Reavivados por Sua Palavra


I TESSALONICENSES 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
28 de julho de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

4 Não para que agrademos aos homens. O apóstolo tinha tanto interesse em agradar a Deus que cumpria a missão, levando em pouca consideração a opinião dos homens acerca de si (ver 1Co 4:3, 4; Gl 1:10). … seu objetivo não era agradar os homens e conquistá-los por astúcia, mas antes ter a aprovação de Deus  e aproximar as pessoas do Mestre. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 231.

5 Linguagem de bajulação. Para provar que seu objetivo não fora agradar os homens, Paulo lembra os conversos … que os apóstolos nunca incorreram em bajulação na pregação para tornar o evangelho aceitável. … Esses apóstolos de Cristo não pregavam coisas suaves, como os falsos profetas (ver Is 30:10; Ez 13:10). CBASD, vol. 7, p. 231, 232.

9 Labutando. Paulo se refere ao trabalho no ramo de construção de tendas (ver com. de At 18:3). CBASD, vol. 7, p. 233.

Noite e dia. Paulo propôs ganhar seu sustento, determinado que o evangelho fosse pregado gratuitamente. Ninguém teria motivo para acusar o apóstolo de pregar por ganho pessoal. ele trabalhava para não ser um peso para suas congregações (ver com. de 1Co 4:12; 2Co 11:9; 1Ts 2:6). CBASD, vol. 7, p. 233.

13 Palavra de Deus. Paulo não tinha dúvidas acerca da origem da mensagem que pregava: sabia que provinha de Deus. … Ele se alegrava porque os tessalonicenses também reconheciam a autoridade divina de sua mensagem, e citou esse reconhecimento como o principal motivo de seu regozijo. CBASD, vol. 7, p. 234.

14 Judeia. Paulo revela a grande consideração que tem pelos crentes da Judeia e os considera como modelos para as outras igrejas. CBASD, vol. 7, p. 234.

17 Orfanados. Do gr. aporphanizo, privar de um dos pais”. … A palavra grega sugere a íntima relação familiar existente entre Paulo e seus conversos. Quando as circunstâncias os separaram, cada membro sentiu como se a família fosse dispersada. CBASD, vol. 7, p. 235.

18 Barrou. O apóstolo nã orevela como Satanás o havia barrado. O inimigo, no entanto, pode apenas barrar, mas não pode evitar o triunfo final do evangelho. O Senhor é o governante; Ele e Sua igreja triunfarão. CBASD, vol. 7, p. 236.

20 Vós sois … nossa glória. Isso era um grande louvor para os tessalonicenses. Os crentes não seriam apenas sua alegria e coroa de glória na vinda de Cristo, mas, já na época da escrita da epístola, eram seu orgulho e deleite. Paulo se gloria nas evidências da obra do Espírito de Deus entre eles. A fé, o amor e a esperança (1Ts 1:3), unidos ao forte espírito missionário dos tessalonicenses (v. 8), eram motivos para alegria e constante ação de graças por parte do apóstolo (v. 2). Acima de toda contradição, seu coração estava em Tessalônica. CBASD, vol. 7, p. 237.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: