Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
11 de janeiro de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica” (v.12).

O maior Salmo e também o maior capítulo das Escrituras é dedicado a detalhar a expressão do caráter de Deus. Ali, encontramos, dentre outros termos, que os mandamentos do Senhor são bons (Sl.119:39), verdadeiros (Idem, v.86), ilimitados (Idem, v. 96), “a própria verdade” (Idem, v.142) e eternos (Idem, v.160). Mediante tamanho conhecimento, entendemos porque Jesus foi o cumprimento exato e perfeito da lei que Ele mesmo sancionou com tinta que não se apaga (Fp.2:8).

Mas quando vamos ao texto de Êxodo 20, percebemos que há um mandamento específico sobre o qual Deus Se revela de um modo muito especial. De todos os mandamentos, o único que aparece no relato da criação, antes do pecado, é o quarto mandamento do Decálogo: “E abençoou Deus o sétimo dia e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera” (Gn.2:3). O descanso sabático foi criado para o benefício do ser humano e difere dos sábados cerimoniais que tinham uma finalidade de apontar para o plano da redenção. Mas o sábado do sétimo dia “é o sábado do Senhor” (Êx.20:10).

Ao contrário do que se pensa, o quarto mandamento não se trata de uma desculpa para o ócio, mas de um incentivo ao labor: “seis dias trabalharás” (Êx.20:9). O sábado é, portanto, um “carregador de baterias” e refrigério sagrado, onde Deus deseja ter um encontro especial com Seus filhos. Em um mundo secularizado e domesticado pelo sistema capitalista, parar enquanto todos correm requer fé e amor. Israel havia perdido esta relação íntima com o Criador ao andar “após os seus ídolos” (v.16). Isto não nos deixa bem claro que o afastamento dos mandamentos do Senhor tem tudo a ver com a diversidade dos “ídolos” modernos que o homem tem erguido no coração?

A primeira mensagem angélica possui três características que devem ser seriamente consideradas: é “um evangelho ETERNO”, mundial e que deve ser pregado “em grande voz”. Agora perceba a segunda parte da mensagem: “adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Ap.14:6-7). É um chamado à adoração ao Criador. E qual é o único mandamento que aponta o Senhor como o Criador? “Porque, em seis dias, fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou” (Êx.20:11). A profanação do sábado não é apenas uma quebra de mandamento, mas é a criatura declarando que não precisa do Criador. É o barro dando as costas ao Oleiro. O filho ignorando o Pai.

Israel havia quebrado a aliança do Senhor, mas Ele não permitiria que o Seu nome fosse “profanado diante das nações” (v.22). O sábado, além de um sinal de identificação, é uma revelação do Deus EU SOU (v.20). Perante as demais nações, as bênçãos sabáticas deveriam ser uma evidência inquestionável de que Israel era governada pelo cetro do Eterno. No entanto, o povo que foi chamado para ser luz, dizia em seu coração: “Seremos como as nações, como as outras gerações da terra” (v.32).

Biblicamente, podemos afirmar que o Senhor não está com a maioria, mas com aqueles que O amam como Ele deseja ser amado. Foi por isso que Ele salvou Noé e sua casa, porque “Noé andava com Deus” (Gn.6:9). E este andar o levou a fazer “consoante a tudo o que Deus lhe ordenara” (Gn.7:22). Certa vez, ouvi uma frase que me marcou e que revela uma grande verdade a respeito da observância dos dez mandamentos: “Se fossem dez sugestões, poderíamos nos sentir livres para honrar a Deus quando quiséssemos” (Filme “Como tudo começou“). Mas Ele mesmo escolheu este dia santo como um presente à humanidade. Dia este que foi cumprido por Jesus na vida, quando, no sábado, congregava nas sinagogas e fazia o bem (Lc.4:16; Mt.12:12), e na morte, quando repousou no sábado fazendo do memorial da criação também o memorial da redenção.

A guarda do sábado, bem como a observância dos mandamentos de Deus, nunca foi e nunca será a causa de nossa salvação, mas a consequência dela. O maior dos mandamentos está revelado na primeira tábua da lei divina “e o segundo, semelhante a este” (Mt.22:39), na segunda tábua. Você, de fato, ama a Deus? Então, saiba que “o cumprimento da lei é o amor” (Rm.13:10). Não permita que o seu coração seja envolvido pelo grande mal das multidões dos últimos dias, em que “o amor se esfriará de quase todos” (Mt.24:12), mas comungue da “perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Ap.14:12). Pois aquele “que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt.24:13). Eis o sinal de Deus sobre o Seu remanescente. Vigiemos e oremos!

Bom dia, santos perseverantes!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Ezequiel20 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: