Reavivados por Sua Palavra


SALMO 90 by jquimelli
29 de janeiro de 2017, 1:28
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O Salmo 90 possui o título: “Uma oração de Moisés, homem de Deus”. Quando lemos a descrição “homem de Deus”, a vida de Moisés passa diante de nós: a sua vida em Midiã e o período de 40 anos em que ele conduziu o povo de Israel pelo deserto.

Ao liderar aquele povo teimoso, Moisés sofreu imensamente. No entanto, pense no seguinte. Como ele conhecia o Senhor, ele foi capaz de suportar a rebelião, a idolatria, a incredulidade e as reclamações do povo. E ao mesmo tempo, as falhas do povo o ajudaram a entender melhor o Senhor.

Moisés conhecia o guia de Israel como o Criador, aquele que não é limitado pelo tempo e espaço. Ele conhecia o seu poder e a grandeza da Sua santidade. Isto deu-lhe coragem para não ter medo das pessoas e manter-se firme ao pastore-á-los com justiça.

Ele entendia o desamparo e pecaminosidade da condição humana. E ele sabia que também estava na mesma situação. “Conheces as nossas iniquidades; não escapam os nossos pecados secretos à luz da tua presença” (v. 8, NVI). Assim, no meio da peregrinação do deserto, ele clama: “Volta-te,Senhor! Até quando será assim? Tem compaixão dos teus servos!” (v. 13, NVI).

Ele procurava a bondade do Senhor pela manhã, a única fonte que sempre satisfaz. E sabia que o Senhor iria recompensá-los com a alegria da Sua presença ao longo do dia.

Assim como Moisés, busquemos ao Senhor todas as manhãs e aprendamos de Sua bondade.

Sook -Young Kim
Kyungpook National University
Coréia do Sul

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/90 e http://revivedbyhisword.org/en/bible/Psa/90/
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 90 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leituras da semana do programa Crede em Seus Profetas: https://credeemseusprofetas.org/



SALMO 90 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
29 de janeiro de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

O Salmo 90 tem sido descrito como uma canção sobre o poder e o propósito de Deus, com tons que destacam a fragilidade e transitoriedade do ser humano. É um magnífico poema escrito sobre a fugacidade da vida humana, à luz da vívida fé do poeta na promessa de Deus. Isaac Taylor assim classificou o Salmo 90: “É a composição humana mais sublime, com os sentimentos mais profundos, as mais elevadas concepções teológicas, e magnífico em suas ilustrações.” As pessoas e as nações podem mudar, envelhecer e morrer; mas Deus permanece inalterado, eterno em Sua majestade. … Estilo robusto, tema vasto, identificação frequente com a linguagem de Deuteronômio, “a estampa da antiguidade”: esses elementos ajudam a apoiar o ponto de vista de que Moisés foi o autor do Salmo 90. CBASD, vol. 3, p. 944.

Senhor. Do heb. ‘Adhonai (ver vol. 1, p. 151). CBASD, vol. 3, p. 944.

Refúgio. Do heb. ma’on, “residência” ou “habitação” (ver Dt 26:15; Sl 26:8; 68:5; 91:9). CBASD, vol. 3, p. 944.

De eternidade a eternidade. A pessoa que reconhece a eternidade de Deus e considera sua própria vida como relacionada ao Eterno tem um poderoso estímulo para uma vida digna. CBASD, vol. 3, p. 944.

Homem. Do heb. ‘enosh‘, “homem em sua fragilidade” (ver com. de Sl 8:4). CBASD, vol. 3, p. 944.

Tu reduzes o homem o pó e dizes: Tornai, filhos dos homens. Ao que parece [tornai é] uma referência à morte. Não há pensamento mais preocupante do que este: todos morremos, independentemente da posição, nacionalidade, riqueza ou outra marca distintiva. CBASD, vol. 3, p. 944.

Mil anos. O passar do tempo significa nada para o Deus eterno. Mesmo a vida de Matusalém (ver Gn 5:27) seria, em comparação com a eternidade de Deus, apenas um dia. Seria como o ontem que, quando passou, parecia ainda menor à memória (ver 2Pe 3:8). CBASD, vol. 3, p. 944.

A vigília. A ideia da primeira frase é intensificada: mil anos para Deus não são mais que a divisão de uma única noite. CBASD, vol. 3, p. 944.

Pois somos somos consumidos por Tua ira. Deixando para trás as generalizações sobre a eternidade de Deus e a transitoriedade da vida humana, o salmista segue apresentando a fraqueza e os pecados pessoais e do seu povo como o motivo para o desprazer de Deus. CBASD, vol. 3, p. 944, 945.

Pecados ocultos. Os pecados do coração, que se tentam esconder das vistas dos outros; ou os pecados esquecidos. CBASD, vol. 3, p. 945.

acabam-se os nossos anos como um breve pensamento. A vida passa com a rapidez de um suspiro; o pensamento se vai com mais rapidez do que nos ocorre. CBASD, vol. 3, p. 945.

10 Havendo vigor. Por causa do vigor excepcional. CBASD, vol. 3, p. 945.

Enfado. Um prolongamento da vida não garante a felicidade (ver Ec 12:1). CBASD, vol. 3, p. 945.

Nós voamos. Mesmo que a vida chegue a 80 anos, parece um período curto, e nós voamos como num sonho (ver Jó 20:8). Estas palavras adquirem sentido especial para uma pessoa que está à beira da morte e olha para os dias de sua peregrinação. CBASD, vol. 3, p. 945.

12 Ensina-nos a contar nossos dias, para que alcancemos coração sábio. Somente Deus vê o fim desde o princípio, mas devemos orar por graça para agir como se víssemos o final. É preciso meditar na brevidade da vida, para que sejamos sãbios ao empregar o tempo concedido por Deus. CBASD, vol. 3, p. 945.

13 Tem compaixão dos Teus servos. O salmista está utilizando a linguagem humana. O arrependimento de Deus não é como o do ser humano, mas Deus parece Se arrepender ao retirar Seus juízos, mostrando misericórdia quando seria de esperar somente a punição (ver com. de Nm 23:19). CBASD, vol. 3, p. 945.

14 Sacia-nos de manhã com a Tua benignidade, para que cantemos de júbilo e nos alegremos todos os dias. O salmista ora para que depois da noite de angústia e sofrimento, Deus dê uma manhã de alegria e paz (ver Sl 13:8). CBASD, vol. 3, p. 945.

16 Aos Teus servos apareçam as Tuas obras. Isto é, os atos misericordiosos de Deus. Seus atos de intervenção, Suas providências. CBASD, vol. 3, p. 945.

17 Seja sobre nós a graça do Senhor. Quado virmos a formosura do caráter de Deus, seremos “transfigurados por Sua graça” (ver Ed; MDC, 61) e a graça do Senhor nosso Deus” estará “sobre nós”. CBASD, vol. 3, p. 945.

As obras de nossas mãos. Esta é uma referência simples às tarefas simples da vida diária, bem como os deveres profissionais para a manutenção da vida. A repetição da oração enfatiza o desejo do salmista de que Deus ajude seu povo a executar a obra, para que sejam abençoados por Ele. CBASD, vol. 3, p. 945.



SALMO 90 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
29 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 90 – A vida é uma sucessão de sucessos sucessíveis que se sucedem sucessivamente sem sessar.

O Salmo em questão é o único Salmo escrito por Moisés. Assim, é o mais antigo salmo escrito de que se tem registro. Ele é uma beleza literária. Uma sublime e esplendorosa composição humana, porém, inspirada por Deus. Sua mensagem é interessante.

Warren Wierbe esboça os 17 versículos da seguinte forma:

• A eternidade de Deus e a fragilidade do homem (vs. 1-6).
• A santidade de Deus e o pecado do homem (vs. 7-12).
• A bênção de Deus e a aspiração do homem (vs. 13-17).

O Salmo mostra-nos que sem Deus não somos nada. Moisés faz um contraste gritante entre Deus e o homem.

1. Enquanto os humanos vivem uma geração, Deus contempla o início e o fim de todas as gerações.
2. Enquanto Deus é o Criador do mundo e da humanidade, os seres humanos são criaturas de Deus.
3. Enquanto Deus é eterno, sem começo e sem fim, os seres humanos são limitados no tempo.
4. Enquanto Deus é santo, os seres humanos têm pecados visíveis e secretos.
5. Enquanto Deus é soberano sobre o tempo, os seres humanos são escravos dele, vivendo pouco e ainda com muitos sofrimentos.

Por causa disso, é extremamente urgente buscar sabedoria divina para lidar com os desafios humanos. Nossa vida é efêmera para perder tempo com coisas terrenas. Nosso tempo é passageiro para desprezá-lo com coisas banais. O certo seria todos nós no século XXI fazer como Moisés:

• Orar pela misericórdia de Deus (v. 13);
• Suplicar a Deus para que desejos do povo resulte em satisfação (v. 14);
• Pedir a Deus que nos faça pessoas felizes após suportarmos momentos críticos, difíceis (v. 15);
• Solicitar que Deus nos ajude ver as Suas obras e a Sua glória (v. 16)
• Clamar a Deus por Sua graça a fim de que nossas obras não nos causem desgraças (v. 17).

A vida bem vivida é a que vale a pena. Alcançar a sabedoria deve ser o alvo de quem almeja viver feliz. Orar “pedindo ao santo e eterno Deus que [nos] dê sabedoria, amor, alegria e prosperidade” (Bíblia Andrews) é o melhor jeito de aproveitar bem o pouco tempo de vida que recebemos de Deus! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: