Reavivados por Sua Palavra


I TIMÓTEO 4 by jquimelli
7 de agosto de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-timoteo/1tm-capitulo-4/

A história cristã revela que ao longo dos séculos Satanás tem infiltrado no cristianismo muitos ensinamentos falsos, assim como os versos 1-3 preveem. O Espírito Santo, por meio de Paulo, alerta acerca da apostasia da verdadeira fé. Satanás é capaz de usar do pseudo cristianismo para seus propósitos malignos. Em quatro vezes nos dezesseis versículos desse capítulo encontramos a palavra “doutrina”, que significa “ensino” (vs. 1, 6,13,16). Nós não devemos ser desviados por cada nova ideia que surge.

O Senhor disse a Adão e Eva o que comer. Após os seres humanos pecarem Ele lhes disse de quais alimentos poderiam se alimentar e quais não poderiam. Proferir uma oração sobre comida e bebida que não foi “separada” pela Palavra como adequada para os seres humanos não torna a comida ou bebida sagrada. O jejum pode ser benéfico, mas é um erro pensar que a abstenção de comida faz de alguém um santo. O exercício físico é importante, mas não deve ser prioridade. Viver piedosamente, refletindo o caráter de Jesus, é de muito maior importância. É de valor eterno.

Esse capítulo nos lembra que a oração, o ensino da Palavra de Deus e o Espírito Santo são capazes de nos libertar para vivermos o caminho de Cristo.

David Manzano
Pastor aposentado
Collegedale, Tennessee, EUA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1369
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/05/14
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosB/Reavivados07-08-2018.mp3

Áudio online [voz: Valesca Conty]:



I TIMÓTEO 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
7 de agosto de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



I TIMÓTEO 4 – COMENTÁRIO PASTOR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
7 de agosto de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

I TIMÓTEO 4 – A igreja é uma instituição celestial na Terra. Portanto, mesmo com líderes humanos, Deus a administra com Seus princípios de administração eclesiástica. Deus orienta e conduz Sua igreja mediante o agir do Espírito Santo, e também mediante instruções práticas aos líderes.

Como instituição divina, o inimigo de Deus a tem como alvo. Se os princípios de administração revelados por Deus não forem seguidos, Satanás toma conta da igreja. Hereges e heresias passam a reger a vida da igreja que foi tomada pelos demônios. Por isso, falsos ensinamentos bíblicos devem ser determinantemente banidos.

Lembremos que o velho e experiente apóstolo Paulo está instruindo ao jovem e tímido pastor Timóteo. As cartas a esse jovem deveriam ser examinadas, estudadas e devidamente aplicadas na prática por cada líder eclesiástico.

A primeira carta a Timóteo foi escrita visando…

1. …Pedir a permanência de Timóteo em Éfeso (1:3);
2. …Orientar quanto à ordem do culto público de adoração ao Deus verdadeiro (capítulo 2);
3. …Discipular Timóteo para que ele discipule outros líderes na igreja (capítulo 3);
4. …Que o líder espiritual saiba lidar com falsos ensinos e falsos mestres que ameaçam minar a fé dos membros da igreja de Cristo (capítulos 4, 5, 6).

Tendo em mente o capítulo 4, observe estes pontos atentamente:

• Os falsos mestres são inteligentes, identificados como Doutores da Lei (1:7), entretanto, absorvem fábulas (3:9), preocupam-se com o que Deus não revelou ou ultrapassam os limites do que Ele orientou (4:1-5); também enfatizam assuntos periféricos da fé em detrimento dos mais importantes temas da salvação (4:7-13).

• As falsas doutrinas são doutrinas de demônios que cauterizam a consciência dos crentes, são fábulas profanas que os líderes escolhidos com exigências de alto nível (3:1-13), ordenados com imposição de mãos, devem bloqueá-las (4:14).

• “Paulo instruiu a Timóteo para que tratasse severamente aos falsos mestres, para que dirigisse o culto público, elegesse as autoridades da igreja, e para que trabalhasse com todos os elementos que tinha nela. Mas, o mais importante de tudo, é que o pastor devia viver uma vida que fosse exemplo para todos. Timóteo recebeu uma tarefa difícil” (Henrietta C. Mears).

O alvo do ministério cristão encontra-se no versículo 13. A pura doutrina bíblica precisa ser devidamente ensinada e vivida publicamente. Reavivemo-nos eclesiasticamente! – Heber Toth Armí.



I TIMÓTEO 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
7 de agosto de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes” (v.16).


Em Seu sermão profético, Jesus proferiu várias advertências, dentre elas, que surgiriam “falsos cristos e falsos profetas”, operando sinais e maravilhas a fim de enganar a muitos (Mt 24:24). Mas também comparou os últimos dias com os “dias de Noé… Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam… assim será também a vinda do Filho do Homem” (Mt 24:37-39). Jesus não apresentou o casamento, ou o comer e beber como problemas, mas em como eles seriam praticados no fim dos tempos. A Bíblia contém princípios sobre o matrimônio segundo a vontade de Deus e, da mesma forma, princípios de saúde que o Senhor nos deixou a fim de que tenhamos saúde e qualidade de vida.

O extremo oposto apresentado por Paulo a Timóteo diz que “nos últimos tempos” também surgiriam muitos mentirosos, que ele chamou de “espíritos enganadores”, e que alguns iriam apostatar da fé (v.1). A fim de selar suas palavras com inconfundível autoridade, iniciou dizendo: “o Espírito afirma expressamente” (v.1). No entanto, apesar de também falar do casamento e da comida, os problemas eram outros: a castidade e a “abstinência de alimentos” (v.3). Notem que tanto Cristo quanto Paulo se referiram ao mesmo tempo, mas falaram dos mesmos assuntos sob perspectivas completamente distintas. Por quê? Porque ambas as situações ocorreriam. Dois extremos que não têm nada a ver com os planos do Senhor para a humanidade.

O gnosticismo defendia a ideia de que o casamento era uma desculpa para desfrutar dos prazeres da carne e, portanto, era pecado, rejeitando o fato de que o casamento entre um homem e uma mulher foi instituído pelo Senhor no Éden, antes mesmo do pecado (Gn 2:24). Os rituais, cerimônias e tradições exigiam a completa abstinência de certos alimentos em determinados dias e datas. Em nenhum momento Paulo afirmou que “pela palavra de Deus e pela oração” tudo o que escolhemos comer “é santificado” (v.5), e sim os “alimentos que Deus criou para serem recebidos” (v.3). E o que Deus criou para ser recebido como alimento? Em Gênesis 1:29 encontramos a dieta original do Éden. Em Levítico 11, a permissão divina quanto ao consumo de algumas carnes e proibição quanto a outras. Em 1Coríntios 6:19-20 e 10:31, os princípios que devem reger o cuidado com o nosso corpo. Os fiéis e todos “quantos conhecem plenamente a verdade” (v.3), nem irão se enredar nas orgias dos antediluvianos, muito menos deixar-se enganar por “ensinos de demônios” (v.1).

O exercício pessoal “na piedade” (v.7) será o grande aliado do remanescente no tempo de angústia. A rejeição de fábulas e discussões que nada edificam é o caminho mais eficaz para aquele que deseja empregar suas energias “à leitura [das Escrituras], à exortação, ao ensino” (v.13), a fim de tornar-se “padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza” (v.12). Timóteo não deveria ser desmerecido devido à sua juventude, mas um jovem modelo de alguém que estava progredindo em sua vida cristã (v.15). Por isso, sobre ele repousava esta responsabilidade: “Ordena e ensina estas coisas” (v.11). “Não te faças negligente para com o dom que há em ti” (v.14). Paulo orientou seu pupilo a ser cuidadoso consigo mesmo e com o estudo das Escrituras, permanecendo nesses deveres, perseverando dia após dia, para a sua salvação e de todos que o ouvissem.

Devemos examinar a Bíblia por nós mesmos, mediante um coração submisso à voz do Espírito Santo. Deus deseja ardentemente ter conosco uma conversa sincera: “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor; ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a lã” (Is 1:18). A verdade liberta. A liberdade em Cristo cura. E a cura de Jesus salva. Você deseja ser liberto, curado e salvo? Vá às Escrituras. Seja este o seu primeiro hábito da manhã, encontrar-se com Deus através da oração e do cuidadoso estudo das Escrituras. E se ainda lhe restar alguma dúvida, o Espírito Santo enviará Seus servos para lhe explicar. Que como o eunuco etíope, sejamos sempre humildes para aceitar as verdades do Céu e tomar uma firme decisão ao lado de Jesus (At 8:26-31), pois os dias aos quais Jesus e Paulo se referiram, nós estamos vivendo.

Bom dia, fiéis de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Timóteo4 #RPSP



I TIMÓTEO 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
7 de agosto de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

498 palavras

Entre os pagãos e judeus havia grupos que acreditavam que uma pessoa atingia uma vida espiritual mais elevada através de rigorosa auto-disciplina e auto-negação (vs. 4-8). O ensino de que o celibato é uma maneira de viver mais santa do que ser casado e ter filhos é um ataque ao nosso Criador. É um falso ensino. David Manzano, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/05/14/i-timoteo-4/. Pesquisa em 05/08/2018.

3 Proíbem o casamento. Paulo admoesta contra os conceitos fanáticos introduzidos primeiramente no cristianismo pelos gnósticos (ver vol. 6, p. 40-45) e perpetuados pelo sistema monástico. Os gnósticos acreditavam que toda matéria é má e que o corpo humano, sendo material, deve ter suas paixões reprimidas e negadas. Segundo essa teoria, o casamento se tornou uma concessão aos desejos da carne e, portanto, era pecaminoso. Paulo deixa claro que o casamento é uma instituição de origem divina e que combater essa instituição seria atacar a sabedoria infinita e os bondosos propósitos de Deus (ver 1Co 7:1; Hb 13:4). CBASD – Comentário Bíblico Adventista, vol. 6, p. 312.

Alimentos. Aqui, Paulo se refere às influências e tendências ascéticas que permeavam a igreja. Por razões cerimoniais, ritualísticas, esses ascetas consideravam que a total proibição de certos alimentos seria espiritualmente desejável. A proibição de certos alimentos em determinados dias religiosos também pode ser incluída na advertência do apóstolo. CBASD, vol. 6, p. 312.

Deus criou. Os alimentos e o casamento faziam parte do plano original de Deus para a humanidade no Éden. CBASD, vol. 6, p. 312. 4

4 tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável. Alguns comentaristas acreditam que Paulo revoga a distinção feita no AT entre alimentos limpos e imundos (ver com de Lv 11). Deve-se notar, porém, que ele limita suas observações às coisas criadas por Deus para uso como alimento (ver com. Do v. 3). Na criação, Deus especificou os artigos que pretendia que as pessoas usassem como alimento. Esse regime prescrito não incluía a carne de qualquer animal, nem mesmo todos os tipos de vegetais (ver com. de Gn 1:29, 31). Todas as coisas foram criadas para um propósito diferente e eram boas para o fim específico, ou seja, adequadas para atender à finalidade para a qual Deus as criou. Depois do dilúvio, Deus permitiu o uso de carnes “limpas”, mas proibiu o consumo das carnes “imundas”. Em nenhuma parte da Bíblia se remove essa proibição. CBASD, vol. 6, p. 313.

7 Muitos dos provérbios ou ensinamentos que as pessoas acreditam desde crianças são “fábulas profanas e tolas” (v.7 NVI). Alguns deles são inofensivos, mas outros não. Por exemplo, as pessoas costumavam acreditar que o ar da noite era prejudicial e devia ser mantido fora. Como resultado, as janelas dos quartos eram mantidas fechadas a noite toda e o ar tornava-se viciado. Gatos pretos, quebrar um espelho, aplacar espíritos – o mundo está cheio de mitos terríveis. Não é fácil abandonar a bagagem cultural que nos é imposta, mas esta deve ser testada pela Palavra de Deus e deixada de lado, se necessário, sempre que afetar a visão que temos de Deus e da eternidade.David Manzano, em https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/05/14/i-timoteo-4/. Pesquisa em 05/08/2018.



I TIMÓTEO 4 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
7 de agosto de 2018, 0:00
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: