Reavivados por Sua Palavra


SALMO 71 by jquimelli
10 de janeiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

O salmista se lembra de ter sido fiel a Deus desde a infância, mas teme que Deus possa não ter mais necessidade dele. Muitos idosos dedicaram uma vida inteira de serviço útil em prol da comunidade, da igreja e do país, mas quando se aposentam, sua autoridade desaparece e ninguém parece importar-se com eles.

Este é o caminho da natureza: plantas, árvores e animais ficam velhos e fracos e inevitavelmente dão lugar ao mais jovem e forte. O salmista teme que seus inimigos venham a acabar com ele na sua velhice, quando se tornou frágil.

Em meio a esta situação desanimadora o Salmista consegue enxergar um futuro brilhante como resultado da intervenção de Deus. Ele diz: “restaurarás a minha vida, e das profundezas da terra de novo me farás subir. Tu me farás honrado e mais uma vez me consolarás ” (v. 20, 21 NVI). Assim como o grisalho salmista, todos os idosos que acreditam em Deus ainda podem cantar louvores e gritar de alegria porque Deus nunca os abandonará.

Felizmente para os cristãos idosos a morte não é a única coisa que podem esperar do futuro. Embora abalados por muitos problemas, podem olhar para a frente, para uma outra vida, conforme prometido por Jesus: “Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11:25, NVI).

Gordon Christo 
India

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/71
Texto expandido da tradução anterior: href=”https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/10/17/”
Tradução: Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 71 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 71 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
10 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 71 – Embora todos nós sofremos, normalmente não somos favoráveis ao sofrimento. Alguém disse que o sofrimento é uma experiência que entrou após o pecado, portanto, por mais fé que se tenha em Deus, a dor não combina com a vida. A dor sempre será uma experiência intrusa.

Aqueles que aprendem a lidar com fé cada um ou cada fase dos sofrimentos que enfrentam, se preparará melhor para receber o que Deus tem para oferecer. Com a fé testada a vida se torna mais ampliada. O salmista é um exemplo de como lidar com o sofrimento. Com palavras inspiradas, ele nos deixa um tremendo legado espiritual.

Este Salmo foi escrito por um ancião em meio a sua impotência e ameaça de perseguidores; então, ele clama a Deus confiantemente em busca…

• Socorro (v. 4);
• Segurança (v. 5);
• Vindicação (v. 13).

Ele sabe que somente Deus existe o que a alma humana tanto almeja:

• Lugar seguro (vs. 3-7);
• Segurança e esperança (v. 5).

Contudo, o futuro glorioso se concentra na primeira e na segunda vinda do Messias, que garante a restauração e a ressurreição dos que nEle confiam (v. 20-21).

O salmista, embora vivendo no Antigo Testamento, não era nada legalista. Ele não confiava em sua obediência para buscar favor do Senhor. A salvação nunca foi baseada na justiça própria.

Após dirigir-se a Deus diretamente (v. 1), o salmista clamou: “Livra-me por tua justiça e resgata-me; inclina-me os ouvidos e salva-me” (v. 2).

Após refletir sobre os efeitos da atuação de Deus, e expressar sua vontade de exaltar e glorificar pelo que Deus fez (vs. 22-23), o salmista declara: “Igualmente a minha língua celebra a tua justiça todo o dia; pois estão envergonhados e confundidos os que procuram o mal contra mim” (v. 24).

Deus ensina aos que humildemente querem aprender. A justiça de Deus é enfatizada em detrimento da vergonha humana. Deus ampara e fortalece ao limitado e fraco. Deus salva o perdido e absolve o condenado. Quem faz o que Deus faz? Quem se iguala a Ele? Quem além de Deus merece ser tão aclamado?

Encha teus lábios de louvor. Encha teu coração de gratidão. Encha tua vida de adoração ao Deus da salvação. Exalte Seu poder. Celebre Suas obras! Cubra-se com Sua justiça! – Heber Toth Armí.



SALMO 71 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
10 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Ora, a Tua justiça, ó Deus, se eleva até aos Céus. Grandes coisas tens feito, ó Deus, quem é semelhante a Ti?” (v. 19).

Apesar de ser de autoria desconhecida, trata-se de um Salmo escrito por alguém idoso. Você já ouviu esta expressão: “Quanto mais velho, mais teimoso”? Parece que isso não se aplica ao caso deste ancião anônimo. Em completa atitude de humildade, ele queda-se aos pés do SENHOR e expressa a sua total confiança nEle (v. 5). Em sua fraqueza, Deus era o seu apoio (v. 6). E por ser tão temente a Deus e dar um bom testemunho, muitos o consideravam “um portento” (v. 7), ou seja, um prodígio, uma pessoa maravilhosa. Mas o que havia de tão maravilhoso na vida deste homem? Vejamos:

Primeiramente, enquanto as pessoas o consideravam alguém extraordinário, ele reconhecia que Deus era o seu forte refúgio (v. 7). Quem não se esconde em Deus, Deus não o revela para o mundo. Segundo, e não menos importante, observem o teor do que saía dos lábios do salmista: “Tu és motivo para os meus louvores constantemente” (v. 6).

“Os meus lábios estão cheios do Teu louvor” (v. 8).

“…Te louvarei mais e mais” (v. 14).

“A minha boca relatará a Tua justiça…” (v. 15).

“… até agora tenho anunciado as Tuas maravilhas” (v. 17).

“… até que eu tenha declarado à presente geração a Tua força…” (v. 18).

“Os meus lábios exultarão… Igualmente a minha língua celebrará a Tua justiça todo o dia” (v. 23-24).

Percebem qual era o conteúdo que emanava da língua do poeta? Agora acompanhem comigo o contraste de seus inimigos:

“Pois falam contra mim os meus inimigos… consultam reunidos” (v. 10).

Só este verso já foi o suficiente para compreendermos o porquê de sua angústia e o motivo pelo qual possuía tão estimada conduta. Enquanto ele louvava o nome de Deus, “o homem injusto e cruel” (v. 4) falava contra ele. Enquanto ele anunciava as maravilhas do SENHOR (v. 17), os ímpios se reuniam com o fim de prejudicá-lo (v. 10). Eis a diferença entre o justo e o perverso. Não precisamos ir tão longe para estar fazendo a coisa errada, basta estar no lugar errado. O salmista se refugiava em Deus, já os seus inimigos, em rodas de escarnecedores (Vide Salmo 1:1).

Meus amados, a missão que nos foi dada por Cristo, foi: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” (Mateus 28:19-20). A nossa boca deve relatar de forma contínua os feitos da salvação do SENHOR (v. 15). Para isso que fomos chamados. Enquanto a vida alheia é o assunto principal, o evangelho eterno deixa de ser pregado. O salmista foi considerado um prodígio simplesmente porque seguiu a ordem de Deus (Compare o verso 18 com Deuteronômio 6:4-9) e que Jesus daria centenas de anos depois. Sua boca era uma fonte de bênçãos e o seu maior temor não era dos seus inimigos, mas em sair da presença de Deus (v. 12).

Que a nossa vida seja sempre um PORTENTO, não por méritos próprios, mas por estarmos revestidos da rememoravél justiça divina (v. 16).

Bom dia, portentos refugiados no SENHOR!

Desafio do dia: Passe o dia louvando ao SENHOR, ainda que não saia um som de seus lábios. Que a tua vida louve a Deus!

*Leiam #Salmo71

Rosana Garcia Barros




%d blogueiros gostam disto: