Reavivados por Sua Palavra


2 REIS 16 by jquimelli
6 de setembro de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/2rs/16

Como você resolve seus problemas? Por seus próprios meios, com a ajuda de outros, ou pedindo ajuda a Deus? Acaz, obviamente, não pediu ajuda a Deus quando enfrentou a invasão do rei da Síria e de Israel. Seu auxílio veio de rei da Assíria. Qual foi o preço que ele teve que pagar? “A prata e o ouro que se acharam na Casa do SENHOR e nos tesouros da casa do rei” (v. 8). Esta prata e ouro não lhe pertenciam, mas a Deus, porém Acaz não teve medo de usá-lo.

O afastamento de Acaz de Deus é ainda ilustrado quando ele construiu um altar como o usado por Tiglate-Pileser, rei da Assíria, em Damasco. Por que ele construiu este altar quando já existia um altar no Templo de Deus? Ele provavelmente queria ganhar a mesma vitória que o rei assírio conseguira, mas a construção da cópia de um altar falso certamente não lhe trouxe nenhuma vitória.

O distanciamento de Deus muitas vezes começa em pequenos passos. A única maneira de se manter firme é ficar sob a proteção de Deus e manter um relacionamento próximo com Ele.

Daniel Jiao
União Missão Chinesa
Hong Kong

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=575
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



2 REIS 16 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
6 de setembro de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



2 REIS 16 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
6 de setembro de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

 
Tanto nos dias de Acaz como nos nossos, o pecado parece prevalecer. O mal ameaça sufocar o bem. Os efeitos do pecado parecem não mais assustar ao povo de Deus:

1. Acaz reinou sobre o povo de Deus, em Jerusalém, promovendo os princípios do reino do diabo (vs. 1-4). Ele:
• Andou em pecado;
• Fez o filho passar pelo fogo como os gentios/pagãos;
• Ofereceu sacrifícios a deuses humanamente fabricados.

2. Israel vivia em pior situação que Judá; aliado à Síria, ambos intentaram vencer Acaz, porém, não conseguiram (vs. 4-5).

3. Acaz deu mais passos cada vez para mais longe de Deus (vs. 6-20):
• Aliou-se com a Assíria a fim de combater a Síria e Israel;
• Subornou Tiglate-Pileser da Síria com recursos do palácio e do Templo;
• Copiou um modelo de um altar pagão em Damasco e pediu ao sacerdote Urias para fazer um altar igual;
• Ofereceu sacrifícios no altar feito por Urias, mas nenhum foi súplica por perdão;
• Limitou as funções cerimoniais do templo;
• Morreu sem arrepender-se.

A falta de confiança em Deus leva indivíduos a procurar segurança ilusória – trocar o certo pelo duvidoso. A Bíblia de estudo Andrews analisa: “Acaz subornou os assírios, o maior dos inimigos, na expectativa de que fossem resgatá-lo. [Assim] recusou-se a confiar em Deus (Is 7)”.

Concessões, falta de determinação e firmeza, fazem alastrar, em vez de barrar, os pecados dos outros. “Urias, o sacerdote, procedeu de modo pecaminoso e obedeceu às ordens sacrílegas do rei Acaz, em vez de repreendê-lo com firmeza” (William MacDonald).

No reinado de Acaz, a situação do povo tornou-se caótica. “As portas do templo [foram] fechadas. O serviço sagrado foi interrompido. Não mais ficariam os castiçais acesos sobre o altar. Não mais seriam oferecidas ofertas pelo pecado do povo. Não mais o suave incenso ascenderia ao alto na hora do sacrifício da manhã e da tarde. Tornando deserto o pátio da casa de Deus, e aferrolhando suas portas, os habitantes da ímpia cidade ousadamente ergueram altares para a adoração de divindades pagãs nas esquinas das ruas através de Jerusalém. Aparentemente o paganismo havia triunfado; os poderes das trevas haviam prevalecido” (Ellen G. White).

Contudo, Deus está no controle. Ezequias é a luz no fim do túnel! Satanás nunca ganhará de Deus! – Heber Toth Armí.



2REIS 16 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de setembro de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Porque andou no caminho dos reis de Israel e até queimou a seu filho como sacrifício, segundo as abominações dos gentios, que o Senhor lançara de diante dos filhos de Israel” (v.3).

A perversidade alcançou o auge em Israel. De nação santa de Deus, estava a um degrau de ganhar em maldade para as nações pagãs. Contrastando com os demais reis de Judá, Acaz não foi apenas um rei, foi um dos piores. Não foi apenas um pai, foi o assassino de seu próprio filho. Não foi apenas um político estrategista, foi um adorador falsário. Ele trocou o socorro do Senhor pela ajuda de homens. E o altar do Senhor foi colocado ao lado de um altar pagão. Acaz trocou, deliberadamente, a bênção pela maldição. Perdeu totalmente a noção do sagrado e se desfez das coisas santas como quem descarta um objeto qualquer.

O troca-troca de Acaz, infelizmente, não ficou extinto lá naquela época. Porém, transformou-se em algo tão sutil que já não desperta revolta. Percebam que Acaz não deixou de observar os ritos sagrados, e os fazia como se fossem feitos ao Senhor, oficiados por um sacerdote do Senhor, contudo, no lugar e do modo que ele mesmo escolheu para fazer. Hoje, muitos dizem adorar a Deus, mas cada um do seu próprio jeito. No estudo de ontem, desmistificamos a ideia de que Deus só quer o nosso coração. Ele quer sim o nosso coração, mas para moldá-lo para a Sua glória. O capítulo de hoje nos traz mais uma lição fundamental para a nossa jornada cristã: Deixar de lado o “assim diz o Senhor” para fazer a própria vontade é uma contrafação às preciosas verdades contidas na Palavra de Deus.

Liberdade não é viver o que eu acho ser correto. Liberdade é servir a Deus da maneira que Ele prescreveu. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo.8:32). Existem profissionais preparados para servir à sociedade. Se um médico, por exemplo, prescrever um medicamento, é natural que o providenciemos e iniciemos o tratamento. Se um engenheiro aprova um projeto, é sinal de que podemos dar início às obras. Se o nosso carro vai para a revisão e o mecânico diz que está tudo em ordem, voltamos para casa confiantes de que o carro não nos deixará na mão. Confiamos nestes profissionais, simplesmente porque eles são especialistas em sua área de atuação. Então porque é tão difícil para o ser humano confiar nAquele que o criou? E ao invés de corrermos para os braços do nosso Criador, nos atiramos nos braços falhos de outras criaturas. E como Acaz, vamos postergando a nossa entrega a Deus, deixando para uma “deliberação posterior” (v.15).

Assim como não fomos criados de qualquer jeito, a verdadeira adoração ao Criador não pode ser de qualquer maneira! Uma vida consagrada no altar do Senhor tem vínculo com o Céu através do diligente estudo da Palavra, oração e testemunho. Através do relacionamento diário com o Criador, experimentamos as bênçãos de uma vida com propósitos eternos. Já uma vida sem comunhão é uma vida vazia que busca preencher o abismo da alma imitando as obras de outras vidas vazias. Como a beleza daquele altar pagão, o pecado se mostra atraente e sequestra todo aquele que por ele é vencido. Sobre qual altar temos dedicado a nossa vida, e como temos feito isso? Que possamos atender ao apelo do Espírito Santo através do apóstolo Paulo, consagrando, diariamente, no altar do Senhor, o nosso “corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o [nosso] culto racional” (Rm.12:1). Vigiemos e oremos!

Bom dia, consagrados no altar do Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Reis16 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



2 REIS 16 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
6 de setembro de 2019, 0:10
Filed under: Sem categoria



2 REIS 16 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
6 de setembro de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

735 palavras

2 não fez o que era reto. O reinado de Acaz marcou o início do declínio final da nação. Ezequias e Josias se esforçaram para deter a maré de iniquidade, mas os efeitos foram passageiros. Uma nação não pode resistir por muito tempo sem justiça e boa liderança. As pessoas más trazem sobre si, automaticamente, a ruína (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 2, p. 1037).

4 altos. Esses altares parecem ter sido assimilados da adoração pagã a Baal e empregados para o culto ao Senhor de modo sincretista. Debaixo de toda árvore frondosa. Árvores grandes eram consideradas símbolos de fertilidade pelos habitantes pré israelitas de Canaã. Ritos pagãos imorais eram celebrados nos santuários localizados debaixo de semelhantes árvores. De modo contrário à proibição explícita segundo a aliança mosaica, os israelitas adotaram esse costume pagão (ver 17.10; 1Rs 14.23; Dt 12.2; Jr 2.20; 3.6; 17.2; Ez 6.13; 20.28; Os 4.13, 14) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

Sacrificou. Escolher os mesmos lugares levou-os a imitar os ritos pagãos, especialmente no que se refere ao sacrifício humano, praticado por Acaz (v.3). A prática de tal barbaridade pagã era uma característica do culto a Moloque (Lv 18.21; 20.1-5), terminantemente proibida aos israelitas. O outro único rei que assim procedera, foi Manassés, de Judá (21.6). O rei de Moabe sacrificou seu filho a Camos (3.27) (Bíblia Shedd).

Estes rituais horríveis foram proibidos aos israelitas sob pena de morte  (Lv 18.21; 20.2) (CBASD, vol. 2, p. 1037).

5 a Jerusalém, para pelejarem contra ela. A breve guerra siro efraimita foi uma tentativa da Siria e Israel de derrubar Acaz e colocar em seu lugar no trono de Judá um rei que se opusesse à Assíria (Andrews Study Bible).

6 judeus. Do heb. Yehudim, de Yehudah (Judá), um dos doze filhos de Jacó. Esta é a primeira ocorrência da palavra nas Escrituras. O termo é aplicado, primeiramente, só aos cidadãos do reino do sul, de Judá. Após o cativeiro, é utilizado para designar todos os que retornaram para a Palestina, independente das origens tribais (Ed 4:12; Ne 1:2). Na era cristã, o nome abrangia todos os descendentes de Jacó (Mt 2.2) (CBASD, vol. 2, p. 1037).

o siros vieram até Elate e ficaram habitando ali até o dia de hoje. “Os edomitas então se mudaram para Elate, onde vivem até hoje” (NVI e NKJV). Segundo o que sabemos, o poder sírio nunca atingiu o Mar Vermelho, e a própria Síria deixou de existir dois ou três anos depois (Bíblia Shedd).

Os filisteus também aproveitaram esta oportunidade para vingar-se de suas derrotas anteriores (comp 2Cr 26.5-7 com 2Cr 28.18) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

7 enviou mensageiros. Acaz tomou esta decisão contra o conselho do profeta Isaías, que o encorajou a confiar em Deus e não em seres humanos (Is 7.7-13; 8.13) Livra-me. Um clamor assim só poderia ser dirigido ao Deus do Céu. O pedido a Tiglate Pileser era um lamentável resultado da falta de fé de Acaz em Deus. Repetidas vezes, em tempo de aflição, o Senhor prometeu libertar Seu povo. Isaías insistiu com o rei para que confiasse em Deus e não em seres humanos, mas Acaz recusou ouvir o conselho do profeta (CBASD, vol. 2, p. 1037).

9 Quir. O lar original dos sírios (Am 9:7), provavelmente localizada na parte mais ao sudoeste da Mesopotâmia. É ligada a Elão [mais tarde Pérsia e, hoje, Irã] (Andrews Study Bible).

Os arameus [sírios] foram mandados de volta para seu lugar de origem (Am 9.7) em cumprimento da profecia de Amós (Am 1.5) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

10 altar. A reprodução por Acaz de semelhante altar teria sido mais um sinal de submissão aos assírios (Bíblia de Estudo NVI Vida).

11 edificou um altar. Este foi um ato chocante para um sacerdote israelita. O sacerdócio foi dedicado ao serviço de Deus, não ao serviço dos ídolos, e esse sacerdote do Senhor edificou um altar pagão que tomaria o lugar do altar sagrado de Deus no templo(CBASD, vol. 2, p. 1038).

15 altar grande. Embora o fogo do céu tivesse inaugurado e sancionado o emprego do altar de bronze para a adoração ao Senhor (ver 2Cr 7.1), Acaz agora o substituiu por uma altar construído segundo o padrão do altar pagão em Damasco. Embora o altar de bronze fosse bastante grande (ver 2Cr 4.1), o altar novo era ainda maior (Bíblia de Estudo NVI Vida).

19 demais acontecimentos do reinado de Acaz. Ver 2Cr 28, onde está registrado, entre outras coisas, que Acaz chegou ao ponto de trancar as portas do templo (2Cr 28.24) (Bíblia de Estudo NVI Vida).

20 foi sepultado. De acordo com o registro paralelo, ele não foi colocado na sepultura dos reis (2Cr 28:27) (CBASD, vol. 2, p. 1039).




%d blogueiros gostam disto: