Reavivados por Sua Palavra


II Samuel 6 – Comentário Rosana Barros by Jeferson Quimelli
9 de abril de 2016, 0:13
Filed under: Sem categoria

#rpSp #2Samuel5 –

"Ao entrar a arca do SENHOR na Cidade de Davi, Mical, filha de Saul, estava olhando pela janela e, vendo ao rei Davi, que ia saltando e dançando diante do SENHOR, o desprezou no seu coração" (v. 16).

A arca da aliança do SENHOR precisava ser levada ao seu lugar. Para tanto, foi providenciado para o seu transporte um carro novo. Só que, de acordo com a orientação de Deus não era assim que deveria ser carregada, e sim, pelos sacerdotes apenas. A Bíblia deixa claro que quem tocasse na arca morreria (Números 4:15). Então, um dos homens que guiava o carro, Uzá, se atreveu a segurar a arca porque os bois haviam tropeçado. E "Deus o feriu ali por esta irreverência; e morreu ali junto à arca de Deus" (v. 7).

Até ali, Davi e o povo acompanhavam a arca com músicas e muita alegria. Mas a partir da morte de Uzá, Davi ficou muito triste (v. 8 ) e "temeu Davi ao SENHOR, naquele dia, e disse: "Como virá a mim a arca do SENHOR?" (v. 9). A arca foi levada à casa de Obede-Edom e lá ficou por três meses; "e o SENHOR o abençoou e a toda a sua casa" (v. 11). Ao saber da bênção naquela casa, Davi, "com alegria, fez subir a arca de Deus… à Cidade de Davi" (v. 12). E vestido de uma estola sacerdotal, "dançava com todas as suas forças diante do SENHOR" (v. 14). E ia acompanhando o transporte da arca pulando e dançando como uma criança que acabara de ganhar o brinquedo favorito.

Ao ver aquela cena, Mical, sua primeira esposa, filha de Saul, da janela contemplava o que considerou como algo patético e detestável. A arca de Deus foi introduzida na tenda que Davi armou, ele ofereceu ofertas pacíficas ao SENHOR e rogou a Ele uma bênção para o povo. Agora imaginem Davi chegando em casa com o coração renovado, confiante de que a bênção do SENHOR o acompanhava, e dar de cara com uma esposa amargurada e descrente. Fica bem claro no episódio de hoje que Mical não comungava da mesma fé de Davi. Era de Israel apenas pela linhagem. Era uma mulher seca e mal amada. E, usada pelo inimigo, vai à presença de Davi e não mede palavras para expressar seu completo desprezo.

Numa linguagem atual, é como se ela tivesse dito assim: — Mas que papelão o seu, hein, rei! Dançando diante de seus súditos com roupas curtas, como se fosse um vagabundo qualquer! E a resposta de Davi, que à essa altura deveria estar completamente decepcionado com a atitude néscia de Mical, foi:

— Perante Deus, Mical, que me escolheu para liderar o Seu povo antes mesmo de Saul, teu pai, e de toda a tua casa, "perante o SENHOR me tenho alegrado" (v. 21). Pode acreditar, que o que você julgou desprezível, "mais desprezível me farei e me humilharei aos meus olhos". Quanto aos súditos, por meio deles serei honrado!

Uau! Que resposta! Sabem qual foi a recompensa de Mical por sua dureza de coração? A de não gerar filhos. A descendência de Saul não continuaria nem por meio da esposa de Davi.

Meus irmãos, três coisas gostaria de destacar do estudo de hoje: reverência, adoração e humildade. Vimos que Uzá morreu porque tocou no que Deus disse que não poderia ser tocado, a não ser pelos sacerdotes responsáveis pelo transporte da arca. Se tivéssemos lido sobre isso sem ter estudado todo o contexto do povo de Israel, poderíamos julgar o juízo de Deus como tirano e severo.

Mas, conhecendo a dureza de coração do povo e a presunção em fazer as coisas do jeito que bem entendessem, percebemos que Deus, ao contrário do povo, cumpria o que dizia. Se não o fizesse, seria como um pai que diz ao filho: — Filho, se você fizer isso, vai ser castigado! Daí o filho desobedece e o pai vem com a mesma conversa: — Olhe, se você fizer de novo, desta vez lhe castigo! Então, o filho repete o mesmo erro, como não recebe o prometido, faz mais uma vez, e novamente, até que desobedecer torna-se um hábito.

Com certeza, Uzá não temia a Deus e recebeu o que Deus já havia advertido que faria. Davi, no entanto, era temente a Deus, possuía profundo respeito e reverência pelo sagrado. E, até que a arca pudesse ser levada da maneira correta, achou prudente não prosseguir com o trajeto. O que causou a morte de Uzá não foi o fato de ter pego na arca, foi a transgressão da lei, o pecado (Romanos 6:23; 1 João 3:4). Até porque o que estava dentro da arca simbolizava vida, e não morte. Tanto que na casa em que ficou, Deus a abençoou. E Davi desejava tamanha bênção! Tanto desejava, que como uma criança não parava de pular e de dançar. A dança, naquela época, fazia parte da adoração.

Geralmente se dançava em celebrações, diferindo-se completamente dos movimentos sensuais que embalavam os cultos pagãos e que embalam o mundo de hoje. Davi adorou ao SENHOR, "com júbilo e ao som de trombetas" (v. 15). E, no mesmo verso, diz que Davi não fazia isso sozinho, mas "com todo o Israel". Ou seja, todo o povo o acompanhava. E o que cargas d’água fazia Mical "olhando pela janela" (v. 16)? Ela fazia o que faz todo aquele que não tem noção de reverência, portanto não sabe adorar, porque não possui um pingo de humildade!

Percebem que uma coisa está ligada à outra? Quem não se humilha perante o SENHOR não tem reverência, e quem não tem reverência não tem noção do que seja a verdadeira adoração. A humildade cala a voz do homem e exalta a voz de Deus! Assim como a arca do SENHOR foi colocada no seu lugar (v. 17), devemos também procurar o nosso. Davi reconhecia qual era o seu lugar: "perante o SENHOR me tenho alegrado" (v. 21).

Todo aquele que se coloca perante o SENHOR, recebe as bênçãos do Seu amor! Davi entrou em casa levando consigo a bênção e não permitiu que a língua ferina de Mical o levasse a perdê-la. Segurou a bênção, enquanto Mical invocava maldição. "Sê tu uma bênção!" (Gênesis 12:2), o SENHOR lhe diz HOJE.

Por mais que as circunstâncias sejam desfavoráveis como foram com Davi por duas vezes, ainda que o teu sofrimento esteja dentro da tua casa, seja você uma bênção! Por mais que a sua comunhão e adoração incomodem, não se deixe abater. Ana ao orar a Deus clamando por um filho, foi acusada por Eli de estar bêbada. Davi ao dançar diante do SENHOR, foi chamado por Mical de vadio.

Sabem o que isso diz a todos os "Elis" e "Micals" da vida? PAREM de julgar a adoração de seus irmãos! Não queiram acabar como Eli e nem como Mical. A minha adoração deve ser perante o SENHOR, como fez Davi; e não perante as pessoas que estão me observando. Saiam da janela e juntem-se aos adoradores do Deus vivo!

Dentro da arca estavam os dez mandamentos, dentre os dez está o quarto que inicia com a expressão: "Lembra-te" (Êxodo 20:8). Hoje é sábado, santo dia do SENHOR! O único dia da semana que Deus abençoou e santificou! Um templo de adoração no tempo! Dia de adoração especial! Dia de renovação!

HOJE, escolha ser um fiel adorador! "Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; PORQUE SÃO ESTES QUE O PAI PROCURA PARA SEUS ADORADORES" (João 4:23).

Feliz sábado, verdadeiros adoradores do SENHOR!

*Leiam #2Samuel 6

Rosana Garcia Barros


2 Comentários so far
Deixe um comentário

amém minha irmã,feliz sabádo.bjs

Comentário por Ivone Amaral Ribeiro Felix

Ivone,

Um abraço e que a bênção do Senhor esteja em sua vida e em seu lar.

Vamos juntos, examinando diariamente as escrituras e indo até Jesus, o nosso Senhor e Redentor.

Deus te abençoe e te guarde,

Ivan Barros

Comentário por Ivan Barros




Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.



%d blogueiros gostam disto: