Reavivados por Sua Palavra


II Samuel 14 by jquimelli
17 de abril de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Este capítulo no Antigo testamento tem semelhanças e diferenças com a tocante história contada por Jesus em Lucas 15:11-32.

Absalão matou seu irmão premeditadamente e teve que fugir para Gesur, onde viveu por três anos. O texto bíblico relata que Davi sentiu muito a sua falta (v. 1). Joabe foi e trouxe Absalão de volta, mas o rei o proibiu de entrar no palácio. Absalão ficou em sua casa por dois anos.

Quando Joabe contou a Davi do pedido de seu filho para vê-lo, “chamou o rei a Absalão” (v. 33). O filho pródigo, depois de cinco anos de separação “veio e se prostrou com o rosto em terra diante do rei”, em atitude de que ele não era digno de ser chamado de seu filho. A reação de Davi foi semelhante à do pai do filho pródigo: “O rei beijou a Absalão”. A reconciliação é algo divino.

Querido Deus,
Também precisamos de reconciliação, conTigo e com nossos semelhantes, homens e mulheres. No dia de hoje queremos, com a Tua ajuda, nos empenhar para promover a paz em todas as montanhas e colinas, em cada cidade e em cada aldeia e, acima de tudo, em nossos corações e em nossas famílias. Amém.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coréia do Sul

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/2sa/14 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2sa/14 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/2sa/14/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/01/20/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: II Samuel 14
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 21



II Samuel 14 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
17 de abril de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

II SAMUEL 14 – Antes de aprender com a inspiração deste capítulo, é importante relembrar quem é Absalão:

• Primeiramente, ele é filho Maaca, uma das esposas de Davi (3:3);
• Segundo, vingador de sua irmã Tamar, estuprada por seu irmão Amnom (13:14):
• Terceiro, assassino de seu irmão Amnom (13:22-28);
• Quarto, fugitivo da casa de seus pais (13:37).

Moacir da Cunha Viana observa que, “depois do assassinato de Amnom, fugiu Absalão para a corte de Talmai, em Gesur. Três anos depois pediram a Davi que permitisse a volta de seu filho para Jerusalém, no que ele anuiu; mas não quis vê-lo senão passados mais dois anos dando-lhe, no fim desse tempo, o beijo da reconciliação. Era agora Absalão, entre os filhos sobreviventes, o mais velho de Davi, mas receando ser suplantado pelo filho de Bate-Seba, procurou obter popularidade, mantendo ao mesmo tempo uma esplêndida corte. Por fim, revoltou-se contra seu pai, e a princípio foi bem-sucedido; mas depois foi capturado e morto por Joabe, apesar da proibição de Davi, que ainda muito amava a seu filho”.

• Atenção: Possuir beleza, destreza, liderança, força, talento e influência não garantem verdadeiro sucesso.

Absalão tinha tudo isso, mas sucumbiu ainda jovem sem deixar nenhum bom legado às gerações futuras. Seu nome possui paz (shalom), mas seu coração vivia em conflito.

• Mimar demasiadamente aos filhos, dar rédeas à permissividade na educação, faltar com a disciplina corretiva, dar brechas à entrada do pecado no lar, farão que tal pai seja humilhado pelos filhos e afligidos por suas ameaças.

• Ausência de disciplina gera filhos fracos, indecisos, indiferentes. Precisamos de sabedoria do Pai Celestial para educar filhos corretamente neste mundo imoral.

• Pais frouxos geram filhos revoltados!

As lições extraídas de Absalão são úteis quando aprendemos a não trilhar seu caminho. Hernandes Dias Lopes atesta três atitudes que macularam sua vida:

1. Mágoa, ausência de perdão;
2. Fuga, ausência de diálogo;
3. Conspiração, ausência de lealdade.

Mágoas, ausência de lealdade e diálogo refletem ausência de Deus no íntimo. O bálsamo refrescante do perdão divino é capaz de restaurar qualquer situação por mais complexa que seja. Deus pode arrancar maus sentimentos de nossa alma e, semear no lugar boas sementes que produzirão frutos do Espírito, conforme descritos em Gálatas 5:22-23.

Peçamos ao Senhor: “Ajude-nos produzir bons frutos!” – Heber Toth Armí.



II Samuel 14 – Comentário Rosana Barros by jquimelli
17 de abril de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

“Não havia, porém, em todo o Israel homem tão celebrado por sua beleza como Absalão; da planta do pé ao alto da cabeça, não havia nele defeito algum” (v. 25).

Todos nós temos a tendência de celebrar a beleza. Gostamos do que é belo. E isto não é pecado. Pecado é tornar a beleza prioridade ou objeto de culto.
Muitos são encantados pela natureza, mas ao invés de adorar ao Criador, adoram a criatura. Outros há que se enredam em relacionamentos conturbados e suportam muitos dissabores simplesmente porque foram hipnotizados pela beleza do rapaz ou da moça.
Ainda há aqueles que se deixam levar pela formosura dos filhos. E desde a tenra infância a criança já é instruída no caminho da vaidade enganosa.
Todos somos jóias preciosas para Deus, e a maior beleza aos olhos do SENHOR é um coração puro.
Absalão não tinha defeito algum. Era perfeitamente belo dos pés à cabeça. Nossa! Consegue imaginar alguém assim? Você pode até pensar em alguém que você admire neste momento, mas, por mais que alguém seja bonito, sempre existe algo que agrada a uns, mas a outros não. Mas Absalão não seguia essa regra. Era completamente formoso… EXTERIORMENTE.
Deus criou todas as coisas lindas e perfeitas, contudo o pecado deturpou a obra do Artista!
E aqui eu não falo simplesmente do que podemos ver, mas do que não podemos ver. Nosso coração tornou-se uma bomba relógio, prestes a explodir a nossa existência de uma vez por todas. Porque está escrito: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” (Jeremias 17:9).
O plano de Joabe para levar Absalão de volta a Jerusalém funcionou, só que por dois anos Davi não quis recebê-lo. Após dois anos Davi reconciliou-se com seu filho, não sabendo que pouco tempo depois Absalão o trairia. Perfeito fisicamente, corrupto interiormente.
A reconciliação com Davi foi mais uma estratégia de guerra do que um emocionante reencontro entre pai e filho.
Qual a beleza que você prefere? A exterior diante dos homens, ou a de um caráter santo e imaculado diante de Deus?
Veja o que as Escrituras dizem a respeito de Cristo: “Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lO, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse” (Isaías 53:2).
O que? E o que acontece com esses filmes e imagens que mostram a Cristo como um alemão de olhos azuis?
A resposta é: é o que o mundo quer ver. Porque, infelizmente, somos movidos pela máquina dos estereótipos. Como Israel, louvamos mais a beleza do que a essência.
Você não se acha o mais bonito ou a mais bela fisicamente? Jesus também não foi. Mas foi e continua sendo Aquele que mostrou ao mundo a forma mais bela de amar!
Tudo o que é aparente, um dia desaparece. Mas um caráter “unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo” (1 Pedro 3:4), este sim durará para sempre!
Precisamos, pois, seguir os passos de Cristo (1 Pedro 2:21), que mesmo sem atributos físicos que chamassem a atenção, era “manso e humilde de coração” (Mateus 11:29).
“Enganosa é a graça e vã a formosura” (Provérbios 31:30), mas um caráter à semelhança de Cristo, este “é de grande valor diante de Deus” (1 Pedro 3:4).
Quer ser lindo? Deseja ser bela? Contempla o perfeito caráter de Cristo! “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do SENHOR, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo SENHOR, o Espírito” (1 Coríntios 3:18).

Bom dia, reflexos de Cristo!

*Leiam ‪#‎2Samuel‬ 14

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: