Reavivados por Sua Palavra


I CRÔNICAS 13 by jquimelli
28 de setembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/1cr/13

Uzá e Aiô eram os responsáveis pelo transporte da Arca numa carroça nova. No entanto, quando os bois tropeçaram, Uzá estendeu a mão, tocou na Arca e morreu no mesmo instante. Davi ficou muito contrariado com Deus, por ter ferido de morte a Uzá. No entanto, esta experiência lhe ensinou que Deus não considera inocente aquele que desrespeita a Sua santidade. O transporte deveria ser feito de maneira especial, pelos levitas a pé.

Corremos o mesmo risco. Temos fácil acesso a Bíblia, estamos sempre na igreja, e muitas vezes nos aproximamos das coisas de Deus sem a devida reverência.

Davi ficou com medo de Deus e desistiu de levar a Arca para Jerusalém naquele momento. Algo surpreendente, no entanto, aconteceu. A família de Obede-Edom, que recebeu a Arca, foi grandemente abençoada pelo Senhor. A bênção foi tão notória que três meses depois Davi se dispôs a buscar a Arca e levá-la para Jerusalém.

Algumas vezes achamos que é preciso muito tempo para Deus nos abençoar. A experiência de Obede-Edom nos mostra o contrário. Em apenas três meses, as bênçãos de Deus sobre ele foram tantas que a notícia correu longe.

Quando damos a Deus o local de destaque que Ele merece, em pouco tempo, grandes bênçãos são vistas e sentidas em nossa vida.

Pr Jobson Santos
UNASP

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=596
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



I CRÔNICAS 13 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
28 de setembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 13 – Comentário Pr. Heber Toth Armí by jquimelli
28 de setembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Nunca despreze a Bíblia. Jamais rejeite sequer um versículo desse livro. “A Palavra de Deus, que, sob o Espírito Santo, gera novo nascimento, continua a ser o meio de desenvolver um caráter cristão em cada crente” (Frank B. Holbrook).

O texto trata da cruel morte de Uzá e da ira de Davi. Melhor dizendo, a mensagem revela o caráter de Deus e o valor que Ele dá a Sua Palavra. Reflita:

“A arca, mencionada 46 vezes em 1 e 2 Crônicas, deveria ser transportada aos ombros dos levitas (Nm 4.5,15), e não no modo filisteu, sobre um carro […]. Só os levitas podiam tocar a arca (cf. 2Sm 5.11-25)” (Merrill F. Unger).

· Consultar pessoas sábias, buscar conselho de bons conselheiros, solicitar auxílio aos líderes políticos e ter o apoio de todo o povo, de nada adianta se Deus não for consultado (vs. 1-3);

· Ter a companhia de todo povo de Deus para fazer o que é certo será um fracasso se for feito do jeito errado (vs. 4-7);

Os filisteus transportaram a arca de Deus em carros e deu certo. “Deus podia permitir que os filisteus usassem esse método, já que não eram o Seu povo da aliança, instruído pela Palavra” (W. W. Wiersbe).

· Fazer as coisas certas, do jeito certo, mas com tristeza, mal humor e carrancudo é errado tanto quanto estar alegre por criar estratégias para alcançar objetivos nobres pelos métodos errados (vs. 8-10). É errado copiar o método dos filisteus para fazer as coisas de Deus.

Uzá fez o que sabia ser errado e foi imediatamente fulminado.

· Sofrer as consequências dos próprios erros e ainda ficar furioso com Deus é evidência de loucura por não fazer as coisas conforme as Sagradas Escrituras. Quem erra, geralmente pensa ter razão, até mesmo quando Deus desaprova sua atitude (vs. 11-12).

· É mais fácil esquivar-se, fugir e abandonar o que se está fazendo do que avaliar onde está a raiz do problema e arrepender-se (vs. 13-14). Quem começa um ato errado cometerá erro atrás de erro, um cada vez pior que o anterior.

Deus quer nos abençoar – não se desvie do caminho da bênção: Sua Palavra! Reavivemo-nos!



1CRÔNICAS 13 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
28 de setembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Então, toda a congregação concordou em que assim se fizesse; porque isso pareceu justo aos olhos de todo o povo” (v.4).

A liderança de Davi nos deixou registros de sabedoria e sensatez. Ele não decidia pelo povo, ele decidia com o povo. Não que sempre desse ouvidos à voz do povo, e sim que a opinião de seus liderados não era ignorada. O desejo de Davi era de governar um povo de um só Senhor, e para isso necessitava reaver tudo aquilo que o auxiliasse no cumprimento desse propósito. Mas até um líder assim também pode falhar.

A arca de Deus, ou arca da aliança, estava em outra cidade de Israel, Quiriate-Jearim; ali havia permanecido por muitos anos, até que Davi resolveu levá-la para Jerusalém. A arca ficava no lugar Santíssimo do santuário e era o único objeto daquele compartimento. Dentro dela estavam as tábuas do Decálogo, ou seja, os dez mandamentos. Ali estava a confirmação da aliança de Deus com o Seu povo e a manifestação de Seu caráter. Não se tratava, portanto, de um objeto qualquer, mas de uma obra de arte que carregava a assinatura do dedo de Deus (Êx.31:18).

Saul não se importou em buscar a arca do Senhor. Ele estava tão focado nas guerras e na inveja que sentia de Davi, que permitiu que a maior guerra surgisse em seu coração, aprisionando-o ao pecado. Apesar das boas intenções de Davi, ele também cometeu o grave erro de transportar a arca sem seguir as instruções de Deus. E por tocar no que não lhe era permitido, Uzá morreu, e sua morte entristeceu o coração de Davi de uma forma que toda a sua alegria desvaneceu, negando-se a prosseguir com o trajeto. “Assim, ficou a arca de Deus com a família de Obede-Edom” (v.14).

Depois de saber o que tinha acontecido com Uzá, você teria coragem de ter a arca da aliança em sua casa? O resultado desse depósito compulsório foi três meses de bênçãos sobre a casa de Obede-Edom e sobre tudo o que possuía. Era perante a arca, no lugar Santíssimo, que a glória de Deus era manifestada e somente o sumo sacerdote poderia entrar ali uma vez por ano, no dia da expiação. Uzá ignorou isso, já Obede-Edom entendeu que ali era “invocado o nome do Senhor, que se assenta acima dos querubins” (v.6), e a sua obediência resultou em bênção.

Após o sacrifício de Cristo, o véu do santuário se rasgou de alto a baixo (Mt.27:51), nos dando livre acesso ao Pai. Hoje podemos falar com o Pai por intermédio do Filho. Mas assim como Jesus foi “obediente até à morte” (Fp.2:8), Deus capacita Seus filhos à obediência. A Lei do Senhor “é santa; e o mandamento, santo, e justo, e bom” (Rm.7:12). Ora, santidade, justiça e bondade são atributos almejados por todo aquele que muito em breve deseja estar diante do trono de Deus. Levar a arca para Jerusalém “pareceu justo aos olhos de todo o povo” (v.4), mas assim como havia uma forma certa de transportá-la, Jesus nos deixou o perfeito exemplo de como devemos andar com Deus.

A pergunta é: “Como trarei para mim a arca de Deus?” (v.12). Precisamos conhecer a diferença entre o certo e o errado, entre o santo e o profano. Não é o que achamos que seja correto e santo, mas o que a Bíblia estabelece por princípios acerca disso. Notem que Davi e o povo estavam vivenciando um momento de muita alegria, com toda sorte de instrumentos, “com todo o seu empenho” (v.8). Mas este episódio deixa bem claro que se o nosso empenho em fazer a obra de Deus não estiver em comum acordo com as Escrituras, mais cedo ou mais tarde a nossa alegria se tornará em desgosto.

Assim diz o Senhor: “segundo a palavra da aliança que fiz convosco, quando saístes do Egito, o Meu Espírito habita no meio de vós; não temais” (Ag.2:5). O desejo de Deus é que aceitemos a Sua aliança e sejamos ricamente abençoados com o Espírito Santo em nossa vida e em nosso lar. Então, não teremos o que temer. Temos em nossas mãos a Palavra de Deus, e nela, muitos tesouros a serem explorados. Não negligenciemos o que Saul negligenciou e, como Uzá, não toquemos no que não nos convém, mas que o Espírito Santo nos desperte e reavive fazendo de nosso lar uma casa de bênção. Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, família de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Crônicas13 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



I CRÔNICAS 13 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
28 de setembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



I CRÔNICAS 13 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
28 de setembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1058 palavras

1-14 A primeira tentativa de Davi para transferir a arca da aliança a Jerusalém. Feita de modo precipitado, fracassou. Bíblia de Estudo Andrews.

2 Toda a congregação. Isto é, neste caso os representantes principais da congregação. Davi reconheceu os “capitães de mil, e os de cem, e todos os príncipes” (v. 1) como os representantes do povo, aos quais devia consultar acerca de assuntos públicos, e quem deviam opinar sobre a direção dos assuntos nacionais. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 161.

Quando você está no comando é tentador tomar decisões unilaterais, baseadas nas suas próprias opiniões. Mas líderes eficazes escutam cuidadosamente as opiniões dos outros e eles encorajam outros a participar no processo de construir soluções. E, claro, devemos sempre consultar antes a Deus. Podemos incorrer em grandes problemas se não conversarmos com Ele antes. Life Application Study Bible Kingsway.

Se bem vos parece … do Senhor. A harmonia entre Davi e o seu povo, quando buscavam obedecer a Deus, é um modelo para os exilados que estavam retornando da Babilônia (2Cr 30.4-5). Bíblia de Genebra.

A todos os nossos outros irmãos. Isto é, aqueles que ainda ficaram nas suas casas e não compareceram à reunião. CBASD, vol. 3,p. 161.

3 não nos valemos dela. O cronista contrasta aqui Davi e Saul (11.2). Davi preocupara-se com a arca, ao passo que Saul a negligenciou. Bíblia de Genebra.

A arca de Deus tinha estado em Quiriate-Jearim por muitos anos. A negligência pela arca refletia a negligência de Israel por Deus. Trazer a arca de volta para o centro da vida de Israel refletiu o desejo de Davi de lembrar à nação qual era seu real fundamento – Deus. Negligenciar as coisas que nos lembram de Deus – a Bíblia, a igreja e o contato com cristãos – ocasionará em nós a tendência de negligenciar Deus. devemos manter Deus no centro de nossas vidas. Life Application Study Bible Kingsway.

5 Todo o Israel. Davi reuniu 30 mil homens escolhidos de todas as tribos de Israel (2Sm 6:1). CBASD, vol. 3,p. 161.

Sior. Outro nome para o rio Nilo. Segundo este versículo, a fronteira sul de Israel se estendia até o braço mais oriental [a leste] do Nilo. Bíblia de Estudo Andrews.

Sior (no original de Is 23.3) é o Nilo. Bíblia Shedd.

Acima dos querubins. Comparar com 1Sm 4:4; 2Sm 6:2; Sl 80:1; Is 37:16. CBASD, vol. 3,p. 161.

7 Num carro novo. Os israelitas não observaram a lei de Deus sobre o transporte da arca com varas, aos ombros dos sacerdotes (Êx 25.12-15). Ao invés disto, eles manusearam a arca desconsiderando a santidade de Deus e as regulamentações divinas de adoração (15.2, 11-15). Bíblia de Genebra.

As instruções sobre o transporte da arca se encontram em Êx 25.14; Nm 4.15; 7:9; 10.21. Davi não procurou conhecê-las e obedecer a elas. , e assim suas boas intenções não foram aceitas pelo Senhor. A obediência às ordens do Senhor é mais importante que os ritos religiosos. ele pode ver nossos corações e conhece nossas mentes, e não se deixa enganar pela aparência externa. Nossos corações precisam ser retos e obedientes para nosso serviço ser aceitável (1 Sm 15.22). Bíblia Shedd.

8 A adoração no Antigo Testamento era mais que um exercício sóbrio de religião. A exuberância de Davi ao louvar a Deus com dança e música é aprovada na Escritura. Nossa adoração deveria refletir um sério equilíbrio: por vezes devemos ser reflexivos e sério (ver Êx 19.14 e ss) e por vezes devemos demonstrar entusiasmo e grande alegria. Do que você precisa – de mais séria reflexão ou mais alegre celebração? Life Application Study Bible Kingsway.

9 Uzá. Sua morte frisou, a todas as gerações futuras, a necessidade de reverência e conformidade para com os objetos sagrados a Deus. A arca nunca deveria ter sido posta em um carro: nunca deveria ser tocada; haveria varas especiais para transportá-la (Êx 25.14). Bíblia Shedd.

Estendeu Uzá a mão. A arca era sagrada e simbolizava a presença de Deus. Instruções detalhadas foram dadas com respeito à arca a fim de que aqueles que lidassem com ela não morressem (Nm 1:51; 4:15, 19; 20:7, 9). CBASD, vol. 3, p. 161.

10 e o feriu. Uzá demonstrou desconsideração para com a santidade da adoração, tocando na arca (Nm 4.15). embora, aparentemente, tivesse sido um delito secundário, a violação de Uzá envolvia o descuido pela santidade de Deus, o que exigia um castigo que serviria como uma advertência para todos os filhos de Israel (v. 7 e nota). Bíblia de Genebra.

Morreu. O Senhor considerou todos os fatos. Ele sabia que Uzá era pecaminoso, ímpio, e tinha pecados não confessados e pouco senso da santidade de Deus bem como da seriedade da transgressão. A morte desse homem provaria ser uma advertência solene para muitos e, assim, um meio de impedir juízos divinos que, de outra forma, cairiam sobre milhares (ver PP, 706; ver mais em 2Sm 6:6). CBASD, vol. 3,p. 161.

Uzá morreu instantaneamente por tocar na arca, mas Deus abençoou a casa de Obede-Edom, onde a arca foi guardada. Isto demonstra os dois aspectos do poder de Deus: Ele é perfeitamente amoroso e perfeitamente justo. Grandes bênçãos vêm sobre aqueles que obedecem aos Seus mandamentos, mas severa punição vem sobre aqueles que O desobedecem. A punição pode vir num momento ou ao longo de muito tempo, mas ela virá. Às vezes mantemos nosso foco somente nas bênçãos que Deus nos dá, enquanto nos esquecemos que quando pecamos, “terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo”. Noutras vezes, contudo, nos concentramos tanto no julgamento que perdemos Suas bênçãos. Não caia em uma visão desequilibrada sobre Deus. Juntamente com as bênçãos de Deus, vem a responsabilidade de cumprir Suas exigências de justiça, honestidade e justiça. Life Application Study Bible Kingsway.

11 Desgostou-se Davi. Sem entender os propósitos divinos, Davi se desgostou com o modo como o Senhor havia procedido. Ele questionou a justiça divina (ver PP, 705, 706; ver com. de 2Sm 6:8). CBASD, vol. 3,p. 161.

Perez-Uzá. O nome significa “ataque (de fúria) contra Uzá”. Bíblia de Estudo Andrews. [NT: De acordo com a página https://www.nomesbiblicos.com/perez/, as traduções mais comuns/aceitas de Perez são: “brecha”, “rompimento”, “ruptura” e “aquele que surge”, com base, principalmente em Gn 38:29].

12 Temeu Davi. Davi teve medo de seus próprios pecados. Ao testemunhar o juízo de Deus sobre Uzá, ele temeu que algum erro seu pudesse trazer juízos sobre si também. CBASD, vol. 3,p. 161, 162.

13 Obede-Edom. Levita da família de Corá, do clã de Coate (26.1, 4), pelo que estava autorizado a cuidar da arca. Bíblia Shedd.

Era um levita (15.18, 21, 24), que foi abençoado ao ter muitos filhos (26.4-5), presumivelmente porque ele cuidava apropriadamente da arca. Bíblia de Genebra.




%d blogueiros gostam disto: