Reavivados por Sua Palavra


O EVANGELHO DE LUCAS by jquimelli
10 de março de 2018, 21:00
Filed under: Sem categoria

Autor
O consenso antigo e unânime da tradição cristã aponta Lucas como o autor do evangelho que leva seu nome. … Tertuliano (c. 160 – c. 220 d.C.) mencionou Paulo como o “iluminador” de Lucas, isto é, aquele que o encorajou e lhe forneceu grande parte da informação contida nos seus escritos. … Não há evidência que aponte a qualquer outro autor, a não ser Lucas. … O contexto de Colossenses 4:11 a 14 parece indicar que Lucas não era judeu, mas gentio, porque ele não é alistado entre os homens da circuncisão, mas com outros que eram conhecidos como gentios. … Eusébio [História Eclesiástica iii. 4.6] descreve Lucas como “antioquiano por raça e médico por profissão”. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 727.

Data
Provavelmente [Lucas] escreveu seu evangelho entre os anos de 64 e 70 d.C. Pouco depois, também escreveu o livro de Atos. Bíblia Shedd.

Estudiosos conservadores geralmente datam o evangelho de Lucas não muito depois de 63 d.C, pelas seguintes razões: O livro, aparentemente, foi escrito antes de Atos (ver At 1:1). O final abrupto de Atos geralmente é considerado uma evidência que este livro foi escrito durante a época do aprisionamento de Paulo em Roma, em aproximadamente 61-63 d.C., possivelmente logo depois de sua chegada naquela cidade. A explicação mais simples para o fim abrupto é que Lucas não escreveu mais porque, na época, não havia mais nada a dizer. É improvável que o julgamento, libertação, nova detenção, condenação e execução de aulo teriam sido omitidos do registro de Atos se esses eventos já tivessem ocorrido na época da composição do livro. CBASD, vol. 5, p. 728.

Análise
O grande tema do Evangelho de Lucas é: Jesus Cristo é o Salvador Divino. … no primeiro anúncio público que Jesus fez referente á Sua missão, ensinou explicitamente que Ele é o Salvador divino de quem falam as Escrituras do Antigo Testamento (4.17-21). … As palavras de Jesus, em 19.10, “o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido”, cristalizam a maravilhosa mensagem do evangelho de Lucas. Bíblia Shedd.

Lucas e Atos podem ser considerados como os volumes 1 e 2 de uma obra que apropriadamente poderia ser intitulada “A origem e o desenvolvimento inicial do cristianismo”. CBASD, vol. 5, p. 727.

A história da vida de Jesus na terra é o primeiro volume de uma obra de dois volumes. O segundo volume, Atos dos Apóstolos, continua a impressionante história ao contar a continuação da obra de Jesus pelos Seus seguidores nos anos após Sua ascensão. Andrews Study Bible.

Mateus apresenta Jesus como o grande Mestre, o intérprete da verdade divina. Marcos O apresenta como o Homem de ação e enfatiza Seus milagres como manifestação do poder divino atestando Sua Messianidade. Lucas mostra Jesus em íntimo contato com as necessidades das pessoas, enfatizando o aspecto humano de Sua natureza, e O apresenta como o amigo da humanidade. João apresenta Jesus como o Filho do Deus. CBASD, vol. 5, p. 728.

 

Publicado originalmente em: https://reavivadosporsuapalavra.org/2014/12/16/



AMANHÃ COMEÇAREMOS A LER LUCAS! by jquimelli
10 de março de 2018, 19:14
Filed under: Sem categoria

Graças a Deus por este privilégio maravilhoso!



Marcos 16 by Jobson Santos
10 de março de 2018, 1:00
Filed under: Marcos, Sem categoria
Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/marcos/mc-capitulo-16/   

Comentário devocional:

Neste capítulo, lemos que muito cedo no domingo de manhã algumas mulheres vieram para terminar sua tarefa de cuidar do corpo de Jesus. O que elas encontraram foi um anjo que lhes disse gentilmente: “Ele ressuscitou! Não está aqui” (Marcos 16: 6, NVI). Quando o anjo de Deus desceu do céu com a mensagem: “Filho de Deus, o teu Pai te chama!”, o Diabo, seus demônios e os soldados romanos não puderam mantê-lo no túmulo. Jesus é a Ressurreição e a Vida. N’Ele está ancorada nossa esperança, a nossa vida eterna.

Amigo, essa mensagem é para você e para mim. Não importa o que você fez no passado, o que importa é a sua escolha hoje! Pedro escolheu a Jesus e tornou-se uma força poderosa para o bem. A mesma vitória está a sua disposição! Ouça estas palavras: “Colaborando a vontade do homem com a de Deus, ela se torna onipotente. Tudo que deve ser feito a Seu mando pode ser cumprido por Seu poder. Todas as Suas ordens são promessas habilitadoras” (Parábolas de Jesus, p. 176).

Entregue a sua vontade a Deus e Ele habitará em você. Quando Deus habita em alguém, o capacita a realizar tudo o que Ele pede. Unido a Deus você se tornará um vencedor e você tem a promessa de se assentar com Ele, como um co-regente, em Seu trono, quando Ele voltar pela segunda vez (Apocalipse 3:21).

Jim Ayer
Vice-presidente da Rádio Mundial Adventista

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1219
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/Reavivados/Reavivados10-03-2018.mp3


MARCOS 16 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
10 de março de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



MARCOS 16 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
10 de março de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

MARCOS 16 – Este capítulo conclui a ousada mensagem de Marcos, e deixa os romanos e nós diante de uma importante decisão.

O capítulo contém os seguintes pontos, conforme destaca o Comentário Bíblico Adventista:

1. Um anjo anuncia a ressurreição de Cristo a três mulheres (vs. 1-8);
2. O próprio Cristo Se apresenta:
• a Maria Madalena (vs. 9-11);
• a dois outros no caminho para o campo (vs. 12-13);
• aos apóstolos (v. 14).
3. Os apóstolos são enviados a pregar o evangelho (v. 15-18).
4. Cristo ascende ao Céu (vs. 19-20).

Nesta passagem, é evidente “o poder de um forte amor a Cristo. Encontramos uma poderosa ilustração disso na conduta de Maria Madalena, da outra Maria e de Salomé, conforme este registro feito por Marcos. Ele nos revela que elas ‘compraram aromas’ e que ‘muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo’

“Com toda a razão, podemos crer que era preciso muita coragem para alguém fazer aquilo. Visitar um sepulcro, na penumbra do alvorecer, nos países do Oriente submeteria à provação a maioria das mulheres, sob quaisquer circunstâncias. Porém, visitar o sepulcro de alguém que fora executado como um malfeitor qualquer e levantar-se bem cedo, a fim de honrar a alguém que a nação delas havia desprezado – isso de fato, era uma notável ousadia…

“Por qual motivo vemos tão pouco desse fortíssimo amor por Jesus, entre os crentes de hoje? Por que tão raramente nos deparamos com santos que enfrentarão qualquer perigo, que passarão pelo fogo e pela água, por amor a Cristo? Só há uma resposta. É por causa da debilidade da fé e do baixo senso de obrigação para com Cristo, que prevalece tão largamente entre nós” (J. C. Ryle).

Importante considerar estas verdades:

• A ressurreição de Cristo nos dá certeza que a morte já não tem a última palavra. Só Jesus a tem.
• O Filho de Deus veio a este mundo, onde foi crucificado, morto e ressuscitado. Agora Ele está vivo intercedendo pelos pecadores no Céu. Se nossa vida não for impactada por isso, o que a impactará?
• O temor dos desafios por seguir e servir a Cristo deve ser menor que nosso amor e fervor por Ele.

Decida-se por Cristo que Se entregou por Ti! Reaviva-te! – Heber Toth Armí.

Compartilhe conosco como a forte mensagem de Marcos alcançou teu coração nestes 16 dias:



MARCOS 16 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de março de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (v.15).


O medo tem sido um dos piores vilões de todos os tempos. Ainda no Éden, após a queda, foi um dos primeiros sentimentos manifestados por Adão e sua mulher. Ele nos limita a circunstâncias que não apresentem riscos, aprisionando-nos a uma suposta “zona de conforto”. Como nossos primeiros pais, o medo nos faz procurar o primeiro esconderijo disponível para tentar fugir do que não temos coragem de enfrentar. “Surpreendidas e atemorizadas” (v.5), “Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé” (v.1), ouviram as palavras do anjo. Apesar da tentativa de abrandar-lhes o coração e da mensagem sobremodo solene que receberam, “de medo, nada disseram a ninguém” (v.8).

O que Maria Madalena não esperava era que o próprio Cristo ressuscitado lhe apareceria, dando-lhe Ele mesmo a missão de anunciar as boas-novas aos Seus companheiros que “estavam tristes e choravam” (v.10). O fato dos discípulos não terem acreditado não mudou o fato de que ela viu Jesus, falou com ele e anunciou o que Ele a ordenou. Bem como os dois discípulos que, anunciando a aparição de Cristo, os demais também “não [lhes] deram crédito” (v.13). A pregação do evangelho não está condicionada à aceitação dos ouvintes. Quer aceitem ou não, quer acreditem quer não, a mensagem continuará sendo sempre a mesma. E o passo a passo de Jesus para alcançar o coração do homem é bem parecido com o relato do capítulo de hoje.

Deus tem usado instrumentos diversos em Sua obra de salvação. Alguns mais ousados, outros mais comedidos. Alguns mais eloquentes, outros mais simples. Alguns que falam, outros cujas atitudes falam mais do que palavras. E quando estes instrumentos ainda não são suficientes, devido “a incredulidade e dureza de coração” (v.14) de seus ouvintes, Jesus mesmo Se encarrega de manifestar-Se. Mas é interessante notar que, indo ao encontro de Seus discípulos, Ele primeiro lhes censura e, logo após, lhes dá uma ordem. Ninguém que tenha um encontro real com Jesus pode permanecer do mesmo jeito. É necessário haver uma mudança. A cada pessoa que O encontra, Ele diz: “Necessário vos é nascer de novo” (Jo 3:7), “Vai e não peques mais” (Jo 8:11). Então, o milagre que começa no coração se evidencia na vida e torna-se impossível não compartilhá-lo.

Ainda que o mundo não acredite numa só palavra do que pregamos. Ainda que até mesmo nos ignore. Jesus está nos confirmando, hoje, que a Ele pertence a palavra final. Quantas vezes temos permitido que o medo nos domine, que as circunstâncias nos apavorem, que pessoas endurecidas nos intimidem, perdendo assim o privilégio da plena segurança que há em Cristo Jesus. Se Ele nos diz: “Ide” (v.15), tudo o que aparecer como situação desfavorável, Ele prometeu transformar em “sinais [que] hão de acompanhar aqueles que creem” (v.17).

Aquele que está assentado “à destra de Deus” (v.19), é o mesmo que prometeu estar conosco “todos os dias até à consumação do século” (Mt 28:20). Você crê nisto? Então, não temas!

Feliz sábado, pregadores da justiça!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Marcos16
#RPSP



MARCOS 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
10 de março de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

1 Passado o sábado. Após o pô do sol do sábado. Bíblia de Estudo Andrews.

para irem embalsamá-Lo.Na verdade, os judeus não praticavam o embalsamamento. A unção era semelhante à prática de levar flores a uma sepultura no mundo ocidental moderno, ou seja, um sinal de amor e respeito. Bíblia de Estudo Andrews.

7. Pedro. Apenas Marcos se refere a Pedro aqui [na ressurreição]. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 721.

Jesus restaura aquele discípulo que caiu em estado de desânimo, após tê-Lo negado. Bíblia Shedd.

9-20. Este trecho não consta em alguns dos melhores manuscritos da antiguidade. Há, também, indicações de que não foi escrito por Marcos. … Apesar disso, ainda não é decisiva a hipótese da não inspiração [divina] do trecho. O motivo, por outro lado, é claro: dar uma conclusão adequada ao evangelho que talvez tivesse sido mutilada e perdida, com o passar do tempo. Bíblia Shedd.

Existe um debate considerável entre os eruditos para saber se estes versículos faziam parte do original do evangelho de Marcos. Há evidências plausíveis para ambos os lados da questão. Portanto, deve-se ter cautela ao elaborar qualquer ensino específico [p. ex: batismo, exorcismo, línguas, invulnerabilidade, curas] com base somente nesta passagem. Porém, podemos usar este valioso resumo, uma vez que ele é confirmado por outras passagens das Escrituras. Bíblia de Estudo Andrews.

11. Não acreditaram. Este registro da incredulidade dos discípulos, mesmo em face dos testemunhos que afirmavam a ressurreição de Cristo, constitui uma forte evidência em favor da precisão e confiabilidade do relato histórico da ressurreição, inclusive nos seus mínimos detalhes. CBASD, vol. 5, p. 722.

14. Quando estavam à mesa. Parece que os discípulos transformaram em sua habitação temporária o aposento superior em que tinham participado juntos da Última Ceia. CBASD, vol. 5, p. 722.

15. Ide. … estes versículos [15 a 18] são, provavelmente, um breve relato de parte das amplas instruções que Jesus deu a cerca de 500 pessoas reunidas em uma montanha da Galileia. CBASD, vol. 5, p. 722.

16. Será salvo. Aqui se apresentam dois requisitos para os que aceitam os ensinos do evangelho: fé em Jesus e batismo. O primeiro é a aceitação íntima da salvação proporcionada pela morte vicária do Redentor do mundo; o segundo é a demonstração externa de uma mudança interior da vida (ver com. de Rm 6:3-6). CBASD, vol. 5, p. 722.

17. Estes sinais. Isto é. as demonstrações sobrenaturais e miraculosas do poder divino (ver p. 204, 205). No entanto, mesmo que os milagres sejam valiosos, não é impossível falsificá-los ou fazer circular notícias de supostos milagres. Estas notícias tendem a confundir o incauto e atrair o incrédulo. Em realidade, os milagres não constituem a evidência mais poderosa de que seja genuína a manifestação do evangelho (CTN, 406, 799). Deve-se lembrar que Jesus Se recusou a realizar milagres como sinais. CBASD, vol. 5, p. 723.

Novas línguas. Este dom … foi concedido quando se tornou necessário (ver com. de 1Co 14). CBASD, vol. 5, p. 723.

18 Pegarão em serpentesalguma coisa mortífera beberem. Cf At 28.3-6. Falta exemplo de alguém beber veneno e sobreviver no NT. Bíblia Shedd.

19. Depois de lhes ter falado. Esta frase de transição sugere que a ascensão ocorreu imediatamente após a comissão dos v. 15 a 18. Contudo, não parece ter sido o caso. É mais provável que aqui se faça referência a um intervalo mais prolongado. CBASD, vol. 5, p. 723.

À destra. A posição de honra e autoridade. CBASD, vol. 5, p. 723.

Trata-se, não da posição de Seu corpo, mas da majestade do Seu império (Calvino, cf. Sl 110.1; Mc 14.62). Bíblia Shedd.

20. Eles, tendo partido. Somente em Marcos se descreve, ousadamente, os triunfos do evangelho realizados pelo Espírito Santo mediante os apóstolos, durante os primeiros anos após a ascensão de Cristo. CBASD, vol. 5, p. 723.

Pregaram em toda a parte. Esta foi e continua sendo a missão dos seguidores  de Cristo (ver Mc 16:15). CBASD, vol. 5, p. 723.

Cooperando com eles. Na providência de Deus,  o poder divino sempre se unirá ao esforço humano. CBASD, vol. 5, p. 723.




%d blogueiros gostam disto: