Reavivados por Sua Palavra


II TIMÓTEO 3 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
12 de agosto de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

  1752 palavras

Sabe. Paulo já havia previsto um afastamento da f;é genuína (1Tm 4:1-3). Aqui, ele exorta Timóteo a estar bem ciente dos perigos insidiosos que ameaçam a igreja em seus dias e que afetariam sua pureza e reputação até o retorno de Cristo. CBASD  – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 357.

Últimos dias. Paulo fala “deste modo perverso”(Gl 1:4) e João declara que “o mundo inteiro jaz no maligno”(1Jo 5:19). Assim, a presença do mal não é uma característica única dos “últimos dias”. No entanto, a progressiva degradação moral da humanidade atesta a total incapacidade humana de se salvar. Com a crescente atividade do príncipe do mal (cf. Ap 7:1; 12:12), é de se esperar que o curso milenar do mal chegue a um clímax de intensidade nos “últimos dias”. Em contradição às afirmações amenas de uma miríade de religiosos equivocados que ensinam que o ser humano está ficando cada vez melhor e que, finalmente, o mudo inteiro será convertido, as Escrituras declaram que declaram que os homens malignos “irá de mal a pior”(2Tm 3:13). É nesse cenário que as palavras do apóstolo a respeito dos “últimos dias” assumem seu significado pleno e completo. CBASD, vol. 7, p. 358.

Tempos. A Palavra de Deus declara que nos “últimos dias o povo de Deus poderia esperar tentações e perigos peculiares. CBASD, vol. 7, p. 358.

Homens. Do gr anthropoi, “humanidade”. CBASD, vol. 7, p. 358.

Egoístas. A antítese do genuíno espírito cristão de abnegação (ver com. de 1Co 13:5) e mansidão (ver com. de Mt 5:5). CBASD, vol. 7, p. 358.

Avarentos. Do gr. philarguroi, “amantes do dinheiro” (ver com. de Lc 16:4; cf.com. de 1Tm 6:10). CBASD, vol. 7, p. 358.

Jactanciosos. Ou “embusteiros vãos”(ver com. de Rm 1:30), ou seja, os que confiam nas próprias capacidades enquanto desafiam os recursos de Deus e os direitos de seus semelhantes. CBASD, vol. 7, p. 358.

Arrogantes. Ou, “soberbos”(ARC; ver Rm 1:30), isto é, que consideram os outros cm desprezo ou desrespeito. CBASD, vol. 7, p. 358.

Blasfemadores. Ou, “caluniadores”, “abusadores”, isto é, que falam mal na tentativa de prejudicar a reputação de outros, seja de Deus ou de outras pessoas. CBASD, vol. 7, p. 358.

Desobedientes aos pais. Ver com. de Rm 1:30. CBASD, vol. 7, p. 358.

Ingratos. Manifestada apesar dos benefícios recebidos de Deus e dos pais. Os que são “amantes de si mesmo”raramente são gratos. A invenções modernas têm contribuído para a autossuficiência humana que, com frequência, faz com que as pessoas não sintam necessidade das bênçãos de Deus. CBASD, vol. 7, p. 358.

Irreverentes. Ou, “ímpios”, referência direta a um estado de espírito que remove Deus do pensamento e da ação (ver Is 57:20, 21; m 3:17, 18). CBASD, vol. 7, p. 358.

Mais amigos dos prazeres. Aqueles que amam “a si mesmos”(v. 2), naturalmente vão em busca dos prazeres, em vez de cumprir as exigências do sagrado modo de viver estipulado por Deus. CBASD, vol. 7, p. 359.

Que amigos de Deus. Mas precisamente, “em vez de [amigos de Deus”, ou seja, tais pessoas são controladas pelo amor ao prazer e não pelo amor a Deus. Essa descrição pode se aplicar tanto os que são membros da igreja como aos que não o são. CBASD, vol. 7, p. 359.

Forma de piedade. Ou seja, características exteriores de religião, como a frequência à igreja, ofertas e até mesmo um serviço personalizado para ela. Essa característica se plica especificamente aos que se identificam superficialmente com o cristianismo. CBASD, vol. 7, p. 359.

O poder. Ou sej, o poder de Deus, que coopera com a vontade das pessoas para a erradicação de todas as tendências pecaminosas (ver com. de Rm 1:16; 2Co 13:4; Ef 3:20). CBASD, vol. 7, p. 359.

Foge. Ao longo dos anos, o comportamento dos membros nominais da igreja, isto é, os que professam lealdade ao modo de vida de Deus, mas não revelam evidência tangível de um desenvolvimento à semelhança de Cristo, tem sido maior obstáculo para o progresso do evangelho do que outro fator (comparar com 2Co 2:14-16; 1Tm 4:16; 2Pe 3:12). CBASD, vol. 7, p. 359. [Destaque acrescentado]

6 Entre estes. Aqueles que são charlatães religiosos ou os que provocam as “contendas de palavras”(ver com. de 1Tm 6:3-5; 2Tm 2:14) com frequência manifestam as características indicadas nos v. 2 a 5. CBASD, vol. 7, p. 359.

Mulherinhas. Paulo aqui descreve as mulheres ingênuas que, por disciplina religiosa insuficiente, eram vítimas fáceis dos vendedores de interpretações fantasiosas das Escrituras. Talvez, por causa de horas ociosas em casa, essa mulheres tinham mais tempo para satisfazer seus caprichos e curiosidades. Ficavam satisfeitas com a atenção especial que esses falsos instrutores religiosos lhes dedicavam e, portanto, respondiam com obediência servil. Esse comportamento de alguns membros da igreja não existiria se cada cristão se decidisse a conhecer pessoalmente as verdades do cristianismo. A  tendência de procurar sempre algo novo e sensacional não é característica do cristão maduro (ver com. de Ef 4:14). CBASD, vol. 7, p. 359.[Destaque acrescentado]

Sobrecarregadas. Ou, oprimidas”, isto é, com os hábitos do pecado habitual. CBASD, vol. 7, p. 359.

Janes e Jambres. Apesar de não serem encontrados no AT, esses nomes são preservados em um Targum judaico (ver vol. 5, p. 83 e 84), que comenta Êxodo 7:11. Supostamente, esses homens foram dois dos magos que imitaram os milagres de Moisés, quando ele se apresentou diante do faraó. CBASD, vol. 7, p. 359, 360.

Réprobos. Do gr. adokimoi, “não aprovados”, “não genuínos”. A mensagem, ou a fé, desses mestres religiosos não se ajustava à verdade (comparar com 2Tm 2:15). CBASD, vol. 7, p. 360.

Insensatez. Do gr. anoia, “fala de entendimento”. A história confirma a predição de Paulo de que, mais cedo ou mais tarde, as loucuras das pessoas são expostas e rejeitadas, mesmo pelos que foram mais enganados. CBASD, vol. 7, p. 360.

Como também aconteceu. Ou seja, assim como o engano de Janes e Jambres (v. 8) foi evidente para os egípcios e israelitas. CBASD, vol. 7, p. 360.

10 Ensino. Do gr. didaskalia, “doutrina”(ver 1Tm 6:1, 3; 2Tm 3:16; 4:3). O ensino de Paulo, como poderia ser atestado por seus frutos em toda a Ásia Menor, era genuíno. Ele contrastava com a fé dos mestres “réprobos”(v. 8) da doutrina pervertida. CBASD, vol. 7, p. 360.

Propósito. A met de Paulo, depois da conversão, foi sempre a glorificação de Cristo, a fim de que todos fossem atraídos ao mestre. Esse propósito controlava seu ensinamento e sua conduta. CBASD, vol. 7, p. 360.

Fé. A confiança pessoal no amor e orientação diária de Deus dava a Paulo uma perspectiva em meio a problemas opressivos que o cercavam (ver com. de 1Tm 1:14). CBASD, vol. 7, p. 360.

11Perseguições e … os meus sofrimentos … em Antioquia. Ver At 13:14-50. Icônio. Ver 13:51-14:6 e Listra. Ver At 14:6-20. O apóstolo pode ter mencionado essas três cidades porque Timóteo conhecia bem a região em que estavam situadas. CBASD, vol. 7, p. 360.

Entretanto, me livrou. Deus não poupou Paulo das provações da vida, assim como não poupou Jesus. Mas Deus nos ajuda a suportar essas provas. … Os santos provados são capazes, assim como Cristo, de ver a alegria que lhes está proposta (cf Hb 12:2), testemunhando o poder mantenedor da graça de Deus em meio a circunstâncias adversas. CBASD, vol. 7, p. 361.

12 Todos. Não só os ministros da igreja, mas todos os que se consagram a viver como Cristo ordena, devem esperar ser mal compreendidos, caluniados e submetidos a sofrimento de todo tipo (ver com. de Jo 15:18-20; 1Pe 4:12-19). CBASD, vol. 7, p. 361.

Em Cristo Jesus. Nenhuma vida piedosa existe sem uma ligação vital com nosso Senhor. Ele é o modelo e o sustentador da vida cristã.

13 Irão de mal a pior. Em casa geração, os ímpios aprendem com seus antecessores, aumentando a intensidade e o volume do mal, confirmando a profecia de Cristo de que a iniquidade se multiplicaria (Mt 24:12). CBASD, vol. 7, p. 361.

14 Aprendeste. Para Timóteo, a única proteção contra os ensinamentos enganosos consistiria em depender firmemente das instruções de Paulo e dos outros apóstolos (ver com. de 2Tm 1:13; 2:2). Essas verdades do evangelho não só convencem a mente da culpa como também reconfortam o coração. As experiências pessoais confirmam a validade dos princípios do evangelho e aumentam a confiança para enfrentar o futuro. CBASD, vol. 7, p. 361.

15 Desde a infância. Os pais judeus fiéis começavam a ensinar as verdades do AT para seus filhos aos cinco anos de idade. CBASD, vol. 7, p. 361.

Sagradas letras. Literalmente, escritos sagrados”, os seja, o AT. Quando Paulo escreveu, não havia coleções dos escritos sagrados do NT, embora houvesse em circulação certos registros escritos da vida e dos pronunciamentos de Cristo e uma série das próprias epístolas de Paulo às igrejas (sobre o desenvolvimento do cânon do NT, ver vol. 5, p. 96-109). CBASD, vol. 7, p. 361, 362.

Sábio para a salvação. A Bíblia foi escrita para mostrar às pessoas como podem ser salvas de seus pecados. Há muitos chamados escritos sagrados do mundo, mas apenas a Bíblia aponta com segurança o caminho para redenção da humanidade. … Só a Bíblia revela como as pessoas podem romper os laços dos hábitos pecaminosos e encontrar o perdão de Deus. Por isso, o primeiro dever de cada ser humano dve ser o de entender a Bíblia por si mesmo. CBASD, vol. 7, p. 362.

Pela fé em Cristo Jesus. Mesmo que alguém não consiga memorizar as Escrituras para dominar toda a doutrina, isso não lhe asseguraria a salvação. Os “demônios creem”(Tg 2:19) mas seu conhecimento da verdade não os torna santos, nem lhes garante a redenção futura. CBASD, vol. 7, p. 362.

16 Toda a Escritura. Apesar de Paulo aqui se referir especificamente ao AT, sua declaração também é verdadeira quanto ao NT. CBASD, vol. 7, p. 362.

Inspirada por Deus. [A Bíblia] é o próprio pensamento de Deus comunicado aos homens (ver com. de 2Pe 1:21). A vitalidade das Escrituras deve-se à vida nelas soprada pelo próprio Deus. CBASD, vol. 7, p. 362.

Útil. Aqui, Paulo se estende, apresentando quatro funções que correspondem às Sagradas Escrituras. Revela com detalhes precisos como a Bíblia faz com que os seres humanos se tornem “sábios para a salvação (v. 15). CBASD, vol. 7, p. 362.

Ensino. Ou, “doutrina”(ver com. do v. 10). A Bíblia é o único livro que ensina a salvação ao ser humano. Só Deus pode oferecer salvação, portanto, só Deus pode revelar sua natureza e seu alcance. CBASD, vol. 7, p. 362.

Reprensão. A Biblia não só repreende o pecador, também serve para refutar os ensinos pervertidos, como aqueles que Timóteo tinha que enfrentar. CBASD, vol. 7, p. 363.

Correção. Desde que suas primeiras palavras foram escritas, a Bíblia tem demonstrado seu poder para recriar e transformar a vida das pessoas. CBASD, vol. 7, p. 363.

Educação. Assim como se ensina a uma criança as responsabilidades básicas da vida adulta, o cristão encontra nas Escrituras esses princípios que o ajudam a crescer até a “perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef 4:13). Esse processo de crescimento para ser semelhante a Cristo é conhecido como santificação, o qual continua ao longo da vida. CBASD, vol. 7, p. 363.

Justiça. Do gr. dikaiosune, qualidade ou condição que Deus pode aprovar. Unicamente a Bíblia descreve um modo de vida que Deus possa aprovar. CBASD, vol. 7, p. 363.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: