Reavivados por Sua Palavra


LUCAS 6 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
16 de março de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria


“O discípulo não está acima do seu Mestre; todo aquele, porém, que for bem instruído será como o seu Mestre” (v.40).


Cada passo de Jesus era seguido por multidões sedentas de cura e de libertação, mas também era criteriosamente observado pelos zelosos líderes judeus. Suas exigências quanto à observância do quarto mandamento da Lei de Deus (Êx 20:8-11) eram sobremodo absurdas e não tinham comunhão alguma com as palavras “escritas pelo dedo de Deus” (Êx 31:18). Perante o “Senhor do sábado” (v.5), condenavam o debulhar de espigas e a cura de um homem sofredor, enquanto transgrediam em seus corações o sexto mandamento da Lei: “Não matarás” (Êx 20:13; Mt 5:22).

Após uma vigília orando e clamando ao Pai por sabedoria, Jesus escolheu doze homens dentre aqueles que já O seguiam. Àquele grupo especial foi dado o privilégio de acompanhar de perto todo o Seu ministério terrestre. Foram testemunhas de incontáveis milagres e de um poder jamais visto. Mas creio que as lições mais importantes foram aquelas em que o olhar do Salvador lhes constrangia o íntimo. A versão de Lucas das bem-aventuranças, apesar de mais curta, acrescenta ao sermão da montanha um contraste digno de reflexão. Vejamos:

  1. Bem-aventurados vós, os pobres…” (v.20). “Mas ai de vós, os ricos!” (v.24);
  2. Bem-aventurados vós, os que agora tendes fome…” (v.21). “Ai de vós, os que estais agora fartos!” (v.25);
  3. Bem-aventurados vós, os que agora chorais…” (v.21). “Ai de vós, os que agora rides!” (v.25);
  4. Bem-aventurados sois quando os homens vos odiarem e quando vos expulsarem da sua companhia, vos injuriarem e rejeitarem o vosso nome como indigno, por causa do Filho do Homem” (v.22). “Ai de vós, quando todos vos louvarem!” (v. 26).

E as palavras que se seguem fazem parte de um dos discursos mais difíceis de Cristo. Na verdade, um dos mais fáceis de compreender, mas o mais difícil de praticar. Amar os inimigos, proferir palavras de bênção e orar por aqueles que nos caluniam, preferir humilhar-se a revidar, fazer o bem a quem não merece, emprestar sem esperar receber de volta, não julgar, não condenar, estar sempre pronto a perdoar, faz parte da “listinha” das ações recorrentes de uma vida transformada em Cristo Jesus. Estudando a vida de Jesus, concluímos que todas essas ações foram por Ele praticadas. A Sua vida foi o perfeito cumprimento de Seus ensinamentos, o exemplo que todo discípulo é convidado a imitar.

Aquele que “é benigno até para com os ingratos e maus” (v.35), nos chama a sermos Seus imitadores: “Sede misericordiosos, como também é misericordioso vosso Pai” (v.36). Em um mundo onde, “por se multiplicar a iniquidade”, o amor de quase todos está se esfriando (Mt 24:12), somos chamados para, como bem-aventurados, fazer a diferença na vida das pessoas. Jesus está fazendo a mesma pergunta, hoje: “Por que Me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?” (v.46). “Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros” (Jo 15:17). Portanto, ouvir e praticar a Palavra de Deus edifica a nossa vida sobre a Rocha, que é Cristo, nos torna bem-aventurados e semelhantes a Jesus. Eis o “bom tesouro do coração” (v.45).

Bom dia, bem-aventurados!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus
#Lucas6
#RPSP


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: