Reavivados por Sua Palavra


SALMO 82 by jquimelli
21 de janeiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O primeiro verso deste salmo evoca a imagem de um tribunal. Deus preside a grande assembléia e profere o veredito. Curiosamente, são os juízes de Israel, que estão sendo acusados. O Justo Juiz repreende os juízes por favorecer os ímpios, e implora a eles para que protejam as necessidades e os direitos daqueles que são indefesos.

Ao ler a advertência divina para que se defendam os órfãos e os fracos e para que se resgatem os necessitados, meus pensamentos são levados até o tempo da vida de Jesus e Seus ensinamentos.

Lucas nos diz: “Ele foi a Nazaré, onde havia sido criado, e no dia de sábado entrou na sinagoga, como era seu costume. E levantou-se para ler. Foi-Lhe entregue o livro do profeta Isaías. Abriu-o e encontrou o lugar onde está escrito: ‘O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para pregar boas novas aos pobres. Ele Me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação da vista aos cegos, para libertar os oprimidos e proclamar o ano da graça do Senhor’”(Lucas 4:16-19 NVI).

Este mesmo Jesus que aconselhou seu povo nas Escrituras do Antigo Testamento agora mostra através do exemplo de Sua vida sem pecado como tratar os indefesos, as viúvas e os órfãos, e os pobres.

Eu vejo Jesus carinhosamente defender a viúva que deu somente duas moedinhas de oferta. Eu vejo Jesus acenando para as crianças enquanto ordena aos discípulos: “Deixem vir a Mim as crianças.” Eu vejo Jesus olhando para baixo, para Sua mãe de coração partido e confiando-a aos cuidados de João.

Que belas demonstrações de amor! Exemplos de como Jesus tratava as pessoas e como Ele quer que as tratemos.

Kimberly Bobenhausen
Estados Unidos

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/82 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/82/
Tradução: Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli
Texto bíblico: Salmo 82 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 82 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
21 de janeiro de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

O Salmo 82 é a acusação de Deus aos juízes injustos que dominavam sobre Israel. Possivelmente foi composto num período em que havia muita deslealdade e corrupção na administração da justiça. O salmo é dividido em três partes: 1) Deus é introduzido como Supremo Juiz (v. 1); 2) Deus denuncia os juízes injustos e os julgamentos corruptos (v. 2-7); e 3) o salmista implora que Deus se levante para julgar (v. 8). O salmo tem lições para todos os filhos de Deus com referência às relações mútuas (CBASD – Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia, vol. 3, p. 925).

1-8 A justiça divina envergonha os juízes corruptos da terra (Bíblia Shedd).

1 deuses. Do heb. ‘elohim, possivelmente “juízes” neste verso, assim como na tradução de ‘elohim” em Êxodo 21:6; 22:8 e 9. Os juízes podem ser chamados de ‘elohim no sentido de que são representantes da soberania de Deus (ver Êx 7:1) (CBASD, vol. 3, p. 925).

Na lei de Moisés, a palavra assim traduzida se refere aos juízes do povo (Bíblia Shedd).

Na linguagem do AT – e de acordo com o mundo conceptual do antigo Oriente Médio – os governantes e os juízes, como procuradores do Rei celestial, podiam receber o título emérito de “deus” (Bíblia de Estudo NVI,Vida).

O termo designa governantes, líderes, pessoas de poder, juízes e/ou príncipes terrenos (v.7). que eram representantes de Deus, e cujo trabalho era divinamente designado (Êx 22:28; Deut 1:17; 16:18; 2Cr 19:6; comparar com Heb 13:7). Eles perverteram a justiça, agiam cegamente como pessoas andando na escuridão (Sl 82:5). O salmista os vê reunidos perante Deus, o Rei do Universo, sendo julgados, porque eles são responsáveis perante Ele por sua administração de justiça (Andrews Study Bible).

2 Até quando … tomareis partido? Em Israel era proibido mostrar parcialidade por causa de circunstâncias ou posição (ver Lev 19:15; Dt 1:17; At 10:34) (CBASD, vol. 3, p. 925).

5 vacilam todos os fundamentos da terra. Quando juízes injustos administram a lei, os fundamentos do governo moral cambaleiam e caem. O governo terreno, que deveria refletir o governo de Deus, se torna em anarquia (CBASD, vol. 3, p. 926).

6 Eu disse: “sois deuses”. Do heb. ‘elohim (CBASD, vol. 3, p. 926). Jesus explica que aqueles que recebem a Palavra de Deus estão revestidos de autoridade divina (cf Jo 10.34-36) (Bíblia Shedd).

Os que governam (ou julgam) fazem-no por nomeação divina (v. 2,7; Is 44.28) e, portanto, são representantes de Deus – que O conheçam quer não (ver Êx 9.16; Jr 27.6; Dn 2.21; 4.17,32; 5.18; Jo 19.11; Rm 13.1) (Bíblia de Estudo NVI, Vida).

Não deuses no sentido absoluto da palavra, mas apenas “filhos do Altíssimo”, como a sentença paralela afirma. Eles eram apenas governantes e juízes humanos cujos cargos foram concedidos por Deus (Andrews Study Bible).

7 príncipes. Pessoas de posição elevada. Embora fossem chamados ‘elohim (ver com. dos v. 1, 6), eles morreriam por causa de sua infidelidade (CBASD, vol. 3, p. 926).

Se os juízes quisessem tripudiar sobre os direitos dos pobres, poderiam aguardar um fim violento reservado para os déspotas, como seu galardão normal (Bíblia Shedd).

Por mais exaltada que fosse a sua posição, esses “deuses” corruptos serão abatidos pelo mesmo julgamento que os demais homens (Bíblia de Estudo NVI, Vida).

8 herança de todas as nações. Nas palavras de João: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do Seu Cristo” (Ap 11:15; cf Dn 2:11, 45) (CBASD, vol. 3, p. 926).



SALMO 82 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
21 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 82 – Um ditado popular diz: “Os ignorantes, que acham que sabem tudo, privam-se de um dos maiores prazeres da vida: aprender”.

A pior ignorância se dá em relação à Palavra de Deus. A maior ignorância é presumir que sabe das coisas, principalmente sobre assuntos espirituais. Tal pressuposição impossibilita estudos profundos que resultam em transformação do coração.

Reflita:

1. Os ignorantes tomam decisões injustas e preferem favorecer aos ímpios em detrimento dos justos, corrompem a justiça e absolvem aos culpados (v. 2);
2. Os ignorantes estão em trevas morais, por isso, defendem culpados e condenam inocentes, exploram aos fracos e beneficiam aos ricos, tramam astutamente contra o povo de Deus e conspiram contra os que pertencem a Deus (vs. 3-4);
3. Os ignorantes tomam decisões sérias equivocadamente pensando estarem certos, pois sem discernimento espiritual não se tem ideia alguma da verdadeira realidade dos fatos (v. 5);
4. Os ignorantes pensam que estão no controle, quando na verdade Deus está acima de tudo e de todos; Deus é soberano, os maiorais (deuses) do mundo devem dar satisfação a Ele – sem qualquer possibilidade de negociação (vs. 6-7);

Deus anseia que os ignorantes façam justiça aos fracos e sofredores, procedam corretamente com o aflito e o desamparado; entretanto, eles fazem exatamente o oposto.

Já os sábios não ignoram a justiça, eles clamam a Deus por ela (v. 1). Os entendidos na Palavra de Deus e submissos a ela conhecem ao Deus da Palavra e pedem-Lhe que dê o que os que ignoram a verdade merecem (v. 8).

O sábio sabe que logo Deus se levantará contra todos os que se acham deuses (arrogantes convencidos), que pensam serem donos de seu próprio nariz e fazem o que querem sem consultar a Bíblia, a única fonte segura!

Certamente, Deus julgará “os poderes e governantes que sustentam um sistema de opressão e injustiça no mundo” (Duane A. Garrett).

• Aqueles que levantam sua opinião com convicção sem fundamento bíblico, serão logo julgados. Oremos por isso!
• Aqueles que agem com base em sentimentos sem fundamento bíblico, logo estarão diante do soberano absoluto para responder por seus atos. Oremos por isso!

Derek Bok destaca que “se você acha que educação é cara, experimente a ignorância”.

Portanto, sejamos sábios, não ignorantes! Humilhemo-nos perante Deus! – Heber Toth Armí.



SALMO 82 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
21 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Levanta-Te, ó Deus, julga a terra, pois a Ti compete a herança de todas as nações” (v. 8).

Quão difícil é conviver com a injustiça! Quão terrível é termos de lidar com o desamparo e com a sensação de impotência frente a um mundo hostil e indiferente!Do hebraico “elohim“, a palavra deuses (v. 1) se refere aos próprios juízes de Israel que eram investidos para tal função como representantes de Deus. Ou, pelo menos, era o que deveriam ser. Porém, conforme o salmista, os juízes eram parciais e aqueles que andavam contra a justiça eram por ela beneficiados (v. 2).

Quando Cristo afirmou “Eu e o Pai somos um” (João 10:30), os judeus prontamente pegaram pedras “para Lhe atirar” (João 10:31). Então Jesus lhes disse:

— Ora, Eu só tenho lhes mostrado boas obras de Deus até agora; por qual delas vocês irão Me apedrejar? (João 10:32). 

Mas os judeus não ficaram ofendidos com as Suas obras e sim com o fato de Se dizer Filho de Deus.

Jesus Cristo foi o incomparável homem-Deus, que abriu mão de Sua glória celeste para receber a rejeição terrestre. Nunca houve na história deste mundo maior injustiça do que aquela que tornou a cruz o objeto de maior representatividade no cenário cristão. Não há como olhar para uma cruz e não remetê-la ao sacrifício de Cristo. O Justo morreu pelos pecadores para que a injustiça tivesse prazo de validade.

Amados, o Deus “que assiste na congregação divina” (v. 1), muito em breve vai estabelecer o Seu julgamento, e este definitivo. O mundo pode tratar de forma injusta aos mais necessitados e tratar com indiferença os oprimidos, mas o Deus que “julga a terra” Se levantará e os defenderá diante de todo o Universo. É só uma questão de tempo. Da mesma forma que Cristo não fez acepção de pessoas aqui, assim o será no dia da Sua volta. Mas enquanto isso, somos chamados por Deus como Seus representantes, como filhos e filhas do Altíssimo (v. 6), para sermos abençoadores e praticantes da verdadeira religião (Vide Tiago 1:27). Só assim ouviremos do SENHOR o chamado tão almejado: “Vinde, benditos de Meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34).

Não há nada mais gratificante neste mundo do que uma consciência em paz. Andar ao lado da justiça promove bem-estar, saúde e tranquilidade de valor inestimável.

Que sejamos praticantes da justiça e ela nos conduzirá para a vida eterna (Vide Provérbios 11:19)!

Bom dia, filhos do Altíssimo!

Dica de leitura: Leia o capítulo 40, “O livramento dos justos“, do livro “O Grande Conflito“.

*Leiam #Salmo82

Rosana Garcia Barros 




%d blogueiros gostam disto: