Reavivados por Sua Palavra


PROVÉRBIOS 25 #RPSP Comentário Rosana Barros by Ivan Barros
24 de abril de 2017, 0:30
Filed under: Sem categoria

“Se o que te aborrece tiver fome, dá-lhe pão para comer; se tiver sede, dá-lhe água para beber, porque assim amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça, e o SENHOR lhe retribuirá” (v. 21-22).

Há uma linha de raciocínio muito interessante neste capítulo. Ele inicia falando a respeito de qual deve ser a nossa atitude diante das autoridades (rei), em seguida da atitude com relação ao próximo e termina sobre qual deve ser a atitude de cada um, individualmente.

Você já se olhou no espelho hoje? O espelho revela a descrição física de cada “mau elemento” condenado à pena máxima: morte. Sendo a morte o salário do pecado (Romanos 6:23), estaríamos todos condenados, não fosse a recompensa paga. Cristo veio e assumiu o meu e o teu lugar naquela cruz. Ele veio alimentar quem não merecia (João 6:48), dar de beber a quem não merecia (João 4:14) e ainda prometeu um galardão a estes. Vocês compreendem a grandiosidade da misericórdia divina? Ela é estendida a imerecedores! A respeito disso, escreveu Ellen White: “Nosso único direito à Sua misericórdia é nossa grande necessidade” (A Ciência do Bom Viver, p. 161).

Mediante este entendimento, fica mais fácil compreender os versos áureos de hoje. O amor que outrora levou o Criador à cruz deve ser o mesmo que leva o pecador à luz. E esta luz refletida no imerecedor faz com que ele mesmo perceba que não há melhor forma de dar destaque à luz do que nas trevas. Os inimigos e perseguidores tornam-se oportunidades de exercitar o amor que Cristo imprimiu em nossos corações. E em meio às trevas de perseguições e de injustiças, recebemos a chance de iluminar. Sabemos que alimento e água são as necessidades básicas que todos nós precisamos para sobreviver. É como se a Bíblia nos dissesse que, se nossos adversários estão passando por situação de vida ou morte, e está ao nosso alcance oferecer vida, então é exatamente isso que devemos fazer.

Não cabe a nós vituperar a vida de ninguém (v. 9-10). Muito menos termos “língua fingida” (v. 23). Nossas palavras devem ser “como maçãs de ouro em salvas de prata” (v. 11), para que possamos amontoar brasas vivas sobre a cabeça dos que nos aborrecem. O sentido sobre a expressão “brasas vivas” é incerto, mas, a respeito dela, há o seguinte comentário: “A bondade a um inimigo, procurando-o, quando, na verdade, ele deveria tomar a iniciativa para se reconciliar, pode trazer sobre a cabeça dele brasas vivas de arrependimento e tristeza pelo pecado, que queimarão a má vontade e o tornarão um amigo e servo do SENHOR” (Comentário Bíblico Adventista, vol. 3, p. 1168). Isto é real e pode ser experimentado por cada pessoa que encontrou em Cristo a verdadeira razão de viver. Este tipo de pessoa não se alegra com a queda do inimigo (Provérbios 24:17), mas, se preciso for, se faz de “tapete” para amortecer a queda. Escolha ser um “mensageiro fiel” (v. 13) do SENHOR, iluminando até o caminho dos teus perseguidores, e, certamente, “o SENHOR te retribuirá” (v. 22).

Bom dia, pacificadores, leiam Romanos 12:20!

Desafio do dia: “Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” – Jesus Cristo. 

Rosana Garcia Barros 
#PrimeiroDeus  #Provérbios25

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: