Reavivados por Sua Palavra


RUTE 1 by jquimelli
2 de junho de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/rute/rt-capitulo-1/

A história de Rute é a história de uma família comum que sai de dolorosas tragédias para um lugar de amor e alegria.

Noemi e Elimeleque enfrentam uma decisão difícil: eles deveriam ficar na terra de Belém açoitada por fracas colheitas e passar fome, ou se mudar para a terra fértil, mas pagã, de Moabe? Seus filhos, Malom (doença) e Quiliom (desperdicio), são fracos e vulneráveis. No desespero de dar à sua família a melhor chance de sobrevivência, Elimeleque decide se mudar para Moabe.

Pouco tempo depois Elimeleque morre e Noemi se vê sozinha e com os sonhos destruídos. Ela quer que seus filhos se casem rapidamente e produzam herdeiros, então ela escolhe Rute e Orfa, duas moças moabitas com corações gentis e generosos. Quando Malom e Quiliom morrem, Noemi, de coração partido, decide retornar a Belém. Mas a tristeza, bondade e lealdade criaram laços poderosos entre as três mulheres. A fé, amor e bondade de Noemi foram uma inspiração para Rute. Ela escolhe deixar para trás sua casa, sua mãe, sua cultura e sua fé para cuidar da mulher que tão gentilmente cuidou dela.

Bondade, lealdade e capacidade de consolo mútuo durante as tragédias da vida são ingredientes importantes de todo relacionamento saudável. Como sua bondade, lealdade e conforto irão fortalecer um relacionamento importante hoje?

Karen Holford
Diretora de Ministérios da Família
Divisão Trans-Européia dos Adventistas do Sétimo Dia

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=479
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



RUTE 1 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
2 de junho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



RUTE 1 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ  by Maria Eduarda
2 de junho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Alguma vez você já enfrentou situações em que tudo estava bem e, de repente, tudo pareceu desmoronar rapidamente? Como você reagiu?

Como você lida com…

• …crises sociais?
• …crises econômicas/financeiras?
• …crises políticas?
• …crises religiosas?
• …a fome, perdas, mortes e tantas outras coisas desesperadoras?

Você sente angústia? Estresse? Depressão?
Você enfrenta, ou foge?
Onde você busca solução/ajuda?

• …No dinheiro/trabalho?
• …No governo?
• …Em parentes?
• …Em tua experiência, forças ou sabedoria?

Foque tua atenção totalmente neste primeiro capítulo do livro de Rute. Tenha em mente, primeiramente, o contexto desta história. Quando ocorreu? Em uma “era mais pacífica dos dias em que governavam os juízes” (Samuel J. Schultz). Lembrando que, o período dos juízes foram os momentos históricos mais críticos de Israel!

O contexto era de total crise moral, social e espiritual. Consequentemente, Deus cumpriu os regulamentos dos documentos das escrituras da terra em Deuteronômio 27 e 28. Houve fome na terra que manaria leite e mel. Resultado? Outras crises, econômicas/financeiras, políticas, etc.

Com isso, a próspera família de Noemi…

1. Fugiu de Belém para livrar-se da morte;
2. Procurou refúgio em Moabe;
3. Pai e filhos morreram tentando ganhar a vida;
4. Noemi ficou viúva, sobraram apenas as noras;
5. Noemi despediu-se de Moabe e das noras, também viúvas desprovidas de filhos;
6. Noemi recebeu a graça de uma companhia para a viagem de volta: Rute;
7. Noemi voltou amarga para Belém! Perdera tudo: Bens, família, e até a alegria…

Crises e mais crises… Apenas com a graça de uma companhia em meio a tantas crises sufocantes! Você já se sentiu assim?

O livro de Rute tem sido considerado “há muito tempo como uma história maravilhosa que mostra pessoas superando as tragédias da vida mediante a devoção e o caráter forte” (Paul R. House). Antes, porém, da superação, foi necessário reconhecer a fraqueza:

• Fugir de uma situação complexa nem sempre será uma boa solução;
• Procurar refúgio onde Deus não está nunca trará prosperidade, vida, nem bênçãos;
• Intentar salvar-se sem auxílio divino implica cavar a sepultura com as próprias mãos;
• Deixar tudo para trás para recomeçar a vida pode parecer uma ideia atraente, mas será decepcionante.

A única solução real, concreta e viável para situações complexas da vida está em buscar a Deus e esperar nEle!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



RUTE 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
2 de junho de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus” (v. 16).


Damos início ao primeiro livro da Bíblia com o nome de uma mulher e que relata a sua história de uma forma muito especial. Primeiro, porque Rute era uma moabita, ou seja, uma estrangeira e, ainda assim, ganhou destaque na Bíblia a ponto de ter um livro próprio a seu respeito. Segundo, que esta estrangeira fez uma escolha que superou a fé de sua sogra Noemi e que demonstrou um amor que Israel há muito deixara de praticar. E o livro inicia dizendo que “nos dias em que julgavam os juízes, houve fome na terra” (v.1). Então, Noemi, seu marido e filhos, foram viver em Moabe. Lembram da origem dos moabitas? Este povo surgiu da relação incestuosa de Ló e suas filhas, dando origem aos moabitas e aos amonitas (Gn.19:37-38).

Passado algum tempo, Elimeleque morreu, e, depois, seus filhos. Só ficaram Noemi e suas duas noras moabitas, Rute e Orfa. Sabendo que voltara a ter alimento em sua terra, Noemi decidiu retornar a Judá e insistiu para que suas noras voltassem à casa de seus pais. Noemi havia perdido as esperanças. O amor que suas noras haviam lhe ofertado aqueles anos a fez olhar para elas com compaixão e despedi-las. Orfa, com muito pesar, voltou. Mas Rute não. Ela tomou a firme decisão não apenas de acompanhar a sua sogra, mas a de servir ao mesmo Deus que ela servia. Por palavras e ações, Noemi, apesar de estar habitando em terra estranha, continuou servindo ao Senhor, e isto foi de tal modo enraizado no coração de Rute, que já não fazia sentido continuar em terra pagã e casar-se com um moabita que a fizesse retornar à sua antiga religião.

Noemi sabia que não seria fácil a vida de uma estrangeira dentro de Israel. Mas Rute se apegou à ela, que, na aflição, demonstrou profundo pesar e amargura, a ponto de dizer que não mais se chamava Noemi, e sim Mara, que significa “amarga”. Mulher, viúva, velha e sem recursos, Noemi sabia que voltaria à sua terra para lá tentar sobreviver de caridade. Os laços de amor que havia construído com suas noras não lhe permitia levá-las consigo para terem que passar por tais privações. Só que Rute fez a sua escolha, e demonstrou a sua fé e devoção a Deus ao declarar: “faça-me o Senhor o que bem Lhe aprouver” (v.17). A decisão de Rute foi totalmente contrária a que vimos ontem no último verso do livro de Juízes: “cada um fazia o que achava mais reto” (Jz.21:25). Que contraste! Como poderia uma estrangeira demonstrar uma fé tão genuína, enquanto Israel dava as costas ao Senhor?

Rute, como uma boa moabita, foi ensinada, desde a infância, a adorar outros deuses. Provavelmente, de início, tenha sido difícil compreender a religião de seu marido. Como assim adorar a um único Deus? Como acreditar no Invisível? Todavia, Rute creu! E a sua fé a tornou grande! O testemunho de sua sogra a tocou profundamente. O amor que lhe devotou a fez enxergar um Deus diferente dos deuses de seus pais. Rute viu na vida de Noemi, um Deus que ama, que cuida e que não faz acepção de pessoas. Neste pequeno relato podemos contemplar 1Coríntios 13. O dom supremo superabundou, e, por consequência, resultou em fé e esperança. Noemi poderia ter rejeitado suas noras e lhes acusado de sua desgraça. Mas escolheu amá-las, e, ao fazer isso, foi instrumento do Senhor em Seu plano de ação.

O discípulo do amor escreveu: “Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas de fato e de verdade” (1Jo.3:18). É muito fácil e muito cômodo expressar amor em palavras. Desafio é viver o que se diz. Lembremos, meus irmãos, que Deus sonda os corações. Podemos enganar as pessoas, mas a Deus ninguém engana. Rute amou, porque Noemi amou primeiro. E nós amamos, porque Cristo nos amou primeiro (1Jo.4:19). O amor de Deus não é para ser falado, é para ser vivido. E não vem de nós, é um dom de Deus. O amor prático, eis a maior e mais poderosa pregação do evangelho! Escolha o que Rute e Noemi escolheram, escolha viver o amor, e o Amor habitará em você. Vigiemos e oremos!

Feliz semana, praticantes do amor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Rute1 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



RUTE 1 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
2 de junho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

822 palavras

“O livro de Rute não é um romance, mas a história de amor reverente de uma jovem viúva pela mãe de seu falecido esposo. O tipo de amor demonstrado por Rute é o mais puro, altruísta e extraordinário” (CBASD, vol. 2, p. 445).

“O relacionamento entre sogra e nora é tema de muitas comédias, mas entre Rute e Noemi houve um relacionamento de natureza bem diferente. … A nora Rute mostrou uma devoção que revelava os belos traços de caráter tanto dela quanto de Noemi, rompendo com todos os laços familiares e étnicos para acompanhar a estimada sogra. Ao contemplar pela última vez os campos férteis de sua pátria, com profunda demonstração de afeto, Rute exclamou: ‘O teu povo é o meu povo; o teu Deus é o meu Deus’ (Rt 1:16). Então, pôs-se rumo a uma terra estranha, unindo-se com o verdadeiro povo de Deus e tornando-se Sua fiel adoradora. … Definitivamente, é uma história repleta de magníficos exemplos de fé, piedade, humildade, diligência e amabilidade, reveladas em eventos comuns da vida. … Os israelitas, pelo estudo dessa narrativa, deveriam ter compreendido o plano de Deus para a salvação de pessoas de todas as nações, que aceitariam, como a moabita Rute, o Deus cujo caráter lhes teria demonstrado pelo testemunho de Seus servos. Dessa forma, era plano de Deus que muitos alcançassem uma transformação de caráteer que os tornasse individualmente preparados para ser cidadãos do eterno reino de Cristo” (CBASD, vol. 2, p. 448, 449).

“O fato de Rute, a bisavó de Davi, ser moabita provavelmente explica por que Davi tenha colocado seus pais sob a a proteção do rei de Moabe quando fugia de Saul (CBASD, vol. 2, p. 445).

Tempo da história e da escrita e autor: Embora Rt 4:22 leva a crer que o livro foi escrito durante o reinado de Davi, o v. 21 indica que ela ocorreu no início do período dos juízes (Boaz era filho de Raabe). O tempo, o estilo de escrita e outros elementos literários indicam que o autor do livro foi Samuel, assim como o de Juízes, provavelmente fazendo conexão entre o tempo de Josué com o da monarquia judaica.

Os nomes de Elimeleque e de Noemi (v. 2) são muito significativos. Elimeleque, “meu Deus é rei”, reflete a vida piedosa dos pais de Elimeleque e podem indicar até um reconhecimento a Deus como único e legítimo rei de Israel, numa época em que muitos israelitas já cogitavam um rei humano. Noemi, “agradável”, ou “meu deleite”, indicava que seus pais tiveram muita alegria no nascimento da filha, em uma época que os pais hebreus se regozijavam no nascimento de filhos homens (cf. CBASD, vol. 2, p. 451, 452).

saiu, pois, ela A atitude do cristão deve ser a mesma de Noemi: sair do lugar inadequado e trilhar o caminho que conduz aonde Deus quer que ele vá. Como Noemi se dirigiu para a Canaã errestre, o povo de Deus precisa pôr-se a caminho da Canaã celestial; e, ao empreender essa viagem, levar outros que, à semelhança de Rute, dirão: “Teu povo é o meu povo, teu Deus é o meu Deus” (v. 16) (CBASD, vol. 2, p. 452).

que sejais felizes. A ARC traduz “que acheis descanso”, como a KJV. O descanso, ou felicidade, a que Noemi se referiu não deveria ser encontrado no lar de suas mães, mas em seus próprios lares – “cada uma em casa de seu marido”. Quando os judeus falavam de uma mulher encontrando descanso, estavam se referindo ao casamento (ver tb Rt 3:1) (CBASD, vol. 2, p. 453).

14 Rute se apegou Feliz é a sogra que conquista suas noras, em vez de afastá-las (CBASD, vol. 2, p. 454).

16 não me instes A resposta de Rute se destacou como a nota tônica de todo o livro. … Não é simplesmente o amor de Rute por sua sogra que a levou a se apegar a ela. Rute se deu conta de que era a fé de Noemi que a tornara uma mulher notável. Rute, com determinação, decidiu-se pelo Deus verdadeiro: “…o teu Deus é o meu Deus”. É difícil encontrar declaração mais sublime de amor e devoção (CBASD, vol. 2, p. 454).

o teu Deus é o meu Deus. O único conhecimento do verdadeiro Deus que Rute possuía era o que ela havia testemunhado na vida de Noemi e dos demais membros de sua família. Esta é a maneira pela qual Deus sempre se revela aos seres humanos: mediante a demonstração do poder de Seu amor operando na vida de pecadores arrependidos e transformados. O poder transformador do amor divino é o melhor argumento em favor da verdade. Sem ele, a religião não passa de “bronze que soa ou […] címbalo que retine” (1Co 13:1) (CBASD, vol. 2, p. 454).

19 não é esta Noemi? …quando seus conterrâneos indagaram “Não é esta Noemi?”, o que queriam dizer era: “Esta é Noemi, voltando sozinha e viúva?” Parecia inacreditável que tanto o esposo quanto os dois filhos tivessem morrido (CBASD, vol. 2, p. 455).

Deus te abençoe a ter um amor verdadeiro, profundo e fiel como o de Noemi e Rute. Este é o amor eterno.



RUTE 1 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
2 de junho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: