Reavivados por Sua Palavra


LEVÍTICO 27 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de fevereiro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria


“No entanto, nada do que alguém dedicar irremissivelmente ao Senhor, de tudo o que tem, seja homem, ou animal, ou campo da sua herança, se poderá vender, nem resgatar; toda coisa assim consagrada será santíssima ao Senhor” (v.28).


Os votos e os dízimos constituem a parte final desta coleção de normas estabelecidas por Deus. O voto consistia em uma espécie de acordo do homem diretamente com Deus, visando o favor divino a fim de alcançar uma determinada bênção. Ana, por exemplo, fez um voto com o Senhor prometendo dedicar seu primeiro filho exclusivamente a serviço dEle caso Ele lhe abrisse a madre. Voto este que cumpriu ao entregar o menino Samuel aos cuidados do sacerdote Eli, ainda em tenra idade. Fazer um voto a Deus implicava um sagrado compromisso que culminava em uma oferta específica que era levada ao santuário pelo votante. O voto implicava compromisso, gratidão e plena confiança na provisão divina. Conforme o sábio Salomão, “Melhor é que não votes do que votes e não cumpra” (Ec.5:5).

O dízimo, por sua vez, fora estabelecido como uma prova de fidelidade e antídoto contra a avareza. Ao separar “todas as dízimas da terra” (v.30) e entregá-las aos sacerdotes, os adoradores eram levados ao consciensioso entendimento de que tudo o que tinham era fruto da bênção de Deus, e devolver a décima parte era muito pouco à vista da abundância de que desfrutavam na terra que o Senhor lhes dera por herança. Enquanto o sistema de ofertas não possui uma porcentagem específica, o dízimo coloca em pé de igualdade todos os fiéis. Para Deus não importa se você devolve o dízimo de um salário mínimo ou de uma renda abastada. Aquele que é o Dono do ouro e da prata (Ag.2:8) não precisa do nosso dinheiro; nós, porém, precisamos dizimar, sendo este o método mais eficaz de declararmos ao Senhor que nós confiamos nEle como o nosso Provedor e Mantenedor.

Infelizmente, o mundo cristão, em geral, transformou este assunto em uma forma de angariar dinheiro fácil. A famosa teologia da prosperidade tem conquistado multidões de seguidores atraídos pelas promessas de riquezas. Através de discursos criativos e apelativos, líderes espirituais reúnem milhares de pessoas que, em sua maioria, deixam em seus lugares de culto as economias de toda uma vida. Pedro já havia nos advertido com relação a este engano: “também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme” (2Pe.2:3). Por outro lado, não há sociedade mais próspera do que aquela estabelecida entre o homem e Deus, onde o Sócio Majoritário só nos pede o mínimo enquanto nos promete o máximo de lucro: “Trazei todos os dízimos à casa do Tesouro… e provai-Me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida” (Ml.3:10).

A fidelidade nos dízimos e nas ofertas não é uma questão material, mas espiritual. O mesmo Deus que declara: “Não furtarás” (Êx.20:15), é O mesmo que não muda (Ml.3:6) e continua a advertir o Seu povo: “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós Me roubais e dizeis: Em que Te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas” (Ml.3:8). Se fazer um voto ou juramento ao Senhor e não cumprir constitui uma grave ofensa, imagine usufruir de dinheiro roubado! Lembremos do exemplo de Ananias e Safira, que, pela cobiça, levaram ao Senhor uma oferta mentirosa (At.5:1-11). Ao entregar ao Senhor os nossos tesouros com inteireza de coração, o Espírito Santo nos concede mais da fidelidade de Seu fruto e menos nos apegamos às coisas deste mundo. “Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (1Tm.6:10).

Há bênção e verdadeira felicidade em fazer a vontade de Deus. Que a nossa vida e os nossos bens declarem que tudo o que somos e o que temos pertencem ao Senhor. “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra… mas ajuntai para vós outros tesouros no céu… porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt.6:19-21).

Bom dia, fiéis servos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Levítico27 #RPSP

Comentário em áudio:
https://www.youtube.com/user/nanayuri100
https://www.youtube.com/channel/UCzzqtmGdF4UqBopc6CRiqLA


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: