Reavivados por Sua Palavra


I TESSALONICENSES 2 by jquimelli
28 de julho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-tessalonicenses/1ts-capitulo-2/

Era amplamente conhecido no mundo antigo que dinheiro, sexo e poder são grandes motivadores do comportamento humano. Muitos “pregadores de rua” do primeiro século vendiam suas ideias como uma forma de evitar trabalhar com as mãos. Outros descobriram que as mulheres eram atraídas por homens articulados e conhecidos publicamente. Outros ainda estavam obcecados com o poder que as grandes ideias exerciam sobre os outros. Mas se você está motivado pelo dinheiro, sexo ou poder, você não está motivado pelo desejo de agradar a Deus. E pode ser que você nem consiga reconhecer suas verdadeiras motivações.

Em 1 Tessalonicenses 2:1-12 temos um vislumbre da vida interior de Paulo e seus companheiros. Ministério genuíno significa deixar Deus testar a sua vida interior e motivações, falar o que você realmente acredita e procurar sempre agradar a Deus. Permitir que Deus teste a sua vida interior é a melhor maneira de desenvolver e manter a autenticidade espiritual (2:3-6). E essa autenticidade será testada não apenas por Deus, ela será testada pela vida.

Se a mensagem que eu prego não mudou a minha própria vida, será de pouca utilidade para aqueles a quem eu prego.

Jon Paulien
Universidade Loma Linda
Estados Unidos

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1359
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/05/04
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados28-07-2018.mp3

Áudio online:

 

 



I TESSALONICENSES 2 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
28 de julho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



I TESSALONICENSES 2 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
28 de julho de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria
I TESSALONICENSES 2 – Antes de estudar a carta em análise, você precisa conhecer os detalhes históricos descritos em Atos 17 e 18.
“A primeira carta que [Paulo] escreveu que em seu ministério, tomou todos os cuidados para conservar a saúde espiritual da igreja e dos novos convertidos. Seus sofrimentos pelo evangelho tornam-se um modelo para o sofrimento que a igreja terá de enfrentar (2:1-2; 3:3-4). O fato de não existir sustento da igreja, mas de trabalhar por conta própria e ainda assim pregar o evangelho será corretivo para aqueles que queriam ser sustentados pela igreja e viver sem trabalhar (2:5-9; 4:11-12). O fato de preocupar-se com a fé dos irmãos levou-o a enviar vários obreiros para aquele local e manter-se em oração a favor deles (2:17-3:10). A leitura destes fatos mostra como devemos agir dentro da igreja de Deus, no cuidado com os novos convertidos” (Álvaro César Pestana).
O capítulo em apreço é continuação do capítulo 1. Os crentes que haviam ouvido o evangelho verdadeiro e se convertido verdadeiramente a ele, tornaram-se modelo a outros crentes pois, por meio de uma conduta transformada, a pregação da Palavra ganhou força. Após Paulo ter saído rapidamente de Tessalônica, a igreja precisava continuar seu ministério naquela cidade, por isso a carta (vs. 1, 17-20).
1. O ministério evangelístico deve ser feito pelas pessoas cuja motivação seja a aprovação de Deus (vs. 1-6), e não a…
• Aprovação humana;
• Ambição;
• Planos secretos.
2. O ministério evangelístico deve ser feito pelas pessoas cujo interesse seja o bem dos outros (vs. 7-12), não por pessoas…
• Que querem tirar proveito; gananciosas;
• Indelicadas, estúpidas e rudes;
• Egoístas.
3. O ministério evangelístico tem conteúdo em sua mensagem, que não é de origem humana, mas divina (vs. 13-16).
Os crentes tessalonicenses eram exemplares porque ouviram e aceitaram o verdadeiro evangelho.
Escrevendo à igreja recém-formada, Paulo revela terno cuidado e atenção aos novos na fé. Estes, como crianças, precisavam de cuidado, orientação e repreensão.
• Para que haja crescimento espiritual é necessário investimento espiritual.
Além de novos na fé, os crentes de Tessaolônica enfrentavam oposição política, desafios financeiros e opressão religiosa. Sendo assim, a mensagem de Paulo visa inspirar e avivar a esperança no crente que vive num mundo alheio a Deus e Seus princípios.
Também precisamos? – Heber Toth Armí.


I TESSALONICENSES 2 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
28 de julho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“A verdade é que nunca usamos de linguagem de bajulação, como sabeis, nem de intuitos gananciosos. Deus disto é testemunha” (v.5).


Definitivamente, o objetivo de Paulo não era o de agradar pessoas, mas de fazer a vontade de Deus. Orientado pelo Espírito Santo, suas viagens eram sempre motivadas pela sua “ousada confiança” em Deus (v.2). Mesmo que “em meio a muita luta” (v.2), nenhum obstáculo era grande demais para alguém que estava disposto a dar “a própria vida” para que o evangelho fosse pregado a muitos (v.8). Paulo não buscava a “glória de homens” (v.6), contudo, o seu amor para com os irmãos era como o amor de um pai por seus filhos (v.7). A proclamação do evangelho o enchia do genuíno amor de Cristo, e mesmo suas próprias necessidades eram postas de lado a fim de que, de modo algum, a obra de Deus fosse infamada ou atrasada.

Paulo destacou algo interessante neste capítulo. A forma como os tessalonicenses receberam “a palavra de Deus” (v.13). Apesar da profunda consideração que nutriam por Paulo e seus companheiros de ministério, a verdade de Deus foi exaltada acima dos instrumentos humanos. Eles aceitaram a Palavra de Deus tal qual ela é e começaram a ser praticantes da mesma. Observemos o final do versículo treze: “… a palavra de Deus, a qual, com efeito, está operando eficazmente em vós, os que credes” (v.13). O conhecimento da verdade os levou à prática da verdade. Percebem a sequência? Eles creram, e porque creram, obedeceram. Ao fazer uma analogia com a vida de Abraão, Tiago concluiu: “Vês como a fé operava juntamente com as suas obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou” (Tg 2:22).

A igreja de Tessalônica tornou-se “o modelo” a ser seguido (1Ts 1:7) simplesmente porque buscou seguir o supremo Modelo: “Se guardardes os Meus mandamentos, permanecereis no Meu amor; assim como também Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e no Seu amor permaneço” (Jo 15:10). Ainda que perseguida por seus próprios concidadãos (v.14), aquela igreja decidiu sofrer por Cristo e com Cristo. Certamente, aqueles irmãos queridos eram um lenitivo para Paulo, um conforto maravilhoso por saber que não era vã a sua labuta. Para ele era um privilégio ser um vaso escolhido de Deus para a proclamação do evangelho (v.4).

Certamente (e agora falo em nome de todos nós que compomos a equipe do Reavivados Por Sua Palavra), não fomos delegados por homens, mas chamados por Deus. E a nossa alegria e conforto está em saber que muitos têm sido reavivados não por nossas palavras, mas pela Palavra de Deus que está acima de toda e qualquer palavra humana. Que estamos unidos num só propósito de exortarmos, consolarmos e admoestarmos uns aos outros para que possamos viver “por modo digno de Deus, que [nos] chama para o Seu reino e glória” (v.12). Por isso que, hoje, fazemos das palavras de Paulo as nossas: “Sim, vós sois realmente a nossa glória e a nossa alegria!” (v.20). E, de coração, declaramos que “vos tornastes muito amados de nós” (v.8). Deus continue operando em nossa vida a transformação que somente a Sua Palavra pode operar.

Feliz sábado, “amados de nós” (v.8)!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Tessalonicenses2 #RPSP



I TESSALONICENSES 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
28 de julho de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

4 Não para que agrademos aos homens. O apóstolo tinha tanto interesse em agradar a Deus que cumpria a missão, levando em pouca consideração a opinião dos homens acerca de si (ver 1Co 4:3, 4; Gl 1:10). … seu objetivo não era agradar os homens e conquistá-los por astúcia, mas antes ter a aprovação de Deus  e aproximar as pessoas do Mestre. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 231.

5 Linguagem de bajulação. Para provar que seu objetivo não fora agradar os homens, Paulo lembra os conversos … que os apóstolos nunca incorreram em bajulação na pregação para tornar o evangelho aceitável. … Esses apóstolos de Cristo não pregavam coisas suaves, como os falsos profetas (ver Is 30:10; Ez 13:10). CBASD, vol. 7, p. 231, 232.

9 Labutando. Paulo se refere ao trabalho no ramo de construção de tendas (ver com. de At 18:3). CBASD, vol. 7, p. 233.

Noite e dia. Paulo propôs ganhar seu sustento, determinado que o evangelho fosse pregado gratuitamente. Ninguém teria motivo para acusar o apóstolo de pregar por ganho pessoal. ele trabalhava para não ser um peso para suas congregações (ver com. de 1Co 4:12; 2Co 11:9; 1Ts 2:6). CBASD, vol. 7, p. 233.

13 Palavra de Deus. Paulo não tinha dúvidas acerca da origem da mensagem que pregava: sabia que provinha de Deus. … Ele se alegrava porque os tessalonicenses também reconheciam a autoridade divina de sua mensagem, e citou esse reconhecimento como o principal motivo de seu regozijo. CBASD, vol. 7, p. 234.

14 Judeia. Paulo revela a grande consideração que tem pelos crentes da Judeia e os considera como modelos para as outras igrejas. CBASD, vol. 7, p. 234.

17 Orfanados. Do gr. aporphanizo, privar de um dos pais”. … A palavra grega sugere a íntima relação familiar existente entre Paulo e seus conversos. Quando as circunstâncias os separaram, cada membro sentiu como se a família fosse dispersada. CBASD, vol. 7, p. 235.

18 Barrou. O apóstolo nã orevela como Satanás o havia barrado. O inimigo, no entanto, pode apenas barrar, mas não pode evitar o triunfo final do evangelho. O Senhor é o governante; Ele e Sua igreja triunfarão. CBASD, vol. 7, p. 236.

20 Vós sois … nossa glória. Isso era um grande louvor para os tessalonicenses. Os crentes não seriam apenas sua alegria e coroa de glória na vinda de Cristo, mas, já na época da escrita da epístola, eram seu orgulho e deleite. Paulo se gloria nas evidências da obra do Espírito de Deus entre eles. A fé, o amor e a esperança (1Ts 1:3), unidos ao forte espírito missionário dos tessalonicenses (v. 8), eram motivos para alegria e constante ação de graças por parte do apóstolo (v. 2). Acima de toda contradição, seu coração estava em Tessalônica. CBASD, vol. 7, p. 237.



 I TESSALONICENSES 2 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA  by Maria Eduarda
28 de julho de 2018, 0:00
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: