Reavivados por Sua Palavra


I JOÃO 1 by jquimelli
13 de setembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-joao/1jo-capitulo-1/

Cada membro da igreja é diferente, alguns são simplesmente problemáticos.

Isso era tão verdadeiro nos dias do apóstolo João como nos nossos. Houve alguns membros em sua congregação que afirmavam serem membros da igreja em situação regular, embora andando “nas trevas”. Eles estavam – o apóstolo afirma – vivendo uma mentira (v. 6) reivindicando viver sem pecado.

João viu claramente o problema dessas pessoas. No verso 8 ele simplesmente os chama de mentirosos e no verso 10 ele diz que tais reivindicações fazem de Deus um mentiroso. Afinal, Deus é enfático em dizer que “todos pecaram” (Rom. 3:23), como Paulo deixa claro na primeira metade de Romanos 3, utilizando para isso uma grande quantidade de citações do Antigo Testamento.

A boa notícia em relação à reivindicação dos “sem pecado” é que ela deu a João uma oportunidade para expor o evangelho do perdão. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (verso 9 NVI).

Uma coisa que gosto em João é que ele é capaz de encontrar algo útil mesmo em situações muito ruins. Temos algo a aprender com essa atitude de João.

Derek J. Morris
Diretor do Hope Channel
Associação Geral IASD
Estados Unidos

Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1406
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/06/20
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Gisele Quimelli e Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosB/Reavivados13-09-2018.mp3

Áudio online [voz: Valesca Conty]:



HOJE COMEÇAMOS A LER I JOÃO! by jquimelli
13 de setembro de 2018, 0:58
Filed under: Sem categoria

A leitura deste livro nos trará preciosos vislumbres do caráter e pessoa de Jesus e da importância do relacionamento com Ele.Que Deus continue nos abençoando na leitura de mais este livro das Escrituras.



I JOÃO 1 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
13 de setembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



I JOÃO 1 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Maria Eduarda
13 de setembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

I JOÃO 1 – Cada escritor bíblico enfatiza um aspecto da verdade, tornando-a clara e abrangente para nossa limitada mente. Desta forma, nesta altura da leitura bíblica, é possível perceber que Pedro pode ser considerado “o apóstolo da esperança, como Paulo é o da fé, Tiago o das obras e João o do amor” (J. Sidlow Baxter).

Sendo assim, mergulharemos profundamente no amor divino revelado através de João. A religião cristã bíblica não é só razão, é amor. Cristianismo apenas de teoria não tem serventia; apenas informações frias não resultam em alegria. Intelectualismo sem relacionamento íntimo e amoroso com Deus é a raiz do legalismo farisaico.

João, que foi transformado de filho do trovão em discípulo do amor, escreve com propriedade experiencial e com a autoridade do Espírito Santo sobre um tema tão divino e sublime. Observe o seguinte esboço do primeiro capítulo:

1. Introdução cristológica (1:1-4);
2. A mensagem do evangelho (v. 5) e suas implicações morais:
• Não se pode negar que o pecado é um obstáculo para o relacionamento com a Trindade (vs. 6-7);
• Não se pode negligenciar a existência de pecado na natureza humana caída e a necessidade constante de confissão (vs. 8-9);
• Não há como negar o pecado em nós sem recorrer à mentira e sem rejeitar a Palavra de Deus (v. 10).

Após uma ideia geral do capítulo inicial, observe o que Jonathan Gallagher observou:

“No decorrer de sua existência, João enfrentou o que foi talvez o mais penoso fato de seu ministério: a heresia que negava a realidade de Jesus – Deus que se fez carne. O apóstolo empenhou-se em corrigir a heresia e transmitir a verdade sobre a encarnação de Jesus. Se a verdade for proclamada em toda a sua plenitude e majestade, e se a proclamação puder estabelecer uma comunhão de amor, luz e fé, a heresia perderá sua influência e atração. Por isso, no início de sua Epístola, João nos apresenta a verdade central da proclamação cristã: Jesus. Ele é eterno. Ele é real. Ele é verdadeiro. Sem Jesus não há verdade, luz ou vida. Com Ele, a pregação do evangelho encontra certeza”.

Aceitar, acreditar e aplicar à vida a doutrina bíblica correta promove alegria plena na vida do verdadeiro cristão (v. 4). Experimente-a! Compartilhe-a!

Enfim, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.



I JOÃO 1 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
13 de setembro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (v.9).


De filho do trovão a discípulo do amor, João continua sendo um poderoso testemunho do poder transformador de Deus. Mais do que no evangelho segundo João e em Apocalipse, através de suas epístolas conseguimos enxergar a mudança realizada em sua vida, mesmo que ele não fale de si mesmo. Assim como no início de seu evangelho, o apóstolo amado descreveu a pessoa de Jesus como o “Verbo da vida” (v.1). Pelo que viu, ouviu, contemplou e apalpou, sua vida revela a autoridade de quem compreendeu o que significa ser uma testemunha de Cristo. Não foi só o privilégio de ter andado lado a lado com o Mestre o que o transformou, mas cada palavra que saía de Sua boca era para o inexperiente discípulo um renovado fôlego de vida.

O Verbo que Se fez carne e veio habitar entre pecadores (Jo 1:14) foi a mais comovente e constrangedora prova do grande amor de Deus pela humanidade. Quando João entendeu isso, e o plano salvífico que teve origem “desde o princípio” (v.1), com que profundo amor e reverência proferia: “Jesus, o Verbo da vida!”. A noção que dantes possuía do temor a Deus como sendo uma forma de aplicar o próprio senso de justiça aos semelhantes, como o foi quando, junto com seu irmão, sugeriu que Jesus fizesse descer fogo do Céu para destruir os samaritanos (Lc 9:54), foi completamente mudada quando, ao pé da cruz, viu o Seu Senhor em agonia, proferir as palavras mais carregadas de amor e de misericórdia que ele já ouviu: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23:34).

Estas coisas que João escreveu, portanto, é como um manual de comunhão plena com Deus “para que a nossa alegria seja completa” (v.4), assim como o foi com ele. “Deus é luz, e não há nEle treva nenhuma” (v.5). E a luz que emana da vida e da entrega de Jesus por seres humanos imerecedores, deve refletir em nossa vida e em nossa entrega pessoal como uma renovação diária e crescente, ou não passaremos de “admiráveis” mentirosos, cujo brilho tem prazo de validade. “Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado” (v.7). Aquele cujo espírito rude e vingativo havia desejado a morte dos samaritanos, revelou um trato amável e misericordioso quando as suas faculdades foram entregues ao transformador e restaurador poder do amor.

Amados, todos pecamos e não podemos dizer “que não temos pecado nenhum” (v.8). Por mais lindas e notórias que sejam as mudanças realizadas em nós através da atuação do Espírito Santo, ainda somos reféns da natureza humana, que é pecadora. Contudo, esse entendimento não pode e não deve ser uma desculpa para se viver pecando. Ser pecador é uma coisa, ser conivente com o pecado é outra completamente distinta. O Espírito trabalha em nosso coração e intercede por nós “com gemidos inexprimíveis” (Rm 8:26), para que confessemos “os nossos pecados” diante de Deus, e a graça que advoga a nosso favor nos garante que “Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (v.9). Continuemos sendo reavivados e transformados pela Palavra que nos leva ao conhecimento de Deus e de Cristo. Será esse conhecimento que nos levará à “vida eterna” (v.2).

Bom dia, purificados pelo sangue de Cristo!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1João1 #RPSP

*Participe deixando um comentário:



I João 1 – Comentários Selecionados by jquimelli
13 de setembro de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

692 palavras

1 O que era. Estas palavras iniciais da epístola podem receber duas interpretações, pois o pronome ho, que se traduz como “o que”, é neutro, e poderia se referir a: (1) ao testemunho a respeito da revelação do Verbo da vida, ou (2) ao Verbo da vida (Cristo). O estilo de João torna a segunda interpretação mais provável (Jo 4:22; 6:37, em que os pronomes neutros se referem a pessoas) Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 7, p. 689.

Com respeito ao Verbo. Ou, “sobre a Palavra”. O apóstolo não tem a pretensão de lidar com todos os aspectos concernentes ao Verbo, mas declara em sua epístola verdades baseadas em experiência pessoal com o Verbo. O uso da “palavra” (logos) referindo-se a Jesus Cristo é peculiar ao quarto evangelho (Jo 1:1, 14) a esta epístola (l Jo 1:1; 5:7) e ao Apocalipse (19:13) e apoia a ideia de que eles têm uma autoria comum. CBASD, vol. 7, p. 690.

2 A vida eterna. A associação de “vida” com “eterna” se apresenta 22 vezes nos escritos de João. O apóstolo pensa em termos de eternidade e sublinha a natureza eterna do seu amado Senhor e da vida que almeja compartilhar com Ele (Jo 3:16). CBASD, vol. 7, p. 691.

E nos foi manifestada. O autor está pleno de respeito reverente ao compreender o privilégio que lhe foi concedido de ver Aquele que estava com o Pai desde a eternidade. O esplendor da revelação nunca diminui na mente de João. Pelo contrário, permanece no centro de sua visão espiritual (Jo 1:14). CBASD, vol. 7, p. 691.

Completa. Ou, “plena”. Jesus tinha expressado a mesma razão para falar “estas coisas” aos Seus discípulos (Jo 15:11), e as palavras do discípulo amado podem ter sido um eco às palavras de seu Mestre. A plenitude da alegria é um tema frequente nos escritos de João (Jo 3:29; 16:24; 17:13; 2Jo 12). A religião cristã é feliz (Jo 15:11). CBASD, vol. 7, p. 692.

Deus é luz. Na Bíblia, a luz está associada com a divindade. Quando o Senhor iniciou a Criação, a luz foi o primeiro elemento a ser trazido à existência (Gn 1:3). As manifestações divinas são geralmente acompanhadas de glória inefável (Ex 19:16-18; Dt 33:2) . Deus é descrito como “luz eterna” (Is 60:19, 20) e “que habita em luz inacessível, a quem homem algum jamais viu, nem é capaz de ver” (ITm 6:16). Essas manifestações físicas simbolizam a pureza moral e a santidade perfeita que distinguem o caráter de Deus. CBASD, vol. 7, p. 692.

Mentimos. João destaca a hipocrisia daqueles que professam seguir o caminho da luz, porém voluntariamente andam nas trevas. Se Deus é luz (v. 5), todos os que tem comunhão com Ele também devem andar na luz. Por isso, qualquer um que afirmar ter comunhão com o Pai e andar nas trevas estará mentindo. CBASD, vol. 7, p. 693.

A nós mesmos nos enganamos. Se enganamos a nós mesmos, não podemos culpar ninguém. A pretensão de estar sem pecado é uma exaltação própria, uma ressurreição do velho homem, um ato de orgulho, de pecado, portanto, uma contradição característica de uma pessoa que se engana. Recusando-se a admitir sua própria pecaminosidade, o coração humano enganoso inventa inúmeras maneiras de alegar sua inocência. Só o poder penetrante da Palavra de Deus pode revelar o verdadeiro estado do coração e predispor a mente a receber a revelação. CBASD, vol. 7, p. 695.

Purificar. Ou “limpar. Ao confessar seu grande pecado, Davi orou: “Cria em mim, ó Deus, um coração puro” (SI 51:10). O propósito do Senhor é purificar o pecador arrependido de toda injustiça. Ele pede perfeição moral de seus filhos (Mt 5:48). E fez provisão para que todos os pecados possam ser resistidos e vencidos com sucesso (Rrn 3:1-4). Enquanto houver vida, haverá novas vitórias a ganhar e novas excelências a alcançar. Este processo diário de purificação do pecado e crescimento na graça é denominado santificação. CBASD, vol. 7, p. 696.

10 Sua palavra. A referência não é a Cristo, a Palavra viva, mas à palavra escrita ou falada de Deus como o veículo mediante o qual Sua verdade (v. 8) é transmitida. Essa Palavra é a verdade (Jo 17:17) e não pode habitar em quem contradiz suas declarações evidentes. Se os seres humanos não aceitam o testemunho de Deus, negam-se a validar a descrição de sua condição. Assim agindo, rejeitam Sua Palavra e não podem mais tê-la no coração. CBASD, vol. 7, p. 697.

 

by tatianawernenburg



I JOÃO 1 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
13 de setembro de 2018, 0:10
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: