Reavivados por Sua Palavra


EZEQUIEL 19 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
10 de janeiro de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

EZEQUIEL 19 – A realidade humana não limita a Deus. Do real desespero da humanidade Deus suscita esperança. Nada O impede de agir no mundo para beneficiar aos pecadores.
O capítulo em análise ensina-nos preciosas lições que valem nossa total atenção. Ele pode ser assim dividido para que obtenhamos uma visão geral de seu conteúdo:

1. Um lamento pelos líderes:
a) A leoa, símbolo de Judá (v. 2; ver Gênesis 49:9; I Reis 10:18-20).
b) Um leãozinho, levado ao Egito (vs. 1-4; ver Jeremias 22:10-12; II Reis 23:30-34)
c) Outro leãozinho, deportado para Babilônia (vs. 5-9; Jeremias 22:24-30; II Reis 24:8-16).

2. Um lamento pela terra prometida:
a) A videira, um retrato da nação dos judeus, o povo de Deus (v. 10; ver Isaías 5:1-7; Jeremias 2:21).
b) Os galhos fortes, símbolos do rei Zedequias (v. 11; ver Ezequiel 17:13).
c) O vento oriental que arrastou os galhos fortes representam as investidas de Nabucodonosor contra Jerusalém levando os príncipes judeus cativos para Babilônia (vs. 12-14; ver Jeremias 52:1-11).

Lamentos são expressões de aflições diante de uma realidade desesperadora. Motivadas pela angústia e amargura da alma, a infelicidade e a tristeza são expressas em palavras com tons fúnebres.
Com a realidade de uma nação despencando sem ninguém capaz de frear a apostasia… que, consequentemente, fora literalmente arrancada com furor e lançada por terra tornando-se deserta, tendo seus habitantes deportados para o exílio… realmente era lamentável!

Além disso, o rei “Joaquim foi seguido no trono por seu tio Zedequias, mas o reinado deste foi tão apagado que para todos os efeitos a dinastia terminou com Joaquim. Assim pensavam os judeus e mesmo Ezequiel, tanto assim que profecias são sempre datadas no início do cativeiro de Joaquim, sem referência alguma a Zedequias […]. No desastre final não restou nem mesmo uma vara da estirpe real que pudesse empunhar o cetro de Davi” (Siegfried J. Schwantes).

• Se era o fim da dinastia davídica, não havia grande razão para desesperar?
• Como viria o Messias se a promessa baseava-se na dinastia davídica?

Apesar dos pesares, o Leão da tribo de Judá se levantaria sobre a Terra, como de fato aconteceu; e, logo dominará para sempre todo o Universo (Miqueias 5:2; Apocalipse 5:5). Portanto, troque teu lamento por reavivamento!

Compartilhe esta esperança! – Heber Toth Armí.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: