Reavivados por Sua Palavra


I PEDRO 2 by jquimelli
6 de setembro de 2018, 1:00
Filed under: Sem categoria

Texto bíblico: http://biblia.com.br/novaversaointernacional/1-pedro/1pe-capitulo-2/

Pedro não quer que seus leitores permaneçam estáticos em sua caminhada com Jesus. Nesse capítulo, ele exorta àqueles que experimentaram o novo nascimento (cap.1:23-25) a deixarem de lado tudo o que impede o crescimento espiritual e permanecerem em Jesus, a pedra angular. A nação judaica se escandalizou nAquele que ansiava fortalecê-los, tropeçou nAquele que deveria ser um degrau para a paz e a felicidade.

No verso 9, Pedro escreve novamente acerca do sagrado convite dirigido àqueles escolhidos para o elevado privilégio de representar a Deus na terra. Os cristãos devem render louvor e honra a Jesus, que os chamou das trevas para a luz da verdade. A expressão “povo peculiar” pode ser melhor traduzida como “um povo que Deus adquiriu para Si mesmo”. E que preço Ele pagou pelo nosso resgate!

Nas Escrituras, a luz frequentemente é utilizada para se referir à verdade (Mt. 4:16; Lc. 11:35). À medida que apontamos para a Bíblia como a fonte de luz e refletimos o amor de Jesus em nossas vidas, podemos ser agentes de restauração daqueles que estão se desviando no caminho.

Pr. Cindy Tutsch, DMin
Diretora Associada Aposentada
Patrimônio Ellen G. White
Estados Unidos

Também publicado em: https://www.revivalandreformation.org/bhp/pt/biblia/1pe/2
Fonte: https://www.revivalandreformation.org/?id=1399
Comentário original completo: https://reavivadosporsuapalavra.org/2015/06/13
Equipe de tradução: Pr Jobson Santos, Gisele Quimelli e Jeferson Quimelli
Comentário em áudio Pr. Valdeci: http://vod.novotempo.org.br/mp3/ReavivadosB/Reavivados06-09-2018.mp3

Áudio online [voz: Valesca Conty]:



1 PEDRO 2 – VÍDEO COMENTÁRIO PR ADOLFO SUÁREZ by Maria Eduarda
6 de setembro de 2018, 0:55
Filed under: Sem categoria



I PEDRO 2 – COMENTÁRIO PR HEBER TOTH ARMÍ by Ivan Barros
6 de setembro de 2018, 0:45
Filed under: Sem categoria

I Pedro 2 – Os crentes que inicialmente receberam esta carta de Pedro estavam espalhados nas províncias do Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia (1:1). Cerca de 2000 anos depois, serve para orientar e motivar o coração dos crentes espalhados pelo mundo – inclusive você!

Diferentemente dos ignorantes e superficiais no estudo da Bíblia, a mensagem de Pedro é para quem sofrera perseguição por causa da Palavra de Deus, continuava sofrendo por estarem espalhados pelas províncias romanas, e ainda experimentariam desafios ainda maiores por causa de sua fé em Jesus.

• Quando olhamos para a revelação do fim no Apocalipse, podemos reconhecer o quanto precisamos mais da mensagem de Pedro do que seus primeiro leitores.

Então, observe bem os pontos do segundo capítulo de sua carta:

Ao refugiarmo-nos em Cristo, somos desafiados a abdicar de cinco pecados repugnantes para Deus (v. 1):

• Malícia/maldade;

• Mentira/falsidade;

• Fingimento/hipocrisia;

• Inveja/cobiça;

• Maledicências/críticas/calúnias/boatos/fofocas.

Para lidarmos com os desafios impostos pelos inimigos de Cristo, é necessário (vs. 2-3):

• Alimentar-se da Palavra de Deus;

• Alimentar-se diariamente de alimentos espirituais, assim como do alimento físico;

• Não substituir o leite integral da Palavra de Deus por leite desnatado, muito menos por fast-foo espiritual ou procurar lixo religioso nas fábricas do inferno.

Para fortalecermo-nos na fé, precisamos refletir a Cristo (vs. 4-10):

• Ele é a Pedra viva, a Pedra Angular;

• Precisamos ser pedrinhas na construção de Sua igreja;

• As pedrinhas formam o corpo de Cristo, que é o cabeça, ou seja, precisamos estar ligados à igreja verdadeira para anunciar ao mundo o que Cristo fez.

Para resistir às provas da vida, é necessária a união entre os irmãos (vs. 11-25). Para isso,

• Cada cristão não deve esperar o próximo agir corretamente, mas agir corretamente para com o próximo;

• O cristão reconhece ser peregrino neste mundo indo para o lar celestial, mas sem agir incorretamente com os governadores deste mundo;

• Cristãos não promovem ou apontam problemas políticos do mundo, mas solução bíblica.

O evangelho que não transforma é falso. Pois, “uma vida semelhante à de Cristo é o mais poderoso argumento que pode ser apresentado em favor do cristianismo, e que o cristão que não é fiel à sua profissão causa mais dano ao mundo do que um mundano” (Ellen G. White).

Reavalie teus conceitos… valorize o reino celestial! – Heber Toth Armí



I PEDRO 2 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
6 de setembro de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes dAquele que vos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (v.9).


Antes do início de qualquer construção, é realizada uma fase de limpeza. O solo precisa ser preparado e estar livre de toda contaminação. Só então estará pronto para receber o alicerce que irá sustentar toda a edificação. Assim somos nós. Quando nos despojamos “de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências” (v.1), preparamos o solo do nosso coração para ser edificado em Cristo Jesus como casa espiritual, a fim de sermos sacerdócio santo (v.5). Foi quando os discípulos resolveram suas divergências e uniram-se em oração, que tornaram-se aptos para receber o poder do Espírito Santo e serem testemunhas de Jesus. Onde há contendas e invejas, difamações e ruins suspeitas, não há “crescimento para salvação” (v.2), nem tampouco o poder do Espírito.

Fomos chamados, como “povo de Deus” (v.10), para proclamarmos “as virtudes” de Cristo (v.9). “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma, mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios” (v.11-12). O mundo precisa de servos e servas de Deus como Daniel, que quando observado pelos inimigos, não pôde ser acusado, “porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa” (Dn 6:4). “Porque assim é a vontade de Deus, que, pela prática do bem, façais emudecer a ignorância dos insensatos” (v.15). Pois “todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nEle é divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus” (1Jo 3:9).

Eis o resumo da “ópera”: “Tratai todos com honra, amai os irmãos, temei a Deus, honrai o rei” (v.17). A vida de Jesus foi a perfeita sinfonia e não houve sequer uma nota dissonante, pois Ele “não cometeu pecado, nem dolo algum se achou em Sua boca” (v.22). Em Sua incomparável obra pelo resgate da raça caída, “quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-Se Àquele que julga retamente” (v.23). Fomos chamados para seguirmos os Seus passos (v.21) e, como Ele, suportar a injustiça, retribuindo sempre o mal com o bem. O apóstolo Paulo também escreveu aos romanos: “Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem” (Rm 12:21).

Pelas chagas de Cristo fomos sarados (v.24). Pela morte mais injusta sobre a face da Terra, nos foi garantida a justiça eterna que nos habilita para o Céu. Tendo em mente que foram os nossos pecados que pregaram o corpo de Jesus “sobre o madeiro” (v.24), vivamos “como servos de Deus” (v.16), praticando o bem ainda que retribuídos com o mal. Que com o coração alicerçado em Cristo Jesus, nossas palavras e atitudes sejam luz para a glória do Pai.

Bom dia, povo de propriedade exclusiva de Deus!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Pedro2 #RPSP

*Participe deixando um comentário:



I PEDRO 2 – COMENTÁRIOS SELECIONADOS by jquimelli
6 de setembro de 2018, 0:20
Filed under: Sem categoria

423 palavras

Leite. Isto é, os princípios elementares, fundamentais do evangelho (ver com. de Hb 6:1, 2). CBASD, vol. 7, p. 611.

Rejeitada. As pessoas olharam para Cristo e O examinaram. Entretanto, entenderam que Lhe faltavam as qualidades desejadas no Messias, por isso O rejeitaram como salvador. A nação judaica fez essa escolha e vários indivíduos de muitas nações fizeram o mesmo desde então (cf. At 4:11). CBASD, vol. 7, p. 611.

Pedras que vivem. O apóstolo aplica aos crentes o mesmo termo que usou para se referir a Cristo (v. 4). Cada cristão é uma pedra viva por causa da união com o Cristo vivo. Sem conexão vital com Jesus Cristo ninguém pode ter via santa (ver com. de Jo 6:51, 57; 15:1-6) nem expectativa de vida eterna (ver com. de Jo 14:19). CBASD, vol. 7, p. 612.

Sacerdócio santo. Pedro se refere ao fato de todos os cristãos desfrutarem liberdade de acesso a Deus em virtude da obra de mediação realizada por Cristo e, por isso, não necessitam de mediador humano (ver com. Hb 4:16). O sacerdócio se caracteriza  não só pelo acesso direto a Deus, mas também pela santidade, separação do mundo, por privilégios e obrigações especiais. Os remidos serão  “sacerdotes de Deus e de Cristo” durante o milênio (ver com. de Ap 20:6). CBASD, vol. 7, p. 612.

Sacrifícios espirituais. Isto é, sacrifícios caracterizados por um espírito de amor e devoção a Deus, em contraste com os sacrifícios animais do sistema ritual que havia passado a significar pouco mais do que a conformidade com a forma. Somente aquele que adoram ao Senhor “em espírito e em verdade”(João 4;23, 24) podem oferecer sacrifícios “agradáveis a Deus”. Os motivos e as atitudes são a prova da sinceridade (ver com. de Mt 20:15; comparar com os sacrifícios de Caim e Abel, ver com. de Gn 4:4, 5). CBASD, vol. 7, p. 612.

Agradáveis a Deus. O sacrifício vivo de uma vida dedicada sempre é “agradável a Deus”(ver com. de Sl 51:16, 17; Rm 12:1). CBASD, vol. 7, p. 612.

Sacerdócio real. No papel de sacerdotes, os cristãos devem oferecer a Deus “sacrifícios espirituais” (1Pe 2:5); também devem se apresentar como sacrifícios vivos (ver com. de Rm 12:1), um corpo de crentes consagrados ao Senhor. Eles não necessitam de sacerdote humano como mediador diante de Deus, pois só há um mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo (ver com. de Hb 7:17; 7:24-28; cf. Hb 4:16). CBASD, vol. 7, p. 614.

25 Pastor. Este termo sugere o cuidado e a proteção de Cristo por Suas ovelhas (ver com. de Jo 10:11). Nos muros das catacumbas, trabalhos artísticos dos primeiros cristãos retratam Jesus como pastor. CBASD, vol. 7, p. 620.

Bispo. Do gr. episkopos, “supervisor”, “superintendente”, “guardião”(ver vol. 6, p. 12, 25; ver com. de At 20:28). CBASD, vol. 7, p. 620.



1 PEDRO 2 – VÍDEO COMENTÁRIO PR RONALDO DE OLIVEIRA by Maria Eduarda
6 de setembro de 2018, 0:05
Filed under: Sem categoria




%d blogueiros gostam disto: