Reavivados por Sua Palavra


Lucas 1 by Jobson Santos
11 de março de 2018, 1:00
Filed under: Lucas
Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/lucas/lc-capitulo-1/

Comentário devocional:

A luz da glória de Deus é vista na face de Jesus Cristo. Nos dias da eternidade, o Senhor Jesus era um com o Pai. Ele era a imagem de Deus. Foi para manifestar essa glória que Ele veio ao mundo. Mas essa revelação do Pai não foi dada apenas para os Seus filhos desta terra; nosso pequeno mundo é o livro texto do universo.

Deus deu Seu Filho unigênito para se tornar um com a família humana; e Ele conservará para sempre a Sua natureza humana. Através do sacrifício de Cristo, o governo de Deus é justificado. O Onipotente é confirmado como o Deus do amor. E como resultado desse amor que se auto-sacrifica, os habitantes da terra e do céu tornam-se apegados ao Criador com laços de união indissolúveis. O nosso pequeno mundo, a única mancha escura em todo o universo perfeito de Deus, será um dia honrado acima de todos os outros mundos.

Os propósitos de Deus não conhecem nenhuma pressa ou tardança, exatamente como ocorre com as estrelas do céu em seus vastos circuitos. A Providência havia dirigido o movimento das nações, e quando a plenitude do tempo chegou, Deus enviou Seu Filho.

Jack Blanco, autor de The Clear Word
Com ideias de O Desejado de Todas as Nações, p. 19-37

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1220  
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/Reavivados/Reavivados11-03-2018.mp3

 



LUCAS 1– COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
11 de março de 2018, 0:56
Filed under: Sem categoria


LUCAS 1 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
11 de março de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

LUCAS 1 – Está na introdução deste evangelho a mais antiga explanação da interdependência dos evangelhos. Mateus escreveu aos judeus; Marcos, aos romanos. E, Lucas, ao excelentíssmo Teófilo.

Lucas era médico e colega missionário do apóstolo Paulo (Colossenses 4:14). Seu evangelho é o primeiro volume sobre a magnífica obra do Espírito Santo no mundo. O segundo volume está separado pelo evangelho escrito por João – é livro de Atos.

Lucas é pesquisador, tornando-se assim, “o historiador do Novo Testamento”. Ele “menciona corretamente muitos dados históricos”. Ele “tem um dos melhores níveis de cultura literária do Novo Testamento. Seu grego é bonito”. Além disso, “sua fidelidade aos originais e as tradições faz com que sua obra tenha expressões que são traduções diretas do aramaico ou transcrições fieis de suas fontes. Lucas trabalha com a fidelidade de um historiador honesto e cuidadoso”. Consequentemente, o alvo de seu livro “vem expresso no prólogo (1.1-4): dar certeza das verdades ensinadas” (Álvaro César Pestana).

Após o prólogo, temos os seguintes pontos:

• Detalhes do nascimento do precursor de Cristo; João Batista quebra o jejum e o silêncio de séculos inexistentes do dom de profecia. João nasceu de um casal estéril, ministrou no espírito e poder ousado de Elias (vs. 5-25; cf. I Reis 21:20; II Reis 1:8; Ml 4:5-6).

• Detalhes do nascimento do Messias, o qual sendo divino se tornaria humano por intermédio do Espírito Santo agindo em Maria. Os eventos são sobrenaturais, mas não deixam de ser reais. São coisas incríveis que aconteceram, mas são literais – Lucas, como médico e historiador fidedigno os garante. Era cumprimento de profecias antigas (vs. 26-45; cf. Mateus 1:18-25; Gênesis 12:2-3; Isaías 7:14; 9:67).

• Detalhes do cântico de Maria, o Magnificat. A ode de louvor da jovenzinha está repleta de citações da Bíblia Hebraica. Ela age como as mulheres do Antigo Testamento; por exemplo: Ana, quando esteve feliz pelo privilégio que Deus lhe concedera (vs. 46-56; cf. I Samuel 2:1-10).

• Detalhes do nascimento de João Batista e a alegria profética do sacerdote Zacarias após ter ficado mudo devido a sua leve incredulidade (vs. 57-80).

A incredulidade não compensa. A realidade envolve o nível espiritual, sem o qual deixa de ser plenamente realidade. O Doutor Lucas pesquisa e escreve acuradamente aos “excelentíssimos” que creem… (v. 2-3). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



LUCAS 1, Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de março de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado” (v.17).


Apesar da identidade desconhecida do destinatário Teófilo, certamente, o evangelho segundo Lucas foi escrito com “acurada investigação” (v.3), apresentando detalhes e relatos que não encontramos nos demais evangelhos. Iniciando com um minucioso relato acerca do prenúncio do nascimento de João Batista, bem como do nascimento de Jesus, o autor reforça a íntima ligação entre os dois acontecimentos. Não obstante, também relata a expressão de profunda gratidão por parte de Maria e de Zacarias, em forma de cânticos espirituais.

A biografia dos pais de João Batista explica o porquê foram escolhidos por Deus para tão sublime missão: “Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor” (v.6). Sobre eles pesava a tremenda responsabilidade de instruir o profeta que prepararia o coração do povo para receber o Messias que há tanto aguardavam. Mas, embora Zacarias tivesse orado pela bênção de um filho, sua idade avançada, bem como de Isabel, já havia amortecido o seu desejo. E impedido de falar, devido a sua incredulidade, em silêncio, contemplou o milagre crescer no ventre de sua idosa mulher.

No entanto, milagre maior aconteceu seis meses depois, quando o mesmo anjo Gabriel anunciou a Maria que seu ventre seria o primeiro abrigo do “Filho do Altíssimo” (v.32). A disposição de Maria em aceitar a palavra do anjo e o seu cântico de gratidão revela que Deus a conduziu para aquele momento. Ela cumpriria com louvor a missão para a qual foi designada.

João significa “Deus é misericordioso”. E a missão de sua vida seria transmitir esta verdade ao povo. Cumprindo a profecia de Malaquias, o profeta foi uma voz que repercutiu com o fim de habilitar para Deus um povo apercebido para a primeira vinda de Jesus. De igual forma, todos nós nascemos para um propósito específico diante de Deus. Com o sublime privilégio de fazer parte do derradeiro exército de salvação de Deus, sobre nós repousa a responsabilidade de preparar um povo para as bodas do Cordeiro. Assim como João ia “adiante do Senhor no espírito e poder de Elias” (v.17), o mesmo poder está, agora, à nossa disposição. De igual forma, fomos chamados “para alumiar os que jazem em trevas” (v.79), e a menos que encaremos esta missão com a seriedade que lhe é devida e com a mesma submissão manifestada por João Batista, ao invés de apressar, postergaremos o retorno do nosso Senhor.

Eis o objetivo principal da pregação do evangelho: “para dar ao Seu povo conhecimento da salvação, no redimi-lo dos seus pecados” (v.77). O conhecimento de Deus e da salvação que há em Cristo Jesus deve ser o foco de todo aquele se arrepende e deve ser a força de nossa pregação. Pois que Cristo mesmo afirmou em oração: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a Quem enviaste” (Jo 17:3). Prossiga em conhecer a Deus através de Sua Palavra e este conhecimento, com certeza, se manifestará em sua vida como poder atuante do Espírito Santo na vida de outros. “E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim” (Mt 24:14).

Feliz semana, povo remanescente!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Lucas1
#RPSP



LUCAS 1 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
11 de março de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

adoração, Espírito Santo, Evangelho, Benedictus, João Batista, Lucas, Magnificat, Maria Continue lendo




%d blogueiros gostam disto: