Reavivados por Sua Palavra


2 REIS 15 by jquimelli
5 de setembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2rs/15

Deus é incrivelmente paciente conosco. Como você pode ver em todas essas histórias, Deus havia escolhido a nação de Israel para ser dEle, e, embora houvesse muitos reis que fizeram o mal aos Seus olhos, Ele ainda os manteve. E então, às vezes, vinha um rei que fazia o que era certo aos olhos de Deus, e mesmo esses reis permitiam que alguma forma de mal sobrevivesse durante seu governo.

Às vezes, parece que fizemos muito mal aos olhos de Deus para que Ele nos ame. Quando tivermos esses pensamentos, lembre-se de que Deus ficou com as nações de Israel e Judá, mesmo com os líderes em seus países orquestrando o mal aos Seus olhos.

Não estou sugerindo que devamos fazer o mal aos olhos de Deus porque sabemos que ele vai continuar conosco. Em vez disso, estou sugerindo que a idéia de que fizemos muito mal para voltar a Deus é de Satanás, e a verdade é que Deus está sempre disponível a nos receber e quer ter um relacionamento conosco.

Você precisa de um lembrete da paciência de Deus hoje? Ore, Ele te atenderá.

Suvan Campbell
Aluna da Great Lakes Adventist Academy – Academia Adventista dos Grandes Lagos
Michigan EUA

 

Devocional da rodada anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2016/06/03/
Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=574
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



2 REIS 15 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
5 de setembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



2 REIS 15 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
5 de setembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

As maiores árvores do mundo, as sequoias, caem facilmente quando pequenos besouros penetram suas raízes. O mesmo acontece a indivíduos, famílias, igrejas, cidades e países que descuidam dos besouros do pecado.

Dois reis são citados de Judá neste capítulo:

• Azarias foi quase muito bom, faltou eliminar do reino alguns pontos de cultos abomináveis a Deus.

• “Jotão foi um dos melhores reis de Judá, apesar de não ter removido os altos […]. Sua atitude contrasta de forma nítida com a dos reis de Israel, os quais dirigiram seus caminhos segundo Jeroboão” (William MacDonald).

Donald J. Wiseman divide assim este capítulo:

• Azarias-Judá (vs. 1-7);
• Zacarias-Israel (vs. 8-12);
• Salum-Israel (vs. 13-16);
• Manaém-Israel (vs. 17-22);
• Pecaías-Israel (vs. 23-26);
• Peca-Israel (vs. 27-31);
• Jotão-Judá (vs. 32-38).

A seção iniciada no versículo 8 até 31 Iain W. Provan intitula-a: “Os últimos dias de Israel”. Israel estava em situação mais complicada que Judá. Entre dois reis de Judá são citados cinco reis de Israel, os quais, contrastados, explica a razão de Israel ir primeiro ao cativeiro, onde termina sua história política:

• Salum chegou ao trono mediante assassinato, um mês depois o perdeu ao ser assassinado.

• Manaém reinou em lugar de Salum, seu reinado durou dez anos pautados pela crueldade, exploração e aliança com pagãos.

• Pecaías reinou dois anos; embora não tenha tomado o trono à força como os demais, sofreu morte violenta.

“Em vinte anos cinco reis governam Israel, mas nenhum deles faz qualquer coisa para investigar a derrocada moral da nação… Nesse ínterim, a situação é ligeiramente melhor em Judá basicamente devido à liderança moral de Uzias [o mesmo Azarias] e Amazias… Assim mesmo, como os lugares altos não foram removidos de Judá, as sementes da destruição existem para ambos os reinos” (Paul R. House).

1. Algum tipo de instabilidade revela periculosidade, se isso é realidade em tua vida, vigie e ore para não cair no mar da destruição.
2. Destrua pequenos besouros do pecado com a graça de Cristo para que eles não destruam nada do que você não quer destruído.
3. Avalie/reavalie a tua vida. Tome uma decisão correta!

Profeticamente, o mundo está política, moral e espiritualmente sendo devorado pelos besouros do pecado. Estamos nos últimos dias! Deus quer levar-nos para o reino dos Céus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



2REIS 15 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
5 de setembro de 2019, 0:35
Filed under: Sem categoria

“O Senhor feriu ao rei, e este ficou leproso até ao dia da sua morte e habitava numa casa separada…” (v.5).

Há alguns dias, estudamos a história de Naamã, sobre a sua lepra e de como foi curado. Hoje estudamos sobre o rei Azarias, sobre a sua lepra e de como não houve cura. Naamã havia sido um herói de guerra, conquistador de muitas vitórias. Porém, tudo o que havia conseguido foi porque o Senhor o abençoou, e ele precisava reconhecer isso.

No caso de Azarias, a maldita doença consumiu a sua vida até à morte. A cura não lhe foi outorgada. Quando estudarmos o livro de Segunda Crônicas, veremos que, como Naamã, Azarias acariciou o orgulho e a arrogância em seu coração. 

Provavelmente, se Deus não tivesse permitido que aquela doença o ferisse até à morte, o relato de que “fez o que era reto perante o Senhor” (v.3) teria sido bem diferente. Azarias também é chamado na Bíblia pelo nome de Uzias (v.32), mas ambos os nomes significam: “Deus é a minha força” ou “a minha força é Deus”. E Deus teve que deter as forças de Azarias para que ele pudesse compreender o significado e o peso de seu próprio nome.

Enquanto isso, em Israel…

Conspirações, mortes e um reino que não passava de pai para filho, mas de um assassino para outro.

De geração em geração, o pecado tem revelado seus resultados desastrosos. Tudo porque a nossa natureza conspira contra a natureza divina. Não estamos livres, nem como cristãos. Vivemos uma batalha constante contra a lei do pecado que habita em nossa carne. E a respeito disso, o próprio Paulo confessou: “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” (Rm.7:19).

Temos visto que pertencer a Israel ou a Judá não era sinônimo de salvação. Fazer parte de uma nação eleita não garantia aos filhos de Israel uma entrada no Céu, mas fazia deles atalaias do Senhor, mensageiros da verdade. Não era apenas um privilégio, mas uma tremenda responsabilidade.

Hoje, vivemos em um mundo onde a maior pregação tem sido: Deus só quer o seu coração.

Cuidado, amados! Sim, Deus quer o nosso coração. Pois Ele mesmo diz: “Filho Meu, dá-me o teu coração” (Pv.23:26), e diz também: “Eis que estou à porta e bato…” (Ap.3:20). Mas quando abrimos a porta de nosso coração e o entregamos a Deus, não há como não haver mudança. Quando Cristo assume o primeiro lugar em uma vida, Ele arruma a bagunça que o pecado deixou.

Todo aquele que aceita a Jesus como Seu Salvador pessoal precisa refletir a Sua imagem. E esse reflexo só pode ser visto quando há uma transformação de dentro para fora. A aparência de santidade aliada a um coração orgulhoso é um dos maiores enganos do inimigo. Quando a Bíblia diz que “o coração alegre aformoseia o rosto” (Pv.15:13), não está a falar de qualquer alegria, mas do fruto do Espírito Santo; e nem tampouco de qualquer formosura, mas da formosura em assemelhar-se a Cristo. O que Israel não entendeu, precisamos buscar viver a cada dia.

Mahatma Gandhi certa vez confessou: “Eu gosto do seu Cristo, só não gosto de seus cristãos. Seus cristãos são tão diferentes de seu Cristo”. Esta é uma realidade que deve ser extinta entre o professo povo de Deus. A maior preocupação e ocupação em Israel e em Judá era de engrandecer o reino e torná-lo poderoso sobre os demais. A maior ocupação dos fiéis sentinelas de Cristo deve ser o de anunciar o Reino de Deus. A ordem de Cristo foi: “Ide ao mundo e pregai o evangelho…” (Mt.28:19), e não ide à igreja e se ocupem a ponto de não terem tempo de ir buscar o que está perdido. 

Buscar em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça não é fazer o que achamos que devemos fazer, mas permitir que o Senhor tome conta dos desígnios do coração e conduza nossos passos na direção daqueles que necessitam conhecê-Lo. Não permitamos que a lepra do pecado nos consuma a vida até à morte. Mas abramos o coração Àquele que por Sua morte nos presenteou com abundância de vida! Vigiemos e oremos!

Bom dia, salvos para salvar!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Reis15 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



2 REIS 15 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
5 de setembro de 2019, 0:11
Filed under: Sem categoria



2 REIS 15 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
5 de setembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

501 palavras

5 o SENHOR feriu. Como castigo por ter usurpado a função sacerdotal de queimar incenso no altar do templo (v. 2 Cr 26.16-21; Lv 13.46) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Foi este o pecado que privou o rei de ter uma história ainda mais longa e melhor sobre seu intenso reinado (Bíblia Shedd).

7 descansou Azarias. Este foi o ano da vocação de Isaías (739 a.C.; cf Is 6.1) (Bíblia Shedd).

10 matou-o. Amós já havia profetizado sobre a destruição da família de Jeroboão (Am 7.9). Jeú, porém, recebera a promessa de que sua dinastia perduraria até à quarta geração (2 Rs 10.30) (Bíblia Shedd).

12 Assim se cumpriu a palavra do SENHOR. Com a derrubada da dinastia de Jeú, o Reino do Norte entrou num período de instabilidade política (v. Os 1.4). Os demais cinco reis do Reino do Norte foram assassinados, excetuando-se Menaém, que reinou durante dez anos, e Oséias [o rei], que foi preso pelos assírios. O declínio e queda do Reino do Norte, desde a situação de poder e prosperidade no reinado de Jeroboão II, foi rápido (Bíblia de Estudo NVI Vida).

16 Tifsa…todas as mulheres. Era o centro dos partidários de Salum, e a selvageria que o novo rei ali revelou era uma peculiaridade só achada nos mais vis pagãos (8.12; Os 13.16; Am 1.13) (Bíblia Shedd).

19 Pul. O nome babilônico (v. 1Cr 5.26) do rei assírio Tiglate Pileser III (745-727 a.C.) (Bíblia de Estudo NVI Vida). O grande restaurador do Império da Assíria (à custa do sacrifício das nações vizinhas) (Bíblia Shedd).

mil talentos de prata. Trinta e cinco toneladas de prata (NVI).
Oséias [o profeta] denunciou a política de buscar ajuda dos assírios e predisse que fracassaria (Os 5.13-15) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

20 cinquenta ciclos de prata. Seiscentos gramas (NVI). Um simples cálculo aritmético revela que seriam necessários aproximadamente 60.000 homens de posses para fornecer as 35 toneladas de prata do tributo. Esse fato oferece algum indício da prosperidade que o Reino do Norte desfrutara durante os dias de Jeroboão (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Por causa dos pecados de Israel, essa prosperidade foi consumida nos gastos para consolidar o reino de Tiglate-Pileser III, segundo o v. 19 (Bíblia Shedd).

29  levou [cativos] os seus habitantes. Este evento […] marca o início da diáspora [dispersão judaica] das dez tribos (Andrews Study Bible).

Esta deportação aconteceu no ano 734 a.C. O reino da Assíria deportara as guarnições das cidades do norte e do noroeste, que representavam a nata do poder bélico de Israel; Samaria era uma fortaleza poderosa, mas já não possuía nenhuma força física ou moral – a corrupção já a levaria à decadência, e o seu rei poderia ser comparado a um “pássaro engaiolado”. O resto de Israel era dominado facilmente como vassalo. (Bíblia Shedd).

30 Oséias. Não há dúvida que sua entronização foi feita com a ajuda do rei da Assíria. Este último rei de Israel acabou se tornando um simples títere nas mãos dos assírios. A sua consipração o levou à loucura de tentar descartar-se de sua aliança com a Assíria, fazendo mexericos com o rei do Egito (17.4), o que redundou na destruição total de Israel (Bíblia Shedd).




%d blogueiros gostam disto: