Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 18 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
19 de julho de 2020, 0:50
Filed under: Sem categoria

621 palavras

2 Externar o seu interior. Ou seja, o insensato fala o que passa em sua mente e o que acredita ser a sabedoria (ver Pv 12:23; 13:36; 15:2; 17:28). CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 3, p. 1137.

4 Águas profundas. São sujas, obscuras (comparar com 20:5). Bíblia de Estudo Andrews.

5 Ser parcial com o perverso. Comparar com Lv 19:15; Dt 1:17; Pv 24:23-25; 28:21. CBASD, vol. 3, p. 1137.

Qualquer tipo de favoritismo era condenado na lei (v. Lv 19.15; Dt 1.17; 16.19). Bíblia de Estudo NVI Vida.

6 Por açoites brada a sua boca. Convida o castigo (comparar co  17:10; Dt 25:2). Bíblia de Estudo Andrews.

O insensato entra em confusão por causa de suas palavras imprudentes. CBASD, vol. 3, p. 1137.

7 Sua própria destruição. Quando expressa seus pensamentos, o insensato revela sua loucura e seu caráter pecador. Portanto, é pela boca que traz punição sobre si. CBASD, vol. 3, p. 1137.

8 Mais interior do ventre. Parece indicar algo agradável, divertido. Bíblia de Estudo Andrews.

9 Negligente. O preguiçoso não consegue produzir sua parte, por isso fica no mesmo nível da pessoa desperdiçadora e destruidora. CBASD, vol. 3, p. 1137.

10 Torre forte. O nome do Senhor representa tudo que Deus é para Seu povo. … Somente a graça divina dá esperança de salvação ao pecador. Coberto por essa graça, o pecador é como uma fortaleza invencível a Satanás e suas tentações (ver DTN, 324; TM, 16, 18; MDC, 119). CBASD, vol. 3, p. 1137.

11 Imagina. É somente em aparência que o rico forma uma “alta muralha”. Alguma mudança no mercado, uma série de infortúnios e a proteção se esvai. A defesa que Deus oferece é real e indestrutível (ver Pv 10:15; 18:10). CBASD, vol. 3, p. 1137.

12 Diante da honra. José, Moisés e Daniel passaram pela disciplina do cativeiro ou do exílio antes dos momentos de grande honra (ver Pv 15:33; 16:18; T5, 50). CBASD, vol. 3, p. 1137.

14 Sustém. O espírito corajoso de muitos homens e mulheres que sofreram acidentes ou doenças incapacitantes testemunha da verdade da primeira oração. CBASD, vol. 3, p. 1137.

16 Presente. A palavra para “presente” neste versículo é diferente da traduzida por “suborno” em Provérbios 17:8. Todos amam quem dá presentes (ver cap. 19:6), e o doador logo ganha acesso a círculos distintos como um amigo bem-vindo. CBASD, vol. 3, p. 1137.

17 O que começa. Ou seja, o primeiro a defender sua causa. CBASD, vol. 3, p. 1137.

Parece justo. Uma visita a um tribunal demonstrará esta verdade. CBASD, vol. 3, p. 1137.

21 O que bem a utiliza. Ou, “aquele que a ama” (ARC). A língua pode manchar uma reputação e levar o indivíduo à pobreza ou à morte. Mesmo sendo tão pequena, consegue causar danos enormes. Quando usada em harmonia com a vontade de Deus, para alegrar ou proclamar o evangelho, é capaz de fazer muito bem. Quem ama a língua, mimando-a e dando a ela livre domínio, causará muitos prejuízos, os quais retornarão sobre si mesmo (ver Mt 12:36; Tg 3; Ed, 235; T5, 57). CBASD, vol. 3, p. 1138.

22 O bem. Obviamente Salomão estava falando da esposa ideal, uma mulher prudente e virtuosa, que é leal em apoiar o marido nos esforços de servir ao Senhor (Pv, 12:4; 19:14; 31:10; cf. CBV, 359). Aquele que se une a uma esposa como essa recebe, de fato, um favor de Deus. CBASD, vol. 3, p. 1138.

23 O pobre. O rico pode responder como quiser, e as pessoas não se ofendem abertamente, pois desejam sua amizade. Já o pobre precisa medir suas palavras para não ofender aqueles de quem depende sua sobrevivência (ver Pv 14:21; 17:5). CBASD, vol. 3, p. 1138.

24 O homem que tem muitos amigos sai perdendo. Há muitos amigos que não são verdadeiros, os quais esgotam nossos recursos e não permanecem ao nosso lado no momento de calamidade. CBASD, vol. 3, p. 1138.

Mas há amigo mais chegado do que um irmão. O sentido principal desta afirmação sem dúvida é que os amigos, às vezes, vão embora (ver Pv 17:17). A linguagem da expressão pode ser aplicada a Cristo, o amigo fiel e verdadeiro, que nunca falaha (ver T2, 271). CBASD, vol. 3, p. 1138.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: