Reavivados por Sua Palavra


ATOS 24 by jquimelli
18 de maio de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/atos/atos-capitulo-24/

Comentário devocional:

Paulo foi enviado a Félix, um velho estrategista e mentiroso, que ficou intrigado com Paulo. Sua esposa Drusila era judia, filha de Herodes Agripa. Eles decidiram ter um encontro privado com Paulo. Paulo alegremente discorreu para o poderoso casal sobre a justiça de Deus, comportamento adequado, e o julgamento final do homem diante de Deus.

A maldade cruel de Félix era bem conhecida foi, e poucos, se houvessem, teriam ousado enfrentar o governador romano com a verdade. Mas Paulo não tinha medo de homens e viu nisso uma oportunidade para apelar para que Félix se reconciliasse com Deus. “Mostrou que esta vida é o tempo de preparo do homem para a vida futura.” Então, Paulo apontou-lhes o “grande sacrifício pelo pecado” e o fato de que Cristo tinha cumprido as exigências da lei (Atos dos Apóstolos , pp. 424, 425).

Félix sentiu-se culpado. Ele manteve Paulo sob custódia e ao longo dos próximos dois anos, falou com Paulo várias vezes sobre estas questões, mas nunca se rendeu. Mais tarde Félix foi chamado a prestar contas em Roma por ter matado milhares de judeus e permitir saques das casas dos ricos [em Cesareia], e foi removido de seu posto. Ele deixou Paulo na prisão para conseguir favorecer sua imagem com os judeus, mas nunca mais ouviu uma mensagem de advertência para que se arrependesse. Como é trágico é o fim de quem adia o arrependimento!

Ron E. M. Clouzet
Pastor Ministerial
Divisão Norte Asia-Pacífico

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1288 e https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/02/22/atos-24/
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosA/Reavivados18-05-2018.mp3



ATOS 24 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
18 de maio de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria

#RPSP #PrimeiroDeus



ATOS 24 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
18 de maio de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

ATOS 24 – As pessoas não sabem exatamente o significado de seita*. Os incautos não possuem habilidades suficientes para avaliarem a religião verdadeiramente bíblica. O cristianismo verdadeiro já foi considerado uma seita.

• Tua denominação já foi considerada uma seita?

Jesus disse ser “o Caminho” (João 14:6); portanto, o cristianismo, em certo momento foi identificado pelo título “O Caminho”. Não foi a igreja Católica Apostólica Romana a denominação fundada por Cristo ou pelos apóstolos.

A vertente religiosa identificada como “O Caminho” foi caracterizada de seita pelos oponentes de Paulo (Atos 24:14). É o que ele explica no sermão autobiográfico pregado perante o “excelentíssimo Félix” (leia Atos 24 com atenção e oração).

O poder religioso de Jerusalém com o poder Civil de Roma uniram-se para o julgamento do apóstolo Paulo no tribunal do governador.

Tértulo, um orador profissional, começa seu discurso bajulando o governador e acusando a Paulo por tumulto, promoção de seita e sedição política (vs. 1-8).

Ao se defender, Paulo prova que os argumentos usados para acusa-lo são falsos. Ele contra-argumenta e prova que ele…

• Não era um perturbador da paz social (vs. 9-13);
• Não promovia uma seita (vs. 14-16);
• Não profanou o templo (vs. 17-21).

O governador pendeu para o discurso simples, claro, objetivo e sincero de Paulo, nas para as lisonjas hipócritas de seu oponente Tértulo. Entretanto, mesmo desejando conhecer mais sobre a religião de Paulo, e mesmo diante da ousadia de Paulo, Félix titubeou diante da decisão oportuna e deixou Paulo preso (vs. 22-27).

Paulo não perdia oportunidade de pregar, ele pregava até o mandarem calar (v. 25). Diz Pierra Marcel que “a pregação é a função central, primária e decisiva da igreja”. Sendo que cada crente é membro da igreja de Cristo, a preocupação primária de cada um deve ser a pregação da Palavra de Deus.

Conquanto que, “o fundador do cristianismo foi o primeiro dos seus pregadores” (John Stott), então, Seus seguidores também devem ser pregadores.

Assim como “a pregação era central no ministério de Jesus” (John Broadus), também deve ser central em Seu corpo, que é a igreja.

David L. Larsen observou: “Paulo não pregava como Jesus, ele pregava Jesus”. Temos muito que aprender nas páginas dos Atos de Paulo.

“Senhor, naquilo que negligenciamos, corrige-nos. Desperta-nos de nossa indiferença!” – Heber Toth Armí.

 

* para ver o significado de uma seita: http://biblia.com.br/perguntas-biblicas/igreja/o-que-significa-uma-seita-cd/. Ver também: https://www.significados.com.br/seita/.
Na Wikipedia, “Segundo Peter L. Berger, seita seria a organização de um grupo contra um meio que consideram hostil ou descrente.[1] O grupo então se fecha em um corpo de doutrinas e vê o restante da sociedade como inerentemente má ou pecadora, passível da ira divina, que inevitavelmente sobrevirá sobre eles. As seitas de orientação cristã usam as noções de pecado e santificação como forma de dar legitimidade discursiva aos neófitos e manter os que já são seguidores. A saída do grupo pode acarretar diversos efeitos psicossociais em decorrência do sentimento de solidão, de autoculpabilização e da hostilidade advinda do grupo que se está deixando. Sair de uma seita nunca é fácil porque ela exerce controle sobre toda a vida individual e coletiva dos indivíduos. As seitas, assim como as religiões instituídas, são agências reguladoras do pensamento e da ação, mas com a diferença de que na seita a regulação tende a ser mais totalizante, devido ao rígido controle que exercem sobre os sujeitos” https://pt.wikipedia.org/wiki/Seita



ATOS 24 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
18 de maio de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porém, confesso-te que, segundo o Caminho, a que chamam seita, assim eu sirvo ao Deus de nossos pais, acreditando em todas as coisas que estejam de acordo com a lei e nos escritos dos profetas” (v.14).


Este versículo resume bem tanto a visão que tinham os de fora com relação ao movimento cristão, quanto em que se baseava a doutrina dos apóstolos. Denominado de “seita”, o cristianismo sofreu uma forte perseguição por parte dos judeus simplesmente porque acreditava que em Jesus foi cumprida a tão aguardada profecia messiânica. Considerado “o principal agitador da seita dos nazarenos” (v.5), Paulo era constantemente acusado de traição e apontado como um homem perigoso e semeador de discórdias.

Perante Félix, o apóstolo apresentou defesa inquestionável, de modo que o governador, não tendo do que acusá-lo e conhecendo mais “com respeito ao Caminho” (v.22), mandou prender a Paulo até que tomasse melhor ciência de seu caso. A bajulação de Tértulo e o firme caráter de Paulo apresentaram contraste claramente perceptível, cumprindo-se a promessa do Salvador: “Quando, pois, vos levarem e vos entregarem, não vos preocupeis com o que haveis de dizer, mas o que vos for concedido naquela hora, isso falai; porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo” (Mc 13:11).

O Caminho apresentava uma coerência entre o ensino e a prática que nada tinha a ver com a religião dos judeus. Ambos os grupos acreditavam nas mesmas Escrituras, mas apenas um a vivia. O esforço de Paulo por manter a “consciência pura diante de Deus e dos homens” (v.16) não era mediante apresentação de salvação por obras, mas pela fé em Cristo que, mediante o Espírito Santo, o conduzia às boas obras. Ele quis dizer que procurava viver piedosamente as verdades da Palavra de Deus e que tudo o que fizera em Jerusalém fora simplesmente observar a lei com inteireza de coração.

O estudo deste episódio deve causar em nós dois tipos de questionamentos:

  1. Minha fé está “de acordo com a lei e nos escritos dos profetas” (v.14)?
  2. Tenho me esforçado “por ter sempre consciência pura diante de Deus e dos homens” (v.16)?

Pouco importa para Deus se a nossa fidelidade é chamada de seita ou algo semelhante. Mas assim como o Espírito Santo foi concedido a Paulo e aos demais apóstolos, a Sua concessão possui uma condição: “Ora, nós somos testemunhas destes fatos, e bem assim o Espírito Santo, que Deus outorgou aos que Lhe obedecem” (At 5:32). Se a obedecer à Palavra do Senhor é considerado uma seita, então prefiro, como os discípulos de Jesus, “obedecer a Deus do que aos homens” (At 5:29). O homem que foi dotado por Deus com sabedoria inédita, após uma análise acurada sobre a vida neste mundo, chegou à seguinte conclusão: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os Seus mandamentos; porque isto é dever de todo homem” (Ec 12:13). Percebem? De todo homem, e não apenas de todo judeu.

Na “revelação de Jesus Cristo” (Ap 1:1), é-nos dito que, nos últimos dias, Deus tem um remanescente especial, “os que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Ap 12:17). Ora, se o Espírito Santo é concedido aos que obedecem a Deus, como conservar uma consciência pura enquanto negligencio as verdades eternas das Sagradas Letras? Félix e Drusila tiveram a oportunidade ímpar de ouvir da boca de Paulo palavras do Espírito Santo. Contudo, ao ouvirem “acerca da justiça, do domínio próprio e do Juízo vindouro” (v.25), foram tomados de medo, e não de temor. Era mais fácil recusarem-se a ouvir do que aceitar as verdades que chocavam com o estilo de vida que os agradava.

O apelo do Espírito Santo “aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Ap 14:6), continua sendo o mesmo: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo; e adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap 14:7). O fato de que o único mandamento que apresenta a assinatura do Senhor Deus como o nosso Criador é o sábado (Êx 20:8-11), não desperta em você a curiosidade de estudar mais a respeito deste tema? Amados, não devemos nos preocupar com o título dado à nossa fé, mas em que ela esteja de acordo com a vontade de Deus. Que pelo estudo sincero das Escrituras, apresentemos diante de Deus e dos homens uma consciência purificada pelo Espírito Santo.

Bom dia, guiados pelo Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Atos24 #RPSP



ATOS 24 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
18 de maio de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

1009 palavras

1 cinco dias depois. Depois da partida de Jerusalém. Seria o tempo mínimo necessário para um mensageiro ir de Cesareia a Jerusalém, o Sinédrio nomear seus representantes e os nomeados fazerem sua viagem até Cesareia. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Ananias. O sumo sacerdote empreendeu a viagem de 96 km a fim de supervisionar ele mesmo o processo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

O sumo sacerdote, após o insulto lançado contra ele por Paulo no Sinédrio (23.2), tornou-se num inimigo feroz. Vai pessoalmente para pressionar uma decisão desfavorável a Paulo. Bíblia Shedd.

Tértulo. Era um advogado, orador profissional. Na introdução a seu discurso emprega um captatio benevolentiae, lisonja para criar uma atitude favorável ao seu lado no caso. Paulo por sua parte utiliza apenas a advocacia do Espírito Santo. Bíblia Shedd.

5 perturbadorprincipal cabeça da seita dos nazarenos. Provocar dissensão no Império Romano era traição contra César. Ser líder de uma seita religiosa que não tivesse a aprovação ode Roma era contrário à lei. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Seita. Tértulo procura distinguir os cristãos dos judeus. Desta forma o cristianismo perderia a proteção da lei que o judaísmo gozava. Bíblia Shedd.

7-8. O trecho 6b-8a […o comandante Lísias, o arrebatou das nossas mãos, com grande violência…] … não consta dos melhores manuscritos . Bíblia Shedd.

14 adoroDeuscomo seguidor do Caminho. Paulo reconhece sua participação no Caminho, mas ainda acredita na lei e nos Profetas. Compartilha da mesma esperança que os judeus – a ressurreição e o juízo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Paulo assegurava a Félix que, como judeu, ele seguia uma religião protegida por Roma. Como seguidor do “Caminho”, Paulo servia “ao Deus de nossos pais” e cria na ressurreição dos mortos (Dn 12.1-2; 1Ts 4.13-18; 2Ts 1.8). Bíblia de Genebra.

Seguir o caminho da justiça e verdade era o alvo do melhor judeu. Foi isto que Paulo fazia seguindo o verdadeiro ensino da lei e dos profetas, agora cumprido em Cristo. Não abandonara o judaísmo: pelo contrário, negar o cristianismo seria rejeitar sua própria tradição. Bíblia Shedd.

acreditando em todas as coisas. Em Atos, Paulo repetidamente reivindica que ele tem sido fiel ao judaísmo (25:8; 26:22; 28:17), enquanto seus críticos ou inimigos o fazem o contrário (21:21, 28-29). Paulo provavelmente não faria estas reivindicações se tivesse estado a ensinar os gentios a abandonar o sábado, como muitos afirmam. Andrews Study Bible.

15 Estes a têm. Percebe-se que entre os ouvintes (ou acusadores) havia fariseus. Bíblia Shedd.

17 para trazer esmolas ao meu povo. Refere-se às contribuições das Igrejas da Ásia e Europa (1Co 16.1ss; 2Co 8.1ss; Rm 15.25ss; At 20.4n). Bíblia Shedd.

A única referência expressa em Atos à coleta, tão importante para Paulo. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Oferendas. Sacrifícios oferecidos a Deus no templo. Bíblia Shedd.

21 ressurreição dos mortos. Paulo fez uma declaração que não pertencia à esfera dos interesses políticos romanos, mas à teologia judaica e cristã. Bíblia de Genebra.

22 bom conhecimento do Caminho. Félix havia sido governador por seis anos e teria sabido a respeito dos cristãos (“o Caminho”), um tópico de conversação entre os líderes romanos. O estilo de vida pacífico dos cristãos já havia provado aos romanos que os cristãos não iniciavam tumultos. Life Application Study Bible.

23 conservasse a Paulocom indulgência. Como cidadão romano cujo caso ainda estava pendente, a Paulo era dada certa liberdade (28.16). Bíblia de Genebra.

24 Drusila. A terceira esposa de Félix, filha de Herodes Agripa I. Aos 15 anos de idade casou-se com Azizo, rei de Emesa, mas o abandonou um ano depois por causa de Félix. O filho dela, também chamado Agripa, morreu na erupção do Vesúvio (79 d.C.). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Filha de Herodes Agripa I (12.1-23) e irmã de Herodes Agripa II (25.13; 26.3) e de Berenice (25.13, nota). Bíblia de Genebra.

25 Félix teve medo. Ouvindo falar da justiça, do domínio próprio e do juízo vindouro, Félix olhou para seu passado e foi tomado de medo. Possuía alguma centelha de sinceridade e de preocupação. Bíblia de Estudo NVI Vida.

As palavras de Paulo foram interessantes até que focalizaram “justiça, domínio próprio e … juízo vindouro”. Muitas pessoas se agradarão de discutir o evangelho com você enquanto isto não tocar demais sua vida de modo muito pessoal. Quando isto acontece, alguns resistem ou fogem. Mas é disto que trata o evangelho – o poder de Deus para mudar vidas. O evangelho não é efetivo até que ele se move de princípios e doutrinas para uma dinâmica de mudança de vida. Quando alguém resistir ou fugir de seu testemunho, você foi, sem dúvida, bem sucedido em tornar pessoal o evangelho. Life Application Study Bible.

26 oferecesse algum dinheiro. Félix supunha que Paulo tivesse acesso a fundos de considerável vulto. Ouvira-o dizer que trouxera esmolas aos judeus cristãos da Palestina (cf. v. 17). Por isso, esperava que lhe desse dinheiro em troca da sua soltura. Paulo já não tinha esse dinheiro e, mesmo que o tivesse, não ofereceria suborno. Bíblia de Estudo NVI Vida.

27 Dois anos mais tarde. Deve referir ao tempo que Paulo está na prisão, período máximo que um acusado podia ser detido em julgamento. Bíblia Shedd.

Félix foi sucedido por. Félix foi chamado a Roma em 59/60 d.C. para prestar contas pelos tumultos e pelas irregularidades durante seu governo, e também por sua maneira de lidar com os motins entre os habitantes judeus e sírios. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Festo não é mencionado nos registros históricos existentes antes de sua chegada à Palestina. Morreu no cargo, depois de dois anos, mas os registros sobre ele nesse período demonstram que tinha sabedoria e honestidade superiores às de seu antecessor, Félix, e às de seu sucessor, Albino. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Festo provinha de uma família nobre em Roma. Embora Félix tivesse sido ambicioso e mau, Festo era sábio e honrado. Bíblia de Genebra.

Ter a simpatia dos judeus. Félix muito carecia desse apoio depois dos tumultos em Cesareia em que ele permitiu que suas tropas saqueassem as melhores casas judias. Foi deposto logo depois. Bíblia Shedd.

Félix não queria incitar mais raiva entre os judeus – pois em breve teria de enfrentá-los num tribunal romano. Soltar Paulo da prisão seria assim uma provocação. Bíblia de Estudo NVI Vida.



ATOS 24 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
18 de maio de 2018, 0:15
Filed under: Sem categoria



%d blogueiros gostam disto: