Reavivados por Sua Palavra


JOSUÉ 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
3 de maio de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

740 palavras

Dois capítulos [16, 17] são dedicados às terras dadas à “casa de José” (Efraim e a meia tribo de Manassés que se estabeleceram a oeste do Jordão). Bíblia de Estudo NVI Vida.

1 Filhos de José. Apesar de José ser um dos 12 filhos de Jacó, ele não teve uma tribo com seu nome. Isto aconteceu porque José, como o filho mais velho de Raquel, recebeu uma “porção dobrada da herança”. Esta porção dobrada foi dada [à tribo dos] aos filhos de José, Efraim e Manassés, a quem Jacó considerava como seus filhos. Os maiores territórios e influência na porção mais a o norte de Israel pertenceu a estas tribos. Life Application Study Bible.

Em ordem de primazia, a tribo de Judá aparece em primeiro lugar e, em seguida, os filhos de José. [Ver 1Cr 5:2] … houve três etapas sucessivas na distribuição da terra de Canaã sob a liderança de Josué: primeira, o estabelecimento da tribo de Judá nas fortalezas do sul da Palestina; segunda, o estabelecimento de Efraim e Manassés no centro do país e em alguns lugares fortificados ao norte; terceira, a distribuição das tribos restantes, a fim de preencher os espaços deixados entre Judá e José, e também para estabelecê-los em volta dos territórios dos primeiros, para que ficassem como que à sombra das asas deles. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 257.

As terras … de José. A fronteira sulina de Efraim passava desde Jericó até Betel em direção ao oeste e descia ao sul até Gezer e o litoral do Mediterrâneo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

2 De Betel sai para Luz. Betel significa, literalmente, “casa de Deus” e recebeu esse nome porque Jacó teve ali a visão divina registrada em Gênesis 28. Pelo que se diz em Gênesis 28:19, parece que o lugar ficava perto de Luz … As duas ficavam tão próximas que provavelmente passaram a ser consideradas uma só cidade posteriormente (ver Js 18:13; Jz 1:23). CBASD, vol. 2, p. 258.

3 Terminando no mar, i. e., o Mediterrâneo. Bíblia Shedd.

5 fronteira. A fronteira norte de Efraim começava à beira do Jordão no sul e continuava para o oeste, perto de Siló, … ao sul de Siquém, e depois seguia o uádi [ribeiro intermitente que só existia na época das chuvas] Kanah em direção ao mar Mediterrâneo, Bíblia de Estudo NVI Vida.

6 Siló significa “repouso” (18.1). Foi ali que os israelitas armaram o tabernáculo, uma vez conquistada a terra. Bíblia Shedd.

8 Ribeiro de Caná. …a palavra “ribeiro” é usada para se referir a uma torrente de inverno [época de chuvas]. O nome foi denominado Caná, “lugar de juncos”, por conter grande quantidade dessa planta. A fronteira seguia este ribeiro até o mar. CBASD, vol. 2, p. 259.

Gezer era uma cidade relativamente importante. É mais uma cidade donde a influência pagã e a idolatria emanou para levar Israel ao abandono do Senhor. Bíblia Shedd.

10 Não expulsaram.A falha em não remover completamente o povo pagão e seus deuses da terra causaria muitos problemas à nação. O livro de Juízes registra muitas destas dificuldades. Life Application Study Bible.

Os efraimitas foram acusados de não expulsar os cananeus de Gezer. Em lugar de fazê-lo, exigiram-lhes o pagamento de tributos. É provável que a real motivação para isso tenha sido a cobiça, para que os efraimitas pudessem ser beneficiados pelos serviços deles. A cidade e seus habitantes só foram destruídos nos dias de Salomão, quando faraó, rei do Egito, tomou Gezer e deu a cidade à sua filha, esposa de Salomão (1Rs 9:16). Ao permitirem os estrangeiros permanecerem no meio deles, os efraimitas se expuseram a um perigo espiritual. A historia posterior da tribo mostra que ela caiu tão completamente na idolatria que Deus, por meio de um profeta, declarou: “Efraim está entregue aos ídolos; é deixá-lo” (Os 4:17). O destino de Efraim e das outras tribos a ela associadas deve servir de advertência para os cristãos, a fim de que não se coloquem em jugo desigual com os incrédulos (2Co 6:14). Esses tipo de relacionamento quase sempre é prejudicial. Quando alguém professa estar em comunhão com os que amam ao Senhor, sem eliminar de forma determinada os hábitos que prendem a este mundo, corre risco de sucumbir aos males que eles produzem. Um cristão não pode desejar manter a amizade do mundo nem a associação com pessoas de mentalidade mundana como fazia antes de sua conversão, sem ser influenciado por elas. A segurança espiritual depende de uma relação independente com tudo aquilo que tende para o mal (ver com. de Js 17:18). CBASD, vol. 2, p. 260.

 


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: