Reavivados por Sua Palavra


2 REIS 20 by jquimelli
10 de setembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2rs/20

Ezequias enfrenta outro desafio: a sua vida estava prestes a acabar! Dado o fato de que a vida neste mundo é curta, era natural que Ezequias chorasse pelo seu destino.

Isaías, por outro lado, foi o encarregado de entregar as mensagens divinas ao rei. Primeiro, de que ele iria morrer em breve e, a seguir, que ele não iria morrer tão cedo.

Será que Deus não estava totalmente seguro de Sua decisão quando enviou Isaías a Ezequias pela primeira vez? O que levou Deus a mudar de idéia? Novamente, isso está relacionado à liberdade de escolha que Deus nos concede. No plano infinito de Deus, era melhor para a vida de Ezequias que ela acabasse naquele momento, mas Deus concordou com a escolha do rei concedendo-lhe mais 15 anos de vida. Estes anos finais se provaram ser infrutíferos para Ezequias e abriram a porta para a invasão babilônica, mais à frente.

A lição mais difícil de aprender na vida é a da obediência. Ezequias não quis se submeter à vontade de Deus e Deus permitiu-lhe ver o resultado de sua má escolha.

Devemos aprender com Jesus, que demonstrou a total obediência em que viveu quando orou ao Pai para retirar dEle o amargo cálice: “Todavia, não seja como Eu quero, e sim como Tu queres” (Mateus 26:39).

Daniel Jiao
União Missão Chinesa
Hong Kong

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=579
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



2 REIS 20 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
10 de setembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria



2 REIS 20 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
10 de setembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Dias difíceis são normais enquanto vivermos neste mundo imoral, injusto e corrupto. Os desafios são infinitos e as dificuldades são incalculáveis. Os problemas nos assolam, e nossas crises revelam-nos que somos limitados, fracos e sofredores.

Se formos sábios o suficiente para erguer nossos olhos ao alto para buscar a Deus, nossas lutas neste mundo serão momentâneas, passageiras; elas, logo se tornarão em vitórias e histórias. Nossa oração e ação hoje serão nossos testemunhos amanhã.

• Nossos desafios do presente nos abrem portas para termos histórias do poder e ação de Deus para serem contadas às próximas gerações.

Os entraves da vida são oportunidades para Deus operar milagres em nossa existência. Pena que muitos nunca levantam os olhos da fé ao céu; poucos buscam intensamente ao Deus que pode tudo. Por isso, a oportunidade de milagre se torna calamidade e motivos para reclamação, quando deveria ser uma motivação para a oração.

• Bem-aventurados os que oram porque serão atendidos!

Por trás de uma vida estagnada tem uma Bíblia fechada, e por trás de cada reclamação revela falta de oração. Jesus chorou, mas não reclamou. Ezequias orou, assim ele alcançou a vitória (capítulo 19). Adoeceu, mas após ouvir a mensagem do profeta Isaías e orar, ele foi curado (capítulo 20).

Atenção:

• Deus não fez o profeta de bobo, mas deu uma mensagem, depois de transmitida, pediu que ele voltasse e desse outra, contrária à primeira (vs. 1-6).

• Embora Ezequias fosse um homem consagrado, e Isaías um profeta renomado, a orientação profética não indicou realizar oração poderosa sobre o doente, mas a preparação de uma pasta de figos para colocar sobre o tumor (v. 7).

• Deus age em Seus servos visando à salvação dos incrédulos. Deus impactou aos pagãos adoradores do deus sol, fazendo o astro-rei retroceder durante 40 minutos (vs. 8-11).

• Movidos de curiosidade, após o milagre da cura e do retrocesso do sol, os babilônicos visitaram o rei do povo de Deus. Contudo, Ezequias desperdiçou a oportunidade de testemunhar, ao perder tempo mostrando as bênçãos recebidas (prosperidade) sem comentar a fonte das bênçãos (vs. 12-13).

• Isaías reprovou Ezequias e apregoou sofrimentos para o futuro (vs. 14-21). Bênçãos sem testemunhos resultam em maldições!

Ignorar o testemunhar dos atos de Deus afetará a próxima geração! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



2REIS 20 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
10 de setembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Perguntou ele: Que viram em tua casa? Respondeu Ezequias: Viram tudo quanto há em minha casa; coisa nenhuma há nos meus tesouros que eu não lhes mostrasse” (v.15).

Não fomos planejados e criados para morrer. A morte tem sido uma intrusa depois que o homem trocou o planejamento divino pelo pecado. É por isso que em toda a história da humanidade, por mais que a morte esteja presente em tudo o que tem vida, numa folha que cai, numa flor que murcha, numa planta que seca, no luto por um ente querido; tudo o que tem vida anda para o triste e fatídico final: a morte. Somos obrigados a conviver com ela, mas aceitá-la não faz parte de nossa natureza, pois Deus “pôs a eternidade no coração do homem” (Ec.3:11). Ou seja, fomos criados para viver.

Como todos que prezam pela vida, Ezequias não estava pronto para morrer, e clamou ao Senhor pela cura. Em prantos, apelou a Deus que considerasse os seus anos de fidelidade, e sua súplica foi ouvida e atendida. Quinze anos a mais lhe foram concedidos e o retrocesso da sombra “no relógio de Acaz” (v.11) foi a sua garantia. Após um tratamento natural, já com a saúde restabelecida, Ezequias recebeu cartas e presentes do rei da Babilônia. Desta vez, porém, Ezequias não teve a mesma atitude que teve com as cartas de Senaqueribe. Como o conteúdo se mostrou amistoso, ao invés de estender as cartas babilônicas perante Deus, “Ezequias se agradou dos mensageiros e lhes mostrou toda a casa do seu tesouro… nenhuma coisa houve, nem em sua casa, nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse” (v.13).

Ezequias expôs todas as suas riquezas. Contudo, esqueceu do principal: o Senhor. Aqueles mensageiros foram enviados a um rei que esperavam encontrar moribundo ou até mesmo morto. Ezequias teve a oportunidade ímpar de mostrar àqueles pagãos o poder do Deus que é o único capaz de curar enfermidades mortais e de fazer o sol retroceder. Trocou o testemunho pelo testamento. Entretanto, tudo o que deixaria por herança a seus herdeiros seria destruído e espalhado no futuro. Mas parece que essa desgraça não o afetou, pois não aconteceria com ele.

Meus amados, precisamos estar atentos nestes últimos dias. Estamos vivendo na prorrogação deste mundo caído. E o inimigo de Deus nem sempre se apresenta como um inimigo voraz como Senaqueribe. Mas também se manifesta como o rei da Babilônia, com cartas amistosas e presentes que encantam, mas que mostram seus terríveis efeitos mais cedo ou mais tarde. A pergunta para nós continua sendo a mesma: “Que viram em tua casa?” (v.15). A nossa casa não deve ser um espetáculo para ser divulgado, mas um cenário do poder operante de Deus. A oportunidade desperdiçada por Ezequias pode não ter lhe trazido danos pessoais, entretanto, abriu as portas para o futuro caos entre o povo que como rei procurava proteger.

O Senhor está disposto a curar nossas enfermidades e a interferir na ordem natural das coisas por amor a todo aquele que com inteireza de coração O busca. Ele ouve as nossas orações, vê as nossas lágrimas e está disposto a realizar milagres em nossa vida. Só que nem sempre a cura ou o sobrenatural correspondem ao verdadeiro milagre que Deus deseja realizar. O verdadeiro milagre não nasce no nosso coração, mas no coração de Deus. Entendem? Nem sempre o que considero um milagre o é na essência. A essência do milagre está na firme confiança: “Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor” (Rm.14:8). 

O maior desejo do Senhor não é o de nos conceder curas e tesouros terrenos, mas que apontem para a eternidade. Deus não nos chamou para servirmos como exposição de bênçãos, e sim como cooperadores em Sua incansável obra de salvar. Entendendo que vivemos em tempos emprestados, que o mundo veja em nossa casa a presença de um Deus de amor que deseja acrescentar a eternidade à nossa vida. O Senhor tem retrocedido não apenas dez graus no relógio das profecias, mas um tempo sobremodo longânimo, “não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2Pe.3:9). Que o maior dos milagres muito em breve aconteça na minha e na sua vida: o fim da morte e o começo da eternidade em Cristo Jesus! Vigiemos e oremos!

Bom dia, cooperadores de Deus!

Desafio da semana: O nosso Criador nos deixou 8 princípios de saúde para que desfrutemos de uma qualidade de vida que glorifique o Seu nome. Esta semana vamos iniciar com o primeiro princípio: o ar puro. Respire profundamente 10 vezes seguidas, pelo menos três vezes ao dia. E se puder, persevere comigo em oração e jejum na quarta-feira.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Reis20 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



2 REIS 20 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
10 de setembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



2 REIS 20 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
10 de setembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

638 palavras

porque morrerás. A doença era fatal. A profecia previa os resultados que seguiriam as circunstâncias do momento. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 1065.

orou. Ezequias não achou que fosse inútil orar, como se a mensagem profética tivesse tornado a morte inevitável. Quando a pessoa ora, Deus poderia fazer o que Ele não poderia se ela não orasse. Pedidos de cura, no entanto, devem ser feitos em espírito de submissão. Somente Deus sabe se a resposta a um pedido contribuirá para o bem da pessoa interessada e se redundará em Sua glória. … A extensão da vida de Ezequias o levou a um grande erro (v. 12-19). Se tivesse acrescentado à sua oração: “Todavia, não seja como eu quero, e si como Tu queres” (Mt 26:39), ele poderia ter morrido com o registro de dua vida imaculado. CBASD, vol. 2, p. 1065.

11 retroceder dez graus. Não há benefício em especular como Deus executa os milagres. O sinal veio como interferência direta de Deus. CBASD, vol. 2, p. 1066.

12 enviou cartas. Astrônomos babilônicos notaram que havia ocorrido um milagre do relógio de sol (ver 2Cr 32:31). Quando Merodaque-Baladã ouviu o que havia ocorrido, enviou mensageiros para felicitar a Ezequias e aprender mais sobre o Deus que podia operar esse tipo de milagre (ver PR, 344).  CBASD, vol. 2, p. 1067.

13 toda a casa do seu tesouro. Ezequias se sentiu lisonjeado com essa atenção por parte do “rei e Babilônia”. Ao mostrar seus tesouros aos embaixadores e revelar seus recursos, ele estava oferecendo uma isca aos gananciosos caldeus, que voltariam para tomar esses tesouros e levá-los para a Babilônia menos de um século depois dessa visita. CBASD, vol. 2, p. 1067.

14 Então, Isaías, o profeta, veio. Ezequias cometera um grave erro que punha em perigo a segurança de sua nação, e o profeta foi enviado para repreendê-lo. … Por meio de Isaías, o Senhor instou com Seu povo para não se associar com poderes estrangeiros, mas a confiar em Deus (Is 8:9-13; 30:1-7; 31:1-5). CBASD, vol. 2, p. 1067.

Babilônia. Nessa época, Babilônia, sujeita à Assíria, era considerada uma nação fraca, insignificante e tão distante que nunca seria uma ameaça. No entanto, já se tornava objeto de atenção profética (Is 13; 14:1-23; 43:14; 46:1, 2; 47:1-15; Mq 4:10). Em breve Babilônia, e não a Assíria, seria o grande inimigo e o poder que promoveria a queda de Judá. CBASD, vol. 2, p. 1067.

15 Que viram em tua casa? Eles viram o que Ezequias lhes mostrou. Era uma grande oportunidade de testemunhar para o Senhor. Deus o curara de uma doença mortal. O impressionante milagre da sombra do sol despertou interesse generalizado. Ezequias deveria ter testemunhado da maravilhosa misericórdia e do poder de Deus e deveria ter enviado os mensageiros de Merodaque-Baladã de volta bem instruídos a respeito do que Deus pode fazer e faz por Seus filhos em toda a Terra. Porém, ele falhou. A pergunta a Ezequias é feita às pessoas do século 21. O Senhor pergunta: o que as pessoas veem em nosso lar e em nossa vida?

nos meus tesouros. Ezequias estava muito preocupado com seus tesouros terrenos. Teria sido melhor se ele tivesse valorizado o tesouro celestial e dado um vislumbre da Pérola de grande preço aos mensageiros babilônios. CBASD, vol. 2, p. 1067.

17 levado para a Babilônia. Esta predição foi cumprida quase um século depois. Os exércitos de Nabucodonosor levaram os tesouros de Judá para Babilônia (2Rs 24:25). CBASD, vol. 2, p. 1067.

18 teus próprios filhos. “Filhos”, em hebraico, geralmente representa a posteridade. CBASD, vol. 2, p. 1067.

19 Boa é a palavra. Ezequias reconheceu que as palavras de Isaías eram as palavras doSenhor e que eram boas. Ele sabia que merecia a reprovação. CBASD, vol. 2, p. 1068.

haverá paz e segurança. Ezequias estava satisfeito com o fato de que o juízo não ocorreria em seus dias e que haveria paz e prosperidade em seu reinado. Esta foi uma reação natural, mas egoísta. Ele deveria se preocupar com os problemas que seu ato imprudente acarretaria sobre sua posteridade. CBASD, vol. 2, p. 1068.




%d blogueiros gostam disto: