altura do céu é insondável. Cada descoberta nova altitudes ainda mais elevadas para ser pesquisadas. CBASD, vol. 3, p. 1166.

Da terra. A investigação com ondas sonoras e sísmicas e o estudo dos impactos provocados por terremotos forneceram informações muito superiores às que havia no tempo de Salomão. No entanto, o conhecimento real sobre as substâncias do interior da terra ainda está longe de ser completo. CBASD, vol. 3, p. 1166.

Insondável. Mesmos as pessoas mais próximas umas das outras não sabem o que realmente se passa na mente do próximo; quanto menos um súdito conseguiria desvendar a mente do rei! Nem o cortesão que pensa conseguir manter o favor do rei por meio de adulações sabe quando descobrirá que outro tomou seu lugar. CBASD, vol. 3, p. 1166.

5 Tira o perverso. Assim como a retirada das impurezas da prata embeleza e fortalece o metal, a remoção da corte real daqueles perversos que adulam o rei com más intenções acrescenta nobreza e resistência ao reino. … Esse processo de limpeza é bom sinal para a prosperidade do reinado e para a felicidade do povo. CBASD, vol. 3, p. 1166.

9 Diretamente com teu próximo. Seguir o caminho mais comum de contar a todo o mundo a história de falar com a outra parte torna quase impossível conseguir a paz. CBASD, vol. 3, p. 1166.

12 Pendentes. O ouvido obediente aceita o conselho sábio e é como se o usasse em forma de uma joia destinada a destacar a beleza de um bom caráter. CBASD, vol. 3, p. 1167.

13 O frescor de neve. Com certeza, não é à neve durante a colheita, pois tal precipitação seria muito indesejável (Pv 26:1) e um provável desastre para a plantação. O “frescor da neve” seria uma bebida refrigerada pela neve, mas do que bem-vinda durante o calor intenso dos dias da sega. Antes da época da refrigeração mecânica, o uso da neve ou do gelo e preservar era um privilégio desfrutado apenas pelos ricos.  CBASD, vol. 3, p. 1167.

Mensageiro fiel. Comparar com Pv 10:26; 13:17. Num tempo de comunicação instantânea, é difícil entender como até mesmo reis poderosos dependiam de seus embaixadores e diplomatas. Depois de enviado, o mensageiro tinha controle total sobre a missão, que poderia demorar meses para ser cumprida. CBASD, vol. 3, p. 1167.

14 Não trazem chuva. Há os que parecem despertar expectativas contínuas de que farão grandes coisas por seus amigos e colegas; contudo, raramente ou nunca colocam em prática as promessas sugeridas. As consequências desses atos podem ser bem maiores do que a mera perda do presente. Quando a fé na humanidade se enfraquece, todo o caráter pode ser afetado de maneira adversa, chegando ao ponto de diminuir até mesmo a fé em Deus. CBASD, vol. 3, p. 1167.

15 Longanimidade. Com calma e persistência paciente, continuando a apresentar fatos e argumento diante da oposição, é possível mudar a opinião de um príncipe ou juiz. … Alguns advogados de forma deliberada irritam seus oponentes enquanto parecem calmos, pois sabem que o juiz será influenciado pelas atitudes contrastantes. CBASD, vol. 3, p. 1167.

Esmaga ossos. O jeito calmo e persuasivo de uma palavra branda realiza tudo que a força é capaz de fazer e muito mais. A oposição teimosa que se torna cada vez mais obstinada sob ataques diretos costuma derreter, como gelo ao sol, quando exposta a palavras ternas e conciliatórias, proferidas em tom gentil e cativante. CBASD, vol. 3, p. 1167.

16 Achaste mel? Ver Pv 24:13; 25:27. Este versículo … ilustra a máxima do v. 17. O excesso, mesmo de uma coisa boa, transforma o bem em mal. CBASD, vol. 3, p. 1167.

18 Maça. Os três tipos de armas representam os efeitos da falsa testemunha sobre o amigo difamado. A maça era uma arma de guerra que esmagava a cabeça ou os ossos das vítimas. Alguns ataques sobre a reputação de uma pessoas são cruéis e esmagam o ofendido, deixando-o em ruínas. Outros fazem feridas profundas, com palavras afiadas que incapacitam e, com frequência, destroem, assim como uma espada. Contudo, uma das armas preferidas do caluniador de seus companheiros é a flecha. Lançada à distância, ela penetra o coração e suga a vontade de lutar contra o arqueiro, um inimigo oculto, que costuma se disfarçar de um amigo. Tais ataques quebram tanto o sexto quanto o nono mandamento (Êx 20:13, 16; ver PP, 308). CBASD, vol. 3, p. 1168.

20 Feridas. As pessoas sábias e delicadas sempre souberam instintivamente que é tolo fazer brincadeiras com os ansiosos e também exortá-los a reunir a compostura e colocar de lado o sofrimento, sem nada fazer para mudar as circunstâncias que produziram o problema. CBASD, vol. 3, p. 1168.

22 Amontoarás brasas vivas. A bondade a um inimigo, procurando-o quando, na verdade, ele deveria tomar a iniciativa para se reconciliar, pode trazer sobre a cabeça dele brasas vivas de arrependimento e tristeza pelo pecado, que queimarão a má vontade e o tornarão um amigo e servo do Senhor. CBASD, vol. 3, p. 1168.

25 Boas-novas. Numa época de meios de comunicação precários, pouco se ouvia sobre quem deixava o lar e viajava para longe. As notícias de algum viajante que retornava eram a única forma de saber se o ausente ainda estava vivo e se fora próspero em sua missão. Assim como as boas notícias de um país distante alegravam o coração de quem as recebia, num sentido espiritual, as boas-novas do Céu trazidas pelos profetas revigoram a pessoa na caminhada por este mundo sombrio. Por intermédio deles, “ouvimos da terra santa e fulgurante, ouvimos com o coração regozijante …” CBASD, vol. 3, p. 1169.

26 Fonte que foi turvada. Com a promessa divina de apoio em todo tempo (Is 51:12; Mt 28:20), é uma desgraça que um cristão rebaixe seus padrões, por covardia moral. CBASD, vol. 3, p. 1169.

28 Não tem domínio próprio. A cidade sem muros ficava aberta ao ataque adversário por todos os lados (ver Ne 2:13). Do mesmo modo, a pessoa que não consegue controlar as próprias emoções certamente sucumbe às tentações. A sedução para o mal a atrai do lado de fora; palavras e atos irados irrompem de seu interior. CBASD, vol. 3, p. 1169.



PROVÉRBIOS 25 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
26 de julho de 2020, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o Senhor lhe retribuirá” (v. 21-22).

Você já se olhou no espelho hoje? O espelho revela a descrição física de cada pecador condenado à morte, “porque o salário do pecado é a morte”. E estaríamos todos condenados, não fosse a recompensa paga, “mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm.6:23). Cristo veio e assumiu o nosso lugar naquela cruz. Ele veio alimentar (Jo.6:48) e dar de beber a quem não merecia (Jo.4:14), e ainda com a promessa de um galardão eterno (Jo.14:1-3). Vocês compreendem a grandiosidade da misericórdia divina? Ela é estendida a imerecedores! A respeito disso, escreveu Ellen White: “Nosso único direito à Sua misericórdia é nossa grande necessidade” (A Ciência do Bom Viver, p.161).

O amor que outrora levou o Criador à cruz deve ser o mesmo que leva o pecador à luz, que refletida na vida, faz com que ele mesmo perceba que não há melhor forma de dar destaque à luz do que nas trevas. Os inimigos e perseguidores tornam-se oportunidades de exercitar o amor que Cristo imprimiu em nosso coração. E em meio às trevas de perseguições e de injustiças, recebemos a chance de iluminar. Sabemos que alimento e água são as necessidades básicas de sobrevivência. Portanto, se nossos adversários estão passando por situação de vida ou morte, e está ao nosso alcance ajudar, então é exatamente isso o que devemos fazer. Disse Jesus: “amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt.5:44).

Não cabe a nós devolver mal por mal. Muito menos ter “língua fingida” (v.23). Nossos atos devem refletir o amor de Cristo e nossas palavras devem ser “como maçãs de ouro em salvas de prata” (v.11). O sentido sobre a expressão “brasas vivas” (v.22) é incerto, mas, a respeito dela, há o seguinte comentário: “A bondade a um inimigo, procurando-o, quando, na verdade, ele deveria tomar a iniciativa para se reconciliar, pode trazer sobre a cabeça dele brasas vivas de arrependimento e tristeza pelo pecado, que queimarão a má vontade e o tornarão um amigo e servo do Senhor” (Comentário Bíblico Adventista, vol. 3, p.1168). Isso é real e pode ser experimentado por cada pessoa que encontrou em Cristo a verdadeira felicidade. Esse tipo de pessoa não se alegra com a queda do inimigo (Pv.24:17), mas faz o que for preciso para amortecê-la. Escolha ser um “mensageiro fiel” (v.13) da paz, iluminando até o caminho dos teus perseguidores, e, certamente, “o Senhor te retribuirá” (v.22). Vigiemos e oremos!

Feliz semana, pacificadores!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Provérbios25 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



PROVÉRBIOS 25 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
26 de julho de 2020, 0:40
Filed under: Sem categoria

PROVÉRBIOS 25 – Os dias do reinado de Ezequias foram caracterizados por avivamentos espirituais. Certamente os provérbios fizeram parte destes refrigérios nacional.

Isso deve nos levar a valorizar ainda mais este livro que pouco se prega nos púlpitos de nossas igrejas – o máximo que muitos fazem é citar um provérbio aqui e acolá, mas sem analisá-lo profundamente.

A partir deste capítulo, até o capítulo 29, os provérbios foram escritos por Salomão, porém, ele não os introduziu no cânon das Escrituras. Foram compilações copiadas e agrupadas pelos sábios de Ezequias, depois incluídas pelo rei de Judá.

Russell Norman Champlim comenta:
O primeiro versículo do capítulo 25 “serve de nota expositiva introdutória, para informar-nos de onde vieram estes provérbios… Sabemos que Ezequias, rei de Judá (721-693 A.C.), era homem de habilidade literária, além de ter sido patrono das artes. Ver II Reis 18.18,37; 19.2,3; Isa. 38.10-20. Ezequias viveu cerca de 250 anos depois de Salomão… Essa editoração, preparada pelos ‘homens de Ezequias’ (provavelmente escribas profissionais) [preservaram] mais de cem [dos] provérbios [de Salomão] na seção à nossa frente”.

Fixe nestas verdades destas informações:
• Deus Se beneficiou de editores para compilar ensinamentos importantes a serem introduzidos em Sua Palavra.
• Deus não é contra o trabalho de fazer compilações para agrupar mensagens relevantes ao povo de Deus de outras épocas e lugares.
• A inspiração e revelação não acontecem apenas de uma forma, podem ser através de pesquisas e entrevistas, como fez o Dr. Lucas (ver Lucas 1:1-3); ou compilações, como se vê em Provérbios 25 a 29.
• Pesquisadores, editores e compiladores sob a regência do Espírito Santo foram tão inspirados quanto qualquer profeta em suas visões e sonhos recebidos diretamente de Deus.
Portanto, vamos atentar para a mensagem de Deus em Provérbios 25.
• Deus não dá tudo “de mão beijada”, quem quiser o conhecimento, precisará investir tempo, talento e recursos para obtê-lo (vs. 2-3);
• O líder bom não é perverso, orgulhoso, e precipitado em julgar; é confiável e sábio (vs. 4-12);
• Amigos reais são essenciais; traidores, indelicados, interesseiros e fofoqueiros são inúteis (vs. 13, 18-23, 25);
• Cuidado com excesso de palavras, comer muito doces, reclamações, descontrole emocional – pode ser tua ruína total (vs. 14-17, 24, 26-28).
Invista tua vida na sabedoria, vale a pena! Deixe-se moldar por ela, experimentarás um avivamento! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: