Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
7 de janeiro de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

1318 palavras

Segunda parábola: o cântico do amor de Deus. O povo que habitava em Jerusalém é simbolizado por uma bela mulher (duas imagens são entrelaçadas – ela é filha adotiva, mas também esposa). Quando nasceu, estava condenada a morrer, mas Deus cuidou dela e a fez prosperar, tornando-a rica e famosa. Infelizmente, ela se tornou infiel ao Senhor, viveu uma vida desregrada, promíscua e se comportou como uma prostituta, pior que Sodoma e suas filhas (v. 48). Ela não só adorava ídolos, como também ofereceu os próprios filhos a deuses estrangeiros (v. 20, 21, 36; 20:26, 31; 23:37, 39). Sua ingratidão e esquecimento do amor e cuidado divinos são surpreendentes, inacreditáveis. Todavia, Deus sempre estava disponível para ela: perdoando, sendo fiel, estendendo graça. A parábola termina com a esperança de que o Senhor interviria mais uma vez por ela e restabeleceria a aliança eterna (v. 60), pois a mulher se arrependeria (v. 61, 63), muito embora houvesse quebrado a aliança várias vezes (v. 59). Trata-se de uma magnífica história da filha pródiga. Bíblia de Estudo Andrews.

1 A palavra do SENHOR. Parte da linguagem empregada na alegoria é repulsiva a pessoas discretas e que não falam de coisas íntimas de maneira tão direta. Aqueles a quem Ezequiel se dirigia estavam acostumados com essa linguagem e não ficariam chocados. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 686.

3 Amorreu … heteia. Sabe-se que os amorreus habitaram aquela região desde épocas muito antigas, e que os heteus, vindos do norte, se infiltraram na Palestina e ocuparam algumas áreas antes que os hebreus se estabelecessem na terra. … Os primitivos reis que governaram Jerusalém antes da ocupação israelita tinham nomes amorreus e heteus. Foram esses os antecedentes étnicos de Jerusalém. A linguagem de Ezequiel é uma afronta ao povo de Jerusalém que se gabava de ser descendente de Abraão, mas que agia como se descendesse dos antigos habitantes da terra que, mais tarde, veio a constituir Israel. CBASD, vol. 4, p. 686, 687.

4 Quanto ao teu nascimento. O período da história de Israel representado por essa parábola, provavelmente, seja a época de peregrinação no Egito, onde Israel foi estabelecido como nação. CBASD, vol. 4, p. 687.

6 Deus é representado como um viajante que, ao passar, descobre a criatura de aparência repugnante e digna de pena. Apesar da sujeira em que ela se encontra, Ele se apieda dela e lhe salva. CBASD, vol. 4, p. 687.

8 Passando Eu por junto de ti. Esta visita é distinta da outra, quando a nação era infante no Egito, e Deus a abençoou e a fez crescer. Ela então chegou à idade de se casar, e o Senhor ficou noivo dela (ver Jer 2:2). CBASD, vol. 4, p. 687.

Estendi sobre ti as abas do Meu manto. Significando a intenção de conferir à moça a honra do casamento (ver com. [CBASD] de Dt 22:30; Rt 3:9). A referência é ao solene evento no Sinai, quando Yahweh entrou em aliança com os hebreus, que se comprometeram a amar, adorar e obedecer a Deus, com a exclusão de todos os outros deuses rivais (Êx 19:1-9; 24:1-8). CBASD, vol. 4, p. 687.

9 Então, te lavei. A lavagem e a unção eram parte dos preparativos para o casamento (ver Rt 3:3; Et 2:12). CBASD, vol. 4, p. 687.

11 Enfeites. O profeta emprega uma figura oriental e apresenta os enfeites de uma noiva oriental pertencente à realeza. CBASD, vol. 4, p. 688.

13 Chegaste a ser rainha. Provável referência ao tempo de Davi e Salomão, quando o reino de Israel se estendeu desde o Eufrates até “a fronteira do Egito” (ver com. [CBASD] de 1Rs 4:21), e muitos dos reinos vizinhos se tornaram vassalos. Este período foi a era de ouro de Israel. CBASD, vol. 4, p. 688.

14 Por causa da Minha glória que eu pusera em ti. O povo é lembrado de que a prosperidade e a glória não se deviam a qualquer mérito de sua parte. Deviam a Deus tudo que desfrutavam. CBASD, vol. 4, p. 688.

15 Confiaste da tua formosura. Cumpriu-se a previsão de Deuteronômio 32:15 (cf. Os 13:6). Elevado à glória no princípio do reinado de Salomão, Israel começou a confiar em sua grandeza e prosperidade. CBASD, vol. 4, p. 688.

E te entregaste à lascívia. Uma metáfora para descrever as alianças estrangeiras, que objetivavam conseguir vantagens políticas e que Deus havia proibido enfaticamente (Dt 7:2; Jz 2:2), ou para descrever a substituição do culto ao Deus verdadeiro por outra forma de adoração. … A referência aqui é às várias alianças com os pagãos que Salomão iniciou e à subsequente adoção do culto idólatra dessas nações. CBASD, vol. 4, p. 688, 689.

20 Sacrificaste. Referência ao culto a Moloque, que foi uma forma de idolatria comum no último período de Israel [especialmente no reinado de Acazias e Manassés, de Judá] (2Rs  16:3; Sl 106:37; Is 57:5; Jr 7:31, 32). Nesta forma de culto, crianças eram sacrificadas como holocaustos (ver p. 419 [CBASD]), um crime desumano e terrível (ver com. [CBASD] de Lv 18:21; 1Rs 11:7; 2Rs 16:3). CBASD, vol. 4, p. 688.

[Nota: ver mais sobre estes sacrifícios nos comentários sobre 2Rs 23 e Jeremias 7: em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2019/09/13/2-reis-23-comentarios-selecionados-2/ e https://reavivadosporsuapalavra.org/2020/11/02/jeremias-7-comentarios-selecionados-2/).

22 Não te lembraste. Israel é aqui acusado do pecado de ingratidão. A nação desfrutava grandes privilégios e fora exaltada em suas vantagens. Deus não omitiu nada que ajudasse a assegurar seu sucesso. … (Is 5:4). … Os cristãos devem cuidar para não se tornar mesquinhos em suas expressões de agradecimento. Uma proporção muito maior de suas orações devia ser devotada ao louvor dAquele que é a fonte de todas as bênçãos. CBASD, vol. 4, p. 688.

24 Prostíbulo de culto. Em muitas formas de culto da antiguidade, a prostituição assumia um caráter semirreligioso. CBASD, vol. 4, p. 688, 689.

26 Filhos do Egito. Alguns consideram uma referência ao caráter licencioso do culto egípcio. CBASD, vol. 4, p. 689.

De grande membros. Uma figura sem eufemismos que representa o poder do Egito e a força dos soldados egípcios (ver Ez 23:20). CBASD, vol. 4, p. 689.

27 Filisteus. desde os tempo dos juízes, os filisteus foram inimigos persistentes de Israel. Foram subjugados por Davi, mas se tornaram um problema durante o período dos últimos reis. CBASD, vol. 4, p. 690.

28 Filhos da Assíria. Tanto Judá (2Rs 16:7) como Israel (Os 5:13) fizeram aproximações com a Assíria. CBASD, vol. 4, p. 690.

29 Caldeia. Babilônia encerra a lista de nações com as quais Israel se prostituiu. CBASD, vol. 4, p. 690.

35 Ouve a palavra. Após apontar o pecado de Judá, o profeta começa a pronunciar seu castigo, e continua com a mesma linguagem figurativa. CBASD, vol. 4, p. 690.

44 Tal mãe. Um exemplo da tendência oriental de expressar experiências de vida na forma de ditados curtos e vigorosos. … O ditado quer dizer que Israel, apesar de ter se orgulhado de uma ascendência superior, na verdade não era melhor que seus antecessores heteus (ver com. do v. 3). CBASD, vol. 4, p. 691.

47 Não só. O maior pecado teria de ser entendido no sentido de mais culpa por ter tido mais oportunidade. … O castigo mais terrível virá sobre os que tiveram as maiores oportunidades, mas abusaram das misericórdias de Deus e desprezaram as advertências divinas [ver restante do com. CBASD sobre o v. 47].  CBASD, vol. 4, p. 692.

60 Uma aliança eterna. Embora Israel tivesse sido desleal e quebrado a aliança, sua infidelidade não pôde alterar a fidelidade de Deus. Ele estava disposto a entrar num novo relacionamento de aliança assim que eles se arrependessem. Infelizmente, por causa da contínua infidelidade do povo que restou na terra, o cumprimento foi adiado até a era evangélica, quando a permanência da aliança foi assegurada, não mais em base nacional, mas individual [ver mais sobre a aliança do com CBASD sobre o v. 60]. CBASD, vol. 4, p. 693.

61 As mais velhas. O plural mostra que a referência é não apenas a Samaria e Sodoma, mas que estão incluídas todas as nações que aceitassem a nova aliança. CBASD, vol. 4, p. 694.

Tua aliança. A referência provavelmente seja à interpretação errônea de Judá sobre a aliança original de Deus, cujo alcance, conforma o plano do Senhor, devia se estender ao mundo todo, mas de cujos benefícios os judeus excluíram todas as outras nações. CBASD, vol. 4, p. 694.

63 Para que te lembres. O perdão de Deus não apaga a recordação do passado pecaminoso. A vergonha que acompanha tal recordação é uma salvaguarda necessária para a nova experiência. Isso também conserva a consciência da grandeza da salvação (ver PR, 78). CBASD, vol. 4, p. 694.

 

 


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



<span>%d</span> blogueiros gostam disto: