Reavivados por Sua Palavra


JUÍZES 21 by jquimelli
1 de junho de 2019, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/juizes/jz-capitulo-21/

No capítulo anterior (20) os israelitas vencedores haviam tomado a decisão de proibir qualquer israelita de dar sua filha como esposa a um benjamita e selado esta decisão com um juramento. Esta decisão foi inteiramente deles, não do Senhor, e criou um problema aos próprios israelitas para encontrar uma maneira de salvar o que restou da tribo de Benjamim. Eles então decidem destruir a cidade e os habitantes de Jabes-Gileade – homens, mulheres e crianças, mas mantiveram vivas as 400 virgens que encontraram para se tornarem esposas para seus irmãos benjamitas.

Em tudo isso, os israelitas estavam mais preocupados com as conseqüências de quebrar um juramento que tinham feito, do que com o bem-estar de seus irmãos. De maneira hipócrita, violaram o espírito do juramento sem realmente quebrá-lo. Seu temor do Senhor era cego, centrado apenas em seus próprios interesses.

Muitos professos cristãos de hoje têm uma “fé” egoísta. Eles fazem apenas o necessário para satisfazer os requisitos mínimos da Lei e nada mais. É uma obediência superficial que degenera em legalismo, sem obedecer ao espírito de amor da Lei.

Você já se percebeu pensando e agindo desta maneira?

Você obedece a Deus porque você deve ou porque você O ama? O Senhor deseja “misericórdia, e não sacrifícios; conhecimento de Deus em vez de holocaustos” (Os 6:6 NVI).

Justo Morales
Southern Adventist University

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=477
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Jeferson e Gisele Quimelli



JUÍZES 21 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
1 de junho de 2019, 0:55
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 21 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
1 de junho de 2019, 0:45
Filed under: Sem categoria

Nota-se nestes últimos capítulos que, infelizmente, a espiritualidade pura do povo de Deus foi contaminada pelo lixão teológico dos pagãos.

A cultura do Céu instituída por Deus ao Seu povo, revelada em Sua Palavra, fora suplantada pela ideologia reinante da cultura secular. O sincretismo religioso era positivo porque, ainda que misturada com tradições humanas restavam ideias de um Deus verdadeiro.

A igreja nunca precisou de críticos para reformá-la, mas de exemplos positivos para influenciá-la. A frase citada três vezes (17:6; 18:1; 19:1;) no livro, “Naquele tempo, não havia rei em Israel. As pessoas faziam o que bem entendiam”, encerram as últimas palavras de Juízes.

Não havia quem guiasse o povo na lei de Deus. “O pecado humano precisa de governos que imponham a moralidade” (Kenneth A. Mathews).

• Neste último capítulo, o autor demonstra como soluções humanas para o pecado podem trazer maiores problemas; que fazer justiça com as próprias mãos pode resultar em terríveis desgraças; e, o que resta será lamentar o caos perante Deus, O qual não é responsável pela desgraça causada pelo pecado de ninguém (vs. 1-5).

• Sobraram 600 homens e nenhuma mulher da tribo de Benjamim – era o fim dessa tribo; os restantes dos israelitas tiveram pena. Por isso, criaram uma estratégia estranha para lograr que a tribo não fosse extinta de uma vez. A parte positiva é que deu certo! (vs. 6-24).

Analisado Juízes com oração e atenção, nota-se que, “justamente aqueles que Deus Se propõe a usar como Seus instrumentos para uma obra especial, Satanás, empregando seu máximo poder procura transviar” (Ellen G. White). Contudo, “a salvação é o alvo para o qual Deus dirigia e dirige a história. Como Senhor da história, Deus era livre para escolher qualquer pessoa para atuar como libertador” (Mathews).

Salvação? “Sexo, violência, estupro, massacre, brutalidade e fraude não parecem material adequado ao relato da história da salvação”. “Por isso, de certo modo, ficamos chocados sempre que lemos o livro de Juízes, pois deparamos com uma situação caótica” (Eugene Peterson).

Talvez, a maior lição de Juízes seja esta:

NÃO IMPORTA SE HOMEM OU MULHER, SÁBIO OU FORTE, LÍDER OU NÃO… INDEPENDENTE DE JESUS – O JUSTO JUIZ – JAMAIS HAVERIA SOLUÇÃO PARA O PECADO, NEM SALVAÇÃO AO PECADOR!

Assim, poderás reavivar-te estudando Juízes! – Heber Toth Armí.

Quero conhecer tua reação ao dedicar 21 dias meditando no livro de de Juízes. Escreva aqui:



JUÍZES 21 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
1 de junho de 2019, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto” (v.25).


Último capítulo do livro de Juízes, e seu último versículo resume bem essa fase de Israel: desorientada. O que atesta que todos os episódios horríveis que lemos neste livro foram consequências de suas más escolhas. E, mais uma vez, o povo tomou decisões sem consultar a Deus. Eles deram as costas ao Rei dos reis e Senhor dos senhores! Quando estudamos o Pentateuco, em cada um dos estatutos e leis, percebemos um cuidado especial de Deus a fim de que o povo fizesse diferença entre o santo e o profano, entre o limpo e o imundo, buscando assim a santificação.

Através de uma vida de obediência, Israel revelaria ao mundo o caráter de Deus. Em Sua oração sacerdotal, declarou Jesus: “Santifica-os na verdade, a Tua Palavra é a verdade” (Jo.17:17). A intercessão de Cristo por Seus filhos define bem o papel que os sacerdotes de Israel negligenciaram. Como líderes espirituais da nação, deveriam conduzi-la à verdadeira adoração e santificação. Cristo, como o nosso Sumo Sacerdote, resumiu perfeitamente, em Sua oração em João 17, o que deveria ter sido promovido no antigo Israel, mas não o foi.

Há uma sequência lógica, na oração de Cristo de que Seus seguidores O conheçam, escutem a Sua voz, sejam santificados por Sua Palavra e vivam a unidade cristã. Percebem? Existe uma senda bem ordenada para alcançar o objetivo da unidade: “a fim de que todos sejam um; e como és Tu, ó Pai, em Mim e Eu em Ti, também sejam eles em nós” (Jo.17:21). Todo aquele que se aproxima de Deus com o coração sincero e contrito torna-se um promotor da unidade, um reparador de brechas. Mas todo o que conserva um coração endurecido, mais cedo ou mais tarde revela a sua natureza bruta e separatista. Israel estava fazendo guerra entre si. E devido à atitude estúpida de um levita, quase toda uma tribo foi dizimada.

Nos juramentos dos filhos de Israel percebemos como levavam mais a sério o cumprimento de seus votos, de fazer juízo, do que de demonstrar misericórdia. Apesar de terem cometido um quase genocídio, ainda restaram alguns filhos de Benjamim. Então, Israel usou de sutilezas para conceder esposas para eles. Confuso, não? Mas tudo o que acontece sem a bênção de Deus é assim: uma confusão! E como explicar o verso 15? “Então, o povo teve compaixão de Benjamim, porquanto o Senhor tinha feito brecha nas tribos de Israel”. E agora? Foi Deus o causador da divisão das tribos? De forma alguma! Deus não causou, Deus permitiu. Porque a nossa vontade é o único lugar em que Deus não interfere, a menos que o permitamos. Israel provocou as próprias brechas, se envolvendo em guerras civis desnecessárias, causando o desequilíbrio da nação.

Apesar de compreender 12 tribos, Israel era um só povo, que deveria estar sob o senhorio de um só Deus. Assim deveria ter sido o antigo Israel. Assim deve ser o Israel de Deus, conforme Cristo orou: “…a fim de que sejam aperfeiçoados na unidade” (Jo.17:23). Israel representa o corpo de Cristo. Cada tribo tinha a sua função, cada tribo tinha a sua importância, cada tribo era essencial nos planos de Deus. Mas o povo resolveu agir da forma que lhe fosse mais conveniente, e não da forma que Deus havia orientado. Quantos não têm agido do mesmo modo; pensando estar fazendo o que é certo, quando, na verdade, estão fazendo uma tremenda confusão! Fazem o que têm vontade de fazer, e pronto. E o resultado de tamanha insensatez se resume nas palavras de pesar dos filhos de Israel: “Disseram: Ah, Senhor, Deus de Israel, por que sucedeu isto em Israel, que, hoje, lhe falte uma tribo?” (v.3).

Deus quer o teu coração para que nele possa estabelecer o Seu trono. Lembrem-se que Jesus não orou pelo mundo: “Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que Me deste, porque são Teus” (Jo.17:9). E quem são estes? Jesus mesmo nos diz: “eram Teus, Tu mos confiaste, e eles têm guardado a Tua Palavra” (Jo.17:6). O fato de ter Deus amado o mundo de forma tão intensa a ponto de dar o Seu único Filho (Jo.3:16), não significa que todos herdarão a salvação. Pois todos são convidados às bodas do Cordeiro, contudo, somos convidados, e não intimados. Jesus bate à porta do coração, Ele não a força. A minha oração e o meu desejo é que todos possamos compreender que entregar o coração a Deus envolve dependência e renúncia. E, que como o apóstolo Paulo, possamos dizer do íntimo de nosso ser: “logo, não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl.2:20). Que Jesus reine soberano em nosso coração, e estaremos tão ligados uns aos outros como Ele e o Pai são um.

Feliz sábado, nação feliz cujo Deus é o Senhor!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #Juízes21 #RPSP

Comentário em áudio:
youtube.com/user/nanayuri100



JUÍZES 21 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
1 de junho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria



JUÍZES 21 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
1 de junho de 2019, 0:05
Filed under: Sem categoria

971 palavras

Haviam jurado. Esse voto, provavelmente feito em nome do Senhor, não era uma promessa comum, mas implicava uma maldição sobre quem violasse o juramento (v. 18; v. tb. At 23.12-15). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Apesar de os juramentos não poderem ser quebrados ou retirados, os israelitas, principalmente em tempos posteriores, descobriram várias maneiras de manter a letra do juramento, porém quebrando-lhe o espírito, por meio de engano ou alguma outra evasiva. No entanto, ninguém está obrigado a manter a palavra empenhada, se exige que se cometa um ato equivocado ou mau. CBASD – Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 2, p. 433.

Prantearam com grande pranto. Após ter passado a ira ardente, o povo reconheceu que tinha ido loge demais na vingança sobre uma de suas tribos. Seria muito melhor se o choro tivesse vindo primeiro, antes que as ações se concretizassem. CBASD, vol. 2, p. 439.

Por que sucedeu isto … ?  Esta pergunta sugere que os israelitas acusavam a Deus de ter extinguido a tribo de Benjamim (ver v. 15). As tribos deveriam reconhecer que a ira e o desejo de vingança, engendrados pelas duas derrotas aplicadas a eles pelo exército de Benjamim, foram o motivo real da quase extinção da tribo de Benjamim. CBASD, vol. 2, p. 440.

Eliminar uma tribo seria como alguém perder um de seus braços. Este sentimento de solidariedade refere as raízes da unidade da igreja no NT. Bíblia Shedd.

deixou de vir à assembléia. As tribos tinham mútua responsabilidade em tempos de operações militares … Os que deixavam de participar eram com frequência apontados e às vezes castigados (5.15-17.23). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Jabes-Gileade. Uma cidade da tribo de Manassés, 15 km a oeste de Bete-Seã e 3 km ao leste do Jordão. Manassés era neto de Raquel, mãe de Benjamim, e portanto houve uma afinidade de sangue entre as duas tribos descendentes. Isto explica por que os homens de Jabes-Gileade não concordaram com a guerra contra Benjamim. Bíblia Shedd.

Um laço de afinidade parece ter existido entre a tribo de Benjamim e a cidade de Jabes-Gileade. A afinidade pode ter continuado mesmo depois que a cidade foi destruída e reconstruída. Saul, da tribo de Benjamim, realizou sua primeira proeza salvando Jabes-Gileade dos amonitas (1Sm 11:3-15). Na época da morte de Saul, os habitantes de Jabes-Gileade pagaram a dívida de gratidão ao resgatar seu corpo da exposição pública nos muros de Bete-Seã (1Sm 31:8-13).

10 Ide e … feri. A adoção deste recurso para obter esposas para os 600 sobreviventes da tribo de Benjamim que se escondiam nas cavernas de Rimon, ajuda a entender o limitado esclarecimento espiritual daquela época. Essas medidas cruéis em nome da religião são revoltantes e devem ser compreendidas à luz da época em que ocorreram. CBASD, vol. 2, p. 440.

11 Toda mulher. Todos os habitantes deveriam ser destruídos exceto garotas virgens em idade de casamento. Os outros membros das famílias não eram, na verdade, mais culpados que essas moças. Todo o procedimento cruel, embora realizado sob o pretexto de cumprir um juramento sagrado para o Senhor, não foi senão um recurso brutal para evitar a extinção da tribo de Benjamim. CBASD, vol. 2, p. 440.

15 O SENHOR tinha feito brecha. A brecha ou lacuna no círculo ou na corrente das doze tribos realmente foi feita pelos próprios israelitas, em seus excessos irracionais ao punir as más ações de determinados benjamins. Se tivessem agido em todo o tempo no espírito do verdadeiro amor fraternal, poderiam ter alcançado o fim pretendido sem a matança despropositada e as atrocidades que cometeram. CBASD, vol. 2, p. 440.

16 Como obteremos … ? Os anciãos sabiam que necessariamente esses homens se casariam com mulheres cananeias. Para evitar essa calamidade, empregaram meios tortuosos para observar a letra de seu juramento, apesar de violarem seu espírito. Em vez de resolutamente repudiar seu voto, em primeiro lugar, e permitir que os benjamins se casassem com pessoas de outras tribos, movidos pela crença errada de que um juramento é sempre inviolável, perpetraram a carnificina de homens, mulheres e crianças inocentes. CBASD, vol. 2, p. 440, 441.

19 Solenidade. Durante o ano, havia três festas solenes às quais todos os homens deveriam comparecer (Êx 23:17). Visto que o tabernáculo nessa época se situava em Siló, essas reuniões deveriam ser ali. CBASD, vol. 2, p. 441.

Levando e conta a menção das vinhas (v. 20), é provável que essa referência diga respeito à Festa das Cabanas [ou Tabernáculos]. Bíblia de Estudo NVI Vida.

Para o norte de Betel. O fato de o autor sentir necessidade de explicar aos leitores a localização de Siló tem levado muitos a fixar a data para o relato de Juízes muito anos depois dos filisteus terem destruído Siló, no final do juizado de Eli. CBASD, vol. 2, p. 441.

21 Filhas de Siló. Somente os homens tinham a obrigação de ir a essas festas (Êx 23:17; Dt 16:16). Algumas vezes, os homens eram acompanhados pelas esposas e filhas, mas a maioria das mulheres presentes seriam as que moravam em Siló ou nas proximidades. CBASD, vol. 2, p. 441.

Dançar. Nos festivais de colheita, era proporcionadas ocasiões sociais bem como serviços religiosos (ver PP, 540). CBASD, vol. 2, p. 441.

22 Irmãos. Antigamente, os irmãos de uma garota sequestrada ocupavam papel importante no juízo que se fazia para exigir compensação pelos maus-tratos que ela recebesse (ver Gn 34:7-31); 13:20-38). CBASD, vol. 2, p. 441.

Segundo o costume, quando uma moça era sequestrada, os irmãos dela iam exigir satisfação (v. Gn 34.7-31; 2Sm 13.20-38). Bíblia de Estudo NVI Vida.

Pois neste caso ficaríeis culpados. Porque as filhas não foram dadas em casamento, mas foram tomadas à força. CBASD, vol. 2, p. 441.

25 Não havia rei em Israel. A afirmação faz uma transição adequada para os livros seguintes, que descrevem o início da monarquia. CBASD, vol. 2, p. 441.

O último versículo esclarece a razão por que o período dos juízes se caracterizou pela maldade e anarquia. Nota-se a transição para a narrativa de 1 Samuel. O autor escreveu numa época de unidade nacional, sob a liderança de um rei justo e forte, talvez no tempo de Davi ou no de Salomão. Bíblia Shedd.




%d blogueiros gostam disto: