Reavivados por Sua Palavra


I TIMÓTEO 6 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
9 de agosto de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (v.10).


Nenhum ser humano está imune à cobiça e à inveja, porque são obras da carne (Gl 5:19). A menos que se apeguem à forte destra da Onipotência, mente alguma pode manter-se livre da corrupção que há no mundo. E todos os males existentes derivam de um amor maltrapilho pelas riquezas. O “amor do dinheiro” (v.10), ou cobiça material, tornou-se a primazia no coração daqueles que não conhecem a Deus. Até mesmo sobre aqueles que repousa a sagrada missão de ensinar ao mundo as verdades eternas, têm se privado de conhecê-las a fim de garantir que seu raso conhecimento da Palavra se resuma em sermões que rendam grande lucro. Igreja cheia, bons negócios.

Muitos têm se enveredado por caminho sobremodo tortuoso, sustentando uma triste “mania por questões e contendas de palavras, de que nascem inveja, provocação, difamações, suspeitas malignas, altercações sem fim” (v.4-5), que em nada edificam a própria vida e nem a de outros, a fim de lucrarem com isso. Deus pedirá contas de cada palavra dita “por homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro” (v.5). Mas recompensará todo aquele que considera “a piedade com o contentamento” a sua “grande fonte de lucro” (v.6) e vive feliz com o que tem. O problema não está na prosperidade, mas em fazer dela o objetivo da fé.

Paulo exortou Timóteo a fugir “destas coisas” e a seguir “a justiça, a piedade, a fé, o amor, a constância, a mansidão” (v.11). A maioria não se interessa por conhecer o plano da salvação, mas deseja usufruir de seus benefícios. A religião cristã tornou-se a mais eclética. Tem igrejas para todos os gostos. A vontade humana é colocada acima da vontade divina e muita confusão se estabelece. Literalmente, o homem fica sem saber para onde ir ou em quê acreditar. Todas sustentam a posição de que a Bíblia é a sua única regra de fé e prática, mas nem todas ensinam seus membros a combater “o bom combate da fé” mediante uma vida livre de avareza e instruída em “toda a Escritura”  (2Tm 3:16).

Na era das redes sociais, está mais do que comprovado que o ser humano sente um prazer doentio em mostrar aos outros o que possui. A fim de ostentar uma imagem criada pelo ego, compartilhar a vida tornou-se praticamente um labor diário. Sendo assim, o “bom combate da fé” (v.12) é trocado pela competição transitória por “likes” e comentários que afagam a vaidade e despertam a inveja. O “amor do dinheiro” é muito mais do que possuir riquezas ou desejá-las. Pois existem muitos ricos “generosos em dar e prontos a repartir” (v.18), e muitos pobres cheios de si e avarentos. O que define esse amor exacerbado é a ganância de possuir a fim de exibir-se perante o mundo.

O fato de Paulo ter destacado a confissão de Cristo “diante de Pôncio Pilatos” (v.13), possui uma finalidade na qual todo cristão deve estar firmado. Ao ser questionado pelo governador romano se Ele era um rei, Jesus lhe respondeu da seguinte forma: “Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a Minha voz” (Jo 18:37). Paulo advertiu e exortou Timóteo a não dar ouvidos a “falatórios inúteis e profanos e as contradições do saber, como falsamente lhe chamam (v.20), a fim de que permanecesse na verdade. Pois “alguns, professando-o, se desviaram da fé” (v.21). Quando ocupamos nossa atenção com o que não edifica, paulatinamente petrificamos o nosso coração e deixamos de dar ouvidos à voz divina.

O “bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores; o único que possui imortalidade” (v.15-16), nos concedeu o privilégio de sermos Seus embaixadores na Terra. Como representantes de uma pátria superior, nossa missão consiste em seguir os passos de Jesus, dando testemunho da verdade; em acumular para nós “mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de” nos apoderarmos “da verdadeira vida” (v.19). E a maior riqueza que podemos adquirir aqui é um caráter semelhante ao de Cristo, a única aquisição que levaremos para o Céu.

A graça seja convosco” (v.21).

Bom dia, embaixadores de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Timóteo6 #RPSP


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: