Reavivados por Sua Palavra


I Tessalonicenses 4 – Comentado por Rosana Barros by Ivan Barros
30 de julho de 2018, 0:30
Filed under: Sem categoria


“Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação…” (v.3).


Existe sim uma maneira de “viver e agradar a Deus” que, “efetivamente”, a igreja de Tessalônica estava fazendo, mas que também deveria continuar “progredindo cada vez mais” (v.1). E esta maneira está diretamente relacionada às “instruções… da parte do Senhor” (v.2). Como uma bússola, a Palavra de Deus nos mostra o caminho que devemos seguir. Quando Paulo disse que a vontade de Deus é a nossa santificação, divinamente inspirado, nos levou de volta às palavras ditas no livro de Romanos: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12:2). Ser santo aos olhos de Deus nada mais é do que ser separado para um propósito que Ele mesmo estabeleceu. É a oferta do corpo como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o [nosso] culto racional” (Rm 12:1). Ou seja, é entregar-se aos cuidados de Deus por completo, sem reservas, abdicando dos prazeres e desejos carnais, “porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação” (v.7).

Contudo, para que esta santificação aconteça e continue progredindo, não nos é exigido que o façamos sozinhos e nem nos compete realizar esta obra que para nós é impossível, mas o Senhor nos “dá o Seu Espírito Santo” (v.8), que liga mente e corpo num só propósito de nos transformar “de glória em glória, na Sua própria imagem” (2Co 3:18). A santificação, portanto, é um processo que requer a renúncia do próprio eu para dar lugar à vontade de Deus, e isto, dia após dia. Observem que, logo após, Paulo elucidou o amor fraternal como um dever cristão (v.9). Ele exorta os tessalonicenses a continuarem progredindo “por viver tranquilamente” (v.11), de modo a manter bons relacionamentos. O que nos leva a outro texto das Escrituras, que diz: “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12:14). E de acordo com Jesus, a santificação é um processo de limpeza que resulta na mais linda bem-aventurança: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mt 5:8).

Em outras palavras, Paulo afirmou àquela igreja que ela estava caminhando na direção de Deus e que precisava continuar caminhando, em santidade e amor, “até à vinda do Senhor” (v.15). É a obra de uma vida inteira que só será completada por ocasião da volta de Cristo, como bem sintetizou o sábio Salomão: “Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito” (Pv 4:18). E quanto a este dia perfeito não devemos ser ignorantes. A expressão utilizada por Paulo, “aos que dormem” (v.13), foi a mesma que Cristo usou quando se referiu à morte de Lázaro (Jo 11:11), confirmando a verdade bíblica de que a morte é um sono, um estado de completa inconsciência (Ec 9:5-6). Portanto, a mesma voz que um dia despertou Lázaro do sono da morte (Jo 11:43), muito em breve será ouvida por todos os santos e bem-aventurados “que, desde agora, morrem no Senhor” (Ap 14:13), que “ressuscitarão primeiro” (v.16). E assim como Paulo acreditava que esta promessa se cumpriria em seus dias, muito mais devemos crer hoje de que “depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor” (v.17).

Não há consolo maior do que este (v.18), de que a morte não é o fim se apenas aceitarmos, em vida, o chamado de Deus para sermos santos. Um chamado que não nos deixa a mercê de nossa incapacidade, mas que acompanha o presente incomparável que é a companhia e guia constante do Espírito Santo. “Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou” (v.14), essas verdades devem estar bem firmadas em nosso coração. A morte não é o fim para os que dormem no Senhor, é apenas uma pausa inconsciente até que o Doador da vida sopre novamente o fôlego de vida e recrie aqueles que criou para a Sua eterna glória. “Finalmente, irmãos” (v.1), “se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor” (Rm 14:8.). Consolemos, “pois, uns aos outros com estas palavras” (v.18), “porque o tempo está próximo” (Ap 22:10).

Bom dia, chamados para ser santos!

Rosana Garcia Barros

#PrimeiroDeus #1Tessalonicenses4 #RPSP


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: