Reavivados por Sua Palavra


MARCOS 8 by jquimelli
2 de março de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/marcos/mc-capitulo-8/

Este capítulo pode ser chamado de o Capítulo do Cego. O capítulo anterior termina com a exclamação de que Ele “faz até o surdo ouvir e o mudo falar.” (Mc 7:37 NVI). Somos, então, levados para a encosta gramada com vista para o Mar da Galiléia, para a alimentação de quatro mil homens famintos, mulheres e crianças (Mc 8:9; Mt. 15:38).

Apesar da abundância de milagres estabelecer um pano de fundo de alimentação de um grupo de pessoas do tamanho de um pequeno exército, no verso 11 os fariseus ainda procuram um “sinal do céu.” Esses professores voluntariamente escolheram a cegueira – a Verdade e a Vida estavam em pé diante deles e eles não podiam vê-Lo.

Os discípulos não pareciam estar em melhor condição. No versículo 15, Jesus os advertiu sobre o fermento dos fariseus e a não se tornar cego como eles. Mas a cegueira já os havia envolvido de tal maneira que eles perderam completamente o foco! Eles pensaram que Jesus estava falando sobre o pão físico.

Como é que ganharemos a nossa nova visão? Ao permitir que a água da vida, aplicada pela própria mão de Deus – os lave. Para que isso aconteça você deve aproximar-se do Criador.

Os versos 34-38 estabelecem requisitos e fazem perguntas a respeito da visão eterna. Ver começa com rendição: “Se alguém quiser acompanhar-Me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.” (v. 34 NVI). Leia novamente estes versos e, como você está, imagine-se entrando em uma conversa íntima com o Senhor – Aquele que está pronto para conceder-lhe plena visão.

Jim Ayer
Rádio Mundial Adventista

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1211
Equipe de tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Comentário em áudio Pr Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/Reavivados/Reavivados02-03-2018.mp3



MARCOS 8 – COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de março de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



MARCOS 8 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
2 de março de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

MARCOS 8 – Seguir a Jesus tem seus desafios, inclusive sofrimentos; porém, não segui-lO resulta em consequências irreversíveis. Ele é a única solução para os dilemas do coração, a única esperança sólida para o desespero causado pela morte.

Observe estes tópicos extraídos dos 38 versículos do capítulo em pauta:

• Jesus é movido de compaixão ao observar uma multidão de pecadores e Sua motivação O impulsiona a ajudar a cada uma das pessoas que carecem de auxílio. Ele fez o milagre da multiplicação de pães e peixes novamente (ver Marcos 6:32-44) e deixou Seus discípulos perplexos (vs. 1-9).

• Jesus Se preocupa com os pecadores, principalmente quando Ele investe tanto neles, mas eles teimam em suas próprias filosofias. Após ter Se afastado da Galileia, Jesus retornou; ao encontrar-Se com os líderes religiosos, estes aproveitaram para Lhe pedir um sinal (as duas multiplicações e outros milagres ainda não eram suficientes). Mas Jesus despreza a fé que depende de sinais. Os discípulos também tinham tendência para a incredulidade e hipocrisia, mas era mais fácil lidar com eles do que com os líderes eclesiásticos – evidentemente, Jesus Se preocupe com todos os hipócritas (vs. 10-21).

• Jesus curou literalmente a um cego logo após tratar com a incredulidade dos fariseus e dos discípulos. Esta história real ilustra teologicamente a cegueira espiritual que Jesus anseia curar dos pecadores cegados pelo orgulho e por Suas ideologias que impedem de ver a realidade nua e crua do pecador e de Sua necessidade de um Salvador (vs. 22-33).

• Jesus pregou que o caminho para a nossa salvação é Ele passar pela cruz; todavia, inclui uma assimilação nossa com Sua experiência. Para tornarmo-nos Seus discípulos devemos tomar também nossa cruz, assim deixamos de viver para nós mesmos a fim de entregarmo-nos inteiramente a Ele, passando a viver exclusivamente por Ele e para Ele. Embora possa haver desafios assombrosos, o resultado será glorioso (vs. 34-38).

Jesus quer nos salvar, por mais cabeça-dura que sejamos. Ele investe, e, ao ser rejeitado, Se afasta. Mas, depois volta, investe novamente, embora o resultado seja negativo de novo (vs. 11-12). Ele Se retira, e deixa-os refletindo (v. 13).

Jesus aproveita toda oportunidade para elevar os conceitos dos pecadores. Ele usa exemplos e faz uso de perguntas retóricas (vs. 14-21). Como reagiremos? Positivamente? – Heber Toth Armí.



MARCOS 8 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de março de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Jesus, porém, arrancou do íntimo do seu espírito um gemido e disse: Por que pede esta geração um sinal? Em verdade vos digo que a esta geração não se lhe dará sinal algum” (v.12).


Era impressionante a incredulidade, até mesmo dos discípulos, frente a todos os milagres e atos extraordinários realizados por Jesus. Seu modo de falar, as curas e até o Seu modo de olhar, por si só, denunciavam que a Sua obra não possuía o cunho humano, mas divino. Apesar da dualidade de Sua natureza, e de não fazer uso de Seus atributos divinos, Cristo era divinamente instruído por Deus e revestido de Seu Espírito. Era a Sua íntima comunhão com o Pai e a Sua completa confiança nEle, que fazia com que sete pães alimentassem uma multidão. Um poder que Ele não tomou para Si como confinado no passado, mas prometeu conceder aos que nEle creem: “Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em Mim fará também as obras que Eu faço e outras maiores fará, porque Eu vou para junto do Pai” (Jo 14:12).

Ao pedirem um sinal do céu, os fariseus simplesmente expressaram desejo semelhante ao do povo de Israel quando, no deserto, pediram a Arão que construísse um bezerro de ouro. Se sinais do céu tivessem o poder de converter corações, Israel teria cumprido com fidelidade a sua missão. Toda a Bíblia é uma comprovação de que sinais e maravilhas têm a sua importância, mas não compõem a base da fé cristã. Mesmo os discípulos, após os dois milagres da multiplicação, não compreendendo o significado “do fermento dos fariseus” (v.15), “discorriam entre si: É que não temos pão” (v.16). Como pedras brutas, eles foram sendo cuidadosa e pacientemente lapidados por Cristo.

O que provocou o profundo gemido do Salvador não foi a insistência dos fariseus, nem a tentativa de fazer-Lhe mal, mas a incredulidade tão nociva quanto a que levou Israel a passar quarenta anos no deserto. “Não compreendeis ainda?” (v.21), é a pergunta que transcende tempo e espaço até a última geração deste planeta. E muitos permanecem cegos espirituais enquanto Cristo deseja abrir-lhes os olhos. A Sua cura é linda e não é invasiva. Com amor, Jesus deseja tomar-lhes pela mão conduzindo-os a um encontro particular com Ele. A comunhão diária é como um tratamento onde nossos olhos vão se abrindo e podemos ouvir Jesus a nos falar: “Vês alguma coisa?” (v.23). Então, “recobrando a vista” (v.24), começamos a perceber algo diferente a se descortinar perante nossos olhos. Um processo que envolve o cuidado e o toque de Cristo.

Jesus deseja que passemos “a ver claramente”. Que possamos distinguir tudo “de modo perfeito” (v.25). E depois que Ele realiza esta obra, nos manda “embora para casa” (v.26), pois é ali, e não na “aldeia”, que devemos iniciar a sagrada missão. É do nosso coração para a nossa casa e da nossa casa para o mundo, lembram? Jesus espera que não confessemos o Seu nome apenas por palavras (v.29), mas por preceito e por exemplo. Crer em Jesus requer a renúncia do próprio eu e não existe lugar melhor para começar a colocar isso em prática do que dentro de casa.

Que “nesta geração adúltera e pecadora” (v.38), você possa sentir ser o maior dos privilégios crer em Jesus e em Suas palavras. Que Ele abra os teus olhos para enxergar “de modo perfeito”, então, “tome a sua cruz e [siga-O]” (v.34).

Bom dia, curados por Cristo!

DEZ DIAS DE ORAÇÃO, 9° dia: Oremos para que a nossa família seja fiel em todas as áreas da vida.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Marcos8
#RPSP



MARCOS 8 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de março de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

2 três dias. A importância do ensino do Mestre foi reconhecido pelo povo. Bíblia Shedd.

11 sinal do céu. Como Elias demonstrou no monte Carmelo (1Rs 18.20-40). Bíblia Shedd.

12 suspirando profundamente (ARC). Um detalhe mencionado apenas por Marcos. Jesus estava decepcionado com a lentidão do povo para compreender a verdade espiritual. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 5, p. 687.

15 fermento. Os judeus, seguindo o mandamento de Deus (Êx 13.7), evitam o uso de toda levedura na semana imediatamente após a Páscoa. Bíblia Shedd.

fermento de Herodes. Ou seja, a má influência de Herodes, particularmente seu mundanismo e caráter irresoluto. CBASD, vol. 5, p. 687.

27 Com a confissão de Pedro começa a segunda metade de Marcos. Não mais Jesus dirige ensinamentos para as multidões, mas aos discípulos. Começam a ser dados avisos referentes a Sua morte, como também à ressurreição. Bíblia Shedd.

33. coisas de Deus. A frase significa “adotar o lado de Deus”, “comprometer-se com a causa de Deus”. Só Deus compreende realmente a profundidade do problema do pecado, como também a única solução. Bíblia Shedd.

34 negue-se a si mesmo. Impedir que o eu seja o centro da sua vida e dos seus atos. Bíblia de Estudo NVI Vida.

36 alma. Uma metáfora para a vida eterna … Jesus desafia os discípulos que pretendem segui-Lo a não ter como foco a vida presente e o sofrimento que vem com ela. Perder esta vida não é nada comparado à perda da vida eterna. Andrews Study Bible.




%d blogueiros gostam disto: