Reavivados por Sua Palavra


NAUM 2 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
1 de abril de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO NAUM 2 – Primeiro leia a Bíblia

NAUM 2 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

NAUM 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR EVANDRO FÁVERO(link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



NAUM 2 by Jobson Santos
1 de abril de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/na/2

Os profetas Jonas e Naum foram chamados por Deus para transmitir uma mensagem aos habitantes perversos da cidade de Nínive. Quando Jonas “clamou” contra a cidade de Nínive, os ninivitas responderam com arrependimento genuíno. Deus teve compaixão deles e não os destruiu. Jonas ficou com raiva porque Deus foi a favor dos Ninivitas, apesar da prévia maldade deles. O livro de Jonas termina com uma pergunta quando Deus o convida a explicar por que Deus não deveria ser a favor dos Ninivitas.

Cem anos depois, encontramos um cenário diferente. Naum também clama contra os Ninivitas, que continuam tão perversos quanto seus ancestrais. Desta vez, porém, eles não se voltaram para Deus com arrependimento. Naum descreve vividamente a queda da cidade de Nínive em detalhes impressionantes (versos 3-4) e declara que a cidade não apenas cairá, mas os habitantes serão humilhados. Ao contrário da época de Jonas, desta vez Deus declara “Estou contra você” (v. 13, NVI). Que triste reviravolta!

Deus é contra aqueles que arrogantemente ignoram Seus apelos para abandonarem seus maus caminhos, é contra aqueles que oprimem impiedosamente os outros e contra aqueles que continuamente endurecem seus corações. Deus, entretanto, é a favor daqueles que desejam ser guiados pelo Seu Espírito e os restaura (v. 2)! Em qual destes grupos você se encontra hoje?

Moses Njuguna
Pastor, Associação Allegheny do Leste, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1148
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



NAUM 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
1 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

528 palavras

1 Ó Nínive. Mais de uma vez, o profeta se dirige ao povo da Assíria (ver com. [CBASD] de Na 1:14), alertando-o sobre o futuro turbulento. O contexto mostra (Na 1:1, 2:1, 8, 3:1, etc.) que o cap. 2 descreve a queda de Nínive. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1145.

3 Seus heróis. Provável referência aos que fizeram o cerco a Nínive. CBASD, vol. 4, p. 1145.

4 Carros. Do heb. rekev, veículos de duas rodas de vários tipos, puxados por cavalos. A carruagem era usada quase que exclusivamente para fins militares (ver com. [CBASD] de Gn 41:43). Embora não haja evidência arqueológica de que as carruagens eram usadas para levar funcionários do governo em missões oficiais, não há praticamente nada que indique que elas eram usadas para o transporte privado comum. CBASD, vol. 4, p. 1146.

[NC: Não há como deixar de lembrar, ao ler o verso 4, dos cruzamentos de trânsito modernos das grandes cidades, à noite. Porém, não existe nenhuma evidência de que este verso se trate de uma profecia para os tempos modernos].

Cruzam velozes. A força esmagadora dos exércitos que atacariam Nínive é aqui indicada. Uma multidão de veículos de guerra se “chocariam” uns com os outros (ver ARC). Todo o contexto deste capítulo mostra claramente que Naum estava descrevendo, em linguagem gráfica, a queda de Nínive. CBASD, vol. 4, p. 1146.

5 Os nobres. Literalmente, “seus poderosos”. Evidentemente, o rei assírio cobra de seus generais a defesa dos muros da cidade. CBASD, vol. 4, p. 1146.

6 Comportas. Alguns sustentam que a profecia teve seu cumprimento no incidente descrito pelo historiador grego Diodoro (ii.26, 27), que descreve a queda de Nínive por uma rara inundação de grandes proporções do Eufratas (ou, Tigre), que destruiu parte da muralha e abriu a cidade para os medos e os babilônios. CBASD, vol. 4, p. 1146.

7 Como pombas. Isto é, servas lamentariam como [o barulho de] pombas (ver Is 38:14; 59:11; Ez 7:16). CBASD, vol. 4, p. 1147.

Batem no peito. Bater no peito expressa tristeza profunda e comovente (ver Lc 18:13; 23:48). CBASD, vol. 4, p. 1147.

9 Abastança. Fontes gregas afirmam que os “despojos” de “prata” e “ouro”, tomados de Nínive, eram elevados em quantidade e valor. Não é de se estranhar que os conquistadores encontrassem despojos tão ricos na cidade que tinha “pilhado”tantos povos (ver 2Rs 15:19, 20; 16:8, 9, 17, 18; 17:3; 18:14-16; etc.). CBASD, vol. 4, p. 1147.

10 Vacuidade, desolação e ruina. Do heb. buqah umebuqah umebullaqah. “Destruída, deserta, despovoada” (NTLH) é uma tentativa de reproduzir a aliteração forte no hebraico que descreve a ruína de Nínive (ver com. [CBASD] de Am 5:5). CBASD, vol. 4, p. 1147.

O coração se derrete. Expressão que denota medo e desespero (ver Js 7:5; Is 13:7; Ez 21:7). CBASD, vol. 4, p. 1147.

11 Covil dos leões. Nos v. 11 e 12, o profeta emprega a figura de um leão para descrever o poder da Assíria (ver Jr 50:17; PR, 265; ver com. de Jr 4:7). Ele mostra vividamente como Nínive, através de suas conquistas, reteve despojos suficientes para o seu povo. CBASD, vol. 4, p. 1147.

13 Estou contra ti. Ver Na 3:5; Jr 51:25; Ez 38:3. A destruição de Nínive chegou depois que ela atingiu o limite do tempo de graça sem mostrar arrependimento persistente. A paciência divina chegara ao fim (ver PR, 364).

O SENHOR dos Exércitos. Ver com. de Jr 7:3. CBASD, vol. 4, p. 1147.

Leõezinhos. Aqui, evidentemente, a referência é feita aos guerreiros da cidade (ver com. do v. 11). CBASD, vol. 4, p. 1147.



NAUM 2 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
1 de abril de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Ah! Vacuidade, desolação, ruína! O coração se derrete, os joelhos tremem, em todos os lombos há angústia, e o rosto de todos eles empalidece” (v.10).

É muito triste ver a corrupção humana atingir os seus limites. Nínive foi alertada e, certamente, muitos descansaram confiantes no perdão divino. Mas o tempo foi passando, novas gerações foram surgindo e a mensagem do profeta Jonas, esquecida. De forma arbitrária e cruel, os ninivitas voltaram a assolar o povo de Deus e foram, pouco a pouco, bloqueando o coração aos apelos do Espírito do Senhor.

Não há pecado grande demais que Deus não possa perdoar. Não existe abismo tão profundo que Ele não consiga alcançar um pecador que se arrepende. Mas Jesus declarou existir um pecado imperdoável: “Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada” (Mt.12:31). Acusado de realizar curas pelo poder de Satanás e não do Espírito Santo, Jesus concluiu com estas palavras. A dureza de coração dos fariseus os estava levando para um caminho sem volta. “Com base no episódio, concluiu-se que a essência desse pecado é a recusa deliberada em reconhecer a atuação do Espírito de Deus. Essa atitude obstinada acaba levando à dureza de coração e à completa rejeição do Espírito e do próprio Jesus” (Comentário da Bíblia de estudos Andrews, p. 1253).

Nínive não só fechou os portões da cidade para Deus. Pior do que isso, fechou a porta do coração. Buscou a própria destruição. O Espírito Santo não intercede por nós apenas. Ele “intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis”, e mesmo que nos arrependamos e busquemos andar na presença de Deus, “não sabemos orar como convém” (Rm.8:26). É o Espírito do Senhor que transforma as nossas orações em palavras aceitáveis diante do trono de Deus. Se rejeitamos essa intercessão, não temos acesso ao Pai. “Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus” (Rm.8:14).

Mas o Senhor prometeu restaurar a glória do Seu povo (v.2). Aqueles que rejeitam a voz do Espírito Santo podem fazer de tudo para se salvar no dia da calamidade, mas de nada adianta. A ironia nas palavras do profeta (v.1) mostra que toda a força, todo o poder e toda a glória de Nínive de nada serviriam quando “o Senhor dos Exércitos” (v.13) derramasse o Seu juízo para fazer vingança aos Seus filhos. Ele diz: “A Mim Me pertence a vingança; Eu é que retribuirei, diz o Senhor” (Rm.12:19).

E porque é tão importante compreendermos acerca do juízo divino? Porque ele é real e está prestes a ser derramado de maneira definitiva, amados. Porque precisamos entender que estamos inseridos num grande conflito, onde o nosso pior inimigo habita dentro de nós enquanto o inimigo externo, Satanás, faz de tudo para que o que é carnal prevaleça. O nosso eu pecador deve ser constantemente deposto ante os pés de Jesus com a simplicidade de uma criancinha. O Espírito Santo tem sido derramado “sobre toda a carne” (Jl.2:28). Mas qual tem sido a nossa resposta? “E acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Jl.2:32).

Invoque o nome do Senhor! Não cale a voz dAquele que quer te salvar e te levar de volta para o lugar de onde nunca deveríamos ter saído. Permita que o Espírito Santo te leve de volta para Casa do Pai! Para isso, vigiemos e oremos!

Bom dia, guiados pelo Espírito Santo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Naum2 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



NAUM 2 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
1 de abril de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

NAUM 2 – Existem magérrimos espirituais devido à insuficiência de nutrientes espirituais quando deveríamos ser robustos na fé, na oração e na espiritualidade. Portanto, alimentemo-nos do livro de Naum.

Stanley A. Allisen divide o capítulo 2 da seguinte forma:
• Descrito o cerco de Nínive (vs. 1-4): Censurada pelo Senhor; aterrorizada pelos inimigos.
• Descrita a queda de Nínive (vs. 5-8): Seus muros minados pela água; seu povo escravizado pelos estrangeiros.
• Descrita a pilhagem de Nínive (vs. 9-10): Habitantes saqueados, os tesouros roubados; derretidos de aflição os seus corações.
• Demolido o “covil de leões” de Nínive (vs. 11-13).

“Naum quer dizer consolação’” – explica Allisen – “Como o nome sugere, o Livro de Naum é único entre os profetas que não profere julgamento contra Israel, apenas consolação. Ele prediz o fim de seu grande inimigo do oriente […] O objetivo do livro era ser uma consolação para Judá”.

Mas, o que esse texto sagrado ensina para os dias atuais? Como Naum 2 alimenta nossa alma faminta e desnutrida, revigorando nossa fé? Observe atentamente:

1. Há muitos cristãos oprimidos e perseguidos na atualidade. Se esta for a tua realidade, saiba que qualquer instituição ou nação por mais que “guarda a fortaleza”, “vigia o caminho”, “fortalece os lombos” e “reúna todas as suas forças”, nada poderá fazer contra o Senhor que restaurará Seu povo.

2. Nações, cidades, instituições e pessoas poderosas que se opõem ao povo de Deus, mal sabem que estão mais que “cutucando a onça com vara curta”, estão provocando a Deus; portanto, se você, cristão, sofre por causa da tua fé, nas mãos de tiranos, saiba que Deus te socorrerá.

3. Não há nada pior que estar contra Deus e a favor do pecado. Caso você detêm o poder nas mãos (seja político, econômico, executivo, empresarial ou mesmo religioso), arrependa-se de tuas arrogâncias, orgulho, distorções e explorações, haja em harmonia com a justiça divina, pois Deus combaterá toda injustiça da Terra.

Deus vencerá o mal:
• Toda pessoa que a Ele se apegar experimentará de Sua vitória.
• Ele pretende confortar e consolar nosso coração com tais revelações.
• O futuro é só de glória para quem se rende ao Libertador!
• Ele quer nos reavivar e reformar ao revelar estas verdades!

Não deixe Deus de fora de tua vida! Não compensa! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: