Reavivados por Sua Palavra


Atos 12 by Jobson Santos
6 de maio de 2018, 1:00
Filed under: Atos, Sem categoria
Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/atos/atos-capitulo-12/

Comentário devocional:

A igreja cristã enfrentava sua pior crise desde a crucificação de Jesus. O Rei Herodes tinha executado o primeiro apóstolo, Tiago, e aprisionado a Pedro com a intenção de matá-lo em breve.

Pouco antes de sua planejada execução Pedro dormia “entre dois soldados, acorrentado com duas cadeias, e sentinelas à porta guardavam o cárcere” (verso 6, ARA). Talvez ele imaginasse que esta poderia ser sua última noite. A fé de Pedro entretanto era forte e permitia que ele dormisse naquelas circunstâncias. Mas o tempo de Pedro ainda não havia chegado e um anjo o conduziu para fora da prisão.

Quando soube que o prisioneiro havia escapado, Herodes explodiu em raiva e ordenou que os guardas da prisão fossem mortos. Pedro foi libertado por um anjo e os guardas foram mortos. Isto oferece uma lição para nós. Assim como pessoas são abençoadas pela associação com os justos, pessoas sofrem por se associarem com os ímpios.

Querido Deus, dá-me discernimento para andar com os sábios e evitar a companhia dos tolos. Aumenta a minha fé de tal maneira que eu consiga dormir, mesmo quando cercado por lutas e dificuldades, por saber que estás assentado no trono do Céu e diriges todo o universo. Amém.

Andrew McChesney
Editor da Adventist Mission
Conferência Geral da IASD

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1276    
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados06-05-2018.mp3

Acompanhe também o projeto https://credeemseusprofetas.org/  

Leitura para esta semana: O Desejado de Todas as Nações, Cap. 30



ATOS 12 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
6 de maio de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria


ATOS 12 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
6 de maio de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

ATOS 12 – Apesar da bandeira no inimigo no mundo, Deus tem uma igreja que é uma agência missionária para libertar pessoas do reino das trevas e dos laços da imoralidade.

Por isso, a religião verdadeira não é mera ilusão ou um emaranhado filosófico. Ela visa à libertação e a transformação do pecador.

Pedro foi transformado, estava destemido, pregava o evangelho a despeito das consequências. Muitos se orgulham de dizer que parecem com Pedro antes da conversão; poucos almejam ser transformados como ele foi.

Leia o capítulo em questão; logo, com oração, leia até o fim esta meditação. Simon Kistemaker assim o sintetiza:

1. Pedro escapa da prisão:
a) Preso por Herodes (vs. 1-5);
b) Liberto por um anjo (vs. 6-11);
c) A igreja em oração (vs. 12-17);
d) A reação de Herodes (vs. 18-19).
2. Morte de Herodes Agripa I (vs. 20-25).

Nós não podemos questionar a forma em que Deus conduz a história de Sua igreja. Humanamente, surge a pergunta: Por que Tiago, dos discípulos íntimos de Jesus, foi decapitado cerca de 15 anos depois da ascensão de Cristo (vs. 1-5), e Pedro foi liberto de forma miraculosa da prisão (vs. 6-19).

Talvez uma resposta limitada seja que a Igreja orou mais por Pedro do que por Tiago. “Enquanto, sob vários pretextos, a execução de Pedro estava sendo retardada para depois da páscoa, os membros da igreja tinham tempo para examinar profundamente o coração e orar com fervor. Oravam sem cessar a favor de Pedro, pois achavam que ele não poderia ser dispensado da Causa. Compreendiam que haviam chegado a um ponto em que, sem o auxílio especial de Deus, a Igreja de Cristo seria destruída” (Ellen G. White).

Além de Pedro ser liberto em resposta às orações intensas e incessantes da igreja, Herodes “foi acometido repentinamente de uma penosa moléstia que resultou na sua morte. A Igreja considerou o que aconteceu com ele como um castigo divino” (Walter R. L. Scraag).

Temos dificuldades para entender por que Elias foi arrebatado vivo, mas Eliseu morreu de uma doença; por que Enoque foi transladado, mas João Batista decapitado; por que Tiago foi martirizado, mas Pedro libertado. Contudo, reavivemo-nos e dependamos de Deus, pois Ele realmente sabe o que nos é melhor!

Reflita e confie… – Heber Toth Armí.



ATOS 12 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de maio de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele” (v.5).


Quando um certo grupo social é considerado perigoso ou de alguma forma danoso ao bem-estar geral, as autoridades são cobradas a fim de que tomem iniciativas que venham coibi-lo. Em alguns casos, a depender do local e das leis que o regem, medidas extremas são tomadas, não apenas para coibir, mas eliminar os vilões da sociedade. Só que nem sempre o que a maioria vê como justiça realmente o é. Herodes era um rei do povo. Não no sentido de atender as necessidades da população, mas de ser aclamado, de ter seu ego acariciado pela aprovação pública de seus atos.

Vendo ser isto agradável aos judeus” (v.3), iniciou uma ferrenha perseguição aos cristãos “para os maltratar” (v.1), tornando-se o algoz de Tiago, o segundo mártir da igreja primitiva. “Prendendo também a Pedro” (v.3), guardou o apóstolo como uma espécie de troféu que ergueria após a festa da Páscoa. O que Herodes não esperava era que sua autoridade não tinha poder algum de frustrar os desígnios de Deus. Enquanto cuidava de guardar Pedro em prisão de segurança máxima, milhares de cristãos elevavam aos Céus suas orações a favor do apóstolo. Haviam escoltas de soldados guardando Pedro, mas havia um exército de oração intercedendo por ele.

A promessa da proteção divina aos que confiam no Senhor é uma das promessas que mais vezes aparece na Bíblia. O Salmo 91, para mim, é o texto bíblico que mais expressa esta verdade, e que se cumpriu na vida de Pedro. Enquanto deitado naquele lugar sombrio e intimidante, seu coração dizia: “Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu em Quem confio” (Sl 91:2). Ao contemplar aquele ser celestial pensando se tratar de uma visão, lembrou: “Porque aos Seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem” (Sl 91:11). Então, sentiu as cadeias caindo de suas mãos e lembrou da promessa: “Pois Ele te livrará do laço do passarinheiro” (Sl 91:3). Ao caminhar por entre os sentinelas sem ser notado, sentiu a cobertura divina, cumprindo-se a promessa: “Cobrir-te-á com as Suas penas, e, sob Suas asas, estarás seguro” (Sl 91:4).

Ao caminhar pelas ruas escuras, sentia uma sensação de plena segurança. “Não te assustarás do terror noturno” (Sl 91:5). A sua confiança em Deus e as orações dos irmãos provaram ser as mais potentes ‘armas’ no grande conflito. Todos estamos envolvidos neste conflito cósmico que está com seus dias contados. Cada lágrima derramada, cada pedido de socorro, cada injustiça cometida, cada insanidade humana, é registrada no Céu como um arquivo que muito em breve será destruído. Pois Deus “enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram” (Ap 21:4).

Ao cair em si, Pedro percebeu que estava realmente livre e que Deus tinha enviado o Seu anjo para livrá-lo da morte certa. Ao chegar na casa de Maria, ele não sabia, mas ali estava acontecendo uma vigília em prol de sua vida. “Reconhecendo a voz de Pedro” (v.14), a alegria de Rode foi tão grande que, deixando-o do lado de fora, correu para dentro a fim de dar as boas-novas aos outros. E enquanto era taxada de louca, “Pedro continuava batendo” (v.16). E ao abrirem a porta, que grande surpresa! Era Pedro mesmo! Mas antes que pudessem gritar de alegria, Pedro fez “sinal com a mão para que se calassem” (v.17).

O destino final de Herodes, no entanto, nos confirma de que, assim como Deus comissiona anjos poderosos para proteger Seus filhos, também envia Seus anjos como justiceiros de Seu povo. Enquanto um anjo do Senhor foi enviado para libertar Pedro, “um anjo do Senhor” foi enviado para ferir a Herodes, que morreu “comido de vermes” (v.23). A morte de Herodes representa o fim de todos os que têm tomado para si a glória que só pertence a Deus, rejeitando a voz do Espírito Santo e engrandecendo a voz humana.

Não sabemos até quando a longanimidade de Deus se estenderá. Não sabemos a medida do cálice de Sua ira. Mas uma coisa deveríamos saber: “Quem é sábio, que entenda estas coisas; quem é prudente, que as saiba, porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão” (Os 14:9). Que na reta final da história deste mundo, você e eu façamos parte dos “sete mil joelhos” (1Rs 19:18) que só se prostram perante “Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap 14:7) e que a voz do Espírito Santo nos conduza à eterna liberdade.

Feliz semana, exército de oração!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Atos12
#RPSP



ATOS 12 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
6 de maio de 2018, 0:20
Filed under: cuidado de Deus, libertação, testemunho | Tags: , , ,

740 palavras

1 Por aquele tempo. O evento narrado neste capítulo não deve ter ocorrido muito antes da morte de Herodes Agripa I. Como ele morreu em 44 d.C, os eventos da primeira parte deste capítulo podem datar do ano anterior ou dos primeiros meses de 44 d.C. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 6, p. 272.

O rei . Herodes Agripa I era filho de Aristóbulo e Berenice, neto de Herodes, o Grande, e da princesa hasmoneia Mariane, irmão de Herodias, mencionada na história de João Batista. CBASD, vol. 6, p. 272.

Maltratar. Isto é, “ferir” ou “afligir”, como Agripa estava ansioso para ser considerado um judeu devoto, era fácil para os judeus incitá-lo a atacar os cristãos. Assim começou a perseguição da igreja, “pilhando as casas e os bens dos crentes”. CBASD, vol. 6, p. 273.

2 Fazendo passar […] a Tiago. Se o apóstolo fosse culpado de blasfêmia ou heresia, o Sinédrio o teria sentenciado à morte por apedrejamento. Como no caso de João batista, a decapitação de Tiago mostra que sua morte foi decretada por um governante civil, que usava métodos romanos de punição. Não há como saber por que Herodes escolheu Tiago como sua primeira vítima. No entanto, enquanto pregava o evangelho, é possível que tenha continuado a ocupar a posição proeminente que compartilhava com Pedro e João. Talvez uma de suas características fosse uma veemência natural, pois era chamado de filho do trovão (Mc 3:17). CBASD, vol. 6, p. 273.

3 Prosseguiu, prendendo. Literalmente, “acrescentou a tomar”. Ele prendeu Pedro e Tiago. Esta é uma tradução literal de uma expressão comum do hebraico. CBASD, vol. 6, p. 273.

Também a Pedro. Por ser uma figura de destaque entre os doze, Pedro era um alvo lógico do ataque de Herodes. CBASD, vol. 6, p. 273.

5 Pedro […] estava guardado. Isto sugere vários dias de prisão. CBASD, vol. 6, p. 274.

Uma luz iluminou. Assim como “a glória do Senhor brilhou ao redor” dos pastores, a presença do anjo levou glória celestial à prisão escura. CBASD, vol. 6, p. 274.

9 Não sabendo. Para Pedro, a situação parecia muito semelhante ao transe e à visão registrados em Atos 10. Ele deve ter pensado que acordaria acorrentado aos dois soldados, assim como antes acordara e percebera que tivera uma visão no eirado da casa, enquanto orava. CBASD, vol. 6, p. 274.

12. Considerando. Ou; “entendendo” “compreendendo”. A princípio, Pedro ficou “como quem sonha”, em relação ao livramento, mas depois conseguiu compreender a verdade maravilhosa e foi capaz de partir para a ação. CBASD, vol. 6, p. 275.

14 Tão alegre. Não foi por falta de fé, mas por pura alegria que Rode não abriu a porta. Ela compartilhava da ansiedade dos irmãos pelo apóstolo e participara das orações em seu favor. O desejo de contar a boa-nova a levou a perder o equilíbrio de ação. CBASD, vol. 6, p. 276.

16 Ficaram atônitos. Seria difícil encontrar uma expressão melhor da dificuldade, inclusive de pessoas boas, de crer que suas orações foram respondidas com tal rapidez. Quando Pedro apareceu diante dos fiéis, mal conseguiam admitir que era ele mesmo que estava ali. Todavia, Jesus dera plena garantia a Seus seguidores de que suas orações de fé seriam atendidas (Jo 14:13, 14). CBASD, vol. 6, p. 276.

17 Tiago. Trata-se, sem dúvida, do Tiago que presidiu o concílio em Jerusalém sobre a circuncisão e que apresentou seu parecer sobre o assunto (At 15:13). De alguma forma,

ele era o ancião líder da igreja em Jerusalém, e era natural que Pedro quisesse informá-lo

de sua libertação. Este pode ser o Tiago filho de Alfeu, ou o Tiago irmão do Senhor. CBASD, vol. 6, p. 276.

19 Fossem justiçadas. Literalmente, “para que fossem levados embora”, isto é, para execução. CBASD, vol. 6, p. 277.

20 Havia séria divergência. Ou, estava exasperado”, “estava num estado de espírito hostil”, sugerindo raiva. CBASD, vol. 6, p. 278.

22 Voz de um deus. Provavelmente no sentido de adoração pagã ao imperador, não de um ser celestial. CBASD, vol. 6, p. 278.

23 Um anjo do Senhor o feriu. No v. 7, um anjo toca Pedro para despertá-lo e salvá-lo. Aqui, o toque.do anjo fere Herodes, para destruí-lo. A ferida por um agente divino costuma significar grave juízo. CBASD, vol. 6, p. 278.

25 Cumprida a sua missão. Ou, “ministério”, “diaconato”, “ministração”. A palavra grega é a mesma traduzida por “socorro” em Atos 11:29. Barnabé e Saulo cumpriram a missão que os levara a ser enviados à igreja de Antioquia. CBASD, vol. 6, p. 281.

Levando também consigo a João. A escolha se explica, parcialmente, pela ligação entre João e Barnabé (Cl 4:10), mas também mostra João se envolvendo no ministério aos gentios. Ao que tudo indica, ele morava numa casa em Jerusalém até essa ocasião. CBASD, vol. 6, p. 281.

 

Compilação: Tatiana W



ATOS 12 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
6 de maio de 2018, 0:15
Filed under: Sem categoria



%d blogueiros gostam disto: