Reavivados por Sua Palavra


II Samuel 16 by jquimelli
19 de abril de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O escriba escritor deste capítulo escreveu sobre a chegada de Absalão a Jerusalém com Aitofel. A imagem que Aitofel foi capaz de repassar nos círculos mais altos da corte, ao longo dos anos, é que suas palavras deveriam ser entendidas como se o Senhor as houvesse dito (v. 23). Aitofel sempre pareceu pastoral, soou pastoral, agiu de forma pastoral, e foi capaz de convencer aqueles que estavam em torno dele de seu profissionalismo pastoral, pelo menos em nível humano (v. 23).

O escritor da história e o Espírito Santo tiveram uma visão diferente. Absalão pediu conselho a Aitofel sobre quais deveriam ser seus próximos passos em Jerusalém e Aitofel deu-lhe um conselho muito mau. Absalão deveria montar uma tenda no terraço do palácio de seu pai e ter “relações com as concubinas” de seu pai, à vista de todo o Israel (v. 21 NVI). Este conselho pornográfico, vindo de quem era considerado pelo seu líder, Absalão, como um pastor, nunca poderia ter vindo do Senhor. O Senhor não se associa com perversão ou com pessoas pervertidas.

Querido Deus,
também nós, Senhor, estamos vivendo em uma sociedade doente, com as mesmas perversões do tempo de Davi sendo aceitas como comportamento normal. Ajude-nos a fugir da tentação como José, a aceitar as dificuldades e as maldições que as pessoas nos atiram com a mesma atitude de Davi e aceitar os líderes sobre nós designados por Ti. Em nome de Jesus oramos. Amém.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coréia do Sul

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/2sa/16 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2sa/16 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/2sa/16/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/01/23/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli
Texto bíblico: II Samuel 16
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 21



II Samuel 16 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
19 de abril de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

II SAMUEL 16 – A melhor coisa que podemos fazer, e o maior bem que podemos promover em prol de nossa vida, família, igreja e comunidade, é desprezar veementemente ao pecado, ao mal e à imoralidade. Deveríamos usar toda habilidade, recursos e forças para combater a promiscuidade, a corrupção e a perversidade em nosso redor.

Você nunca sabe até onde o pecado te levará. Você não consegue mensurar os tremendos efeitos do mal em tua vida. Então, censure o mal, rejeite o pecado, fuja da imoralidade, para que vivas feliz e tomado de satisfação, não de humilhação.

O capítulo de nosso estudo apresenta os seguintes pontos:

• Ziba propõe ardilosa mentira a Davi sobre o que dissera Mefibosete. Aproveitando-se do contexto, Ziba disse a Davi que Mefibosete conspirava contra ele (vs. 1-4); confira como a mentira tem pernas curtas no capítulo 19:24-30.

• Simei, contrariando a lei expressa em Êxodo 22:28, amaldiçoava ao rei instituído por Deus: Ele acusava, criticava e insultava a Davi com palavras torpes, ferinas e cruéis, além de atirar-lhe pedras e torrões como se fosse cachorro (vs. 9-14).

• Aitofel, avô de Bate-Seba, cujas palavras eram respeitadíssimas, dá conselho absurdamente perverso promovendo imoralidade à vista do povo de Deus: Sugere-se que Absalão se relacionasse sexualmente com as concubinas de seu pai, o rei Davi (vs. 15, 20-23).

• Absalão, atendendo prontamente ao conselho de Aitofel, “armou uma tenda no terraço, à vista de todos, e deitou-se com as concubinas de Davi”, seu pai (vs. 21-22). Essa abominação resultou do pecado de Davi, confira no capítulo 12:11-12.

• Husai, servindo Davi coloca-se a serviço de Absalão visando ofuscar os conselhos do sábio Aitofel, os quais eram considerados “infalíveis” (vs. 15-19).

Reflita:

Deus perdoa pecadores arrependidos; entretanto, o pecado não perdoa suas vítimas. Sem dó e piedade o pecado vai destruindo como furacão. Davi aceita a humilhação, pois sabe que está sofrendo por seus erros. Verdadeiramente, ele espera no Senhor, o único Salvador.

Davi experimentou o sabor amargo do pecado que cometera. Jesus também experimentou o gosto amargo do pecado, embora não cometera nenhum. É que, verdadeiramente, Ele tomou sobre Si os pecados de Davi e também os nossos, visando libertar-nos da consequência eterna de nossas imprudências.

Amigos… Jesus é nossa única Esperança! Portanto, rendamo-nos a Ele! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



II Samuel 16 – Comentário Rosana Barros by jquimelli
19 de abril de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

‪#‎rpSp‬ ‪#‎2Samuel16‬

“O rei e todo o povo que ia com ele chegaram exaustos ao Jordão e ali descansaram” (v. 14).

Mentira, desconfiança, maldição, ira, vingança, traição e lascívia. Tudo isso em um só capítulo da Bíblia. Quatro histórias curtas, mas com grandes consequências que afetariam a nação de Israel para sempre.
No capítulo de hoje vimos a sabedoria de Davi diante dos constantes insultos e lesão corporal de Simei. O rei e todos que com ele estavam tiveram que fazer uma viagem a base de pedradas, chuva de areia e ao som de uma trilha sonora maldita. Incrível como Davi suportou aquilo. Possivelmente ele tenha recebido aquelas palavras como confirmação ao que ele mesmo sentia. Sabia que tudo o que estava colhendo era fruto do que ele mesmo havia plantado. Seu relacionamento com Deus não dependia de ter sempre uma vida de regalos e de conquistas. Davi não servia a Deus para receber recompensas. Como Jó, no sofrimento continuava adorando ao SENHOR: “O SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!” (Jó 1:21). Davi reconhecia a sua condição pecaminosa e confiava plenamente no perdão e na misericórdia divina: “Talvez o SENHOR olhará para a minha aflição e o SENHOR me pagará com bem a sua maldição deste dia” (v. 12). O talvez de Davi era como se ele dissesse:

—Se o SENHOR quiser transformar esta maldição em bênção, ótimo. Se não, continuarei confiando nEle.

Vimos também o que acontece com um governo conquistado sem escrúpulo algum. A estupidez de Absalão em dar ouvidos a Aitofel, como se fosse “uma resposta de Deus” (v. 23), foi a ofensa mais grave que ele poderia ter feito. Ele declarou diante de todo o Israel, com cenas lascivas e sem pudor, que Davi estava morto. Assim como havia mandado matar Amnom, seu irmão, não hesitaria em fazer o mesmo com seu pai.
Davi estava cercado de hipocrisia. Ziba, Husai, Aitofel, fora os que também os acompanhavam.
Por isso que se tornou fácil ignorar ofensas humanas, pois a sua confiança não estava depositada neles, mas em Deus.
Precisamos desesperadamente desta confiança. E ela pode ser chamada por uma palavra composta de apenas duas letras: FÉ.
Isto quer dizer que nunca posso confiar em ninguém? Não é isso, amados. Quer dizer que toda a nossa vida, angústias, temores, problemas, alegrias devem ser confiadas completamente a Deus. Então, Ele nos ajudará a sermos cautelosos em nossas palavras, porque “o que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína” (Provérbios 13:3).
Como Davi, precisamos parar de agir como vítimas. Quando estudamos a vida de José do Egito, em nenhum momento a Bíblia declara que ele reclamou, culpou a Deus por suas tribulações ou falou mal de quem o perseguia. José CONFIOU em Deus!
Alguém lhe ofendeu? Davi foi ofendido, xingado, amaldiçoado, apedrejado, ridicularizado e confiou toda a sua angústia nas mãos do Único capaz de resolvê-las.
Reclamar não adianta. Se vingar, muito menos. Nutrir sentimentos escusos, pior ainda.
Jesus “foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca” (Isaías 53:7). Foi levado como uma ovelha muda para ser abatido e “Ele não abriu a boca” (idem). Lembrem-se, meus irmãos, que Cristo não tinha culpa alguma. Quem somos nós, portanto, para blasfemar contra Deus com palavras de desânimo e de reclamação?
Davi poderia ter acabado com a vida de Simei e não o fez. Jó poderia ter amaldiçoado a Deus e morrido, e não o fez. José poderia ter se revoltado contra Deus, e não o fez. Cristo poderia ter chamado todo o exército de anjos para matar toda aquela turba furiosa, e não o fez.
Todos eles tomaram uma firme decisão. Cristo havia tomado esta decisão antes da fundação do mundo por amor a mim e a você!
A firmeza que estes homens e que o Filho do Homem teve, está na CONFIANÇA EM DEUS:
“Os que confiam no SENHOR são como o monte Sião, que não se abala, FIRME PARA SEMPRE” (Salmo 125:1).
Como Davi e todo o povo que com ele estava chegaram esgotados ao Jordão e ali encontraram descanso; mesmo que as angústias sejam tremendas, mesmo que pessoas insistam em nos derrubar, mesmo que os problemas nos levem à exaustão, se permanecermos fiéis, confiando no SENHOR, nEle encontraremos descanso (Mateus 11:28-30).
As ações humanas JAMAIS impedirão o agir de Deus em favor dos que nEle confiam!

Bom dia, montes de Sião!

*Leiam ‪#‎2Samuel‬ 16

Rosana Garcia Barros



II Samuel 16 – Comentários selecionados by jquimelli
19 de abril de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

3 O reino de meu pai. A história contada por Ziba é possível, mas tão improvável que é difícil ver como Davi pôde dar crédito a ela. Mefibosete era deficiente e tinha pouco a ganhar com a revolta de Absalão. Mesmo que essa revolta tivesse êxito, não teria devolvido o trono à descendência de Saul, pois Absalão desejava o trono para si (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 2, p. 733).

4 tudo que pertence. A história de Ziba aparentemente foi uma calúnia contra seu senhor, mas Davi acreditou nela e deu a Ziba a recompensa que ele buscava. Foi totalmente injusto da parte do rei dar a propriedade de Mefibosete sem ouvir sua versão dos fatos. Mas, na tensão e preocupação da fuga, Davi pensou apenas na ajuda que Ziba estava oferecendo (CBASD, vol. 2, p. 733).
Ele [Davi] está tomando uma decisão precipitada que terá mais tarde que revogar [19.24-30] (Andrews Study Bible).

5 Baurim. Um lugar ao norte do Monte das Oliveiras (Andrews Study Bible).

9 cão morto. Cães eram considerados impuros. Cães mortos, mais ainda (Andrews Study Bible).

18 a ele pertencerei. As palavras de Husai implicam que ele era leal a algo mais elevado do que a um simples indivíduo; sua lealdade era, em primeiro lugar, a Deus, e, em segundo lugar, ao povo de Israel. […] Absalão, que estava tão seguro de ser o escolhido, não notou o duplo sentido das palavras de Husai, (CBASD, vol. 2, p. 735).

22 eirado [topo da casa]. O exato lugar de onde Davi avistou Bate-Seba e concebeu seu ato de adultério (Andrews Study Bible).

coabitou com as concubinas. Pela lei mosaica, Absalão merecia a morte (Lv 20.11),e é o que aconteceu logo depois (18.14,15). Aitofel visou, com este ato, cortar qualquer possibilidade de reconciliação entre Absalão e Davi (Bíblia Shedd).

Cumprimento da profecia de Natã (12.11,12) (Bíblia de Estudo NVI, Vida).




%d blogueiros gostam disto: