Reavivados por Sua Palavra


I Reis 3 by jquimelli
30 de abril de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

A despeito de suas apostasias, a Bíblia relata que Salomão amava o Senhor. Ele trazia dentro de si o exemplo de Davi, seu pai. Assim como o amado apóstolo João, Salomão estava respondendo ao amor de Deus por ele. Deus nos ama “apesar de” nossas imperfeições.

Ele se comunica conosco de muitas maneiras: por Seus profetas, por Sua Palavra escrita e também através de sonhos, que foi o modo como escolheu se revelar a Salomão.

Salomão deve ter ficado surpreendido quando Deus lhe falou: “Me diga o que você quer que Eu lhe dê!” Salomão foi muito sensato e pediu, não riqueza ou glória, mas um coração compreensivo! Deus muito se agradou do pedido de Salomão e lhe deu não só a sabedoria, mas também lhe acrescentou honra e riqueza! Que paradoxo para aqueles que preferem as riquezas do mundo e, em seguida, sucumbem, porque não têm sabedoria!

A sabedoria concedida por Deus a Salomão ficou evidente na disputa entre as duas prostitutas que vieram a ele, cada uma alegando que o bebê era dela. Salomão revelou excelente julgamento e a nação viu que Deus estava com Ele.

Que possamos pedir a Deus sabedoria e um coração compreensivo.

Leo Ranzolin
Vice-presidente aposentado da Associação Geral

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/1ki/3 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/1ki/3 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ki/3/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/02/03/
Tradução: Jeferson Quimelli /Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-reis/1rs-capitulo-3/
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 22



I Reis 3 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
30 de abril de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

I REIS 3 – O pastor Ted Wilson escreveu que “segundo a interpretação profética adventista do sétimo dia e a aplicação hermenêutica correta das Escrituras, estamos vivendo no tempo do fim. Nossa necessidade não é de solução política, militar nem social, mas de retornar ao fundamento certo: à segurança da Palavra de Deus”.

Dedique, então, tempo para ler o capítulo supracitado. Depois observe:

Salomão começa bem. Recebe uma oportunidade de ouro. O Rei dos reis lhe aparece em sonhos. Oferece-lhe o que quiser. Desta forma, ainda que nunca fora plano de Deus que Israel tivesse reis humanos, cada uma das ações divinas visavam conduzir o gigantesco trem descarrilhado de volta ao trilho. Mesmo que para isso tivesse que fazê-lo andar fora dos trilhos.

Deus havia guiado a Davi, mesmo com suas quedas horríveis diante das terríveis armadilhas de Satanás. Agora, Deus está diante de Salomão, oferecendo-lhe a possibilidade de ter o que quisesse. Humildemente, Salomão pediu sabedoria para administrar o reino de Israel. Um dia Jesus viria com sabedoria superior à de Salomão para assentar-se no trono de Davi com objetivo de colocar o trem novamente nos trilhos.

Observe as lições extraídas da sabedoria presenteada por Deus a Salomão. Há preciosos princípios bíblicos relevantes:

• A sabedoria verdadeira é dom de Deus, não pode ser fabricada nos laboratórios humanos nem comprada em nenhum dos mercados do mundo.

• A sabedoria humana é falha, assim sabedoria pura jamais pode ser conquistada em nenhuma das mais sofisticadas universidades de renomes do mundo.

• Quem vai a Deus em busca de Sua sabedoria recebe mais do que pede. Junto ao pacote de sabedoria, vão outros pacotes surpresas.

• Diante das dificuldades da vida, quem pedir sabedoria divina, Deus a concederá abundantemente (Tiago 1:2-5).

• A sabedoria celestial embutida na mente humana é muito mais prática que teórica, visa solucionar problemas das pessoas, promover paz onde há discórdia, e ministrar o bem aos necessitados.

• Os pecadores regidos pela sabedoria divina discernem o erro, dissolvem intrigas, contendas e problemas alheios, construindo o reino de Deus baseado no bem, na paz e na harmonia.

Jesus já veio e morreu como humano. Contudo, miraculosamente ressuscitou. Portanto, voltará à Terra com Seu poder divino como Rei dos reis.

Seja sábio, entre logo nos trilhos da Palavra de Deus! – Heber Toth Armí.



I Reis 3 – Comentários selecionados by jquimelli
30 de abril de 2016, 0:30
Filed under: Sem categoria

A narrativa deste capítulo demonstra que a sabedoria extraordinária de Salomão era um dom de Deus que ocorreu em resposta a seu pedido. em vez de ser abstrata, a sabedoria de Salomão era de natureza prática, conforme indica a história das duas prostitutas. Bíblia de Estudo Andrews.

“Salomão começa seu reinado fazendo uma aliança com o Faraó do Egito. Ele provavelmente estava pensando na segurança interna de Israel. Esse pensamento resultou num casamento não aprovado por Deus! Mesmo que sua mulher abandonasse seus deuses, havia um grande desequilíbrio: o conhecimento de Salomão era muito maior. Assim como acontece nas implicações políticas advindas dos acordos entre nações, um casamento também tem implicações, para o bem ou para o mal. Há muitos que se arriscam a cometer o mesmo erro de Salomão. Apesar de vermos cônjuges descrentes se converterem e se renderem ao Senhor, também vemos o oposto, quando estas más uniões destroem vidas.”. Pastor Leo Ranzolin, em: http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ki/3/

aparentou-se. Depois de eliminar todas as ameaças em potencial a seu trono [1Rs 2], Salomão começou a estabelecer seu reinado por meio de alianças políticas com reinos vizinhos. Bíblia de Estudo Andrews.

A época em que Salomão fez aliança com o Egito foi um período em que esse país era pobre e dividido. Também era um período de fraqueza para Assíria e Babilônia, e já não existiam como nação os heteus que haviam sido poderosos. Esse período de debilidade generalizada no antigo Oriente Próximo ofereceu uma oportunidade única para que Davi e Salomão estabelecessem uma nação forte para o povo de Deus na terra em que o Senhor separou para eles. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 808.

Cidade de Davi. Faz-se uma distinção entre a cidade de Davi e Jerusalém. A antiga cidadela de Sião, fortaleza dos jebuseus (2Sm 5:7-9), situava-se no extremo sul do monte oriental, a oeste do manancial de Giom, no vale de Cedrom, e ao sul da área onde depois se construiu o templo. CBASD, vol. 2, p. 808.

os altos. Santuários ao ar livre, localizados em colinas elevadas. Com frequência, competiam com a tenda sagrada na qual ficava a arca de Deus. Bíblia de Estudo Andrews.

Segundo a lei de Moisés, os sacrifícios deviam ser levados ao tabernáculo e não oferecidos em campo aberto (Lv 17:3-5). … Há duas razões principais para a proibição de sacrificar nos altos: (1) manter os israelitas longe dos lugares onde o culto idólatra era realizado; (2) evitar que surgissem santuários não autorizados pelo Senhor, onde falsos cultos pudessem ser realizados. CBASD, vol. 2, p. 808.

sacrificava ainda nos altos. Não se deve considerar isto como evidência de culto idólatra nesse período da vida de Salomão. O registro declara que ele “amava ao SENHOR” e estava “andando nos preceitos de Davi”. Contudo, ele não observou as ordens mosaicas que proibiam os sacrifícios, com exceção dos realizados num santuário. Embora essa ordem tenha sido ignorada durante o período dos juízes e mesmo na época de Samuel e Davi (v. 2), Israel estava então num novo momento de sua experiência religiosa. Começava a reconhecer-se que Deus não mais toleraria uma situação que antes havia “passado por alto” (At 17:30). CBASD, vol. 2, p. 808, 809.

Gibeão. Cidade pertencente à tribo de Benjamim, assentada a noroeste de Jerusalém. Bíblia de Estudo Andrews.

uma criança. Salomão não quis dizer que tinha a idade de uma criança, mas que se considerava assim, em experiência. … Quando subiu ao trono já era casado e, provavelmente, pai. Deduz-se isso porque tinha um filho de 41 anos  (2Cr 12:13) por ocasião de sua morte, após um reinado de 40 anos (1Rs 11:42). CBASD, vol. 2, p. 809.

No início de seu reinado, Salomão tinha por volta de 20 anos. Ao dizer que não passava de uma criança, referia-se à sua inexperiência. Bíblia de Estudo Andrews.

coração compreensivo. A maior necessidade do ser humano é de um coração compreensivo que possa entender seus próprios problemas e carências, bem como a vontade de Deus. … Uma das principais funções de Salomão seria ouvir casos difíceis que seriam apresentados a ele pelos juízes de primeira instância do país. Como cabeça do povo de Deus, sentiu a grande necessidade da sabedoria divina. Em nenhuma parte há uma compreensão melhor da natureza básica da sabedoria do que nas palavras escritas por ele: “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria” (Pv 9:10). “O princípio da sabedoria é: Adquire a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o entendimento” (Pv 4:7). CBASD, vol. 2, p. 809.

11 longevidade… riquezas… morte de teus inimigos. Estes eram os desejos típicos de quase todos os reis. Bíblia de Estudo Andrews.

12 faço. Deus prometeu sabedoria, riquezas, glória e uma vida longa a Salomão. O restante da narrativa mostra o cumprimento dessas promessas. Bíblia de Estudo Andrews.

coração sábio e inteligente. A sabedoria de Salomão parece ter sido tanto moral como intelectual. Era uma sabedoria prática, com respeito a todos os aspectos da vida, das coisas e do coração humano, das obras e da vontade do criador. CBASD, vol. 2, p. 809, 810.

13 até o que não Me pediste Eu te dou. Deus confirma sabedoria ao pedido de Salomão. Ele humildemente pediu sabedoria, o que traria em seu rastro todas as outras bênçãos da vida. … Essa é a grande lei básica do governo divino, sobre a qual Jesus disse: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6:33). CBASD, vol. 2, p. 810.

15 era sonho. Não um sonho qualquer, mas um sonho de Deus. Salomão teve plena certeza de que o sonho foi uma revelação divina e que estivera em contato com Deus. Ele estava tão certo disso, que imediatamente após seu regresso à capital, pô-se perante a arca e ofereceu sacrifícios a Deus. Os resultados mostram que ele estava certo e que tinha recebido uma mensagem diretamente do Senhor. CBASD, vol. 2, p. 810.

26 amor materno. O radical da palavra hebraica usada neste texto está ligado ao útero da mãe. Bíblia de Estudo Andrews.

28 fazer justiça. Esta era a principal tarefa de um rei. O título real mais cobiçado dos tempos antigos era “o rei justo”. Bíblia de Estudo Andrews.



1 REIS 3 – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by jquimelli
29 de abril de 2016, 22:43
Filed under: Sem categoria

#rpSp #1Reis3

"Agora, pois, ó SENHOR, meu Deus, tu fizeste reinar teu servo em lugar de Davi, meu pai; não passo de uma criança, não sei como conduzir-me" (v. 7).

Todos nós já ouvimos falar do conto do gênio da lâmpada. Alguém encontrava uma lâmpada mágica, que, ao ser esfregada, dela saía um gênio que poderia conceder a realização de três pedidos. E que criança ao ouvir essa fábula não pensou no que pediria?
E se fosse Deus que lhe aparecesse em sonho e lhe desse a oportunidade de fazer um pedido? Ao contrário daquela fábula, no capítulo de hoje lemos uma história real. Isso aconteceu com Salomão. Após a morte de Davi, seu pai, "caiu a ficha" de Salomão: — E agora? O que é que eu faço?
Davi havia o orientado a ser fiel a Deus, mas, como já estudamos, exemplos falam mais do que palavras. Davi havia casado várias vezes, além de possuir várias concubinas. Salomão começa a seguir o exemplo de seu pai, e, em aliança política, se casa com a filha de Faraó. Pronto. Para ele, o Egito não seria mais um problema, certo? Em parte, não. Evitou ir fazer guerra contra o Egito, mas trouxe o Egito e seu paganismo para dentro dos limites de Israel.
Então, o verso três traz algo ainda mais confuso: "Salomão amava ao SENHOR… porém sacrificava nos altos". Havia se contaminado com as tradições pagãs e não se dava conta disso. Pode alguém amar a Deus e praticar o que Lhe ofende? Sim, amados. Ficou mais confuso ainda? Calma, vocês irão compreender:
Salomão cresceu em meio a crença de que o SENHOR era o Deus de Israel, mas também aprendeu, em meio a um povo e uma família mestiça, a oferecer sacrifícios a deuses estrangeiros.
Só quando foi ao mais alto lugar terreno, oferecer o mais alto sacrifício por mãos humanas, que do Alto, Deus lhe falou em sonho: "Pede-Me o que queres que Eu te dê" (v. 5).
Deus não diz que vai conceder um ou três pedidos, Ele não estipula o número de pedidos, Ele simplesmente abre as comportas do Céu em favor de Salomão. É isso o que Deus faz com todo aquele cujo coração ama ao SENHOR. Mesmo que as circunstâncias que o cercam o tenham levado a práticas reprováveis, Deus mergulha no íntimo de teu coração.
Quando o apóstolo Paulo pregou aos atenienses, descobriu que ali eles prestavam culto "AO DEUS DESCONHECIDO" (Atos 17:23). Ao perceber a sinceridade de coração daquele povo, o apóstolo dos gentios aproveitou a oportunidade para tornar-lhes CONHECIDO o único e verdadeiro DEUS. Mas após o seu discurso, deixou-lhes uma coisa bem clara: "Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam" (Atos 17:30).
A partir dali foi-lhes dada uma oportunidade de recomeço.
A mesma oportunidade foi colocada diante de Salomão.
Geralmente, o nosso pedido está diretamente relacionado com a nossa necessidade. Se estamos doentes, pedimos a cura. Se estamos desempregados, pedimos emprego. Se estamos abatidos, pedimos alegria. Se o casamento não vai bem, pedimos a restauração dos laços de amor. Enfim, pedimos o que mais precisamos.
Diante da grandeza da responsabilidade do novo rei, sua maior inquietação era: "…não passo de uma criança, não sei como conduzir-me". Ora, ele poderia ter pedido o reino mais próspero da Terra, ou a destruição de todos os inimigos de Israel, ou um nome acima de todos, ou poderia até pedir todas essas coisas juntas. Mas Salomão pediu um "coração compreensivo para julgar" (v. 9), para que, com prudência, pudesse discernir o bem, do mal. Então, Deus apenas não lhe concede sabedoria e inteligência, mas os dá a tal ponto, que ninguém neste mundo foi e nem será capaz de superá-los (v. 12).
E o episódio do julgamento das duas mães marca o início de um reinado altamente respeitado por Israel (v. 28) e por todos os povos. Todos os reis e governantes da Terra eram despertados à curiosidade de conhecer o segredo da sabedoria de Salomão.
E sabem o que é mais interessante nesta história? É o fato de que Salomão não pediu para ter um sonho com Deus. Mas Deus se adianta às nossas necessidades antes mesmo que pensemos em pedir. O que prova que o SENHOR tem prazer em nos dar muito mais do que pedimos ou sonhamos (v. 13).
Porque "Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que Lho peçais" (Mateus 7:8).
Salomão despertou do sonho e se colocou diante da arca da aliança, diante dos mandamentos do SENHOR e suas ofertas e holocaustos foram apresentados AO DEUS CONHECIDO!
Quer conhecer os sonhos de Deus para a tua vida? Continue examinando as Escrituras. Desperte para a verdadeira adoração ao Deus verdadeiro!
Assim como Davi orientou a Salomão e Deus confirmou a orientação, Deus nos orienta HOJE: "Se andares nos Meus caminhos e guardares os Meus estatutos e os Meus mandamentos… prolongarei os teus dias" (v. 14).
O desejo de Salomão foi compatível com o desejo de Deus para ele. Que os nossos desejos e sonhos estejam sempre em conformidade com os desejos e sonhos de Deus, e, com certeza, a longevidade aqui, e no porvir, nos acompanhará!

Bom dia e um feliz sábado, longevos filhos de Deus!

*Leiam 1 Reis 3

Rosana Garcia Barros



I Reis 2 by jquimelli
29 de abril de 2016, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Davi, chega aos últimos dias de sua vida. Salomão, seu filho, foi coroado rei de Israel! Davi sabe, por sua própria experiência que enorme tarefa e responsabilidade isto significa e solicita a Salomão cinco providências, esperando que seu filho aprendesse com seus erros. Davi, então, morreu, como registrado em I Cr 29:28, “em boa velhice, tendo desfrutado vida longa, riqueza e honra.”

Este capítulo revela algumas coisas: a maneira bonita e cortês como Salomão tratou sua mãe; o proceder enganoso e ambicioso de Adonias, que deveria ter aproveitado da bondade concedida por seu irmão e não abusado dela; o banimento de Abiatar; e a punição mortal a Joabe e Simei por não terem sido fiéis a Davi.

O dia do juízo chegará para todos nós que não somos formos verdadeiros com Deus, leais à igreja e aos nossos líderes.

Leo Ranzolin
Vice-presidente aposentado da Associação Geral

 

Também disponível em: http://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/1ki/2 e https://www.facebook.com/ReavivadosPorSuaPalavra
Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/1ki/2 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/1ki/2/
Texto traduzido anterior: https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/02/02/
Tradução: Jeferson Quimelli /Pastor Jobson Santos/Gisele Quimelli/Cindy Tutsch
Texto bíblico:
Comentário em áudio
Leituras da semana programa Crede em Seus Profetas: Patriarcas e Profetas, cap. 22



I Reis 2 – Comentário Pr Heber Toth Armí by jquimelli
29 de abril de 2016, 0:45
Filed under: Sem categoria

I REIS 2 – Mais que um manual de instrução, a Bíblia é um manual de vida! Desviar-se dela significa preferir o caminho da morte.

Após ler o capítulo bíblico, avance a leitura deste comentário com oração e atenção. Primeiramente, note o panorama geral deste segundo capítulo do primeiro livro de Reis:

1. Antes de morrer Davi aconselha sabiamente a seu filho Salomão (vs. 1-12);
2. Antes de assumir propriamente a regência de Israel, Salomão teve que fazer uma faxina radical, resolver algumas pendências deixadas por seu pai:

a) Adonias foi morto por ter praticado o pecado da sedição (vs. 13-25);
b) Abiatar, sacerdote que apoiou Adonias em suas ambições políticas, embora expulso do cargo, permaneceria vivo, devido ao serviço leal a Davi (vs. 26-27);
c) Joabe, executado pelos seus erros passados e por sua associação traiçoeira com Adonias (vs. 28-35);
d) Simei, ainda que praticara muitas injustiças, viveria sob condicional; mas, após ultrapassar o limite acordado com Salomão, foi morto (vs. 36-46).

A monarquia humana geralmente foi marcada pela autoridade e assassinato a fim de ser estabilizada. Seria plano divino?

Reflita na última sentença deste capítulo escrito pelo autor inspirado conforme traduzido do hebraico ao português na Bíblia de Jerusalém: “E a realeza então consolidou-se nas mãos de Salomão”.

A Bíblia de estudo Andrews faz a seguinte síntese: “Este capítulo narra como o reino foi assegurado nas mãos de Salomão. Começou com as instruções de Davi ao filho sobre como executar justiça, proteger seus aliados e eliminar inimigos em potencial”.

Por mais que esteja dando certo, nunca tinha sido plano de Deus que Seu povo tivesse um rei à parte dEle. Jim Zackrison amplia esta questão dizendo que, “Israel, por ter escolhido um rei, haveria de sofrer para o resto de seus dias por sua decisão desastrada”. Contudo, Deus estava sendo paciente, amoroso e gracioso. Por isso, diz Zackrison:

“Como devemos ser todos gratos por Deus ainda estar disposto a trabalhar conosco, não importando como tenhamos errado o caminho”.

Certamente, Deus…

• …cede, abre mão e adapta-Se para não perder as pessoas criadas a Sua imagem e semelhança;
• …ajuda, abençoa e guia até quando Seus filhos descambam por caminhos que Ele nunca traçou.
• …merece mesmo nossa devoção, amor e adoração!
• …é Rei dos reis!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



I Reis 2 – Comentário Rosana Barros by jquimelli
29 de abril de 2016, 0:40
Filed under: Sem categoria

‪#‎rpSp‬ ‪#‎1Reis2‬

"Davi descansou com seus pais e foi sepultado na Cidade de Davi" (v. 10).

Início do reinado de Salomão, e morte de Davi. Só de Davi? Não. Também de Adonias, de Joabe e de Simei. Quatro mortes relatadas em um só capítulo.
Fora a morte de Davi, todas as outras foram a mando de Salomão.
Adonias afrontou seu irmão ao pedir uma concubina de Davi por mulher. Pois possuir as concubinas era sinal de que seria o sucessor do trono. Salomão fez uma leitura da atitude de Adonias e percebeu que este não descansaria até lhe tomar o trono. Então foi lá e deu ordens a Benaia para matá-lo (v. 25).
Já Joabe teve medo, e correu para o tabernáculo, achando que lá ninguém ousaria matá-lo. Só que a sua confiança estava depositada no lugar errado, e, assim como Absalão, também foi morto (v. 34).
Simei foi aquele que amaldiçoou a Davi e lhe atirou pedras. Foi-lhe concedido que ficasse em sua casa, e de suas intermediações não passasse, pois no dia em que isso fizesse morreria. Indo buscar escravos em Gate, assinou a sua sentença de morte (v. 46).
Como afirma a Bíblia, Davi realmente descansou. Creio que o velho rei não suportaria a morte de mais um filho e do comandante que havia sido o seu companheiro em praticamente todas as suas batalhas. Literalmente, Davi descansou.
Parece que Salomão precisava fazer uma "faxina" no reino. Se livrar de quem lhe fosse uma ameaça o deixaria mais seguro.
Na verdade, as palavras de Davi antes da morte seriam a sua segurança. Palavras que expressam a força de uma só palavra: OBEDIÊNCIA.
Se tão somente Salomão fosse obediente a Deus, guardando todos os Seus mandamentos e estatutos, teria um reinado próspero (v. 3). A obediência a Deus seria o seu porto seguro.
O que acontece quando honramos nossos pais os obedecendo? As coisas dão certo, não é verdade? Costumo ensinar a meus filhos, pequenas lições de obediência mediante a desobediência deles. Quando eu digo: — Não corram aí, pois podem escorregar.
E eles correm e escorregam, enquanto os consolo e trato de algum ferimento, digo: — Se tivesse obedecido à mamãe, nada disso teria acontecido.
Eles se desculpam e por vezes, em meio à lágrimas, dizem: — Porque eu não lhe obedeci, mamãe!?
Se devemos obediência a nossos pais terrenos, eu lhes pergunto: — E nosso Pai do Céu, precisamos obedecer?
Meus irmãos, se desobedecer pai e mãe já faz um estrago grande, imaginem desobedecer a Deus!
Deus traçou para o ser humano um plano de vida. Ele, que nos criou, sabe bem o que é melhor para cada um de nós.
Percebam que, no exemplo que dei de meus filhos, eles pediam desculpas em meio à lágrimas e machucados, e, através da queda, eu tinha a oportunidade de lhes ensinar a lição de que desobedecer causa dor.
Entendem como Deus age? Ele nos diz por onde devemos caminhar, como devemos viver; diante da obediência, coloca perante nós um leque de bênçãos; mas sobre a desobediência, também nos afirma que resultados desastrosos virão. Ele nos ensina o caminho seguro, mas também nos mostra o que leva à dor.
Ainda assim, quantas vezes O desobedecemos, e só conseguimos reconhecer o nosso erro em meio às lágrimas e feridas causadas por ele!
Não é fácil ser fiel a Deus no mundo em que vivemos. Nunca foi. Mas, com certeza, é possível. A fidelidade para com Deus não é instrumento de salvação, é o resultado dela. Tentar viver o contrário é puro legalismo e nos leva à crença sem sentido de que o que fazemos nos é creditado para justiça. Obedecer para ser salvo é como possuir um cartão fidelidade para juntar pontos de entrada no Céu. Obedecer porque já foi salvo é estar convicto de que Cristo já pagou o preço para lhe salvar.
Obediência não é barganhar, é agradecer. E não importa quão longe você tenha ido. Você está vivendo em meio à lágrimas? Use-as para regar os pés do Salvador, e dEle ouvirás: "Perdoados são os teus pecados… A tua fé te salvou; vai-te em paz" (Lucas 7:48 e 50).
Jesus perdoa, salva e abençoa!
Percebam que Ele não diz: — O perfume caro que você derramou em Meus pés te salvou; nem diz: — Gostei de ter limpo os Meus pés, por isso te salvei.
Não, amados! Ele foi bem claro ao afirmar que a fé dela a salvou.
Antes de atitudes, Deus espera virtudes! Se nossas palavras e ações não forem movidas pelas virtudes do Espírito Santo (Gálatas 5:22-23), não passam de atos legalistas.
A obediência é prova de nosso amor para com Deus, e não um meio de alcançá-lo: "Se Me amais, guardareis os Meus mandamentos" (João 14:15).
Como Davi disse a Salomão, o SENHOR nos diz, hoje:
—Seja corajoso, homem de Deus!
—Seja corajosa, mulher de Deus!
E mesmo que a morte nos alcance, que não venha como foi com Adonias, Joabe e Simei. Mas como foi com Davi: um descanso. Pois, "Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no SENHOR. Sim, diz o Espírito, para que descansem" (Apocalipse 14:13).
Já vimos vários exemplos, desde Gênesis até o início do livro de Reis, de filhos rebeldes e os resultados desastrosos provenientes da desobediência. A Bíblia é uma carta de amor, um manual que nos instrui acerca de como viver.
Não obedeça para que Deus te ame. Ele é AMOR (1 João 4:8), então nada do que você faça vai diminuir ou aumentar o amor de Deus por você. Ame, então, obedeça. Que a tua fidelidade não sejam apenas obras, mas um estilo de vida à semelhança de Jesus: "assim como também Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai e no Seu amor permaneço" (João 15:10, up).

Bom dia, filhos obedientes do Pai Celeste!

*Leiam ‪#‎1Reis‬ 2

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: