Reavivados por Sua Palavra


ZACARIAS 4 – ACESSE AQUI O POST DESEJADO by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 1:10
Filed under: Sem categoria

TEXTO BÍBLICO ZACARIAS 4 – Primeiro leia a Bíblia

ZACARIAS 4 – COMENTÁRIO BLOG MUNDIAL (Associação Geral)

ZACARIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS

COM. TEXTO – ROSANA GARCIA BARROS

COM. TEXTO – PR HEBER TOTH ARMÍ

COM. VÍDEO PR ADOLFO SUÁREZ(link externo)

COM. VÍDEO PR VALDECI JÚNIOR (link externo)

COM. VÍDEO PR WEVERTON CASTRO E EQUIPE (link externo)

COM. VÍDEO PR RONALDO DE OLIVEIRA (link externo)

COM. VÍDEO PR MICHELSON BORGES (link externo)



ZACARIAS 4 by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:55
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: https://pesquisa.biblia.com.br/pt-BR/NVI/zc/4

Zacarias 4 é uma visão do lugar santo no céu e das duas oliveiras que estão em cada lado do candelabro. Está claro no versículo 12 que essas duas árvores que “esvaziam de si mesmas o azeite dourado” abastecem o candelabro com azeite.

Não creio que temos condições de fazer qualquer coisa por nós mesmos que providencie algo que Jesus necessite, mas creio que esta passagem mostra que Jesus é glorificado quando nos esvaziamos e entregamos tudo a Ele. Isso é mostrado de maneira prática quando testemunhamos que Jesus é digno de todo louvor. Note que as oliveiras também são chamadas de duas testemunhas. Jesus brilha com a máxima intensidade quando somos suas testemunhas.

Encontramos a ideia de duas testemunhas na Bíblia também em outros lugares. O Antigo e o Novo Testamento são duas testemunhas que lançam sua luz sobre Jesus. Moisés e Elias serviram como testemunhas quando Jesus foi transformado no Monte da Transfiguração e brilhou intensamente. Assim como os querubins cobridores olham para a luz existente no propiciatório, essas duas oliveiras apontam para a luz existente no candelabro.

“Vocês são minhas testemunhas”, declara o Senhor (Isaías 43:10, NVI). Permitamos que a luz de Deus brilhe em nós através do Espírito Santo!

Karen D. Lifshay
Hermiston SDA Secretário de Comunicações da Igreja, Oregon, EUA

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=1161
Tradução: Pr Jobson Santos/Jeferson Quimelli/Gisele Quimelli/Luis Uehara



ZACARIAS 4 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:50
Filed under: Sem categoria

350 palavras

1 E me despertou. Este incidente marca a transição de uma visão para outra.

2 Candelabro. O simbolismo é evidentemente um empréstimo do candelabro no santuário.

Vaso. Este continha o óleo, que alimentava as sete lâmpadas nos sete tubos.

6 Zorobabel. Neste versículo, Zorobabel representa a liderança e a administração civil, assim como Josué (Zc 3:1) representa a liderança religiosa da nação.

Pelo Meu Espírito. O óleo fornecido pela oliveira (v. 3) tipificava o Espírito Santo (ver PJ, 408). Somente a graça divina venceria todos os obstáculos que os reconstrutores enfrentariam em Jerusalém (ver p. 1181). Zorobabel e seus companheiros estavam deprimidos por sua débil habilidade e escassos recursos para realizar a obra de restauração contra a oposição de seus inimigos. A visão mostrou que os propósitos de Deus para Israel seriam alcançados não por “força” ou “poder” humanos, mas pelo Seu próprio Espírito e poder.

7 Grande monte. Símbolo das dificuldades aparentemente insuperáveis que Zorobabel teria de enfrentar para realizar seu propósito (ver com. de Is 2:2).

Pedra de remate. A Zorobabel é assegurado que ele concluiria a obra de restauração ao colocar a pedra de remate ou pedra angular (ver T7, 170).

10 Humildes começos. Isto é, o pequeno progresso feito até então.

Alegrar-se-á. Isto é, com a realização do parecia impossível.

Aqueles sete olhos. Neste versículo, eles se convertem num símbolo de onisciência e onipresença de Deus. “O Guarda de Israel” não dormita nem dorme (Sl 121:4). De Seu grande e elevado trono, Ele dirige os negócios desta terra e cumpre os propósitos desta terra e cumpre os propósitos de Sua vontade. Nada escapa à Sua observação (ver Sl 139:1-12; ver com. de Dn 4:17).

11 Que são … ? O significado das duas oliveiras (v. 3) ainda não tinha sido dado.

14 Dois ungidos. Os ungidos, portanto, representam os instrumentos celestiais por meio dos quais o Espírito Santo é concedido aos seres humanos que são completamente consagrados ao Seu serviço.

[Nota: Os comentários da Bíblia de Andrews interpretam as duas oliveiras como sendo Josué e Zorobabel; A comentarista do blog mundial, Karen D. Lifshay, interpreta as duas oliveiras como sendo o Antigo e o Novo Testamento.]

 

Referências: Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 4, p. 1203, 1204.

 



ZACARIAS 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
14 de abril de 2021, 0:45
Filed under: Sem categoria

“Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (v.6).

Estamos diante de um dos princípios mais belos da Palavra de Deus, que é o da harmonia entre seus livros. Toda a Bíblia se comunica entre si como elos de uma corrente inquebrável. A linguagem do anjo que falava a Zacarias se assemelha em vários aspectos ao que o apóstolo João recebeu em visão também por intermédio de um anjo (Ap.1:1). No capítulo 11 de Apocalipse encontramos praticamente a mesma sequência de símbolos indicada nos capítulos 3 e 4 de Zacarias. Temos um homem tomando nota de medidas e temos símbolos bem semelhantes aos apresentados no capítulo de hoje. Zacarias foi despertado para ver o candelabro entre as duas oliveiras, o que indica a importância de compreender com clareza tal visão.

Além da ligação do livro de Zacarias com o livro do Apocalipse, também existem ligações entre as visões. Na visão anterior, por exemplo, Zacarias viu uma pedra com “sete olhos” (Zc.3:9). Notem que o candelabro possui “sete lâmpadas” (v.2), e, mais a frente foi dito: “Aqueles sete olhos são os olhos do Senhor, que percorrem toda a Terra” (v.10). Em Apocalipse 5:6, João viu o Cordeiro, que tinha o seguinte aspecto: “Ele tinha sete chifres, bem como sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados por toda a Terra”. Ou seja, há uma íntima e inerente ligação entre a pedra e o Cordeiro, que é Cristo, e as sete lâmpadas e os sete olhos, que são um símbolo da plenitude do Espírito Santo. Não seria por força ou violência que terminariam a construção do templo, mas pelo Espírito através da Palavra de Deus.

Através de Zorobabel e Josué, “os dois ungidos” (v.14), Deus cumpriria o Seu propósito de iluminar o mundo com a luz provinda de Sua Palavra. Em Apocalipse 11:3 João viu as “duas testemunhas” de Deus, sendo “estas as duas oliveiras e os dois candeeiros que se acham em pé diante do Senhor da Terra”, uma referência ao Antigo e Novo Testamentos, como testemunhas que condenam o pecado e que não podem ser destruídas enquanto não cumprirem sua missão de anunciar a mensagem de salvação até o último pecador arrependido. Como igreja de Deus, precisamos do Espírito Santo a fim de cumprirmos a missão que nos foi confiada como testemunhas de Cristo: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis Minhas testemunhas […] até aos confins da Terra” (At.1:8). Assim como os olhos do Senhor percorrem toda a Terra através de Seu Espírito, Ele nos concede o privilégio de sermos participantes em Sua obra de salvação.

Para cada pessoa resgatada das trevas para a luz, há uma aclamação que ecoa do Céu: “Haja graça e graça para ela!” (v.7). Todo o Céu se une em louvor quando um pecador se arrepende. E em meio à geração mais degradada pelo pecado e menos capaz de dar ouvidos à voz de Deus, o Espírito Santo tem sido derramado “sobre toda a carne” (Jl.2:28) a fim de operar grandes milagres de conversão. Amados, assim como Zacarias precisou ser despertado para ter a quinta visão, estamos vivendo em um momento em que o Senhor está despertando aqueles que, ao entrarem em contato com a verdade presente, com profundo interesse estão a exclamar: “Meu senhor, que é isto?” (v.4). Pessoas que, alcançadas e redimidas pela graça de Cristo Jesus, não estão satisfeitas com o conhecimento que possuem a não ser que este cresça “à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Ef.4:13). Não pelo sacrifício de obras vazias, mas pela atuação do Espírito de Deus na vida.

Nem por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (v.6). Não é o que fazemos que nos abrirá os portais do Céu, mas o que permitimos que o Espírito Santo realize em nós. Deus está medindo, investigando cada canto da Terra em busca de Seus filhinhos. Há uma obra a ser terminada e você e eu fazemos parte deste projeto divino. A respeito disso, encerro com as palavras da irmã White: “É chegado o tempo em que os que escolhem ao Senhor como sua presente e futura porção, devem confiar unicamente nEle. Todos quantos professam piedade devem possuir uma experiência individual. […] Os anjos estão observando o desenvolvimento do caráter, e pesando o valor moral. Os que professam crer na verdade devem ser, eles mesmos, justos, e exercer toda a sua influência para esclarecer e ganhar outros para a verdade. Suas palavras e obras são o meio pelo qual são transmitidos ao mundo os puros princípios da verdade e da santidade. Eles são o sal da Terra, e a sua luz” (Testemunhos Para a Igreja, CPB, v.1, p.262). Vigiemos e oremos!

Bom dia, testemunhas de Cristo Jesus!

* Oremos pelo derramamento do Espírito Santo como chuva serôdia e para que passemos mais tempo com a Bíblia do que com o celular.

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Zacarias4 #RPSP

Comentário em áudio: youtube.com/user/nanayuri100



ZACARIAS 4 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Jeferson Quimelli
14 de abril de 2021, 0:40
Filed under: Sem categoria

ZACARIAS 4 – Às vezes parece que enormes problemas surgem quando alguém se propõe a fazer a obra de Deus; contudo, quando desafios parecem insuperáveis, o Espírito Santo é capaz de removê-los caso dependamos dEle.

Deus, através da mensagem a Zorobabel, revela-nos que, por meio do Espírito Santo, podemos ser habilitados a agir, edificar e superar grandiosos obstáculos para fazer avançar Sua obra no mundo.
• “Quando manifestamos fé no Senhor e cooperamos com Ele, Seu Espírito efetua o que o esforço humano é incapaz de realizar” (Philip G. Samaan).

Deste capítulo, podem-se extrair cinco lições que formam os passos que mudarão a vida daqueles que as seguirem:
1. Dependa plenamente do Espírito Santo (v. 6);
2. Não permita que circunstâncias ditem teu comportamento (v. 7);
3. Absorva as bênçãos divinas para tua vida (v. 7);
4. Não ignore os planos de Deus para você (v. 9);
5. Valorize as pequenas coisas (v. 10).

Indo além destas aplicações, os menorás/candelabros representam o povo de Deus. O crente deve ser a luz de Cristo neste mundo escuro. Para atingir esse objetivo, cada membro da igreja precisa confiar em Deus e no Espírito Santo.

Iluminar o mundo com a verdade é reavivamento e reforma. Entretanto, “a teoria da verdade não acompanhada do Espírito Santo, não pode vivificar a alma, nem santificar o coração” (EGW).

No tempo de Zorobabel, o templo seria concluído pelo poder divino e todo empecilho seria removido. Zorobabel seria o instrumento de Deus e a palavra divina seria cumprida (vs. 6-9). Diante disso, os críticos se calariam; os humildes se alegrariam; e, Deus seria exaltado (v. 10).
• Isso acontecerá nos dias atuais caso cada membro da igreja alcançar tais níveis espirituais.

O desafio de cumprir a missão evangélica mundial pode parecer impossível; porém, em vez de considerá-lo uma grande montanha, é necessário concentrar-se na capacidade do Espírito Santo de remover montanhas de problemas.

Portanto, hoje Deus nos diz o mesmo que disse a Zorobabel: “Você não pode fazer essas coisas à força. Elas só acontecem pelo meu Espírito” (v. 6).
• Se o Espírito Santo fosse retirado da igreja atualmente, a maioria das coisas continuaria igual?
• Precisamos urgentemente experimentar o poder de uma igreja cheia do Espírito?
• Viveremos do nosso jeito ou do jeito do Espírito?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.




%d blogueiros gostam disto: