Reavivados por Sua Palavra


II Samuel 17 by jquimelli
20 de abril de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Os fatos do capítulo de hoje ocorreram em um tempo em que as pessoas colocavam o conselho de um homem em posição de igualdade com a palavra de Deus (2Sm 16:23). Quando Aitofel falava, as pessoas sempre pensavam que isto era um bom conselho (verso 14), e foi assim que Absalão e todos os anciãos de Israel pensaram. Este capítulo contém vários eventos que chocam. O primeiro deles é o conselho do ex-assessor do rei Davi para que Absalão mate o rei (v. 2)! O segundo evento chocante é que este decreto de morte ao rei agradou tanto a Absalão quanto aos anciãos (v. 4). Anciãos são normalmente pessoas experientes. Surpreende como estava prejudicado o seu julgamento, que se esperava sóbrio e sensato.

Por fim, ficamos chocados ao saber que Absalão escolheu Amasa como general do seu exército, que era sobrinho de Joabe, o general do exército de Davi.

Querido Deus
Nós, também, ficamos chocados, de tempos em tempos, por aqueles que nos rodeiam. Quando olhamos para dentro de nós mesmos, oramos para que retires de nós o espírito de manipulação, de controle sobre outros, de violência, do assassinato do espírito de livre escolha de outros. Mantenha nossos olhos sempre fixos em Ti, para que não confundamos os nossos julgamentos, que podem levar outros a ficarem chocados com nossos atos. Em nome de Jesus nós oramos,
Amém.

Koot van Wyk
Kyungpook National University
Sangju, Coréia do Sul

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/2sa/17 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/2sa/17 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/2sa/17/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/01/24/
Tradução: Jeferson Quimelli/Pr Jobson Santos/Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: II Samuel 17
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 21



II Samuel 17 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
20 de abril de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

II SAMUEL 17 – A destruição dos planos de Deus é o objetivo incessante de Satanás. Contudo, os planos divinos para tua vida não ruirão se tua confiança estiver firmada no Senhor, apesar das falhas, imprudências e quedas espirituais.

Absalão queria usurpar o trono de Davi, seu pai. Aquele que não hesitou matar seu irmão Amnon, estava determinado a matar seu pai. Sobre essa guerra civil entre pai e filho, Warren W. Wiersbe observou:

“Absalão estava confiando em seu charme, em sua popularidade, em seu exército e na sabedoria de Aitofel, porém Davi confiava no Senhor [Salmo 61:1, 2]”.

1. Absalão chamou dois conselheiros: Aitofel e Husai:
• Aitofel sugeriu-lhe agilidade, intrepidez e ação imediata com apenas 12.000 homens à noite no combate a Davi – o que teria dado certo, Davi seria derrotado (vs. 1-13);
• Husai deu um conselho mais bem elaborado, aparentemente mais seguro e certeiro; mas sua execução seria mais morosa e daria tempo para avisar a Davi (vs. 14-22).

2. Sabendo Aitofel da decisão de Absalão sobre a aceitação do plano de Husai, com seu discernimento aguçado visualizou a derrota do filho do rei; então, suicidou-se (v. 23).

3. Deus cuidava de tudo: Dissipou o bom conselho de Aitofel (v. 14), preservou a vida e proveu sustento ao rei escolhido por Ele (vs. 24-29).

O pecado traz terríveis consequências. Davi está colhendo o que plantou; todavia, Davi “manifestou disposição para receber a correção de Deus e, confiante, voltou-se para Ele como Sua única esperança. Deus recompensou a humilde confiança que Davi depositou nEle, anulando o conselho de Aitofel e preservando-lhe a vida”, comenta Ellen G. White.

Note estes princípios:

1. Está claro no currículo de Davi que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus; confiando nEle, veremos esse princípio em nossa vida também (Romanos 8:28).

2. Assim como no relato o filho queria a morte do pai, por amor a Deus atraímos ódio mortal de pessoas descomprometidas com Ele (Romanos 8:36).

3. Contudo, absolutamente nada (nem tribulação, nem angústia, nem perseguição, nem fome, nem nudez, nem perigo, nem espada) nos separa do amor de Cristo; e, se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31-35).

Então, por que não reavivar tua confiança em Deus? Entregue-se! Confie! – Heber Toth Armí.



II Samuel 17 – Comentário Rosana Barros by jquimelli
20 de abril de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

‪#‎rpSp‬ ‪#‎2Samuel17‬

“Então, até o homem valente, cujo coração é como o de leões, sem dúvida desmaiará; porque todo o Israel sabe que teu pai é herói e que homens valentes são os que estão com ele” (v. 10).

Você sabe o que significa obstinação?
Segundo o dicionário, significa um grande apreço pelas próprias convicções, persistência com relação a sua própria vontade, teimosia.
Absalão estava completamente obstinado, a ponto de desejar e tramar matar o próprio pai.
Seus conselheiros, que um dia estavam ao redor de Davi, agora lhe aconselhavam contra Davi. Ou seja, pessoas em que não havia confiança alguma.
Mas a Bíblia diz que Davi estava rodeado dos seus valentes. Os valentes de Davi, ao contrário daqueles traidores, estavam dispostos a defender Davi com sua própria vida. Eram homens que não temiam a morte se fosse para defender o seu rei, por isso eram mui temidos (v. 8, 10).
De um lado um exército que cumpria ordens para matar o rei; do outro lado, um exército disposto a dar a vida por ele.
Veremos no capítulo de amanhã que o desfecho desta batalha deu a vitória àqueles que estavam dispostos a morrer para defender.
Todos nós temos causas nas quais depositamos a nossa vida. Estamos dispostos a viver em função de muitas coisas.
E morrer? Você daria a sua vida em defesa de algo ou de alguém?
Muitos têm morrido por ideais, por convicções. Amanhã é feriado nacional, onde lembramos o memorável Tiradentes. Ele morreu por uma causa. Mas será que ele desejava morrer, ou viver para ver seus ideais sendo realizados?
Ninguém quer morrer. Celebramos a vida, e não a morte. Até Aquele que veio em defesa da maior causa a favor da humanidade teve receio da morte: “Meu Pai, se possível, passe de Mim este cálice! Todavia, não seja como Eu quero, e sim como Tu queres” (Mateus 26:39).
Davi, um herói (v. 10), estava rodeado de valentes que faziam jus ao título. Cristo, O HERÓI, estava rodeado de discípulos que O abandonaram no momento em que Ele mais precisava.
Por mais que muitos não acreditem, não importa, porque todos estamos inseridos na maior batalha de todos os tempos. E o que está em jogo? A nossa vida!
De um lado está Satanás oferecendo o seu largo caminho de prazeres, riquezas e prosperidade terrenas, tendo como recompensa final a morte eterna. Do outro, está Jesus oferecendo um caminho estreito, pouco convidativo, mas com o galardão da vida eterna.
Percebemos que Absalão estava, aos olhos humanos, com toda vantagem possível. Ele tinha praticamente a nação toda por ele, os conselheiros de seu pai agora estavam à disposição dele e um grande e poderoso exército. E Davi? Bem, Davi tinha o seu pequeno exército de valentes.
Mas a vitória do SENHOR veio sobre Davi e seu remanescente.
Muito em breve, meus amados, este mundo de pecados chegará ao fim. A última batalha se aproxima. O último clamor está sendo feito. Infelizmente, Satanás terá a seu favor um exército de pessoas incontáveis, como a areia do mar (Apocalipse 20:8), mas este exército já está fadado à derrota eterna (Apocalipse 20:9).
Já os valentes de Cristo, aqueles que permanecerem firmes diante da batalha, “os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus” (Apocalipse 12:17), estes receberão a vida eterna.
Os homens de Davi não são destacados por sua valentia em força, mas valentia de propósito. O remanescente que o SENHOR salvará não será um exército poderoso, mas homens e mulheres cujo fiel propósito é de obedecer e honrar os mandamentos do SENHOR e o testemunho de Cristo (Apocalipse 19:10).
Deus nos deixou uma armadura especial para esta guerra: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus” (Efésios 6:11). Se você escolhe ser um valente do SENHOR, se você escolhe estar do lado da vitória, não pode estar despreparado, leia Efésios 6:10-18 e descubra como vestir esta armadura.
E lembrem: a nossa luta não é de uns contra os outros (Efésios 6:12), como pensava Absalão. A nossa luta é contra o inimigo, contra o pecado e todas as suas tendências. E nesta luta só há vitória se Cristo for o nosso general.

Portanto, confiemos em nosso Herói, permaneçamos em Sua defesa, porque nEle, certamente, “somos mais que vencedores” (Romanos 8:37)!

Bom dia, valentes de Jesus Cristo!

*Leiam ‪#‎2Samuel‬ 17

Rosana Garcia Barros



II Samuel 17 – Comentários selecionados by jquimelli
20 de abril de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

1. Aitofel. Conselheiro de Davi (16.23; 1 Cr 27.33), passou para o lado de Absalão. Bate-Seba era a sua neta (11.3; 23.34) e ele não podia perdoar a Davi o crime de ter seduzido à mesma e de ter morto o seu marido, Urias. Bíblia Shedd.

2 Enquanto está cansado. A essa altura Davi mal tinha tido tempo de chegar ao Jordão, e, uma vez que seus seguidores ainda não estavam completamente organizados, ele teria sido presa fácil para as forças de Absalão. CBASD-Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 2, p. 738.

Fugirá. Aitofel estava correto em sua estimativa da situação. Um ataque repentino à noite os deixaria em confusão e os espalharia em todas as direções. Dessa forma, poderiam ser evitadas as baixas de uma batalha em que as tropas estivessem organizadas, e Davi poderia ser capturado e morto sem praticamente nenhuma perda de homens em qualquer dos dois lados. CBASD, vol. 2, p. 738.

7-13 Os conselhos de Husai aproveitam, de modo sutil, a incerteza de Absalão, seu medo e seu egoísmo. Bíblia de Estudo Vida.

8 Bem conheces teu pai. Husai não se achava numa posição fácil. […] era necessário desviar a atenção dos fatos e fazer com que a situação parecesse totalmente diferente do que era. […] Portanto, ele chamou a atenção para Davi como o famoso guerreiro do passado, o tipo de homem que Israel amava e que outras nações temiam. […] O quadro que Husai pintou diante de Absalão criou na mente dele a imagem de um inimigo formidável: astuto e alerta, ousado e desafiador, sempre preparado para qualquer eventualidade. […] Seu discurso foi astuciosamente adaptado para engendrar medo no jactancioso, mas fraco filho de Davi. CBASD, vol. 2, p. 739.

10 cujo coração é como o de leões. Um símbolo de grande coragem. A fala de Husai é de excelente qualidade literária. Andrews Study Bible.

11 Eu, porém, aconselho. A sugestão era que eles tirassem o tempo necessário para reunir todo o Israel num grande e invencível exército e que Absalão assumisse seu comando pessoalmente. Esse era o tipo de argumento que agradava Absalão. Orgulhoso e vaidoso, o novo rei ficaria feliz em sair para a guerra à frente de suas tropas, marchando em pomposa majestade, sendo visto e admirado por todos e recebendo os aplausos de toda a nação. Nenhuma outra proposta conseguiria mexer tanto com a imaginação do rei. Além disso, talvez Husai tenha procurado criar uma brecha entre Absalão e Aitofel ao sugerir que Aitofel buscava os próprios interesses e glória particular ao desejar comandar as tropas (v. 1). Quão mais apropriado e eficiente seria que o próprio Absalão liderasse o exército vencedor! CBASD, vol. 2, p. 739, 740.

Desde Dã até Berseba. Significa “toda a nação de Israel”. Andrews Study Bible. [Dã era a tribo mais ao norte e Berseba, a cidade mais ao sul].

12 Atacaremos  cairemos. Com a primeira pessoa do plural, Husai toma o cuidado de se vincular com a revolta. Bíblia de Estudo Vida.

17 Rogel (Fonte de Rogel). Um poço do Vale do Cedrom, próximo aos muros da cidade de Jerusalém. Andrews Study Bible.

Fica na parte sudeste da cidade, conhecida como a Fonte da Virgem, a atual Fonte de Jó. Bíblia Shedd.

Uma serva. Nenhuma suspeita seria despertada por uma serva indo até a fonte buscar água. Bíblia de Estudo Vida.

22 Quando amanheceu. Davi e seus homens estavam cansados da fuga repentina e tinham tido pouca oportunidade de repouso. Naquela mesma noite estavam novamente a caminho, atravessando o Jordão e colocando uma barreira de água entre si e o exército de Absalão. […] Quando as circunstâncias pareciam mais sombrias, Davi colocou sua confiança em Deus, sabendo que o Senhor, que até então o havia sustentado não o abandonaria. O Salmo 3 descreve suas reações ante essa penosa situação. CBASD, vol. 2, p. 741.

23 Foi para casa. Gilo (2Sm 15:12), que ficava perto de Hebrom. Ele considerou a rejeição de seu conselho como uma afronta pessoal, pois pediu para comandar as tropas que perseguiriam Davi (v. 1), enquanto que Husai aconselhou que as tropas fossem comandadas pessoalmente por Absalão (v. 11). Com o orgulho profundamente ferido, Aitofel abandonou a causa que havia apoiado. CBASD, vol. 2, p. 741.

24 Maanaim. Ironicamente, o mesmo lugar onde Isbosete tinha buscado refúgio depois da morte de Saul (2.8). Bíblia de Estudo Vida.

Passado o Jordão. Logo que Absalão reuniu as forças de Israel, cruzou o Jordão com um grande exército em perseguição a Davi. O conselho de Husai, contudo, havia conseguido seu objetivo, pois deu tempo para Davi escapar e se estabelecer nesse novo quartel-general. Nessas regiões desérticas e acidentadas da Transjordânia, o tamanho do exército de Absalão era mais um problema do que uma ajuda, pois os soldados eram indisciplinados e mal treinados. Em sua pressa e inexperiência, contudo, Absalão continuou avançando, ansioso por travar com Davi a a batalha que, segundo ele, lhe daria o reino. CBASD, vol. 2, p. 742.




%d blogueiros gostam disto: