Reavivados por Sua Palavra


II SAMUEL 14 by jquimelli
20 de julho de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-samuel/2sm-capitulo-14/

A história do relacionamento de Davi e Absalão, pai e filho, é cheia de dor no coração e de quebrantamento. Absalão, terceiro filho de Davi, é o que você chamaria de “criança de ouro” e talvez até de “príncipe herdeiro”. Ele era o favorito entre o povo de Israel: de boa aparência, erudito e um líder natural. Davi, um rei ungido e servo de Deus, certamente deve ter se orgulhado de Absalão. Infelizmente, havia uma fenda entre os dois que foi o assassinato vingativo cometido por Absalão de seu irmão mais velho, Amnon.

A Bíblia nos ensina que somos incapazes de amor e reconciliação perfeitos por nós mesmos. Os princípios do amor, como Paulo instrui em 1 Coríntios 13, não são naturais para nenhum de nós. Quando Davi ouviu um conto que espelhava sua própria história com seu filho, inteligentemente apresentado pelos lábios da viúva que lhe fora enviada por Joabe, ele pôde manifestar compaixão e clareza por outra pessoa, o que ele não tinha na situação em que se encontrava.

Embora essa história seja repleta de dificuldades e, em última análise uma conclusão trágica, naquele momento Davi escolheu a reconciliação com seu filho, consertando um relacionamento, que é a verdadeira obra do Salvador.

Joy Fackenthall
Professora de Espanhol
Academia Adventista de Auburn
Washington USA

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=527
Equipe de tradução: Pr. Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



II SAMUEL 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
20 de julho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



II SAMUEL 14 – VÍDEO COMENTÁRIO PR. RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
20 de julho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria

05



II SAMUEL 14 – COMENTÁRIO PR. HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
20 de julho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Antes de aprender com a inspiração deste capítulo, é importante relembrar quem é Absalão:

• Primeiramente, ele é filho Maaca, uma das esposas de Davi (3:3);
• Segundo, vingador de sua irmã Tamar, estuprada por seu irmão Amnom (13:14):
• Terceiro, assassino de seu irmão Amnom (13:22-28);
• Quarto, fugitivo da casa de seus pais (13:37).

Moacir da Cunha Viana observa que, “depois do assassinato de Amnom, fugiu Absalão para a corte de Talmai, em Gesur. Três anos depois pediram a Davi que permitisse a volta de seu filho para Jerusalém, no que ele anuiu; mas não quis vê-lo senão passados mais dois anos dando-lhe, no fim desse tempo, o beijo da reconciliação. Era agora Absalão, entre os filhos sobreviventes, o mais velho de Davi, mas receando ser suplantado pelo filho de Bate-Seba, procurou obter popularidade, mantendo ao mesmo tempo uma esplêndida corte. Por fim, revoltou-se contra seu pai, e a princípio foi bem-sucedido; mas depois foi capturado e morto por Joabe, apesar da proibição de Davi, que ainda muito amava a seu filho”.

• Atenção: Possuir beleza, destreza, liderança, força, talento e influência não garantem verdadeiro sucesso.

Absalão tinha tudo isso, mas sucumbiu ainda jovem sem deixar nenhum bom legado às gerações futuras. Seu nome possui paz (shalom), mas seu coração vivia em conflito.

• Mimar demasiadamente aos filhos, dar rédeas à permissividade na educação, faltar com a disciplina corretiva, dar brechas à entrada do pecado no lar, farão que tal pai seja humilhado pelos filhos e afligidos por suas ameaças.

• Ausência de disciplina gera filhos fracos, indecisos, indiferentes. Precisamos de sabedoria do Pai Celestial para educar filhos corretamente neste mundo imoral.

• Pais frouxos geram filhos revoltados!

As lições extraídas de Absalão são úteis quando aprendemos a não trilhar seu caminho. Hernandes Dias Lopes atesta três atitudes que macularam sua vida:

1. Mágoa, ausência de perdão;
2. Fuga, ausência de diálogo;
3. Conspiração, ausência de lealdade.

Mágoas, ausência de lealdade e diálogo refletem ausência de Deus no íntimo. O bálsamo refrescante do perdão divino é capaz de restaurar qualquer situação por mais complexa que seja. Deus pode arrancar maus sentimentos de nossa alma e, semear no lugar boas sementes que produzirão frutos do Espírito, conforme descritos em Gálatas 5:22-23.

Peçamos ao Senhor: “Ajude-nos produzir bons frutos!” – Heber Toth Armí.



2SAMUEL 14 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
20 de julho de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Não havia, porém, em todo o Israel homem tão celebrado por sua beleza como Absalão; da planta do pé ao alto da cabeça, não havia nele defeito algum” (v.25).

Percebendo “que o coração do rei começava a inclinar-se para Absalão” (v.1), Joabe usou a dramatização da mulher tecoíta para atingir o seu objetivo, e garantir o retorno do provável sucessor do trono. O espírito guerreiro e a beleza admirável faziam de Absalão o mais forte e aclamado candidato a assumir a posição de seu pai. O seu retorno a Jerusalém, contudo, foi condicionado à privação de ver a face de Davi.

Absalão havia esperado dois anos para vingar a desonra de sua irmã, e também esperou dois anos para que seu pai tomasse a iniciativa de chamá-lo à sua presença. Após dois cortes de seu pesado cabelo e o nascimento de uma filha a quem chamou pelo nome de Tamar, como uma prova do carinho e zelo que tinha por sua irmã, Absalão, percebendo o descaso de Joabe, apelou para o vandalismo, pelo desespero de sua urgente necessidade.

Após ouvir a mensagem de seu filho, o rei mandou chamá-lo, e diante da humilde e comovente apresentação de Absalão, Davi o beijou. Não deve ter sido fácil para Davi passar por alto o fato de que aquele belo homem era o assassino de seu primogênito. Quando Caim matou Abel, o Senhor cuidou de afastar Caim do convívio com seus pais. Certamente, Deus poupou Adão e Eva de sentimentos que poderiam ameaçar-lhes a salvação. Mas Davi também havia sido omisso quanto à punição de Amnom, provavelmente por julgar-se moralmente incapaz de corrigi-lo, devido ao seu pecado contra Bate-Seba e Urias.

Enquanto o mundo celebra a beleza exterior, Deus exalta a interior. Certamente teríamos mais beleza na Terra se o amor prevalecesse. Com a entrada do pecado, nossos primeiros pais foram privados de ver a face de Deus. Mas um Descendente lhes foi prometido (Gn.3:15). Uma profecia lhes foi dada. E no tempo determinado, “um menino nos nasceu, um filho se nos deu” (Is.9:6). Mas, ao contrário da celebrada formosura de Absalão, Ele “não tinha aparência nem formosura… nenhuma beleza havia que nos agradasse” (Is.53:2).

Absalão não tinha nenhum defeito físico, Jesus não tinha nenhum defeito de caráter. Absalão matou seu irmão por vingança. Jesus morreu para que Seus irmãos “tenham vida e a tenham em abundância” (Jo.10:10). Na cruz, Jesus rompeu o véu que nos privava do Santíssimo, e, através dEle, podemos ter acesso ao Pai. Dentro em breve, Ele virá segunda vez e o Seu maior desejo é o de nos receber em Seu Reino com um beijo. “Mas quem poderá suportar o dia da Sua vinda? E quem poderá subsistir quando Ele aparecer?” (Ml.3:2). “O que é limpo de mãos e puro de coração” (Sl.24:4). Eis a verdadeira beleza! Vigiemos e oremos!

Feliz sábado, belos aos olhos de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #2Samuel14 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



II SAMUEL 14 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
20 de julho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

1636 palavras

1 Para Absalão. A preposição hebraica aqui traduzida como “para”também pode significar “contra”. … o que denotaria que Davi sentia hostilidade para com o filho por causa do assassinato de Amnom (ver com. de 2Sm 13.39). A atitude de Davideu margem para que Absalão se alienasse do pai (ver PP, 728). Ansioso para voltar e amargurado pelo fato de que havia estado por tempo afastado dos negócios do reino que ele esperava herdar após a morte do pai, Absalão recorreu a maquinações traiçoeiras. Era uma situação negativa, e Joabe procurou corrigi-la. CBASD – Comentário Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 721.

2 Tecoa. Uma aldeia cerca de oito quilômetros ao sul de Belém, mais conhecida como o lar do profeta Amós (Am 1:1). CBASD, vol. 2, p. 721.

3 Apresenta-te ao rei. O rei era o supremo juiz da nação e estava à disposição de todos os seus súditos. Esperava-se que ele os ajudasse em suas dificuldades. CBASD, vol. 2, p. 721.

5 Mulher viúva. O caso era diferente o bastante para que a história não despertasse suspeitas. Havia certas características básicas na narrativa que deviam resolver a questão na mente de Davi. CBASD, vol. 2, p. 721.

7 Contra a tua serva. A parábola aqui difere propositadamente dos fatos reais para não despertar suspeita. No caso de Davi, era ele que estava alienado de Absalão e que se recusava a conceder-lhe permissão para voltar. Davi acreditava que, devido à culpa de Absalão por ter derramado o sangue do irmão, não podia permitir que ele retornasse. Na parábola era a família, não a mãe que estava insistindo que o assassino respondesse por sua culpa. CBASD, vol. 2, p. 722.

A última brasa. “o último descendente”. As escrituras chamam frequentemente de brasa, lâmpada ou luz, o sucessor da família (21.17; I Rs 11.36; Sl 132.17); por sua vez, de “lareira”que contém brasas, vem lar, ou família. Bíblia Shedd.

10 Quem falar contra ti. As astuciosas palavras da mulher arrancaram de Davi a promessa de que ele assumiria o papel de seu protetor. Ele estava inadvertidamente se deixando levar a uma posição da qual seria difícil recuar. CBASD, vol. 2, p. 722.

11 Lembra-se, ó rei. Até este ponto a nulher tinha tido êxito completo, mas ela desejava levaro assunto ainda mais adiante. A mais alta consideração de Davi era Deus, e ela não pararia até que ele tivesse feito um compromisso na presença de Deus. CBASD, vol. 2, p. 722.

Tão certo como vive o SENHOR. Davi jutou solenemente que a vida do filho da mulher seria protegida. Então ele se comprometeu de tal forma que não lhe era mais possível voltar atrás. CBASD, vol. 2, p. 722.

13 Por que … ? Uma vez que Davi havia seguido essa conduta no caso apresentado pela mulher, que razão tinha ele para não segui-la em outro caso? Se ele tinha agido certo concedendo o perdão para o filho dela, que era digno de morte, o que o impedia de perdoar Absalão, que era culpado de assassinato? CBASD, vol. 2, p. 722.

Contra o povo. Contra Absalão e todo o Israel. Absalão era o herdeiro do trono. Portanto, ele pertencia ao povo, e o povo, a ele. Um crime contra ele era um crime contra todo o Israel. Ao recusar permissão ao herdeiro do trono para que voltasse ao seu país, Davi estava privando o povo deter consigo seu futuro rei. O mal cometido contra a Absalão era um mal cometido contra a nação que ele iria governar. CBASD, vol. 2, p. 722.

Não quer fazer voltar. Estas palavras mostram claramente que Davi era responsável pela persistência do exílio de Absalão. Tudo o que era necessário para trazê-lo de volta era que Davi lhe fizesse o convite. O povo o desejava, Absalão estava ansioso para retornar, e até a casa real o receberia de volta. Davi, porém, estava impedindo que isso acontecesse. Isso foi interpretado como uma injustiça, não só para com Absalão, mas para com a nação em geral. CBASD, vol. 2, p. 724.

14 Temos que morrer. A morte é o destino comum de todos. O duro tratamento conferido a Absalão não poderia trazer Amnom de volta dentre os mortos. … Então, por que não esquecer o passado e restituir a Absalão seu país, sua família e seus direitos ao trono? CBASD, vol. 2, p. 724.

Pois Deus não tira a vida. Deus é bom,amoroso e perdoador. Quando alguém peca e depois se arrepende verdadeiramente, o Senhor se dispõe a perdoar o pecado e restaurar a pessoa novamente ao favor divino. Estas palavras constituem uma descrição apropriada do amor de Deus para com o pecador e mostram que o povo de Israel estava razoavelmente familiarizado com o plano da salvação. O próprio Davi havia pecado gravemente e necessitava de misericórdia. Era apenas por causa da grande misericórdia do Céu que ele ainda continuava vivo e conservava seu trono. As palavras da sábia mulher de Tecoa tocaram profundamente o coração de Davi e o induziram a agir com misericórdia. CBASD, vol. 2, p. 724.

15 O povo me atemorizou. Compreendendo o sentimento de Israel como um todo, ela sentiu uma pressão à qual não pôde resistir, e foi isso que lhe deu tal ousadia diante do rei. CBASD, vol. 2, p. 724.

17 Um anjo de Deus. Ou, “mensageiro de Deus”. A palavra hebraica aqui traduzida “anjo”, mal’ak, ocorre como “anjo” 105 vezes … e como “mensageiro” 93 vezes. CBASD, vol. 2, p. 724.

Será contigo. Ela falou como se o fizesse em nome de Deus, e assegurou ao rei que, ao responder a este chamado ao direito e à razão, ele teria Deus consigo. CBASD, vol. 2, p. 725.

22 Abençoou o rei. Ou, “agradeceu ao rei” (ARC). … Se a decisão de Davi tivesse sido desfavorável, Joabe teria sido considerado responsável pela situação. CBASD, vol. 2, p. 725.

22 Percebe-se, neste versículo, que as relações entre Joabe e Davi eram tensas. Seus temperamentos rivalizavam-se e um não confiava no outro. Bíblia Shedd.

24 Não veja a minha face. O assassinato de Amnom por Absalão ainda não fora esquecido, e por amor à nação e ao próprio Absalão, Davi achou necessário mostrar seu repúdio ao crime cometido. CBASD, vol. 2, p. 725.

Não viu a face do rei. Estar em casa, mas não ter ter permissão para ver a face ou para comparecer à corte junto com os irmãos foi algo que  começou a incomodar Absalão. Ele se sentia injustiçado, e as pessoas iam até ele para demonstrar simpatia. Aos olhos da nação, ele era um heróis que devia ser elogiado por um ato de retidão e justiça, e não por um criminoso que devia ser evitado por causa de seu mau ato. CBASD, vol. 2, p. 725.

Amargurava-se Absalão por ter-lhe proibido o rei de visitar a corte. Psicologicamente, “meio perdão” é pior que nenhum perdão (32). As consequências disso se manifestaram na rebelião posterior de Absalão. Bíblia Shedd.

26 Seu peso (de cabelos) era de duzentos siclos. Cerca de 2,7 kg. O corte de cabelo era feito uma vez por ano. Josefo informa que os judeus costumavam untar os cabelos com óleo e espargir nele ouro em pó, a fim de que flamejassem ao sol. Bíblia Shedd.

27 Tudo indica que os três filhos de Absalão morreram antes do pai (18.18). A sua filha [ou neta] Tamar, acrescenta a LXX [Septuaginta, versão latina do AT], tornou-se a mulher de Roboão, filho de Salomão, e lhe deu um filho, Abias. Bíblia Shedd.

28 Sem ver a face do rei. Isso naturalmente deixou Absalão amargurado e melancólico, fazendo com que pensasse estar sendo tratado injustamente. Aos seus próprios olhos, ele provavelmente achava que não tinha agido mal ao matar Amnom, uma vez que só tinha feito justiça. Absalão era egoísta, inescrupuloso, ambicioso e impulsivo. Era admirado pelo povo e foi gradualmente conquistando sua simpatia. Não era sábio Davi deixar essa situação continuar. CBASD, vol. 2, p. 725.

29 Não quis vir. Uma vez que Joabe tivera êxito em seus esforços anteriores, Absalão achou que ele novamente poderia ser útil. Contudo Joabe, sem dúvida, achava que já tinha feito tudo o que era prudente fazer, e que incorreria no desagrado do rei se continuasse interferindo no assunto. CBASD, vol. 2, p. 725.

30 Metei-lhe fogo. Esta estratégia certamente levaria Joabe a fazer alguma coisa, mas apenas uma pessoa inescrupulosa e irresponsável recorreria a isso. CBASD, vol. 2, p. 725.

32 Para que te envie. Absalão tratava Joabe como seu servo, dando-lhe ordens e esperando que fossem cumpridas. Sua conduta revela quão longe ele já tinha ido em seu curso de rebelião e como estava determinado a conseguir a reparação pelos supostos agravos que sofrera e a restauração aos privilégios que cria serem seus por direito. Ele não fez nenhuma tentativa para explicar o incêndio premeditado. Agiu como se estivesse plenamente dentro de seus direitos ao tomar as medidas que tomou para levar Joabe até si, e procedeu como se Joabe tivesse a obrigação de cumprir sua vontade. CBASD, vol. 2, p. 726.

Quero ver a face do rei. Havia sido permitido que Absalão voltasse para casa, mas o rei ainda se recusava a vê-lo. Esse tratamento era, para Absalão, mais irritante que seu exílio, e o povo gradualmente foi atraído para Absalão. CBASD, vol. 2, p. 726.

Se há em mim alguma coisa. Absalão sabia que Davi não estava em posição de executar justiça. O próprio rei era culpado de assassinato na morte de Urias, e, se tentasse aplicar a justiça a Absalão, apenas implicaria a si mesmo. O povo provavelmente não teria apoiado Davi nesse procedimento. O coração deles estava com Absalão, e Davi sabia disso. CBASD, vol. 2, p. 726.

33 O rei beijou a Absalão. O beijo do rei, embora fosse somente cerimonial, representava o perdão e o beneplácito real. Bíblia Shedd.

Ele foi não apenas admitido à presença do rei, mas recebeu um tratamento que indicava pelo menos uma reconciliação exterior. Isso pode ser comparado com o ato de Esaú beijar Jacó, e de José beijar seus irmãos (Gn 33:4; 45:15). A recordação que Davi tinha de sua própria culpa o tornava apático e vacilante. Aparentemente ele não sabia que direção seguir. Reconhecia seu dever, mas a lembrança de sua própria transgressão o impedia de fazer o que devia ser feito. CBASD, vol. 2, p. 726.




%d blogueiros gostam disto: