Reavivados por Sua Palavra


I TESSALONICENSES 3 by jquimelli
29 de julho de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-tessalonicenses/1ts-capitulo-3/

O tema principal deste capítulo é o mesmo do capítulo anterior (1Ts 2:13-3:13): a amizade. Havia um vínculo emocional profundo entre Paulo e os tessalonicenses. Mas o relacionamento deles era mais do que uma ligação emocional – era uma amizade duradoura (1Ts 2:19-20; 3:13). Essa não era apenas uma relação de conveniência para o bem do evangelismo – Paulo tinha a intenção de continuar próximo a eles por toda a eternidade.

Uma razão pela qual Paulo anseia tanto rever os tessalonicenses é porque ele os vê como uma validação do seu ministério. Quando Jesus voltar os tessalonicenses serão sua alegria diante de Jesus (2:19-20). Paulo não se contentava em ser salvo, ele também queria evidências de que sua vida tinha feito diferença na vida dos outros. A igreja precisava de Paulo, mas Paulo também precisava da igreja.

O objetivo final de Paulo é ser declarado sem culpa por Deus no julgamento final (3:11-13). Mas igualmente importante para ele, é que a Segunda Vinda será uma reunião gloriosa de familiares e amigos, cujos relacionamentos durarão por toda a eternidade por causa do que Jesus fez. Os relacionamentos cristãos não têm data de validade. Eles são projetados para durar para sempre.

Jon Paulien
Universidade Loma Linda
Estados Unidos

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1360
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/05/05
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio: Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados29-07-2018.mp3

Audio online [Valesca Conty]:



I TESSALONICENSES 3 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
29 de julho de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



I TESSALONICENSES 3 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
29 de julho de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

I TESSALONICENSES 3 – Visando o amadurecimento espiritual dos crentes de uma congregação, o líder espiritual que, mesmo distante, preza pelos seus filhos na fé, deve…

• …enviar pessoas que os auxiliem (vs. 1-2);
• …enviar correspondências (e-mails, wattsApp, etc.) que edifiquem o caráter (vs. 3-4);
• …interceder por eles perante o trono de Deus (vs. 5-10);
• …lembrar-lhes da importante doutrina da segunda vinda de Jesus (vs. 11-13).

Além de salvos (I Tessalonicenses 1) e fortalecidos (I Tessalonicenses 2), os crentes também precisam de recursos que objetivem o crescimento que resulta em amadurecimento espiritual (capítulo 3). Paulo sabe como fundar igrejas e lidar com os novos na fé. Temos muito que aprender com ele.

J. Sindlow Baxter observa que “o capítulo 3 continua com as recomendações dos cuidados posteriores de Paulo por seus amados filhos na fé. Os vs. 1 a 5 falam de sua profunda inquietação por causa deles. Os vs. 6-8 discorrem sobre o trabalho de acompanhamento realizado entre eles por Timóteo. Os vs. 9-13 destacam as orações de Paulo, ‘noite e dia’, a favor deles”.

Você…

• …pensou em como seriam as nossas congregações se os líderes espirituais delas tivessem o espírito do apóstolo Paulo?
• …imaginou se os pastores tivessem administradores que aderissem a filosofia de cuidado pastoral do apóstolo Paulo?

O capítulo tem muitas lições e aplicações para a vida, sua riqueza ainda pode ser visto nos seguintes pontos:

• Lidar com a igreja apenas como se fosse apenas números frios, mera estatística, fere diretamente o objetivo primário do evangelho;
• Se o crescimento visado para a igreja for apenas quantitativo e não qualitativo, tal objetivo está fora de foco.
• Se não houver tato da parte dos líderes para promover o amor nos crentes liderados é preciso rever o ministério à luz da Bíblia.

Enfim, a você, desejamos, como equipe Reavivados por Sua Palavra: “Que Deus nosso Pai e nosso Senhor Jesus Cristo possam abrir caminho para vocês. Que o Senhor possa enchê-los de amor, e que Ele transborde na vida de cada um, derramando-se sobre todos ao redor, assim como o nosso amor se derrama sobre vocês. Que vocês sejam cheios de força, pureza e confiança na presença de Deus, nosso Pai, quando nosso Senhor Jesus voltar com todos os seus seguidores” (vs. 11-13, AM).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



I Tessalonicenses 3 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
29 de julho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“E o Senhor vos faça crescer e aumentar no amor uns para com os outros e para com todos, como também nós para convosco” (v.12).


A comunhão experimentada pelos tessalonicenses tornou-se motivo de grande regozijo para Paulo e seus companheiros. A forma como receberam e como compartilhavam o evangelho era plena, tanto em palavras como em atitudes. Eles não apenas aceitaram a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas, mas buscaram conhecê-Lo através de um relacionamento diário e real com Ele, e foi isso que fez toda a diferença. Assim como Cristo apresentou à religião farisaica o caráter divino e foi rejeitado, aquela igreja estava experimentando os sofrimentos de seu Mestre. Sua conduta cristã incomodava, de forma que não demorou para serem duramente perseguidos.

A ida de Timóteo à Tessalônica, diferente de outras cartas de Paulo, em que ele enviava seus irmãos de confiança às igrejas a fim de admoestá-las e corrigi-las, foi mais um meio de fortalecer e encorajar aqueles irmãos a fim de que não ficassem inquietos com as tribulações. E Paulo vai além, quando afirmou: “Porque vós mesmos sabeis que estamos designados para isto” (v.3). As duras provas e perseguições não deveriam abalar a fé daquela igreja, mas fortalecê-la na certeza de que maior do que “o Tentador” (v.5), é o Deus que já o derrotou. E “o regresso de Timóteo” (v.6) foi um bálsamo ao coração do zeloso apóstolo que, ao saber da firmeza da fé e do amor dos tessalonicenses, foi grandemente consolado.

É intuito de Satanás fazer de tudo o que está ao seu alcance para destruir a fé e o amor daqueles que amam a Deus. O seu maior objeto de fúria são aqueles “que hão de herdar a salvação” (Hb 1:14). À semelhança do que fez com Jesus, incitando os próprios judeus contra Aquele que diziam aguardar, o Tentador tem usado professos “cristãos” a fim de afligir os santos do Altíssimo. E a história tem se repetido, e alcançará grandes e terríveis proporções à medida que ele “sabe que pouco tempo lhe resta” (Ap 12:12). Cumprir-se-á, então, o que o próprio Paulo advertiu: “E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando coisas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles” (At 20:30), pessoas que, possuindo aparência de santidade e mostrando um falso amor, conquistam outros com a finalidade de moldá-los à sua própria forma perversa de pensar.

Oh, amados, oremos uns pelos outros, “noite e dia, com máximo empenho” (v.10), para que, de modo algum, sejamos cúmplices na obra satânica de suscitar divisões e inimizades no meio do povo de Deus. O Senhor nos chama para sermos reparadores de brechas, e para que nossos filhos edifiquem o que está em ruínas (Is 58:12). O mundo precisa de famílias que, solidificadas na verdade, mostrem o verdadeiro caráter de Cristo. Um caráter que não agride, mas que ora e chora pela salvação de todos. Perto está o tempo (e creio que já começou), em que estas palavras se cumprirão: “Alguns tinham sido arrojados fora do caminho. Os descuidosos e indiferentes, que não se uniam com os que prezavam suficientemente a vitória e a salvação, para por elas lutar e angustiar-se com perseverança, não as alcançaram e foram deixados atrás, em trevas, e seu lugar foi imediatamente preenchido pelos que aceitavam a verdade e a ela se filiavam” (Ellen G. White, Eventos Finais, p. 157).

De que lado estamos neste grande conflito que está prestes a terminar? Oro para que “o Senhor faça crescer e aumentar [o nosso] amor uns para com os outros e para com todos… a fim de que seja o [nosso] coração confirmado em santidade, isento de culpa, na presença de nosso Deus e Pai, na vinda de nosso Senhor Jesus, com todos os Seus santos” (v.13).

Feliz semana, firmados na fé e no amor de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Tessalonicenses3 #RPSP



I TESSALONICENSES 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
29 de julho de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

854 palavras

1 Pelo que. Isto é, devido ao intenso amor e aflição do apóstolo por seus conversos e a contínua frustração de Paulo nas tentativas de retornar a Tessalônica. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7. p. 238.

Ficar sozinho em Atenas. O relato informa que, quando Paulo foi forçado a deixar a Macedônia, “Silas e Timóteo continuaram ali” (At 17:14). Ao chegar a Atenas, o apóstolo sentiu o tremendo desafio apresentado pela culta metrópole pagã e sentiu necessidade de auxiliadores fiéis. … O relato em Atos … sugere que Timóteo foi, e que o enviaram de volta à Macedônia quase imediatamente para ministrar aos crentes tessalonicenses. Paulo ficou sozinho em Atenas. Essa decisão deve ter sido a mais difícil para ele. O grande sacrifício que o apóstolo estava disposto a fazer, privando-se do companheirismo e auxílio de Timóteo indica a urgência das necessidades dos tessalonicenses. Depois da visita, Timóteo e Silas se encontraram com Paulo em Corinto (At 18:5). CBASD, vol. 7. p. 238.

2 Para confirmar-vos. O principal objetivo da visita de Timóteo era fortalecer e confirmar os crentes, para que nenhum voltasse atrás. CBASD, vol. 7. p. 238.

Exortar-vos. O segundo propósito na missão de Timóteo era exortar os crentes. Isso incluiria uma revisão acerca do que foram ensinados, uma ampliação dos horizontes doutrinários e fortalecimento da experiência cristã diária. Tudo isso estã incluído na frase “em benefício da vossa fé”. CBASD, vol. 7. p. 238.

3 Se inquiete com estas tribulações. Paulo conhecia os perigos que a perseguição local apresentava aos tessalonicenses , e esperava fervorosamente que o ministério de Timóteo os impediria de enfraquecer na fé. … Paulo previa as difíceis circunstâncias em que seus conversos teriam que praticar a fé. CBASD, vol. 7. p. 238.

Estamos. A percepção de que Deus sabia da perseguição que estavam sofrendo, e que ela desempenhava parte importante em Seu plano para a vida deles, fortalece os cristãos para enfrentar a aflição. As provações que nosso Pai permite são meios necessários para a salvação, dirigidas e amenizadas para tal fim (1Co 10:13). O caráter é aperfeiçoado pelas provações, e os cristãos não devem se rebelar no processo de refinamento (ver com. de Ml 3:3; At 14:22; 2Tm 3:12; 1Pe 2:21; 4:12, 23). CBASD, vol. 7. p. 239.

5 Foi por isso. Embora Paulo soubesse que os tessalonicenses seriam perseguidos, não aceitou de modo indiferente essa convicção. ele amava seus filhos espirituais e estava ansiosopelo bem-estar deles. Por esta razão, enviou um mensageiro pessoal para lhe trazer em primeira mão as notícias sobre eles. CBASD, vol. 7. p. 239.

6 Grata lembrança de nós. Paulo temia que as interpretações errôneas dos judeus tivessem voltado os tessalonicenses contra ele, quando se ausentou. As notícias de que ainda pensavam nele com carinho e ansiavam vê-lo foi muito reconfortante ao apóstolo, que declara retribuir ao anseio (cf 1Ts 2:17, 18). CBASD, vol. 7. p. 239.

7 Fomos consolados. Paulo foi muito cuidadoso em encorajar outros e então foi confortado pelos que ajudava. Do mesmo modo, os atuais ministros de Deus devem ser animados. O melhor encorajamento que um coverso pode dar a quem o levou ao Salvador é estar firme no caminho cristão. CBASD, vol. 7. p. 240.

8 Se é que estais firmados. Paulo declara que enquanto os tessalonicenses permanecessem firmes, ele e seus companheiros desfrutariam vida no sentido cristão mais pleno. CBASD, vol. 7. p. 240.

9 Que ações de graças …? Paulo deseja agradecer o testemunho exemplar Não às pessoas, mas a Deus, que possibilitou a vida vitoriosa deles. CBASD, vol. 7. p. 240.

10 Orando noite e dia. Neste versículo, há um vislumbre da vida de oração do apóstolo. … como o sumo sacerdote, ele carregava os conversos em seu coração continuamente (ver com de Êx 28:29). CBASD, vol. 7. p. 240.

12 Faça crescer. O apóstolo queria que o ardente amor que sentia pelos tessalonicenses fosse reproduzido no coração deles em benefício de outros. Amor ardente uns pelos outros é um sinal para o mundo sobre a genuidade da religião cirstã. Esse é um claro ensino de Cristo (Jo 13:34, 35). CBASD, vol. 7. p. 241.

13 Confirmado. Paulo estava confiante que Cristo firmaria o coração dos crentes, e reconhecia que os tessalonicenses não poderiam realizar a obra por si próprios. CBASD, vol. 7. p. 241.

Santidade. Isto indica a esfera em que Cristo torna os crentes inculpáveis. Ele os capacita a viver vida santa para que consigam permanecer em pé e sem censura diante do Juiz do universo. Estar “confirmado em santidade” representa o mais alto padrão ético e espiritual. O apóstolo crê que tal padrão pode ser alcançado pela graça que Cristo provê àqueles que crescem em amor. Crer menos que isto seria negar o evangelho. CBASD, vol. 7. p. 241.

Na presença de nosso Deus. O desejo do apóstolo em favor de seus conversos é que eles estejam livres de qualquer falha em questões espirituais. CBASD, vol. 7. p. 241.

Na presença de nosso Deus. a preocupação de Paulo é que seus conversos sejam julgados irrepreensíveis, não pelos homens que são falíveis, mas por Deus, que perscruta os corações e sabe o que está na mente. CBASD, vol. 7. p. 241.

Vinda. Do gr. parousia (ver com. de Mt 24:3). A vinda de nosso Senhor é um dos temas principais desta epístola (ver 1Ts 1:10; 2:19; 4:16; 5:23). Nesse cenário, Paulo vê o dia da vinda de Cristo como as época quando o caráter do crente deverá ser confirmado. então, não haverá possibilidade de mudança. CBASD, vol. 7. p. 241.



 I TESSALONICENSES 3 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA  by Maria Eduarda
29 de julho de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria

 




%d blogueiros gostam disto: