Reavivados por Sua Palavra


SALMO 67 by jquimelli
6 de janeiro de 2017, 1:00
Filed under: Sem categoria

Comentário devocional:

Pela fé, o salmista tinha uma antecipação da salvação final de Deus; pela fé, ele acreditou no prometido Cordeiro de Deus, e esta sua fé convoca o povo a elevar o seu cântico de louvor por causa dessa promessa maravilhosa. Para nós a certeza da salvação foi firmemente estabelecida no Calvário: “O reino da graça foi instituído imediatamente depois da queda do homem, quando fora concebido um plano para a redenção da raça culpada. Existiu ele então no propósito de Deus e pela Sua promessa; e mediante a fé os homens podiam tornar-se súditos Seus. Contudo, não foi plenamente estabelecido antes da morte de Cristo. […] Quando, porém, o Salvador rendeu a vida, e em Seu último alento clamou: ‘Está consumado’, assegurou-se naquele instante o cumprimento do plano da salvação. […] O reino da graça, que antes existira pela promessa de Deus, foi então estabelecido.” (O Grande Conflito, p. 346, 347).

Se o salmista convida ao louvor por causa de uma promessa ainda por vir, então muito mais nós devemos nos motivar a prestar louvores, porque o Cordeiro de Deus já cumpriu a promessa. Expressões de louvor brotam do Salmo 67 pedindo a Deus para que seja misericordioso (o que Ele é) e três vezes apelam para que Ele nos abençoe (v. 1, 6 e 7). Além disso, este salmo nos chama (quatro vezes nos v. 3 a 5) a louvar a Deus: “Louvem-Te os povos.”

Qual é o propósito de louvarmos a Deus? Nós o Louvamos para que o Seu caminho possa ser conhecido em toda a terra e que a Sua salvação seja aclamada em todas as nações (v. 2); para que todos possam saber que Ele julga e governa com justiça (v. 4) e que a terra produzirá sua recompensa (v. 6 ); e porque todos os confins da terra O temerão (v. 7).

Nós cantamos os louvores de Deus como testemunhas. Somos movidos a exaltar Seu poder e Sua bondade. Então Sua graça também chamará outros a buscarem a Sua face, admirar a beleza do nosso Salvador Jesus, e receber uma antecipação da Sua glória.

Teresita Pérez
Florida, EUA

Texto original: http://www.revivalandreformation.org/bhp/en/bible/psa/67
Texto expandido da tradução anterior: href=”https://reavivadosporsuapalavra.org/2013/10/12/”>
Tradução: Jeferson Quimelli
Texto bíblico: Salmo 67 NVI
Comentário em áudio Pr Valdeci
Leitura da semana programa Crede em Seus Profetas: blog Conferência Geral e blog Crede em Seus Profetas



SALMO 67 – COMENTÁRIO SELECIONADOS by jquimelli
6 de janeiro de 2017, 0:50
Filed under: Sem categoria

No Salmo 66, Davi (ver TA, 533) mescla agradecimento pessoal e coletivo em comemoração ao livramento de uma grande calamidade. CBASD, vol. 3, p. 882.

Este é um Salmo curto com fortes emoções de gratidão e contemplação do poder do nosso Deus. Ele não é somente um deus qualquer, mas o nosso Deus, merecedor do mais santo temor (v. 7); é também nosso Salvador, pelos méritos de Jesus. Fanny J. Crosby registrou esta verdade em uma composição muito apreciada por todos os cristãos: Bendita Segurança [Blessed Assurance, Jesus is Mine!]. É a certeza de que Jesus é o nosso Salvador pessoal que nos permite saborear antecipadamente a salvação: “Eu já desfruto bênçãos da luz!” Teresita Perez, em http://revivedbyhisword.org/en/bible/psa/67.

Glória. Do heb. kabodCBASD, vol. 3, p. 882.

Tremendos. A maneira como Deus livra os perseguidos é assombrosa para os perseguidores (ver com. do Sl 65:5; cf. Ap 15:3). CBASD, vol. 3, p. 882.

A Ti se mostram submissos. Do heb kachash, “fingir obediência”, “bajular” (ver Sl. 18:44). Esta submissão vazia não é sincera e, sim, fingida; resulta da demonstração de poder de Deus. A verdadeira submissão de coração é resultado da revelação do amor de Deus. CBASD, vol. 3, p. 882, 883.

Os rebeldes. Os que não tem paciência com as restrições divinas ou que desafiam a Deus. Estes não devem se orgulhar, pois, ao final, terão de se submeter ao poder de Deus. CBASD, vol. 3, p. 883.

10 Tu … nos provaste. Deus permitiu que a calamidade viesse sobre Israel como um teste de sua lealdade a Ele. CBASD, vol. 3, p. 883.

11 Oprimiste. Deus nunca permite que Seu povo seja provado além do que possa tolerar (ver 1Co 10:13). Este versículo pode ser uma alusão à escravidão no Egito. CBASD, vol. 3, p. 883.

12 Cavalgassem sobre nossas cabeças. Uma figura derivada talvez do antigo costume dos orientais de cavalgarem sobre os corpos dos conquistados. CBASD, vol. 3, p. 883.

14 no dia da angústia, prometeu a minha boca. Principalmente quando em dificuldades, as pessoas tendem a fazer votos a  Deus (ver Jz 11:30, 13; 1Sm 1:11). Deve-se ter muito cuidado em cumprir esses votos! Com frequência, são esquecidos, quando se recuperam a saúde e a prosperidade. CBASD, vol. 3, p. 884.

18 Se eu no coração contemplara a vaidade, o SENHOR não me teria ouvido. Uma premissa na experiência cristã. Para que a oração seja aceitável a Deus, quem a profere deve ter como propósito abandonar todo pecado conhecido (ver Pv 28:9; Is 1:15; 58:3-5; cf. Sl 34:15; Jo 9:31; Tg 4:3; GC, 99, 100; PP, 584). CBASD, vol. 3, p. 884.

19 Deus me tem ouvido. Davi não duvidou de que Deus responderia sua oração. Ele expressou confiança na aprovação divina (ver Sl 116: 1, 2). CBASD, vol. 3, p. 884.



SALMO 67 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by jquimelli
6 de janeiro de 2017, 0:45
Filed under: Sem categoria

SALMO 67 – O Espírito Santo inspirou cada escritor da Bíblia para nos instruir, orientar e consolar em cada fase da vida. As palavras sagradas reveladas em cada página da Bíblia são sempre importantes e úteis para cada leitor atento.

Meditar na Palavra de Deus eleva nossa mente para acima das mazelas e misérias deste mundo, nos faz contemplar ao perfeito e santo Deus que quer nos abençoar no presente, e nos garantir um lugar maravilhoso no futuro.

“Em todos os tempos e lugares, em todas as dores e aflições, quando a perspectiva se afigura sombria e cheio de perplexidade o futuro, e nos sentimos desamparados e sós, o Consolador será enviado em resposta à oração da fé. As circunstâncias podem-nos separar de todos os amigos terrestres; nenhuma, porém, nem mesmo a distância, nos pode separar do celeste Consolador. Onde quer que estejamos, onde quer que vamos, Ele se encontra sempre à nossa direita, para apoiar, suster, erguer e animar” (Ellen. G. White).

A nós que vivemos neste mundo de trevas medonhas e imoralidades indescritíveis o Salmista começa assim: “Que Deus nos salve com Sua graça e nos abençoe! Que a luz de seu rosto brilhe sobre nós” (Bíblia Viva).

Deus não é exclusivista, nem age para beneficiar apenas um povo escolhido em detrimento de outro que não foi. Na verdade, Israel fora escolhido para abençoar a todas as nações da Terra. Ainda que Israel tenha falhado, Deus nunca ignorou nenhuma das nações espalhadas por este Planeta.

• Deus quer que todas as nações conheçam Sua salvação (v. 2);
• Deus deve ser adorado por todos os povos de todas as épocas (v. 3);
• Deus julga com justiça e guia a vida de todas as nações, portanto ninguém deve deixar de se alegrar e cantar em honra a Ele (vs. 4-5);
• Deus não retirou a capacidade da terra produzir das fazendas dos incrédulos, ateus, espíritas, umbandistas, mulçumanos, católicos, evangélicos, protestantes, adventistas – todos foram beneficiados com Sua providência (v. 6).

Para concluir, devemos nos unir com o salmista após suas ricas considerações: “Que Deus nos abençoe, e todos os povos mais distantes da terra temam ao Senhor”.

Não sejamos exclusivistas, mas inclusivistas. Ore para que Deus abençoe até os pagãos. Quem sabe, assim eles se converterão!

Precisamos reavivar-nos! – Heber Toh Armí.



SALMO 67 – #RPSP – COMENTÁRIO ROSANA BARROS by Ivan Barros
6 de janeiro de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Louvem-Te os povos, ó Deus, louvem-Te os povos todos” (v. 3 e 5).

Este é um dos textos bíblicos que lança por terra o pensamento de que a salvação e a bênção de Deus eram apenas para Israel. Na verdade, este Salmo deixa bem clara a mensagem de que a nação de Israel havia sido elegida para partilhar das novas de salvação. A graça e a bênção de Deus devia ser para com a nação eleita a fim de que refletisse a glória de Deus (v. 1). Então, assim, todas as nações conheceriam o caminho do SENHOR e a Sua salvação (v. 2). 

E assim aconteceu. Israel espalhava as boas novas da primeira vinda de Cristo e, quando Ele veio, já O estavam esperando com grande alegria. Foi assim?Infelizmente esta afirmação não confere com o relato bíblico. Muito pelo contrário, Cristo “veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam” (João 1:11). Isto é, Ele veio para o que era Seu (todo o mundo), mas os Seus (Israel, a nação eleita) não O receberam. Duas coisas Israel rejeitou: refletir a glória de Deus e pregar o Caminho (Vide João 14:6). Apegaram-se mais ao título do que à esperança oferecida por nosso SENHOR. Enquanto isso, morriam espiritualmente sem nem perceber.

Cristo também nos deu uma missão. O chamado de ir ao mundo e pregar o Evangelho a toda tribo, povo, língua e nação (Vide Mateus 28:19), dizendo: “Temei a Deus e dai-Lhe glória, pois é chegada a hora do Seu juízo e adorai Aquele que fez o Céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7). A primeira voz angélica tem uma luz especial. Envolve adoração, justiça e bênção, justamente como lemos no Salmo de hoje. E também é um convite para TODOS: “um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo” (Apocalipse 14:6). Nós temos em mãos uma mensagem eterna para ser espalhada por TODO o mundo e não uma bênção privada.

Israel conhecia as Escrituras, mas não reconheceu o SENHOR das Escrituras. Que não sejamos conduzidos por este mesmo erro, mas que a nossa vida seja um constante louvor a Deus, proclamando ao mundo a Sua salvação. Então, “temerão, pois, o nome do SENHOR desde o poente e a Sua glória, desde o nascente do sol; pois virá como torrente impetuosa impelida pelo Espírito do SENHOR” (Isaías 59:19).

Bom dia, missionários de Deus!

Desafio do dia: Escolha um hino de louvor e/ou gratidão a Deus. Escute, cante e guarde no ❤️


*Leiam #Salmo67

Rosana Garcia Barros 




%d blogueiros gostam disto: